História A Mulher Que Não Devo Amar... (Emison) - Capítulo 4


Escrita por: ~

Postado
Categorias K.A.R.D, Pretty Little Liars
Personagens Alison DiLaurentis, Aria Montgomery, Ashley Marin, B.M, Caleb Rivers, Emily Fields, Ezra Fitzgerald, Hanna Marin, Jason Dilaurentis, Jessica DiLaurentis, Jiwoo, Mona Vardewaal, Noel Kahn, Spencer Hastings, Toby Cavanaugh, Tom Marin
Tags Alison Vs Ali Bitch, Bwoo, Conto De Fadas, Drama, Emison, Haleb, Kard, Romance, Sparia Vs Jaria, Spoby Vs Sparia
Visualizações 427
Palavras 1.668
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Crossover, Drama (Tragédia), Romance e Novela, Shoujo (Romântico), Suspense, Yuri
Avisos: Álcool, Bissexualidade, Drogas, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Sexo
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas do Autor


Em primeiro lugar, obrigada por toda a força que essa fic está tendo de todas as formas... Os parabéns são pra vocês que são preciosos em todos os sentidos...
Mas hoje mais uma pessoa merece os parabéns e essa é a lindissima autora Katyzz que escreve a fic "O amor é o final"... Amore, parabéns por ter alcançado os 100 favoritos, você merece todo o reconhecimento, pois a sua fic é maravilhosa tal como você.. Isso acontece quando escrevemos com amor e por amor, você é o exemplo daquilo que eu procuro numa autora, além de ser um ser humaninho incrível (quem ainda não leu não sabe o que está perdendo)...

Quanto a todos que me apoiam só tenho a dizer: "Eu me entreguei e decretei K.O"....


Boa Leitura!!

Capítulo 4 - Maldita!!!


Fanfic / Fanfiction A Mulher Que Não Devo Amar... (Emison) - Capítulo 4 - Maldita!!!

"É agora ou nunca", Alison pensou após soltar um forte suspiro, como se estivesse buscando a coragem que lhe faltava, pois a verdade é que os pais da Emily sempre foram bastante reservados, e nunca permitiram visitas dos amigos da filha...

Na verdade, e por conta das coisas que a morena lhe havia contado acerca da cultura asiática,  que por sinal é bastante fechada, a jovem nunca se importou por não frequentar a casa dos Fields, pois o comportamento da sua amada era totalmente "americanizado", talvez pelo fato da mesma ser muito apegada á sua mãe...

Depois de tocar várias vezes á campainha, e por não ter obtido qualquer tipo de resposta, o desespero e a ansiedade, fizeram com que a loirinha não resistisse ao impulso de rodar a maçaneta, ficando admirada por constatar que a porta não estava trancada...
Depois de entrar e chamar pela namorada, a mesma se surpreendeu ao ver que na sala somente havia algumas caixas de cartão que estavam vazias... apenas isso e nada mais...

Nesse momento o  seu coração apertou, e quanto mais ele apertava, mais ela corria por todas as divisões da casa, concluindo que as mesmas se encontravam tão vazias quanto a sala...

Pálida e com a respiração ofegante, a jovem saiu da casa dos Fields com a mão sobre o peito, o que fez com que a vizinha do lado, que estava estendendo roupa, fosse até ela, com a intenção de ampará-la:

- Boa tarde, você está bem?

- Não.. quer dizer sim - ela mentiu tentando disfarçar o susto que tomou, pois não tinha se apercebido da sua presença...

- Posso te ajudar em alguma coisa? - a senhora perguntou de um jeito amável..

- Se não for lhe causar incómodo, tem como me dizer se sabe alguma coisa sobre os Fields? Eu estive na casa deles e está completamente vazia...

- Os Fields? Bem, a única coisa que sei é que eles viajaram na madrugada de domingo, e na terça apareceu uma equipe de mudanças , que levou tudo quanto havia na casa.. Eu o resto da vizinhança acabámos por chegar á conclusão que eles se mudaram...

- O quê? Não, não pode ser! Provavelmente eles estão aproveitando o fato de estarem viajando pra remodelar a casa - Alison respondeu com toda a sua ingenuidade..

