História A (não tão) horrorosa vida de Kim Taehyung - Capítulo 13


Escrita por: ~

Postado
Categorias Bangtan Boys (BTS)
Tags Jimseok, Namjin, Taegi, Taehyung, Taekook, Vkook, Vmin
Exibições 168
Palavras 2.213
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Comédia, Lemon, Romance e Novela, Slash, Universo Alternativo, Visual Novel, Yaoi
Avisos: Adultério, Álcool, Homossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas da Autora


Oii...
Pimeiro miiiiiiiiiil desculpas mesmo mesmo mesmo pela demora, de verdade desculpas :(
Eu realmente não estava bem, sério: disseram que eu estava na pior e eu estava bem pior do que disseram T^T

Quero agradecer muito o apoio e as mensagens e os comentários e tudo mais de verdade, é o que me da forças pra continuar... Espero não despontar vocês me desculpem de novo T.T
Bem, não saiu lá grandes coisas mas...taaí!
Obrigada por não desistirem da fic nem de mim *-*
Me sinto tão envergonhada, desculpas T^T

Capítulo 13 - Sinto sua falta...


Fanfic / Fanfiction A (não tão) horrorosa vida de Kim Taehyung - Capítulo 13 - Sinto sua falta...

Descobri que não era infarto quando ouvi a campainha tocar, a palpitação continuar e eu não cair duro no chão. Abri a porta e woow, Bogun estava lindo! Seus cabelos bagunçados estrategicamente, com uma camisa branca com dois botões abertos juntamente com uma gargantilha de um símbolo que eu em minha humilde e limitada sabedoria não fazia idéia do que significava o deixava extremamente sexy. Depois de alguns segundos o olhando descaradamente, meu mais novo amigo da praia sorriu pra mim. Eu provavelmente estava dando muito na cara! Nem ligo!

_Está pronto Tae?

_C-claro! Vamos. –me xinguei mentalmente por ter gaguejado, credo eu não era assim todo virjão. Tranquei a porta e segui ao seu lado, somente o ouvindo comentar sobre o restaurante maravilhoso de frutos do mar que iríamos e de como eu iria gostar da vista. Queria responder com um “querido, já estou adorando a vista” enquanto secava suas coxas, porém me limitei em assentir.

Chegando ao tal restaurante fiquei surpreso com a beleza do lugar. Não era aquelas coisas cheias de frescuras, muito pelo contrário: era simples e rico ao mesmo tempo. As mesas eram de madeira, com decorações de flores e um grande aquário com várias espécies de peixinhos bem ao lado de uma bancadinha de doces. Nem preciso dizer que meus olhos brilharam de lombriga e como se lessem meus pensamentos Bogum sussurrou no meu ouvido (o que me deu um leve arrepio).

_Depois de jantar você pode comer quantos doces quiser!

Sorri abertamente, mas logo me lembrei de Jimin me reprimindo dizendo que se eu comesse doce demais iria acabar gordo, com dentes podres e diabetes. Droga, porque tudo me faz lembrar aquele baixinho... Bogum segurou na minha mão já que resolvi fazer cosplay de estátua e seguimos até nossa mesa reservada, o que me fez esquecer qualquer coisa relacionada aos meus ex-amigos quando olhei a vista maravilhosa do mar. Estava tudo muito bom, tudo muito lindo, comida deliciosa, conversa maravilhosa até que meu mais novo amigo resolve de novo tocar no amaldiçoado assunto: “relacionamentos”. Não sei o que infernos ele insiste em conversar sobre isso!

_Tae, você por acaso está apaixonado por alguém? –na hora me veio na cabeça Jeongguk. Apaixonado... Não sei se era isso a palavra certa, ele me tratava tão mal, me fez tropeçar, me xingou, me humilhou, eu não tinha motivos nenhum para me apaixonar por ele. Então me lembrei de quando ele me acolheu naquele dia de chuva e no dia em que me ajudou a levantar quando eu havia brigado com Jimin, de como seu abraço e seu cheiro me acalmaram e me fizeram pegar no sono.

_Esse teu silêncio responde tudo.

_Não é só que... Não sei. Não é como se eu tivesse motivos para me apaixonar, eu só não consigo entender... –falei acho que mais pra mim mesmo.

_Ah Tae, infelizmente estas coisas não podemos escolher né, tipo por quem se apaixonar e tal. Meu namorado me deixou faz 4 meses e embora eu tenha escolhido não manter o relacionamento, ainda me pego sentindo a falta dele.

Soltei uma pérola do tipo _À vida tem dessas coisas... - e depois caímos em um silêncio melancólico, cada um submerso em seus próprios pensamentos. Pois é, eu dando conselho amoroso é tipo mestre dos magos... Jogo uma frase misteriosa, sumo e a pessoa que se vire. Não sou bom com essas coisas não...

Ele riu e eu o olhei confuso. Que homem bipolar! Odeio quando as pessoas riem e eu não sei o motivo. Fica parecendo que o motivo sou eu (na maioria era mesmo), mas mesmo assim odeio.

