História A New Love of Carosella - Capítulo 24


Escrita por: ~

Postado
Categorias MasterChef Brasil
Personagens Ana Paula Padrão, Erick Jacquin, Henrique Fogaça, Paola Carosella, Personagens Originais
Tags Amor, Drama, Farosella, Fogasella, Romance
Visualizações 151
Palavras 1.643
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 16 ANOS
Gêneros: Drama (Tragédia), Famí­lia, Festa, Ficção, Romance e Novela, Violência
Avisos: Álcool, Insinuação de sexo, Nudez, Violência
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Notas do Autor


Olá leitores💖 Obrigada a todos pelos comentários.
Just ten minutes - Apenas dez minutos
Desculpa qualquer erro.
Boa leitura.

Capítulo 24 - Just ten minutes


Fanfic / Fanfiction A New Love of Carosella - Capítulo 24 - Just ten minutes

Paola

          Me sento no chão do banheiro, junto com meus joelhos ao peito. Estava assustada, minhas mãos tremiam, e ainda sentia  o enjôo presente. Se passava milhares de possibilidades na minha cabeça, mas a que mais me dava calafrios era a palavra “Gravidez” podia ser? Mas como? Sempre tomei tanto cuidado, isso não pode estar acontecendo. Levanto-me do chão e vou até a pinha lavo o rosto, escovo os dentes para voltar para a cozinha. Saí do banheiro, já me preparava para deixar o quarto também, quando ouço o telefone tocar, olho para ver quem era.

-- Olá, Aninha. – Atendo ao telefone.

-- Olá, só liguei para pergunta como foi o teste. – Ana fala animada.

-- Foi ótimo. – Me deito na cama, pois sentia o enjôo voltar.

-- Então ele tem chance? – Ana pergunta ainda mais animada.

-- Claro, eu vou da o emprego para ele, mas ele ainda não sabe.

-- Que bom, gosto muito dele.

-- É... – Dou um pequeno gemido quando sinto uma pontada na minha barriga.

-- Tudo bem? – Ana pergunta preocupada, gostaria que ela não tivesse ouvido.

-- Sí... – Levo minha mão novamente para barriga, agora sentia um pouco de dor.

-- Verdade? Posso te ouvir gemer – Eu tinha que contar o que estava acontecendo, mas ao mesmo tempo eu não queria, ela vai fazer muitas perguntas, e dizer coisas absurdas, mas eu tenho que contar.

-- Estou sentindo umas dores na barriga, acho que é cólica, e há alguns minutos eu vomitei quando senti o cheiro de carne. – Depois que terminei de dizer, o outro lado da linha ficou muda. – Ana? Estar aí?

-- Estou sem palavras. – Ela responde aos risos. – Paola você não sabe o quanto estou feliz. – Escutei algo que parecia com choro.

-- Ana, esta chorando? – Pergunto assustada, ela nem sabe se estou mesmo “Grávida” e já está assim.

-- É que...É muito emocionante, Paola. – Ela falou, deu para notar que ela estava mesmo muito emocionada, não era isso que eu queria, se eu não estivesse grávida, ela iria ficar triste.

-- Ana, não fique assim, você nem sabe se eu estou. – tento tranquilizá-la.

-- Paola, você acha que isso é o que? – Ela altera a voz, agora estava exaltada. – Porque você fica negando que está grávida, não ficaria feliz? – Ela falava já irritada, e tinha razão, porque eu estava assim? Ter um filho de Henrique seria maravilhoso, seria um sonho, uma das melhores coisas que poderia me acontecer agora, mas eu tenho medo, medo de ficar feliz esperando está grávida, e quando recebesse o resultado fosse negativo, isso me deixaria arrasada. – Paola? – A voz de Ana me tira do meu transe.

-- Sim, estou. – Respondo em um sussurro.

-- Vai fazer o teste? – Ela pergunta já com a voz mais calma.

-- Sim, vou fazer. – Algumas lágrimas ameaçavam cair. Eu quero mesmo está, tanto, só espero que de positivo. – Ana, eu quero, quero mesmo que seja gravidez. – Concluo.

-- Eu também. Me conte quando tive o  resultado. – Ana fala com a voz animada do inicio.

-- Contarei e vou fa... – Antes que possa completar a palavra, vejo Henrique entrar no quarto. – Tenho que desligar. – Fala e imediatamente desligo a chama sem nem esperar uma resposta.

-- Oi, lindinha. – Henrique senta-se a minha frente.

-- Olá, mi amor. – Tento parecer o mais tranquila o possível.

-- Você tá bem? Você saiu correndo tão rápido que me deixou preocupado. – Ele segura minha mão e a alisa com o polegar. 

-- Não fique preocupada, só senti um enjôo, nada demais. – Tento ser convincente, não posso contar das minhas desconfianças de estar grávida, não quero que ele se precipite.

-- Tá melhor? – Henrique pega minha mão e a leva até os lábios, dando lhe um beijo.

-- Sim, estou bem. – Minto, ainda sentia o enjôo e as cólicas, mas Henrique não precisava saber.

-- Que bom. – Ele passa o beijo da mão para o meu braço, começando a trilhar um caminho de beijos por ele até chegar ao meu pescoço. – Você é tão cheirosa, poderia passar o dia todo assim, sentindo seu cheiro. – Sussurrou com sua boca próxima ao meu pescoço, logo em seguida depositou um beijo no local.

-- Se você passasse o dia comigo, só ficaria sentindo meu cheiro?

-- Não, faria outras coisas também, como o que a gente não terminou na sua sala e que disse que terminaríamos essa noite. – Sussurrou próximo ao meu ouvido, me arrepiei ao sentir sua respiração naquele local.

-- O que? Não me lembro. – Finjo não saber do que ele falava.