- Eu também tenho as minhas dúvidas, no entanto, tanto eu quanto você só saberemos o que se passa quando aparecer a garota...

- Garota? Que garota?

- Uma tal de A..Ali.. ah Alison...

- Alison? Alison sou eu!! - ela gritou de um jeito tão eufórico, que acabou por assustar a pobre senhora..

- Ah.. então acho que isto te pertence - a vizinha dos Fields respondeu, ao mesmo tempo que tirava um envelope do seu avental, e estendia na direção da lorinha..

- O que é isso? - a jovem perguntou enquanto tentava se controlar pra não desfalecer...

- Uma carta que a jovem Emily me entregou antes de partir, e na qual eu acredito que esteja a explicação da sua mudança repentina.. Ela deixou bem claro que essa carta deveria ser entregue a uma moça de nome Alison... eu já estava esperando por você desde terça-feira..

- Eu já disse que os Fields não se mudaram! E esta carta vai provar isso! - Alison afirmou, mostrando assim o seu descontentamento, pela insistência daquela senhora em dizer algo no qual ela se recusava acreditar.

Com uma certa arrogância na sua expressão, a loirinha abriu o envelope que tinha o seu nome, e depois de começar a ler, a vizinha dos Fields percebeu que ela não gostou nem um pouco do que ali estava escrito..

- Ei, porque você se calou?

- Quem foi que lhe deu isto? - Alison pergunta bruscamente.

- Já disse.. foi a menina Emily que me entreg...

- Isso é mentira, ela jamais faria isso - a jovem a interrompeu, e levando a carta consigo, ela começou a correr, evitando assim de chorar diante daquela senhora, que de amável se tornou irritante demais...

Desesperada, a mesma continuou correndo sem ter um rumo certo, e mesmo estando em pleno Verão, tal como se o clima quisesse acompanhar a sua tristeza, ela viu o céu limpo dando  lugar a nuvens carregadas, que logo obedeceram á Mãe Natureza, enviando assim uma chuva forte, que obrigou a loirinha a se abrigar no mesmo lugar onde a Emily a havia pedido em casamento..

Acaso do destino, ou castigo divino...

Isso era algo em que ela não queria pensar, pois a sua urgência em ler novamente a carta que a Emily deixou pra ela, naquele momento era prioridade máxima no seu coração machucado pela dor...

"Como é possível que alguém decida partir

no exato momento em que conquistou tudo que mais amava?

Talvez o amor seja um crime sem esperança de perdão

quando se desiste de algo que parecia ser pra sempre...

Eu não encontrei as palavras pra dizer ADEUS,

pois o meu coração não teve coragem pra se expressar...

Se é o fim,

não tenho certeza...

Como eu saberia se nunca passei por isso antes?

É tão dificil permitir que o que temos se vá,

quando eu tenho certeza que o nosso amor é a única coisa que jamais esquecerei..." 
 

Confusa e com o coração partido, Alison começou a chorar desesperamente, enquanto perguntava pra si mesma, aonde foi que ela errou pra ser abandonada daquele jeito..

Teriam sido insuficientes os beijos que deram?

Teriam sido poucos, o número de vezes que se abraçaram?

Teria sido por culpa da ausência de uma declaração de amor da sua parte , sendo que a morena todos os dias dizia que a amava?

Furiosa e sentindo-se enganada, a loirinha arrancou do seu pulso, o objeto que simbolizava cada palavra de amor dirigida a ela, e enchendo-se de coragem, atirou o mesmo para o mais longe que conseguiu, e sem se importar com a chuva,  a jovem saiu do celeiro e correu em direção a sua casa, sem ao menos se dar conta que naquele local estava um rapaz que se deteve ali para admirá-la, e que ao deparar-se  com a pulseira de ouro jogada no chão, tratou de guardá-la, prometendo a si mesmo de entregá-la á sua dona, se algum dia voltasse a revê-la, até porque além da cidade ser pequena, a beleza daquela garota era surreal, e seria impossível que ele se esquecesse do rosto dela, apesar de a ter visto apenas por um instante que parecia ser mágico...

