História A nova e confusa exorcista. - Capítulo 6


Escrita por: ~

Postado
Categorias D.Gray-man
Personagens Allen Walker, Bookman, Cross Marian, Froi Tiedoll, Howard Link, Komui Lee, Lavi, Lenalee Lee, Miranda Lotto, Nea Walker (14º), Personagens Originais, Road Kamelot, Tyki Mikk, Yu Kanda
Exibições 5
Palavras 2.446
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Aventura, Comédia, Drama (Tragédia), Ecchi, Ficção, Hentai, Magia, Mistério, Romance e Novela, Saga, Universo Alternativo, Violência
Avisos: Álcool, Heterossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Nudez, Sexo, Spoilers, Tortura, Violência
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Notas da Autora


Então povo, aqui o novo capitulo, espero que gostem, honestamente não consigo parar de pensar nessa historia não para de vir ideias, só espero ser capaz de colocar elas com o minimo de sentido aqui.
EEEEEE vai.

Capítulo 6 - Capitulo 5: Um samurai, uma ruiva e uma criança.


Sophie pov:

Nossa, é realmente grande visto de perto, essa torre. Porque foi que criaram algo tão grande assim? Preciso chegar mais perto.

BAM!!! Isso é incrivel, do que será que é feito? Tem algum tipo de valor historico? Devia ter perguntado ao Kanda...eu deixei ele lá, quando a gente se ver de novo ele vai ficar bravo com certeza, mais é só dar soba.Será que fazem soba aqui em Paris?...Espera...BAM?

Quando me deixei prestar atenção em algo mais do que a torre, percebi que havia batido em algo, olhei ao redor e pude constatar que na verdade não bati em algo e sim em alguém.

-....

Era uma criança, estava caida no chão de bruços mas não inconsciente, pois dava para ouvi-lo chorando,...o que fazer, a culpada foi eu pois bati nele por não estar prestando atenção, mas nunca tive contato com criança nenhuma imagina então saber como fazer uma criança parar de chorar. Eu pus a palavra imagina certo na frase?

Por fim acabei por optar ficar encarando o menino enquanto pensava na atitude certa a tomar, embora talvez fosse melhor tomar essa decisão logo, pois um menino caido no chão fazendo escândalo não passa despercebido pelas pessoas na rua.

Kanda pov:

Não foi tão dificil como eu achei que seria achar a ruiva em fuga, acho que facilitou muito o fato que eu não me perdi justamente porque ela estava tão empolgada com a torre que saiu se batendo em tudo e em todos que atravessaram o caminho dela e eles até agora não pararam de reclamar, ela deixou uma trilha de destruição pra trás, pior só se ela fosse um furacão.

Não demorou muito até que uma cabeleira vermelha entrou no meu campo de visão, o que estranhei foi ver varias pessoas paradas no local cochichando entre elas e a ruiva estar prestando atenção não na torre e sim em uma criança caida no chão. O que foi que essa doida fez?

Ao me aproximar dela para dar uma bronca por ter saido em disparada, chegou ao meu alcance o som de uma choro muito irritante que logo pude perceber vinha do menino. Menos mal que ela não o feriu gravemente.

- Ei...

Ela olhou pra mim.

- O que foi que você fez?

- Eu queria ver essa torre mais de perto então vim até aqui correndo - Até ai eu sei pois segui seu rastro de destruição - e quando cheguei aqui não percebi quando me bati nesse garoto e fiz ele cair no chão, agora eu tava pensando no que fazer pra ele parar de chorar mais não faço ideia.

- Certo.

Não pude evitar de suspirar, aquela garota arrumou o que pode ser um problema dos grandes, esse garoto ta fazendo um grande escândalo, não tem sinal dos pais dele e já tem uma pequena multidão se formando e parece que ligaram os pontinhos e perceberam que foi Sophie a causadora de tudo. E esse choro tava me dando dor de cabeça, que irritante.

- Tch, Ei pirralho!

Gritei e consegui chamar a atenção dele apesar que foi através do susto, não só dele como da multidão que começou a falar coisas nem um pouco agradaveis sobre mim. Como se eu desse a minima.

Andei ate ele e disse:

- Se você calar a boca eu te compro o que você quiser, mais depois você da o fora.

Ele me encarou por uns minutos, depois se levantou limpou o rosto sujo de lagrimas e catarro, que nojo, e acenou com a cabeça em concordância.

- Otimo, Anda Sophie vamos dar o fora daqui.

Chamei a atenção da ruiva e comecei a andar pra fora da multidão olhando feio pra quem quer que estivesse por perto, a ruiva veio logo atras e falou algo com o menino que não ouvi e não me importo e o pegou pela mão e acelerou o passo.

O que é isso? Disse que me sentia como o pai da ruiva, e quando a encontro descubro que ganhei outro "filho" pra cuidar. O que eu fiz para merecer isso?....Muita coisa sem duvidas.

