História A Normal e a Drogada - Capítulo 13


Escrita por: ~

Postado
Categorias American Horror Story
Personagens Ben Harmon, Kyle Spencer, Madison Montgomery, Misty Day, Nan, Personagens Originais, Vivien Harmon, Zoe Benson
Tags Ahs, Amor, Coven, Emma Roberts, Evan Peters, Fiona Goode, Humor, Lesbicas, Preconceito, Taissa Farmiga
Exibições 62
Palavras 1.976
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 16 ANOS
Gêneros: Ação, Colegial, Comédia, Drama (Tragédia), Festa, Ficção, Romance e Novela
Avisos: Álcool, Bissexualidade, Drogas, Heterossexualidade, Homossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Mutilação, Suicídio, Violência
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Capítulo 13 - Perdidas e Unidas


Fanfic / Fanfiction A Normal e a Drogada - Capítulo 13 - Perdidas e Unidas

No dia do passeio fora do colégio, me sentei no meu lugar no ônibus e fiquei lendo um livro enquanto Madison conversava com as garotas lá fora.


- Posso me sentar aqui ?

- Ouço uma voz familiar.


- Kyle ?! - Fecho o livro e olho para ele - O que faz aqui ?


- O seu professor me convidou.


- Vocês então se conhecem ? - Afz... que pergunta mais óbvia essa minha.


- Sim. Ele é o meu professor particular. - Ele se senta do meu lado

- Ele me da aulas em casa.


- Sério ? - Ele assenti - Mas por que você não estuda aqui ? - Pergunto curiosa.


- Digamos que eu não me dou muito bem com esse clima de colegial. - Ele sorrir fraco.


- Que pena! Queria que você estuda-se aqui para nos ver mais.

- Sorrio meio com vergonha.


- Ah, mas você sabe onde eu moro e tem o meu número. Qualquer coisa é só me ligar ou aparecer lá em casa.


- Acho que eu não tenho mais o seu número. - Sorrio fraco.


- Te passo agora. Tem uma caneta ? - Assenti e entreguei a caneta e ele escreveu seu número no meu braço


- Quem é a sua parceira?

- Pergunto curiosa, enquanto ele escreve.


- A Nancy.


- Nan ?


- É sim. Ela é inteligente e legal. Vocês são da mesma sala ?


- Não, mas eu a conheço porque ela é amiga da Madison e agora é minha amiga. - Sorrio fraco.


- Ah, legal! - Ele coloca sua mão na minha coxa e aperta - Quando vamos repetir aquela noite ?


- Ah, eu não sei! - Fico sem jeito e vejo Madison entrar no ônibus com Quennie.


- Será que pode ser hoje ? - Ele se aproxima e começa a beijar o meu pescoço - Eu posso trocar  de tenda com a Madison para ficarmos a sós.


- Vou trocar é uns socos com você! - Madison diz aparecendo do lado dele.


- Por mim tudo bem. - Ele levanta os braços e sorrir - Gosto de sadomasoquismo.


- Afz... sai daqui que esse é o meu lugar. - Ela o pega pela gola e quase o derruba no chão.


- Nos vemos lá, Zoe! - Ele diz me olhando malicioso.


- Seja o que for que ele tenha te dito, não acredite. - Madison diz me olhando fixo - Esse garoto é um imbecil e você tem que manter distância dele.


- Ele não é um imbecil! - Falo seria - Pelo contrário, ele é muito legal.

- Madison revira os olhos e se vira pro outro lado.


O professor entra no ônibus e todos os alunos entram junto. O ônibus começa a andar e depois 1 hora e 30 minutos chegamos na praia La Push.


- Bem, agora que chegamos, irei explicar o que faremos. - Diz o professor - Essa praia e a floresta tem várias lendas e histórias interessantes sobre os Quileutes; lobisomens. Eu então farei um jogo com vocês. Funcionará assim: Vocês entraram com sua dupla nessa floresta aqui a trás e iram explorar todo esse local. No caminho haverá pistas e coisas importantes para vocês continuarem até encontrarem uma casa.

A dupla que chegar primeiro na casa, vence, e ganhará um prêmio por isso.


- Mas e se nos perdemos ou nos machucar ? - Quennie pergunta.


