História A noite de terror do Cedric - Ouija - Capítulo 1


Escrita por: ~

Postado
Categorias Princesinha Sofia
Personagens Cedric, o Feiticeiro, Princesa Amber, Princesa Sofia, Príncipe James
Visualizações 26
Palavras 4.436
Terminada Sim
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 14 ANOS
Gêneros: Drama (Tragédia), Mistério, Terror e Horror, Violência
Avisos: Tortura
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Notas do Autor


E ai galera, estou aqui como prometido para a oneshot. Princesinha Sofia, pois é, mas com terror, então espero que gostem e vamos conferir a história!!!!

Capítulo 1 - Cedric o traidor


Fanfic / Fanfiction A noite de terror do Cedric - Ouija - Capítulo 1 - Cedric o traidor

Sofia, a plebeia que virou princesa, caminhava tranquilamente por um bosque da aldeia de seu reino. Ela coletava frutas e cantarolava para si própria, tão alegre tão radiante, ela era realmente uma linda princesa. Caminhou até chegar em um rio e parou para descansar lá, ela sentou em uma pedra, colocou sua cesta do lado dela e tirou seus sapatos e ficou molhando os pés doloridos de tanto caminhar. Desfrutando do belo lugar onde se encontrava, ao longe viu uma casa em uma floresta escura e medonha, a casa parecia mais uma cabana caindo aos pedaços, mas Sofia queria ir até lá, quem sabe alguém que passasse dificuldades financeiras e não tivesse onde morar, vivia lá. Então levantou- se, pegou sua cesta e foi até essa casa macabra.

Chegando lá, ela bateu na porta, mas ninguém atende, ela bate mais uma vez, porém ninguém responde, ela começa a se irritar e bate com um pouco mais de força e encara a porta quando ela abre abruptamente fazendo Sofia ir para trás com o susto. Ela vai entrando devagar, quem poderia ter aberto a porta, ninguém estava a frente quando ela se abriu, mesmo assim ela resolve entrar. Já na entrada há um longo corredor que se estende até o fim da casa, e nas laterais do corredor, tem três portas, duas de um lado e uma do outro, ela resolve entrar na porta onde só tem ela do lado da parede em que se encontra. Dentro do quarto, é enorme, tem vários objetos espalhados em todos os cantos, Sofia observa tudo, tem brinquedos quebrados, com partes trocadas, e uns palhaços extremamente bizarros e também vários cruscifiquissos pelas paredes. Tudo é apavorante, mas uma coisa lhe chamou atenção, no final do quarto, tem uma mesinha de centro com uma maleta encima e sob a maleta, há uma folha de papel com algumas regras.

Antes de mais nada, é importante lembrar que, acreditando ou não, o OUIJA não deve ser considerado uma brincadeira. As precauções apresentadas aqui são simplesmente para protejer as pessoas que porventura resolvam praticar o jogo do copo. 

1.Nunca jogue sozinho. São necessários no mínimo dois jogadores.

2.Nunca permita que os espíritos levem o ponteiro para as extremidades do tabuleiro de forma que possam sair dele dessa forma. É assim que ocorre a possessão.

3.Se o ponteiro se mover para os quatro cantos do tabuleiro significa que o espírito contatado é mau.

4.Caso se esteja jogando em uma mesa ou local aonde o tabuleiro fique elevado: se o ponteiro cair no chão, o espírito foi perdido. 

5.Se o ponteiro apontar o número oito repetidamente, um espírito mau está no controle do tabuleiro. 

6.O tabuleiro deve ser fechado corretamente após a sessão, ou o espírito pode se rebelar e assombrar os usuários. 

7.Nunca use o tabuleiro de Ouija quando estiver doente ou enfraquecido, tendo em vista que estas situações o mantém vulnerável à possessão.

8.Não fazer do uso do tabuleiro de Ouija uma rotina. Os espíritos às vezes cativam o jogador a ponto de que o contato se torne um vício.

9.Os espíritos contatados através do tabuleiro tentarão ganhar sua confiança através de mentiras. Por exemplo: um mau espírito pode alegar ser bom, assim ganhando sua confiança e lhe trazendo mal posteriormente. 

10.Procure manter contato sempre de forma respeitosa e só convide para proceder seções pessoas confiáveis, seguras e que o farão seriamente. Nunca irrite o espírito ou lhe faça perguntas com ironia.

