História A nerd e o popular - Capítulo 27


Escrita por: ~

Postado
Categorias Fairy Tail
Personagens Bickslow, Cana Alberona, Gajeel Redfox, Gray Fullbuster, Igneel, Jude Heartfilia, Juvia Lockser, Laxus Dreyar, Layla Heartfilia, Leon, Levy McGarden, Lisanna Strauss, Loki, Lucy Heartfilia, Natsu Dragneel, Sting Eucliffe, Wendy Marvell
Tags Máfia, Romance
Exibições 572
Palavras 1.077
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 16 ANOS
Gêneros: Colegial, Comédia, Crossover, Romance e Novela, Shoujo (Romântico)
Avisos: Heterossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Notas do Autor


Oi pessoas, desculpem a demora, mas eu estava ocupadíssima com um trabalho (que a professora passou dois meses atrás, e eu resolvi fazer na véspera da entrega).

Ah! Só mais uma coisa: se bater uma curiosidade e tals... Ou se vcs tiverem um tempinho pra ler... Leiam a minha outra fic (que ainda só tem um cap., pq eu vou postar mais).

N to mendigando nada, é só uma sugestão.

O nome é "Amor e ódio", espero que gostem (se forem ler).

Só isso, bjs de uma panda.

Capítulo 27 - Na praia


Lucy 

E lá estava eu: sol, praia, biquíni e turistas.

- Caralho, mano, olha que gostosa! - Natsu apontou para uma garota que passava, e os outros garotos concordaram.

- Cafajestes. - eu e as meninas resmungamos.

Passou três meninos: um loiro, um moreno e um ruivo (muito bonitos, aliás).

Então eles vieram falar conosco.

- Hã... Oi. - o ruivo coçou a nuca. - Cês topam jogar três cortes com agente?

- Por mim tudo bem. - sorri e ele corou.

Que kawaii...

- Juvia topa. - Juvia murmurou. - Ninguém merece ficar ouvindo os comentários nojentos deles. - ela apontou discretamente para Natsu e os outros, que seguiam a bunda de uma garota com o olhar.

- Eu vou ficar por aqui. - Erza avisou.

- E você lindinha? - o moreno perguntou a Levy - Quer jogar?

- Eu não sei jogar... - Levy falou corada.

- Eu te ensino, princesa. - ele pegou Levy no colo. - Topa?

- T-Ta... - Levy respondeu que nem pimentão.

- Muito bem, - disse o loiro, que até então se mantinha calado. - Vamos jogar.

Ele segurou a mão de Juvia, beijou a mesma, e Juvia se levantou num sobressalto, mas não largou a mão dele.

Me levantei da cadeira de praia, e o ruivo enlaçou minha cintura.

- Vamos lá, madame? - ele piscou pra mim e eu dei um sorriso de lado.

- Claro. - pisquei pra ele.

Natsu

Que merda é essa?

O que está acontecendo?

Quem é aquele ruivo?

E por que a minha Luce piscou pra ele?

- Ô loira, onde você vai? - perguntei.

- Jogar três cortes. - ela respondeu e foi jogar três cortes com o ruivo.

- Quem era aquele ruivo/loiro/moreno? - eu, Gray e Gajeel falamos ao mesmo tempo.

- Seres humanos do sexo masculino que fisgaram a atenção das garotas de vocês. - Jellal retrucou.

- Eu vou matar aquele ruivo. - avisei.

- Eu mato o loiro. - Gray resmungou.

- E eu mato o moreno. - Gajeel falou entre dentes.

Fomos até onde elas estavam jogando com eles, e encontramos as meninas rindo das palhaçadas deles.

- Luce. - a chamei. Ela me encarou, e sorriu.

- Vem jogar conosco, Natsu! Esses caras são legais! - ela veio até mim.

- Eu não acho. - resmunguei. - Vamos embora, Luce.

- Mas nós acabamos de começar a jogar. - ela fechou a cara.

- Vamos. - insisti.

- Mas... - olhei para ela com uma cara de sério. - Então ta... Vamos... Hã... - ela olhou para o ruivo. - Tchau... Eu estou indo.