_Do que está rindo?

_Não é só que... Você- não conseguiu terminar a frase, pois continuou rindo. Fiquei nervoso.

_Espero muito que tenha alguém fazendo gracinha atrás de mim e você está rindo dele, porque se não for, querido, não dou nem três segundos pra esse garfo ir parar na sua cara... –segurei o garfo com força demonstrando toda minha raiva o olhando com meu famoso olhar assassino, o que fez ele rir ainda mais. Quando resolvi pegar impulso pra furar a garganta dele, Bogum segurou minha mão e sua expressão de deboche mudou para uma mais séria, enquanto eu fiquei meio em transe com o carinho que recebia na mão.

_Solta esse garfo, seus dedos estão branco não ta circulando sangue aí, vai gangrena sua mão...

De repente senti minha mão realmente formigar e larguei o garfo. Bogum riu de novo e eu levantei minha mão abrindo e fechando a fim de fazer o sangue voltar a circular para não ser amputada. E mais uma vez meu amigo da praia segurou minha mão, agora entrelaçando meus dedos aproveitando que eles estavam abertos e apoiou nossas mãos juntas na mesa. Fiquei olhando para elas juntas em cima da mesa, eu nunca tive um relacionamento assim, do tipo de ficar somente de mãos dadas. Não que eu e Bogum tivéssemos um relacionamento, é só que ele fazia me sentir confortável. Acho que fiquei tempo demais olhando nossas mãos juntas...

_Há quanto tempo você não recebe um carinho? Há quanto tempo vem se mascarando de arrogância e pose de durão, escondendo o quão quebrado você está por dentro? –o olhei com os olhos arregalados_ Eu vejo Tae, está em seus olhos... Você é tão transparente como uma criança.

_ Todo mundo sempre acha que é drama da minha parte e confesso que às vezes eu faço um drama mesmo, mas nem sempre é assim. Bom, eu fiquei realmente mal com a última briga que tive com meu melhor amigo... –Mordi meu lábio inferior com força tentando segurar o choro. Seria mais do que patético começar a chorar agora...

_Sabe Tae, tem males que vem pra bem.

Fiquei nervoso de novo. Ele falou igualzinho Jin quando queria me confortar quando alguma desgraça acontecia na minha vida. Eu sei que ele nem sabe disso, mas de certa forma aquilo me deixou meio com raiva e eu apertei sua mão um pouquinho mais forte.

_Olha querido, eu particularmente nunca tive um male que veio pra bem. Meus males sempre vieram pra males mesmo...

Ele riu, não sei o que tanto Bogum achava engraçado das coisas que eu falava...

_Você muda de humor muito rápido!  Me responde uma coisa, você namoraria alguém como você?

_Meu bem, eu já me namoro: me levo pra sair, me faço uns carinho hot, vejo netflix comigo, as vezes quero me matar...

Puta que pariu eu e minha língua enorme! Taehyung imbecil, o que é esse negócio de “carinho hot”? Agora Bogum vai achar que eu sou um punheteiro, que está segurando uma mão de punheta! Nossa, eu sou campeão em me fazer passar vergonha, palmas pra mim.

_Escuta aqui Taehyung...-fudeu, ele vai ficar com nojo de ter segurado minha mão..._Nunca na sua vida pense em se matar entendeu? E nunca mais diga isso também.

Olhei em seus olhos para ver se tinha algum tipo de deboche ou sarcasmo, mas só o que encontrei foi uma enorme incógnita. Fiquei envergonhado e abaixei a cabeça. Bogum pegou meu rosto e me fez encarar seus olhos.

_Promete pra mim que nunca mais vai falar isso.

_Eu... eu só estava brincando!-falei baixinho.

_Mesmo de brincadeira, promete que nunca irá falar isso novamente.

Bogum estava muito sério. Estava escrito na sua cara que ele estava tenso e eu estava confirmando isso na minha cara também já que seu aperto no meu rosto estava começando a machucar.

_Prometo! Agora solta que tá doendo...

Parece que ele saiu de um transe e afrouxou o aperto, agora relaxando seus músculos e bateu uma puta curiosidade em saber o porquê de ele ter ficado tão tenso por isso.

_Por que isso te deixou tão bravo? -Vi seu corpo se retraindo e ele se encostou na poltrona olhando para qualquer lugar menos pra mim._Não precisa falar se não quiser...