11.Antes de sair ou mesmo de entrar em uma seção, peça a permissão do espírito. Caso contrário, se está sujeito à possessão pelo mesmo. 

12.Nunca use o Ouija em cemitérios ou locais aonde houveram mortes brutais. Isto pode trazer maus espíritos para o tabuleiro. 

13.Às vezes, um mau espírito pode habitar permanentemente um tabuleiro. Quando isso ocorrer, não se poderá manter contato com outros espíritos além dele até que ele decida sair. 

14.Se seu ponteiro for de vidro, você deve limpá-lo antes e depois de cada seção, de forma que nenhum espírito possa entrar ali. Para isso, passe-o sobre uma vela acesa.

15.Tabuleiros de Ouija que são jogados fora incorretamente libertam diversos espíritos que voltarão para assombrar seu dono. 

16.Nunca empreste seu tabuleiro a ninguém. Use-o com exclusividade. Se necessário, faça seu próprio e recomende aos colegas que pedem que você o empreste façam o mesmo. 

17.Nunca queime um tabuleiro de Ouija. Se o fizer, haverá uma manifestação da tábua. Pode ser um som desconhecido ou a aparição de algum espírito. Depois que você presenciar a manifestação, terá menos de trinta e seis horas de vida.

18.Há apenas uma forma correta de se desfazer de uma tábua de Ouija. Primeiro quebre-a em sete pedaços. Depois, jogue sobre ela água benta e finalmente a queime.

19.Se você puser junto do tabuleiro uma moeda de prata pura, espíritos maus serão incapazes de manter contato. 

20.Nunca deixe o ponteiro sozinho sobre a tábua se não estiver a utilizando. Se o espírito levá-lo para fora do tabuleiro, estará liberto. 

21.Às vezes maus espíritos pedirão às garotas para fazerem gestos ou executarem ações obscenas. Ignore-os. Os demais participantes jamais devem rir ou irritar-se nestas situações.

O que não perguntar em uma seção de Ouija: 

22.Evite perguntar sobre Deus ou o que se refere a sua religião.

Quando termina de ler ela coloca o papel no bolso, põe sua cesta do lado da mesinha e segura a maleta, nesse momento, a única janela do quarto começa a bater com força, os objetivos e os brinquedos começaram a flutuar, e os cruscifiquissos giram e ficam de cabeça para baixo. Ela fica completamente em pânico e corre pra porta mas ela fecha fazendo com que sua cabeça acerte em cheio em um detalhe da porta formando um pequeno corte em sua testa. Ela chuta forte a porta, larga a maleta e tenta empurrar, ela sente um arrepio e vê vários objetos voando em uma grande velocidade em sua direção, ela pega novamente a maleta e apoia as costas na porta enquanto os objetivos golpeam a maleta. Ela segurava a maleta bem em seu rosto, o quarto começou a ficar extremamente gelado e nesse momento a porta se abre fazendo ela cair, e todos os em todos os objetos que voava em sua direção caíram no chão. Sofia continuava no chão e olhou para o lado, quando ela virou sua cabeça, viu uma forma humana mas, não era bem uma pessoa parecia uma sombra que formava a imagem de alguém, olhando para ela, era tão assustador era tão agoniante Sofia ficou paralisada, então em um ato desesperado levantou abruptamente e saiu correndo pela porta de entrada da cabana macabra. Ela correu o mais rápido que podia, chegando em seu castelo encontrou sua mãe no caminho, ela queria passar direto para seu quarto mas sua mãe já havia lhe visto, Miranda olhou para ela e disse.

Miranda: Sofia o que aconteceu com você, sua testa está ferida e esta maleta que você carrega consigo, o que é, e onde está a cesta que você ia pegar frutas pro piquenique com seus irmãos?!

- Ah mãe não foi nada eu só tava andando pela floresta e aí acabei esbarrado em um galho que passou na minha testa e essa maleta, ah... é um jogo encontrei numa loja da aldeia. E a cesta, bem, ela... caiu num rio e eu perdi tudo.

Miranda: Bem você devia tomar mais cuidado, deve olhar direito por onde anda, poderia ter tido um machucado mais grave, e a cesta com as frutas, acho que bem você devia estar com seus irmãos agora, eles estão te esperando no jardim pra fazer aquele piquinique que vocês combinaram.