- Não irão. - Ele pega uma caixa

- Peguem esses sinalizadores pirotécnico e quando pensarem que estão perdidos ou machucados por algum inseto ou pela própria natureza, é só acender o sinalizador em um lugar sem muitas árvores e apontar para o céu. Eu irei ver e com ajuda de um guia iremos até vocês.


Pegamos os sinalizadores e nossas coisas e entramos na floresta. Cada dupla foi para um canto e aos poucos Madison e eu encontramos alimentos, água e alguns panos pelo caminho. Madison andava o mais devagar possível e aquilo me irritava porque eu não posso deixar-la para trás e seguir sozinha. Depois de um bom tempo andando e apreciando a natureza, paramos em um pequeno riacho para descansar e lavar o rosto. 


- Madison, quer andar logo ?

- Pergunto ao ver-la parada pegando umas folhas de uma árvore.


Ela dobra as folhas fazendo um baseado, pega seu isqueiro e queima a ponta do baseado e começa a fumar aquilo.


- Ja pensou se a gente ficasse perdida e sem sinalizador ? - Ela diz me olhando bem estranho.


- Não. E nem quero pensar nisso! - Falo seria e ela rir.


Ela pega os dois sinalizadores que estava por azar na bolsa dela e sai correndo em direção ao riacho.


- O que você vai fazer ? - Pergunto assustada - Madison, não faça isso!!

- Tarde de mais! Ela joga os sinalizadores no riacho e eu corro para tentar pega-los, mas ja estavam molhados e estragados.


- Agora só falta a gente se perde. - Ela diz sorrindo.


- Afz... porque você fez isso ? Que droga! - Bato nela e ela cai na água.


E mesmo estando toda ensopada, ela continuou rindo da minha cara. Eu estava com tanta raiva dela aquele momento! Eu queria matar ela!!


- Eu quero é que todos se fodam com esses sinalizadores! - Ela diz tirando sua blusa e dando um mergulho.


- Para de graça e vamos continuar caminhando. - Falo ja saindo - Não quero ficar aqui a noite.


- Você é muito medrosa, Zoe! - Ela diz saindo da água - Relaxa um pouco e aproveitar que estamos sozinhas nesse lugar.


- E como você quer que eu relaxe, se você jogou a merda dos sinalizadores fora ? - A encaro irritada

- E se acontecer alguma coisa com a gente ? O que faremos ?! Afz...

- Contínuo a andar.


- A única coisa perigosa que pode acontecer com você é se eu te beijar e você não resistir. - Ela dá um sorrisinho patético.


- Para de graça! - Reviro os olhos e continuo caminhando.


O dia vai escurecendo e ainda não havíamos chegado na casa. Acho até que estávamos andando em círculos, porque não encontramos mais nada no caminho. Meu celular estava sem sinal e nossa comida que o professor havia deixado no caminho já estava acabando. Cansadas de tanto andar, armamos a barraca em um lugar sem muito mato e Madison fez uma fogueira onde colocamos alguns mashmallow.


- Onde você aprendeu a fazer essa fogueira ? - Pergunto curiosa, já que o fogo estava muito alto.


- Eu já passei alguns dias na rua, então aprendi com uns amigos drogados por ai. - Ela diz se aproximando do fogo.


- Tinha que ser.


- Afz... - Ela resmunga sentindo frio.


Madison é muito estranha! Ela estava com uma blusa sem mangas e de short curto em uma floresta cheia de insetos e fria. E parece que ela não havia trazido outras roupas como: calças ou camisetas.


- Toma! Veste isso. - Pego uma camiseta xadrez minha e dou para ela.


- Valeu! - Ela sorrir lindamente.


Ela tira sua blusa molhada e eu vejo outra vez sua tatuagem que são flores pretas. Ela veste a camiseta e começamos a comer os mashmallow que estavam quase queimando. A noite chega e eu aproveito o fogo da fogueira para ler um livro, enquanto Madison estava deitada em cima de um pano no chão.


- Você e o Kyle... se conhecem da onde ? - Ela pergunta.


- Da balada que você e eu fomos. - Respondo sem tirar os olhos do livro.


- E vocês estão ficando ? - Essa pergunta sim me fez tirar os olhos do livro.


- Não... eu... eu não sei! - Fecho o livro - Por que ?


- Porque vocês não formam um belo par.


- Por que acha isso ? O que você tem contra ele ? - Ela se levanta e se senta.


