História A Neutral - Capítulo 6


Escrita por: ~

Postado
Categorias Originais
Visualizações 1
Palavras 750
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Ação, Colegial, Drama (Tragédia), Hentai, Luta, Mistério, Policial, Romance e Novela, Universo Alternativo
Avisos: Álcool, Bissexualidade, Heterossexualidade, Homossexualidade, Insinuação de sexo, Nudez, Sexo
Aviso legal
Todos os personagens desta história são de minha propriedade intelectual.

Capítulo 6 - Uma rival...


Pov Soni


   Legal estar com as minhas amigas na cantina, ruim era que eu me entediava muito fácil com a conversa delas e como eu ainda estou em processo de "enturmamento", acabei fechando os olhos só para escutar melhor.

   Devo lembrar que estava tudo em paz, calmo sem nada para atrapalhar. Mas a vida não é justa e começo a escutar uma garota que não parava de reclamar.

   - Ai, que horror. É aqui mesmo o local? Mas não é nada igual a outra, aqui é tão…bléék. Eu prefiro mil vezes a minha antiga. - eu abro meus olhos e vejo as meninas se calarem e fixar os olhos de raiva para a tal garota.

   Me viro para vê-la. Cabelo loiro encaracolado nas pontas, roupas justas ao corpo, meias gigantes com saltos de no máximo cinco centímetros? Uma patricinha?

   - Quem é ela? - sussurro para não chamar atenção da garota, que, a propósito, não parava de reclamar.

   - É a Vitória Gabriele Merart, mamada pelo empresário rico Gilberto Merart. Eu não mexeria com ela se fosse você. - diz Mary.

   - Mas ela está falando mal do internato todo.

   - Olha lá as ajudantes, não sei como elas a aguentam. Não sei nem por quê elas estão...

   - Ai que lixo de local!!

   - Já chega. - levanto, pego meu casaco e vou para perto dela. Fico escondida na multidão só esperando a hora certa de falar.

   - Papai não vai me deixar aqui, eu sei...

   - Então por que não vai logo? - falo com todos calados, meninos e meninas.

   - Como disse?

   - Eu falei grego por acaso? - todos vaiaram.

   - Que ousadia. Calem-se!! Você, por acaso sabe com quem está falando?

   - Sim e não.

   - Como?

   - Não sei com quem falo, só sei que é uma escrota que pensa que pode falar o que quiser, porem não é bem assim.

   - Escuta, você vai se arrepender por falar assim. Sou Vitória Gabriele Merart, e o meu par é um empresário riquíssimo o Gilberto Merart. - se gaba.

   - ... E eu com isso? - todos vaiaram - eu só não quero mais nenhuma idiotice saindo de sua boca. Não ligo se é filha de fulano ou tem dinheiro, só não acho certo o jeito de falar do internato, está me intendendo?

   - Isso é uma ameaça, sua esquisita?

   - Não - retiro minha toca - é só um aviso. - e saio de perto com o povo abrindo espaço para eu passar.

   Andei até o jardim da escola e encontrei umas flores brancas muito bonitas. 

   As meninas haviam me seguido.

   - Soni! Como que... Você fez aquilo?

   - Eu só falei o que era certo, sabe? A verdade. - digo sem olhar para elas.

   - Mas você acabou de conhecer ela, como pode pensar tudo aquilo?

   - É que eu não gosto se ser intimidada, e isso não foi só o que eu pensava, tinha mais. - respondo olhando para elas.

   Deixo elas lá no jardim e vou para a biblioteca da escola procurar um livro de geometria, cálculos, matemática, enfim.

   Pego os livros e vou para o meu quarto estudar.

   E eu fico naquela mesa sentada, lendo e relendo, porem aquela informação não entrava e eu não esperaria ficar sentada por durante tanto tempo. Até que me dou conta, o dia já acabou.

  Então meu celular toca:


{ligação on}


   - Alô? Soni?

   - Alô, Larissa. O que foi?

   - Espero não estar te atrapalhando, mas tem uma coisa no blog da escola sobre você.

   - É o quê?

   - Escuta, "Garota de capuz enfrenta Vitória Gabriele. A novata Soni Yakamura fala umas verdades para a Merart que fica sem reação com os comentários."

   - Esse povo não sabe cuidar da própria vida?

   - Que isso, Soni. Você falou o que muitos queriam.

   - Aff... Deixa quieto então. Sabe, não vai ser uma rivalzinha que vai me parar, ela não me conheçe.

   - Ha, ha, ha... Bom, Soni, esra só isso mesmo. Boa noite.

   - Boa noite. - e desligo.


{ligação off}


   Desligo o celular e o Adrien entra e se joga na cama. Me levanto da cadeira e vou para a varanda á espera de passar minha dor de cabeça.

   Me penduro no corrimão e fico sentada no mesmo com o meu cabelo voando para trás descobrindo os meus olhos.

   Sinto alguém me observando, me viro e vejo o Adrien vindo em minha direção, volto a olhar para frente à espera de algo acontecer.


Continua...



Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...