 

HORAS DEPOIS....

 

Por estarem preocupadas com a falta de noticias, Hanna e Aria resolveram sair do colégio mais cedo, indo assim até casa dos Dilaurentis, e deixando o Jason surpreso, quando ele abriu a porta e viu que eram elas que estavam tocando á campainha:

- Que legal! Hoje todas as meninas de coro resolveram matar aula! - ele afirmou num tom de deboche, enquanto olhava para a Aria dos pés á cabeça, deixando a mesma completamente desconcertada com o seu olhar intimidante, mas que estranhamente a agradava..

- Cadê a Alison? - Hanna perguntou impaciente.

- Está trancada no quarto.. Aconteceu alguma coisa?

- Ainda não sabemos, será que podemos entrar?

Confuso, Jason permite a entrada das duas, no entanto, e por ver que o irmão da sua amiga se encontrava desnudo do tronco pra cima, a jovem Aria decidiu ficar na sala esperando:

- É melhor que vá sozinha, eu nunca sei o que dizer nesses momentos - ela justificou, e após assentir com a cabeça, Hanna subiu as escadas, e entrou no quarto da amiga sem pedir permissão, ficando chocada com o cenário que encontrou.

Alison estava sentada no chão ao lado da sua cama, onde apenas se podia escutar o seu choro desesperado..

Após recuperar do choque inicial, quando Hanna se deu conta já estava sentada ao lado da amiga, pois desde que elas se conhecem, este com certeza era o momento em que a mesma mais precisava dela...

- Porquê? - Alison perguntou após encostar a cabeça no ombro da filha dos Marin..

- O que aconteceu Ali?

- Ela foi embora... A Emily foi embora pra sempre...

- O quê? Você tem certeza?

- Sim.. ela deixou esta carta com uma vizinha - a jovem respondeu, pra logo em seguida tirar do seu bolso o papel agora amassado e um pouco molhado..

- Meu Deus! - foi a única coisa que Hanna conseguiu proferir após ler a carta..

- Aposto que você tá pensando que fui uma boba por ter me apaixonado.. Você tinha me avisado... todos me avisaram e eu não quis escutar..

- Eu jamais pensaria isso de você Ali... e a verdade é que com o tempo todos nós pensámos que a Emily tinha mudado, por ter se apaixonado verdadeiramente...

- A culpa foi minha! Eu sei que foi... eu não a amei do jeito que deveria ter amado...

- Não se culpe .. você é maravilhosa - Hanna respondeu na intenção de consolar a amiga..

- Por favor - Alison implorou soluçando - eu não quero que ninguém saiba o que aconteceu, eu só quero esquecer que ela me abandonou.. Maldita Emily... como eu fui idiota...

Novamente um choro desesperado se apoderou da jovem Dilaurentis, fazendo com a sua melhor amiga começasse a chorar também:

- Ai Ali... Eu queria ser Deus, e ter poderes pra tirar toda a dor que você está sentindo..

- Eu não vou aguentar, eu não vou aguentar... Maldita!!! - Alison gritou com ódio de si mesma, no entanto, segundos depois, a mesma se calou e levou a mão ao peito, deixando a Hanna assustada com aquele gesto inesperado..

- Alison o que foi?

- Não tou conseguindo res..res...respirar -  a jovem respondeu antes de desfalecer diante de uma Hanna aterrorizada, por ver que no instante seguinte, o desmaio da amiga deu lugar a uma forte convulsão, e que a sua pulsação estava bastante fraca...

 

- ALISON?? ALISON??  ALISON ACORDA POR FAVOR!!! SOCORRO, ALGUÉM ME AJUDA, A ALISON ESTÁ MORRENDO!!!.....

 

 

 


Notas Finais


Quem disse que ninguém morre de amor, mentiu...


Importante: os créditos da carta da Emily são da autoria da música "Goodbye" da Alicia Keys, e eu apenas adaptei uma parte...


Obrigada mais uma vez por todo o apoio, comentários, carinho..

Volto quando voltar ahahahaha (entendedores entenderão)

Até breve e #segueobaile


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...