- Já? - ele perguntou cabisbaixo. - Então... - ele veio até a Luce, e deu um beijo na bochecha dela. - Tchau, minha loira.

Ele disse minha loira?

Narradora

As garotas que estavam jogando, e Gajeel e Gray, que estavam logo atrás do Natsu, gelaram ao ouvirem as palavras faladas pelo ruivo.

- Ai... - Lucy engoliu seco - Que o kami tenha piedade...

- Sua loira? - Natsu repetiu, então deu uma risada com escárnio. - Desculpe, mas você vai ter que achar outra loira pra chamar de sua... Vejamos... Que tal seu amiguinho alí. - ele apontou para o loiro, que não entendeu a referência. - Essa loira aqui, - Natsu apontou para Lucy - é minha.

- Ah... Desculpe... - o ruivo murmurou envergonhado. - Eu não sabia que vocês dois estavam namorando...

- Não estamos. - Natsu retrucou. - Mas ela é minha de qualquer forma.

- Espera... Ela não é a sua namorada...? - o ruivo estava confuso. - Então ela não é sua.

- Ela é minha. - Natsu insistiu.

- Ela não é um objeto. - o ruivo falou, chamando a atenção de Lucy. - Ela não é sua.

- Ela é minha. - Natsu continuou firme em seu argumento.

O ruivo já estava se irritando com a persistência de Natsu:

- Eu já falei que ela não é...

- Não adianta. - Lucy disse ao ruivo. - Ele é muito teimoso. Eu já cansei de falar que eu não sou dele. Mas como visto... Ele não mudou de ideia. - ela deu um sorriso de canto. - Tchau, ruivinho... - o ruivo encarou o chão. - Vamos, Pantera cor-de-rosa.

- Aye sir! - Natsu respondeu com voz de bebê e a loira riu:

- Palhaço.

+++

00:30

Lucy estava sentada em uma cadeira que ela havia colocado no terraço da casa de praia do Natsu. Ela estava sozinha, apenas observando as estrelas, e pensando nas palavras do ruivo: "Ela não é um objeto".

Sim, foram palavras que tocaram o coração dela... Por mais simples e bobas que fossem aquelas palavras...

Estava tão submersa em seus pensamentos, que nem percebeu que uma ruiva se aproximava.

- Homens são complicados, minha amiga. - Erza disse colocando uma cadeira ao lado da loira.

- Homens complicam a minha cabeça... E a minha vida. - Lucy resmungou fazendo a ruiva rir. - É sério! Tem homem que me irrita fácil, tem homem que me faz bem fácil, e tem homem como o Natsu, que faz os dois!

- Uhm, né? - Erza deu um sorriso malicioso. - Lucy... Pode falar: você ta gostando do Natsu? Ou pelo menos sente alguma atração por ele?

- Não. - Lucy respondeu rapidamente, o que deixou a ruiva desconfiada. - Não gosto dele... E nenhuma atração...

Admito que tenho vontade de estuprar ele quando ele tira a camisa na educação física, ela pensou, porém não disse nada.

- Então ta... - Erza revirou os olhos.

- E você, Er-chan? - Lucy arqueou as sobrancelhas. - Algum avanço com o "Mudinho".

- Ei! Não chama ele assim! - Erza reclamou e Lucy riu. - E... Não... Ta tudo na mesma... Ele fala um "oi" com aquele sorriso fofo... E... Eu falo o que parece ser um cacarejo "o-o-o-o-o-o-oi"... E ainda fico corada... O meu corpo fica me traindo quando estou perto dele... Minhas pernas ficam bambas, minhas mãos ficam suadas, meu rosto fica vermelho, minha barriga fica roncando... - dito isso a barriga dela roncou. - Viu, só? O negócio é sério aqui.

- Vamos comer. - Lucy se animou com a ideia. - Só não queime nada... O Gray é um horror como bombeiro.

As duas riram e foram para a cozinha, onde perceberam um pequeno detalhe ao abrirem a geladeira e os armários:

- ESTAMOS SEM COMIDA!!!



Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...