-- Quer que eu diga? – Henrique aproxima seu rosto do meu e me olha fixamente.

-- Sí. – Mordo os lábios inferiores só esperando ouvir o que eu queria da sua boca.

-- Eu quero tirar todo sua roupa, peça por peça, até não te deixar com nada. Vou beijar cada pedaço desse seu corpo que eu amo tanto, depois vou te fazer do jeito que você gosta, do jeito que te faço gemer meu nome inúmeras vezes antes do orgasmo, e que te faz sempre querer mais. – Declarou com a voz ainda mais rouca que o normal. Senti um arrepio na espinha ao ouvir suas palavras.

-- Então faça, faça tudo que disse e um pouco mais. – Sussurro próximo dos seus lábios, logo dou um beijo rápido.

-- E eu vou, agora. – Suas mãos vão parar na minha cintura, me puxando para perto.

-- Agora não. – Me levanto da cama.

-- Por quê? – Henrique pergunta indignado.

-- Porque estou cansada e preciso de um banho, e também a Fran vai chegar daqui a duas horas. Então eu só tenho dez minutos para descansar e depois eu vou começar a preparar as coisas para a festa dela. – Entro no banheiro e Henrique me segue.

-- Da para fazer muita coisa em dez minutos. – Insiste, me segurando pela cintura.

-- Você pode me acompanhar no banho. – Proponho colocando meus braços e volta de sua nuca.

-- É, eu posso. – Começo a desabotoar sua camisa, revelando seu peitoral coberto pelas tatuagens, depois levo minhas mãos até os botões de sua calça, os desabotoando ligeiramente. Logo Henrique já estava usando apenas sua cueca Box. -- Vamos logo. Dez minutos se pode fazer muita coisa, mas não quero perde assim. – Henrique tira minha blusa em um segundo, logo já estava tirando minha calça também. Logo nós dois estávamos sem nenhuma roupa. Entramos no chuveiro, e água fira começou a se derramar sobre nós. Henrique começou a distribuir beijos por todo o meu pescoço, dando leves chupões no local, me arrepiei só de sentir sua barba pra fazer arranhar meu pescoço. Levo minhas mãos até sua nuca, enquanto Henrique descia os beijos do meu pescoço para os meus seios.

-- Adoro quando você fica assim. – Só afastou para dizer.

-- Assim como?

-- Nua. – Voltou a beijar meus seios. – Só minha. – Concluiu.

-- Você Sabe que eu sempre fui sua. – Fecho os olhos ao sentir Henrique sugar um de meus mamilos. Ele me levanta pelas coxas me prendendo na parede. Começa a sugar meu mamilo esquerdo com mais voracidade dando leves mordiscadas, que a essa hora eles já estavam enrijecidos. Cravo minhas unhas em sua costa ao sentir seus dedos em minha intimidade, estimulando-a, seus dedos passavam devagar pelo meu clitóris, isso só contribuiu para me deixar ainda mais excitada, e tinha certeza de que já estava molhada há muito tempo. Henrique adentra dois dedos dentro de mim, iniciando leves estocadas, mas que foram suficiente  para me fazer gemer e jogar a cabeça um pouco para trás. Henrique logo coloca o terceiro dedo em mim e começa a estocar com mais rápido e mais forte. Com isso já começava a sentir o prazer tomar conta de todo o meu corpo, e minha intimidade começo a se contrair e se aperta em volta de seus dedos, dando inicio ao meu primeiro orgasmo, me fazendo gemer alto e derramar meu liquido quente sobre seus dedos. Anda fico admirada que Henrique consiga me fazer goza tão rápido e fácil. Tento controlar minha respiração enquanto Henrique retirava seus dedos de dentro de mim. Antes que eu me recupere do orgasmo, Henrique me penetra com seu membro. Henrique esperou um tempo para que eu me acostumasse com seu tamanho antes de começar a estocar, primeiramente ele começou devagar, lento, mas eu precisava de mais, queria mais rápido.

-- Henri...Henrique, mais rápido. – Falo com dificuldade.

    Assim ele fez. Henrique aumentou as estocadas. O som de nossos gemidos e dos nossos corpos se colidindo tomava todo o ambiente.

-- Ahhhh Henri...Henri. – Gemia seu nome enumeras vezes. Eu já não conseguia pensar em nada, não consegui dizer nada que fizesse sentido. Comecei a senti minha intimidade se contrair novamente. Henrique de repente saiu de mim e me vira contra a parede.

-- Eu disse que em dez minutos da para fazer muita coisa. – Henrique sussurrou no meu ouvido com sua voz rouca de prazer. Só conseguir soltar um baixo gemido como resposta. Logo Henrique voltou a me penetrar com a mesma velocidade. Soltei uma alto gemido enquanto Henrique aumentava ás  estocadas. Podia sentir o suor escorre da minha testa até o meu peitoral.

-- Ahhhhh Henrique, eu...Eu. – Antes que termine a frase, sinto as minhas paredes se contraírem em volta dele com a chegada do orgasmo e sei que não demoraria muito para eu goza

        Voltamos para baixo do chuveiro deixando que a água caísse pelos nossos corpos suados. Logo saímos do banho. Eu teria que me apresar para conseguir arruma tudo antes que Fran chegasse. Tinha que ser tudo perfeito para ela, e eu tenho pouco tempo para fazer isso acontecer. Sai de casa ás pressas, queria passar na farmácia antes de tudo, precisava comprar um teste de gravidez e ter logo certeza de que estava grávida, eu desejava do fundo do meu coração que o teste desse positivo.

Continua...

 


Notas Finais


Obrigada a todos que estão acompanhando.
Espero que esse hot tenha ficado melhor que o primeiro.
Próximo capítulo será um de homenagem a Fran💖
Até a próxima
Beijosss 💖


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...