- Ah tudo bem, claro, eu vou indo, ah... vou passar primeiro no meu quarto.

Assim que terminou de falar com sua mãe, subiu pro seu quarto e deixou a maleta debaixo da cama e foi pro jardim para desfrutar do piquenique com seus irmãos tentou esquecer o que aconteceu naquela casa sinistra. Quando terminou o piquinique com seus irmãos ela foi direto pro seu quart,o não consegui esquecer o que tinha acontecido mais tarde, ela ficou completamente assustada ela entender o que aconteceu lá, ela ficou muito, muito assustada, ela não comentou que clover, pois ele não tinha aparecido ainda no seu quarto, enquanto estava perdida devaneios, Amber bateu na porta mas já foi entrando.

Amber: Sofia eu quero saber o que realmente aconteceu com você, e o que foi que fez esse machucado na sua testa, eu não acredito que tenha sido um galho, então vai logo me dizendo que aconteceu!

Ela disse com autoridade, por mais que ela tenha sido má com a Sofia no começo, ela agora era uma boa irmã, ela não queria que sua irmã se machucasse ou que tenha passado por algum tipo de violência. E ela não engoliu aquela história de que tinha sido um galho de árvore, como um galho iria deixar aquela marca, não tinha escapatória, ela queria saber de qualquer maneira.

- Tudo bem Amber eu vou te contar, mas por favor não conte a ninguém, eu não quero que ninguém fique sabendo disso.

Amber: OK mas você tem que me prometer que vai contar tudo.

- Tudo bem eu prometo!

Então a Sofia começou a narrar tudo o que havia acontecido naquela casa macabra. E disse que era naquela floresta sombria que fica além do bosque.

Amber: Sofia você não deveria ter entrado nessa floresta, lá se esconde vários tipos de pessoas, assassinos, ladrões, o que poderia ter acontecido com você se você não tivesse escapado.

- Eu sei Amber mas, porfavor não conte ninguém por favorzinho eu nunca mais vou pra lá.

Amber: Está bem, mas você deve me prometer que nunca mais voltará lá.

- Eu prometo!

Então Amber se despediu da irmã e foi fazer suas coisas, Sofia estava pensativa ela realmente queria saber o que tinha acontecido lá, foi algo muito assustador, muito macabro, então lembrou que tinha aula de feitiçaria com o senhor Cedric e resolveu falar com ele sobre o assunto, talvez ele soubesse de algo sobre o ocorrido e sobre o jogo. Pegou a maleta debaixo da cama e foi para torre do feiticeiro.

- Boa tarde senhor Cedric!

Cedric: Boa tarde princesa Sofia!

Cedric estava de costas arrumando alguma coisa, então quando se virou para princesa viu a ferida em sua testa, correu até ela perguntando.

Cedric: P- princesa Sofia o que foi isso? Onde se machucou desse jeito? Ou pelos cogumelos de Merlin, vou fazer uma poção para curar sua ferida.

Então Cedric começou a trabalhar na na poção. Sofia nunca viu o feiticeiro tão nervoso, parecia até que estava preocupado com ela, será, ele era uma pessoa tão reclusa tão singular, parecia não se importar muito com as pessoas, nem quando Amber ou James ralavam um joelho ele não ficava assim, emfim ela precisava falar sobre o ocorrido naquela cabana misteriosa e assustadora, então ela começou a narrar para ele o que havia acontecido enquanto ele preparava poção. Ela não terminou de falar, parou na parte em que disse ter entrado na floresta sombria, pois foi interrompida pelo feitiçeiro.

Cedric arregalou os olhos, se abaixou, apoiou um dos joelhos no chão, segurou nos ombros da princesa e falou preocupado.

Cedric: Sofia você não deveria ter ido naquela floresta é um lugar muito perigoso tem pessoas de todo tipo lá, tem assassinos, ladrões, oh. - Ele se espantou com a próxima palavra.- estupradores, oh pelos cogumelos de Merlin, o que poderia ter acontecido com você se você não tivesse fugido.

Sofia olhou confusa e perguntou.

- O que são estupradores?

Cedric ficou um pouco constrangido, mas pelo que aparentava as expressões da menina não teria sido isso, se tivesse ocorrido essa tragédia ela provavelmente não teria nem saído de seu quarto. Ele suspira aliviado pela hipotese estar errada e continou.