_Olha Tae, minha irmã se matou faz quatro anos. Ela tinha depressão profunda e ninguém nunca a levava a sério. Ela chorava e chorava, dizia que a dor que ela sentia era muito grande, mas ninguém entendia afinal todos pensavam “porque uma moça jovem, saudável, bonita, com uma boa família, que é amada por todos e tem tudo que quer teria depressão? E só pra chamar atenção”. Eu não presenciei muito esta fase, eu estava na faculdade e dormia nos dormitórios de lá, mas mesmo assim não deixo de me sentir culpado. Eu devia ter percebido... Quando ia visitar minha família eu a via cada vez mais magra, ela sempre, sempre só queria estar dormindo. Meus pais reclamavam que ela era uma preguiçosa que não saía da cama, na época eu nem me toquei. Ela estava definhando Tae, sozinha. Ela deixou de tentar expressar sua agonia e guardava tudo para si, seu rosto já não tinha mais tanta expressão ela sempre parecia apática, como se nada mais importasse. E então em um certo dia recebi uma ligação que haviam encontrado o corpo dela pendurado em seu quarto e uma das coisas que mais me machucou foi a carta que ela nos deixou.- eu o olhava sem nem piscar, não sei parecia que conseguia sentir toda a dor da irmã de Bogum e aquilo estava deixando meus olhos ardendo, mas me segurei _Na carta ela pedia desculpas, dizia que a culpa não era de ninguém a não ser dela mesma porque ela tinha sido fraca. Tae, ela pediu desculpas por não ter conseguido lutar, mas sabe, como ela poderia sendo que ninguém a ajudava?

Certo, ele estava esperando uma resposta... Pensa Taehyung, pensa, pelo menos uma vez na sua vida não fale merda!

_Você não tem culpa! Na verdade ninguém tem, nem ela!

_Obrigado, mas mesmo assim isso nunca saiu da minha cabeça. Foi por isso que quando te vi senti uma vontade enorme de te proteger. Provavelmente estou sendo muito intrometido, mas me deixe te ajudar.

_Okay... –foi a única resposta que consegui dar diante daquele olhar, até que nossos pedidos chegaram e caímos em um silêncio. Na verdade eu é que não queria conversar mesmo, porque Bogum tentou puxar assunto algumas vezes, mas eu não dava muita bola até ele desistir. Acontece que, quando parei para pensar direito na história da irmã dele, eu consegui me identificar muito, quase que podendo sentir toda a dor dela. Realmente para alguém chegar a este ponto, deve-se estar sofrendo muito, algo tão agonizante e insuportável que não conseguia enxergar outra saída. Meu peito doía tanto e naquela altura a comida nem parecia ter sabor mais...

~ღ~

Depois de comermos, fomos juntos caminhar na praia e eu ainda estava bem longe dali. Estávamos sozinhos, a noite deixava o mar mais bonito do que já era o que me causava uma certa melancolia...

_Me desculpe!

_O que? –bom, eu estava na lua, óbvio que não entendi.

_Me desculpe ter estragado nosso dia, não foi o que planejei. Eu queria te animar, mas pelo jeito te deixei pior contando da minha vida, eu não deveria ter feito isso. É só que, eu realmente não consegui segurar me desculpe.

Olhei para ele e depois voltei meu olhar para o mar. Eu realmente estava triste, mas não era pelos meus ex amigos ou Jeongguk nem nada deste tipo. Na verdade nem eu sabia explicar o que era.

_Você não tem que me pedir desculpas por nada.

_Mesmo assim me desculpe.

_Já disse, você não tem culpa de nada e nem teve antes. Você não acha que passou da hora de se perdoar? O que ela sentia era algo dela. Sim talvez vocês pudessem ter ajudado, mas eu acredito que o destino de cada um já esteja traçado. Ela muito provavelmente não queria que você se sentisse assim, então, por favor, seja feliz, por ela!

Sem querer eu estava chorando. Sim era exatamente isso que eu iria querer se caso estivesse no lugar da irmã de Bogum. Senti ele me abraçando e não pude conter o choro que se tornou mais alto e mais sentido. Eu sentia muito mesmo, e não digo no sentido de desculpas.

_Você me lembra ela! Seu olhar perdido me lembra o dela. –chorei mais-  Por favor, não chore...

_É só que eu realmente sinto muito...

_Está tudo bem!

Ficamos assim abraçados comigo chorando algum tempo, até que minhas lágrimas foram secando sozinhas e o cansaço me bateu de repente. Estava tão cansado de tanta coisa que eu nem sabia realmente do que exatamente.

_Bogun, vamos? Eu sinto que preciso dormir...

_Sim, vamos.

Seguimos em silêncio até ele parar em frente a “minha” casa.

_Você tem certeza que irá ficar bem? Tipo, posso ficar um pouco mais se quiser.

_Não, não, eu estou bem de verdade. Hoje foi cansativo só isso. Nos vemos amanhã, tudo bem? –o vi suspirar derrotado antes de concordar e nos despedirmos, mas antes ele me fez prometer que nos veríamos mesmo, o que eu achei até legal. Deitei na cama olhando o teto e já não conseguia pensar em mais nada. Retirei meu celular que tinha mensagem do Minjae que eu não iria ler agora, da minha mãe e uma de um número desconhecido o que me deixou meio intrigado, porém não respondi. Eu precisava dormir e era exatamente isso que eu iria fazer por agora...

Número desconhecido...

~“sinto sua falta”


Notas Finais


Ficou meio bad e tals... me sinto triste com tudo maas... vida que segue né :/
obrigada de novo por tudo e me desculpem !!!
Beijos


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...