º~

Depois de ter avisado o finder pelo celular que demoraríamos para aparecer por "complicações", nos fomos para um café qualquer onde nos sentamos em uma mesa afastada de todos, o menino pediu um petit gateau com sorvete, Sophie um croissant e eu fiquei encostado na parede afastado deles, especialmente do garoto...Não gosto de ficar perto dele.Ele é um menininho baixo, magro, cabelos bem curtos e escuros, estava usando uma bermuda com tênis e um casaco azul. Não gosto como se parece também.

- Esta bom Louis?

- Sim!!!

O menor exclamou em plena felicidade, só por causa de um doce, sem contar o bebé chorão que ele obviamente é...Quero esse menino bem longe.

- Desculpa por ter esbarrado em você, eu não tava prestando atenção.

- Tudo bem, a senhorita Sophie na verdade é bem gentil!!!

- Eu sou gentil?

Ela virou e perguntou pra mim, eu apenas dei de ombros não estou nem um pouco interessado nessa conversa idiota, só quero ir logo acabar com isso e voltar para a Ordem, coisa que nunca pensei que desejaria, mais no momento em que prestei mais atenção no garoto, tudo o que eu podia querer era me manter afastado dele.

- Não sei se sou gentil, sou apenas eu mesma.

- Sophie é bastante gentil...ao contrario...

Ele diminuiu o tom de voz quando disse aquilo, obviamente estava se referindo a mim, eu normalmente não me importo já é algo natural. Mas eu me vi ficando extremamente irritado e a causa era aquele menino.

- O Kanda é um cara legal ele só tem o próprio jeito de ser, como eu disse eu sou eu mesma, ele é ele mesmo.

- Mais ele não é legal comigo, ele é um idiota.

Ele disse isso com o tom de quem ia chorar por não ganhar a atenção que queria, e isso foi o maximo que pude aguentar, não aguentava mais esse garoto tinha que sair dali se não, não fazia ideia do que eu faria com aquele menino.

- Sophie eu vou embora, quando você for também é só chamar um taxi, você sabe o que é e também sabe o nome do hotel.

Falei isso e comecei a sair dali, quando eu ouvi o menino dizer:

- Viu ele é um grosso.

- CALA A BOCA PIRRALHO!!!

Antes que pudesse me conter eu ja havia gritado com ele, ele por sua vez já estava com lagrimas nos olhos e não demorou a chorar alto de novo, as pessoas do lugar começaram a prestar atenção em nós, já Sophie me olhava com uma expressão própria de surpresa. Eu perdi a cabeça, mais não ia pedir desculpas ou ficar tempo o suficiente para Sophie me interrogar, eu precisava ficar sozinho e me acalmar.Afinal esse garoto me fez lembrar de um assunto ao qual não quero falar com ninguém.

Sai de lá sem o protesto de ninguém.

Narração normal:

A jovem exorcista de cabelos vermelhos estava bastante surpresa pela reação do colega, claro Kanda yuu nunca fora um poço de paciência e boa educação mas também não era o tipo de pessoa que gritaria daquele jeito com uma criança sem razão aparente. Tinha algum motivo por tras das ações sem nexo do exorcista e Sophie estava disposta a descobrir.

Depois de se recuperar da surpresa Sophie voltou sua atenção para Louis que parecia a ponto de se afogar com as proprias lagrimas e as pessoas ao redor que cochichavam sobre coisas sem duvidas nada agradaveis.

- Louis, cala a boca.

A calma como ela falou isso misturada ao tom usado fez a jovem ficar tão assustadora que o garoto parou de chorar no mesmo instante e a encarou incredulo. Ao ver que seu ato teve resultado com o garoto Sophie se virou para o publico que assistia a tudo e falou no mesmo tom:

E vocês parem de encarar e inventarem historias sem sentido pelo que acham que estão vendo ou viram, e voltem a cuidar da vidinha de vocês...A-GO-RA.

De fato Sophie poderia até não possuir a aura intimidadora que Kanda esbanja para todo o lado que vai, mais ela é capaz de ser tão assustadora quanto o próprio. O publico rapidamente voltou aos seus lugares fingindo que nada havia acontecido.

- Agora que parou de chorar escute, Kanda pode não parecer mais é boa pessoa e ele teve os motivos dele para agir daquele modo com você, embora eu ainda não saiba quais são eles, você não devia soltar o berrero por qualquer coisinha é chato e assim as pessoas não vão gostar de você, nem todas as pessoas do mundo são gentis e vão te comprar doces sempre que você for mimado, entendeu?

Louis acenou de forma positiva com a cabeça, em parte por entender o que Sophie dizia e em outra parte porque estava com medo dela agir daquele modo assustador denovo.

- Bom - Ela deu um leve sorriso e pos as mãos abaixo no queixo sobre a mesa - agora...eu quero saber mais sobre você Louis.

º~

Kanda pov:

Já faz horas desde que eu deixei o café e ja esta de noite. Eu sei que minha atitude lá não foi das melhores até pra mim mais aquele garoto, ele, pareceu tanto com...

Eu não poderia passar nem um minuto a mais naquele lugar, pelo menos agora eu estou mais calmo e posso me concentrar na missão assim que certa ruiva voltar.