Cedric: Ah! Você não precisa saber disso agora. Mas prossiga.

Sofia terminou de contar tudo o que havia acontecido, então puxou a maleta que ela tinha colocado debaixo de uma mesa antes de Cedric se virá para ela e começar a se desesperar.

Ele analisa a maleta, Sofia não tinha aberto ainda, ela queria ter aberto mas Amber entrou em seu quarto nessa hora. Cedric procurou um livro que falasse sobre esse jogo OUIJA. Mas nada sobre o objeto foi encontrado em nenhum livro.

Cedric: Bem Sofia, eu não consegui descobrir nada sobre este jogo, mas não deve ser nada demais.

Sofia "esqueceu" de mostrar o pedaço de papel com as regras, se ela tivesse mostrado provavelmente ele saberia como funcionaria o jogo e não deixaria ela jogar, e como ele não descobriu nada sobre o mesmo, só haveria um jeito de descobrir e seria jogando, para perguntar aos espíritos do que se tratava aquele tabuleiro. Mas ela deixaria isso para noite onde todos estariam dormindo e ela poderia explorar o jogo sem interrupções. Teve suas aulas de magia, treinou pro derb, e brincou com seus amigos animais, ela não contou pro clover, pra mia, nem pra Robin, com certeza eles iriam proibir ela de jogar também.

A noite caiu, e todos jantavam na mesa, ficaram conversando bobagens depois todos se despacharam para seus aposentos. Quando Sofia chegou no seu quarto, ela pegou a maleta e tirou o tabuleiro e uma pecinha que vinha junto, tinha uma peça de vidro quase na ponta em forma de círculo, colocou o tabuleiro sob a cama e ficou olhando, estava reunindo coragem para jogar, ela ficou horas pensando se devia mesmo jogar, já que uma das primeiras regras do jogo é não jogar sozinha. Ela tinha se decidido, ela ia jogar quando batem na porta, ela se assusta, hesita por uns segundos e pergunta.

- Quem está aí?

???: Somos nós!

- Nós quem?

James: Qual é Sofia, James e Amber, os seus irmãos.

Sofia não acreditava, Amber contou pro James.

- O que vocês fazem aqui. Amber eu confiei em você, e você contou pro James!

Amber: Desculpa, mas ele é nosso irmão, e ele me conhece muito bem, desconfiava que estava escondendo alguma coisa. Me perdoa, por favor!

- Tudo bem, entrem preciso da ajuda de vocês!

Os gêmeos se entreolharam e entraram no quarto da irmã e a seguiram até sua cama. Sofia faz sinal para eles sentarem, apontou para o tabuleiro e começou a contar uma parte da história que ela não havia contado a Amber, ela contou que pegou uma maleta com o tabuleiro dentro, e falou as regras e tudo, depois pediu a ajuda deles para jogar com ela já que ela não podia jogar sozinha.

Amber: Sofia, você quer que entremos em contato com um ser do mundo dos mortos?! Pra você matar sua curiosidade sobre esse jogo?!

James: Parece maneiro e bem assustador.

Amber: Não sei se quero participar disso?

- Por favor, depois eu prometo que nunca mais envolvo vocês numa coisa dessas, preciso da ajuda de vocês!

Amber pensou por um momento.

Amber: Ahh! Está bem!

Quando ela sentou, as luzes ficaram baixas assustando os irmãos, a janela do quarto começou a bater, como na cabana velha, e eles ouviram sussurros incompreensíveis. Eles pararam por um momento observando o quarto.

- O que foi isso?

Amber: Não sei Sofia, acho que me arrependi de ter feito essa promessa pra você.

James ficou calado, ele não estava levando aquela brincadeira a sério, mas quando esse fenômeno aconteceu ele ficou mais branco que a neve. Alguns minutos de silêncio, e o tabuleiro vôo batendo na parede, e de repente algo começou a escrever algo na parede como se tivesse garras, e escreveu o seguinte.

ALGUÉM VAI SOFRER, COMO SEMPRE SOFREU!

A cama de Sofia começou a balançar e os irmãos correram, eles se assustaram, mesmo assim, todo esse pânico não impediu Sofia de pegar o tabuleiro e a peça de jogar. Eles correram até a escada que vai pro primeiro andar do castelo.