- Tudo! - Ela olha para a fogueira

- Ele está se metendo no meu caminho.


- Como assim se metendo no seu caminho ? - Pergunto não entendendo.


- Zoe, larga de ser sonsa! - Ela revira os olhos e vem até mim - O que eu quero dizer, é que... eu gosto mesmo de você e... não queria te ver com ele.


Sinto meu coração acelerar e confirmar que é dela que eu realmente gosto. Fico sem saber o que dizer e apenas olho em seus belos olhos castanhos.


- Admite, Zoe! - Ela passa a mão no meu rosto - Você também gosta de mim. Da para ver isso em seus olhos.


É, Nan estava certa!

Se Madison percebeu que eu gosto dela através do meu olhar, quem sou eu para discorda do que a Nan diz agora ?!


- Eu gosto de você, sim! - Falo baixo - Só não sei admitir isso.


- Não precisa admitir em palavras, basta deixar as coisas acontecerem.

- Ela se aproxima e me beija.


Diferente dos outros beijos, esse era calmo e mais intenso. Toquei em seu rosto e mantive os beijos enquanto ela me deitava e eu me deixa levar pelo momento e o clima ao ar livre.


Madison subiu em cima de mim e começou a beijar o meu pescoço, enquanto eu desabotoava sua camiseta. Ela se afasta um pouco e tira a camiseta, depois começa a tirar minha blusa e o sutiã. Ela me da um beijo de puxar os lábios e desce até os meus seios, onde ela os chupa e beija com desejo. Fico arrepiada e excitada com seus toques em mim, ela então desce e tira minha calça.

Ela passa suas mãos na minha barriga, nas laterais, sobe e aperta meus seios, desce para as coxas e aperta. Ela coloca uma mão na minha calcinha e me encara bem safada.


- Você quer que eu te chupe ?

- Ela pergunta do jeito mais malicioso e vulgar dela e aquilo me excitou tanto que mordo os lábios e assenti.


Não satisfeita com a resposta, ela vai até meu ouvido, introduz dois dedos no meu íntimo dentro da calcinha e começa a fazer movimentos circulares, me deixando mais molhada do que já estava.


- Você quer que eu te chupe ?

- Ela sussurra em meu ouvido, mordendo de leve.


- Sim... quero...! - Falo meio ofegante.


Ela sorrir para mim, desce até o meu íntimo e tira a minha calcinha. Ela me chupava de uma forma tão intensa e selvagem ao mesmo tempo! Sua língua dançava de todas as formas, por todos os lados do íntimo e eu gemia abafando as vezes com a mão. Eu me contorcia de tanto prazer que estava sentindo, até que cheguei ao ápice.


Eu nunca havia estado com uma garota daquele jeito, e aquilo de alguma forma foi muito especial para mim. Senti mais prazer do que com o Kyle.


Depois de um tempinho com a Madison no comando, foi a vez de eu prova-lá pela primeira vez. Deito ela e tiro seu sutiã preto. Beijo, chupo e aperto os pequenos seios dela que começa a arrepiar. Subo minha boca e começo a beija seu pescoço.


- Agora é a minha vez! - Sussurro em seu ouvido.


-  Pode fazer o que quiser comigo! - Ela diz e eu sorrio.


Tiro seu short jeans preto e a sua calcinha de uma vez. Encaro seu íntimo provocando-a e notando que já está toda molhada.


- Vaiii!!! Mete a boca logo!!! - Ela implora. Sorrio com seu jeito pervertido e desço dando beijos na sua coxa e em cima de seu íntimo - Mete essa língua logo!! - Paro de beijar e começo a desliza a língua nas coxas e quando chego no seu íntimo começo a chupa-la sem parar.


Madison começa a ficar ofegante e a gemer enquanto forçava minha cabeça contra seu íntimo. Faço o mesmo que ela fez em mim e quando ela vai gozar faço questão de limpa-la com a língua, sentindo seu sabor e satisfação. Ela se levanta um pouco e me beija intensamente.


Embora eu nunca tenha estado tão íntimo com uma garota assim, eu soube deixar-lá completamente molhada e implorando para não parar...


Nos vestimos e nos deitamos deixando a fogueira acesa. Madison estava com frio ainda, e para esquenta-la, lhe abraçei sem me importar com os meus pensamentos pessimista e adormecemos...





Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...