Amber: Você ainda pegou essa coisa Sofia! Eu não acredito!

- Amber eu não vou desistir, e além de tudo, você o que ah... A a aquela coisa escreveu na parede do meu quarto! E se ela se refere a alguém do castelo, ou pior, os nossos pais?!

Amber pensou um pouco e decidiu continuar com o plano, agora pra saber de quem a criatura estava falando.

Amber: Tudo bem, mas o que vamos fazer?

- Vamos na torre do Cedric.

Amber: A essa hora? Não podemos, ele deve estar dormindo, e eu ouvi dizer que nunca se deve atrapalhar o sono de um feiticeiro.

- Não temos escolha, ele pode saber como nos proteger durante o jogo.

James: Eu topo, mas vamos logo, não quero ficar aqui no corredor do castelo, está assustador.

- Ok!

O trio foi correndo para a torre. Chegando lá pararam na escada, estava assustadora. Sofia respira fundo e toma a frente, os irmãos a seguem logo em seguida. Sofia hesitou um pouco, ela olhou para baixo havia luz saindo da brecha da porta, ele provavelmente não estava dormindo, então ela não pensou duas vezes e bateu na porta. Demorou um pouco mas logo ele abriu.

Cedric: Ah! O que fazem aqui?

- Senhor Cedric, precisamos da sua ajuda!

Cedric: Que tipo de ajuda? Hey! Você trouxe aquele tabuleiro.

- Sim é sobre ele que precisamos de ajuda.

Amber: As coisas se mexeram sozinhas no quarto da Sofia!

James: E alguma coisa escreveu uma mensagem na parede do quarto dela também.

Cedric: Sim, sim, mas já procurei sobre esse tabuleiro nos livros e não encontrei nada, não sei nada sobre esse jogo. E o que esse jogo tem haver com esses fatos sobrenaturais?

Sofia olhou para baixo com vergonha, ela não tinha falado sobre as regras do jogo com o Cedric, porque com certeza se ele soubesse das regras ele teria uma base do que seria aquele jogo.

- Então senhor Cedric, acontece que eu deixei de falar uma coisa sobre o jogo com o senhor. Acontece que quando eu encontrei o jogo, também havia as regras do jogo junto com tabuleiro e eu não lhe mostrei.

Cedric olhou para a princesa, ela parecia decepcionada de não ter contado isso antes, agora parecia estar em graves problemas então ele resolveu ajudar crianças. Ele revirou os olhos, e respondeu.

Cedric: Tudo bem, tudo bem, eu ajudo vocês. Princesa me mostre o papel com as regras me deixe dar uma olhada.

Cedric quando começou a ler as regras começou a entender o que estava se passando, e começou também a entender como funcionava o jogo. Então ele declarou.

Cedric: Vocês não deveriam mexer com essas coisas, é do lado sombrio, é do mal, vocês definitivamente não deveriam mexer com coisas desse tipo, é melhor vocês voltarem a dormir, e deixe isso comigo princesa.

Sofia retruca.

- Não senhor Cedric, nós vimos a mensagem que a criatura fez na minha parede, precisamos descobrir quem estava escrevendo aquilo, precisamos descobrir de quem ele estava falando, por favor deixa a gente jogar só dessa vez, agente descobre o que está se passando por aqui e depois lhe entregamos, por favor.

Cedric ficou preocupado com as crianças, realmente elas queriam saber o que estava acontecendo, podia se tornar algo pior, então ele resolveu deixar elas jogarem com uma condição, se ele pudesse jogar também pois a feitiçaria poderia protege-los e também, algo o chamava para jogar.

Cedric: Muito bem,está certo então, vou deixar vocês jogarem, mas com uma condição, se eu puder jogar com vocês, assim eu posso protege los.

Todos assentiram com a cabeça, então eles começaram, a torre estava escura, então eles resolveram acender algumas velas, e colocaram o tabuleiro no chão fizeram uma roda colocaram as quatro velas nos quatro cantos do tabuleiro e começaram a jogar conforme as regras pediam.

Todos colocaram seus indicadores na peça, e Sofia começou se apresentando e apresentou os irmãos e o feiticeiro.

- Olá, eu sou a Sofia, estamos aqui nessa sessão eu e meus irmãos, Amber e James e o nosso feiticeiro Cedric, gostaríamos de saber se tem alguém entre nós?

O clima na torre estava completamente pesado, a torre já era fria, nesse momento parecia gelado, tudo estava em silêncio, o que tornava tudo ainda mais tenso, sinistro e assustador, então a peça do jogo se moveu para a palavra sim. Todos no recinto estavam completamente assustados, pareciam ter visto um fantasma, e provavelmente era né, então eles continuaram as perguntas e quem as fez foi a Sofia.

- Quem é você?

A peça se moveu muito rápido e formou o nome.

ZOZO

- O que você é... Zozo?

Ele demorou para responder, mas logo a peça se move de novo, e barulhos são ouvidos em três cantos.

SOU UM SER DE LUZ

Amber: Pelo menos ele é do bem.

- Calma Amber, uma das regras diz, " Não confie nas entidades, elas muitas vezes são seres das trevas, fingindo serem do bem".

Cedric: E parece que ele não está sozinho, não tem como uma pessoa fazer barulho em três lugares diferentes.

Cedric disse cismado, e Sofia perguntou.

- Quantos de você tem aqui no local sem contar você?

A peça foi para o número 3. Então a peça se move sem Sofia perguntar.

TEM UM TRAIDOR ENTRE VOCÊS, E ELE É MEU

Nesse momento todos se entreolharam.

- Calma gente, ele pode está querendo nos enganar, pra ficarmos uns contra os outros.

( Obs: Quando eles conversam eles tiram o dedo do indicador, pra evitar da entidade os ouvirem)

Nesse momento Cedric sentiu que essa mensagem foi pra ele, afinal ele tentou roubar o reino, mesmo o rei tendo o perdoado, ele ainda sentia culpa por isso, e dê certo a criatura estava sentindo isso, queria deixa- lo desprotegido.

- Responda apenas quando eu perguntar.

Sofia falou sério.

James: Posso perguntar, Sofia?

Sofia assente com a cabeça.

James: Foi você quem escreveu a frase no quarto da Sofia?

A peça foi pro sim.

Amber: De quem você estava falando?

Então a peça formou o símbolo do infinito e repetiu, repetiu e repetiu.

Amber: O que significa isso?

Sofia tentava lembrar, o que significava o oito deitado.

- Ah! Espírito mal, parem a peça!

Todos impedem a peça de continuar e colocam ela no centro do tabuleiro.

- Por favor responda a pergunta.

A princesa estava muito assustada, todos estavam. Então a peça forma uma frase.

ELE SABE O QUE FEZ

Assim que formou a frase, ele começou a repetir ela só que bem rápido. Isso irritou o feiticeiro, fazendo ele esbravejar.

Cedric: ORA! VAMOS LOGO COM ISSO, SEU PEDAÇO DE MADEIRA INÚTIL!

Nessa hora, Cedric vôo batendo na parede. Parece suspenso pelo pescoço, ele começou a tossir, como se alguém estivesse o enforcando. Sofia corre até ele e grita em desespero.

- SOLTE-O AGORA!

A "coisa" parecia fazer ouvido de mercador, Cedric começou a ficar roxo.

- SOLTE-O JÁ!

Cedric cai no chão, Sofia corre até ele e o abraça, ele retribui como se precisasse muito daquele abraço. Os irmãos ficaram chocados, nem prestaram atenção na demonstração de afeto da irmã com seu mentor, estavam em pânico, acabaram de ver seu feiticeiro real ser jogado contra a parede e enforcado por uma força invisível.

Cedric sussurrou no ouvido de Sofia.

Cedric: Ele quer me pegar Sofia.

- Não vou deixar Cedric, ele vai ter que passar por mim.

Então eles voltam a jogar para terminar com esse pesadelo.

- Por que você quer o senhor Cedric?

O tabuleiro não se manifesta.

- Vou repetir a pergunta. Por que você quer o senhor Cedric?

ALGUÉM VAI SOFRER, COMO SEMPRE SOFREU!

TEM UM TRAIDOR ENTRE VOCÊS, E ELE É MEU.

Sofia associa as coisas, Cedric sofreu na infância, e sofreu um longo período no castelo, nunca reconhecido, sempre depreciado, e ele traiu a coroa, tentou roubar o reino.

- Ele foi perdoado, e se arrependeu, ele teve uma segunda chance, e é uma pessoa melhor agora.

ISSO NÃO MUDA O QUE ELE FEZ

- Não importa mais.

VOCÊ REALMENTE ACREDITA NELE AINDA?

- Se...

Sofia foi interrompida por um grito vindo da Amber, ela gritava e apontava para o espelho que tem nos aposentos do feiticeiro. Havia alguém negro e todo deformado, nem parecia uma pessoa olhando assim. Sofia lembrou dele, lá na cabana.

Ele começou a puxar Cedric para o espelho, atrás dele não tinha o reflexo da torre, tinha pessoas sendo torturadas, sofrendo. Ela não queria que Cedric passasse por aquilo, então ela correu pra segurar a mão dele, ela puxou, mas esse tal de Zozo é mais forte.

- Por favor deixa ele em paz!

Sofia diz, em seguida Cedric gritou.

Cedric: NÃO ME DEIXE SOFIA! POR FAVOR!

- NUNCA!

Com todo esse pânico, eles mau pensavam no que fazer, mas James pegou uma pedra emcima da mesa de Cedric, e jogou no espelho.

- ( Suspiro) Muito bem James! - Abraça o irmão.

Eles voltam ao jogo para pedir o Adeus.

- Queremos sair do jogo, nos dê o adeus, por favor.

VOCÊ REALMENTE ACREDITA NELE AINDA?

Sofia olha para Cedric e ele olha para ela. Ela responde encarando com confiança o feiticeiro.

- Sempre acreditei, e sempre vou acreditar. Agora queremos o Adeus.

Então a peça foi pro adeus.

James: Ele estava muito agressivo, e deu o adeus assim de bandeja?

James estava desconfiado, Amber concorda com o irmão.

- Pelo menos ele foi embora não precisamos nos preocupar.

Cedric: O que vamos fazer com essa coisa?

- Amanhã vou dar um jeito nisso.

Todos foram pro seus quartos, quase não conseguiram dormir, mas estavam muito exaustos da luta contra o tabuleiro, e logo o sono veio.

×××××××××××××××××××××××××××

No dia seguinte, Sofia pegou o tabuleiro e foi a torre de Cedric, ele talvez soubesse um jeito de destruir o tabuleiro sem ter problemas. Quando ela entrou na torre, viu o feiticeiro no chão, ela correu até ele e apoiou sua cabeça em suas coxas, ele estava pálido e gelado.

- NÃO, NÃO, POR FAVOR NÃO ME DEIXE! Eu te amo senhor Cedric, não me deixe.

Ela chora, deixando o rosto do homem encharcado de lágrimas. Ela pensou que nunca mais o veria, então ele dá um suspiro tão forte como estivesse de baixo da água tentando voltar a superfície. Ele olha pra ela.

Cedric: Você me salvou!

- Não, você só estava desmaiado, e acordou agora.

Ela falava fungando.

Cedric: Não Sofia, você me salvou, ele me levou para aquele lugar horrível, me disse que você estava mentindo sobre acreditar em mim, e disse que ninguém poderia me salvar, era terrível, as pessoas gemiam e gritavam de dor, e trabalhavam como escravas, eu ia me preparar para aquilo quando sinto algo me puxando pra cima. Sofia, você disse a verdade, e me salvou, você acredita em mim.

- Acho que, o que te salvou foi...- Disse nervosa.- Meu amor por você.

Cedric arregalou os olhos, nunca pensou que a princesa sentia tal coisa pela sua pessoa, ele queria hesitar, mas com tudo que aconteceu e tudo que ele quase perdeu, ele resolveu aceitar aquele presente que a vida lhe deu. Aproximou seus lábios aos da princesa e a beijou.

Assim que o susto passou, os quatro, James, Amber, Sofia e Cedric, se reuniram para acabar com aquele tabuleiro, na folha com as regras, na parte de trás havia um jeito de destruir o tabuleiro e acabar com tudo o que aconteceu. Então, isso foi feito, partiram o tabuleiro em sete pedaços e depois lhe jogaram água benta e queimaram. Depois, nada sobre aquilo foi comentado entre os quatro e Sofia não contou pro seus irmãos sobre seu romance com o feiticeiro, e namorava escondido. E tudo acabou bem no final...

SERÁ?


Notas Finais


E é isso galera, o capítulo da próxima história será de caso dê amor de Basil blz fiquem e tchaaaau.


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...