Coisa que ta demorando, já anoiteceu e ela não retorna, sei que ela já é uma adolescente e que é uma exorcista ainda por cima, mais ela é...ela, mesmo que eu dê um voto de confiança não confio cem por cento de que ela vai ficar sem se meter em encrenca. Droga. Talvez tenha sido uma má decisão deixar ela sozinha, claro que eu não estava raciocinando direito mais eu podia só ter pego ela pelo braço e arrancar ela dali, cumprir a missão e então poderiamos ir pra bem longe daqui.

Droga por que eu me preocupo tanto com aquela ruiva?

Estava em meio dos meus próprios pensamentos quanto a porta do quarto é aberto para revelar a ruiva curiosa em que tanto penso.

- Demorou.

Ela não respondeu nada só me encarou por alguns segundos antes de fechar a porta, colocar a mochila no chão e vir em minha direção parecendo bastante decidida. 

Ela chegou bem perto de mim, podia sentir a respiração dela assim como o seu cheiro, ela me encarava bem nos olhos, aquela aproximação estava me deixando nervoso mas eu não deixei transparecer.

Ela provavelmente queria perguntar sobre as minhas atitudes de mais cedo, nesse meio tempo em que eu fiquei no hotel eu me preparei para isso, no entanto o que saiu da boca dela foi algo bem inesperado.

- Sabe...o Louis é órfão.

- O que?

Pisquei varias vezes, de onde diabos ela tirou aquilo? PorQue ela tava me falando aquilo?

- Quando você foi embora eu aproveitei pra saber algumas coisas sobre o Louis...escute.

Ela disse isso e se afastou, eu fiquei no mesmo lugar sem entender nada, aonde ela queria chegar me falando sobre aquele garoto?

- O Louis é órfão de pai e mãe, parece que aconteceu um acidente quando ele ainda era bem pequeno e eles perderam a vida, desde então ele esta aos cuidados de uma tia que o trata bem embora seja bastante rigida, ele vai pra escola normalmente mais não tem amigos, por isso ele meio que se apega a qualquer pessoa que demonstre o minimo de gentileza como ele disse que eu fiz mais cedo, ele é meio chorão mais ainda assim é capaz de tomar atitudes quando o deixam com raiva...e ele me disse que ele vai bastante ao cemiterio, especialmente a noite as escondidas para a tia não saber e fala por horas e horas com o tumulo dos pais, apesar de nunca os ter conhecido de verdade.

Eu ouvi a tudo calado. Chorão mais age quando bravo, mimado, se apega a qualquer um que o deixou se aproximar, órfão, fala por horas com quem não pode nunca responde-lo...eu já achava as semelhanças grandes mas pensar que o menino era quase uma copia perfeita...dele.

- Tch.

Comecei a andar de um lado para o outro, Sophie sem duvidas não estava entendendo nada mas não falou mais nada. Droga eu só queria esquecer de tudo "aquilo", mais do nada aparece um garoto que me faz lembrar de tudo.Droga.

De repente parei de andar em realização, me virei para encarar a ruiva e perguntei:

- Você disse cemiterio?

- Sim.

- Por acaso é o cemiterio no qual a gente devia ir destruir o akuma?

- Eu falei com o Louis e ele me disse que não tem nenhum outro cemiterio por perto...ele me disse que ia lá hoje a noite conversar com os pais sobre nós.

Ao ouvir essas palavras eu explodi em uma raiva inexplicavel.

- E VOCÊ DEIXOU ELE IR MESMO SABENDO QUE ELE PODIA SER ATACADO PELO AKUMA? O QUE VOCÊ TEM?

- Estranho não é?

- O QUÊ?

- A poucas horas você parecia não se importar nada com aquele menino, arriscaria ate a dizer que ele te irritava, mais agora do nada você esta preocupado até de mais com a segurança dele.

Depois dessa eu me calei, era verdade, eu nunca me preocupei com a segurança de ninguém, especialmente alguém que eu conhecia em missão, porque eu me alterei tanto por aquele garoto?

Eu sabia a resposta, mais não queria admitir.

- De qualquer forma vamos, ele ainda pode ser atacado e estamos em missão.

Logo peguei minha katana e segui para a porta do quarto, mais as palavras da ruiva me fizeram congelar no lugar.

- Kanda...na verdade ele será sim atacado, porque é ele que esta invocando o akuma.

- Como assim?

Voltei a encarar a ruiva.

- Mais cedo quando ele me falou dos pais dele ele me mostrou uma coisa, os pais dele deram para ele quando ele era um bebé ainda e ele carrega até hoje como lembrança...ele possui uma inocência Kanda, em forma pura ainda, e como ele vai até o cemiterio quase toda noite ele atraves da inocência que carrega atrai o akuma sem ele próprio se dar conta...achamos a inocência só falta o akuma.

Aquelas palavras me fizeram ficar sem chão, as lembranças que lutei tanto para conter vieram a toda com tudo, senti como se tudo estivesse a ponto de se repetir, não podia ser, eu não queria acreditar...

...Louis não podia ser um novo Alma Karma.

 

 


Notas Finais


E é isso meu povo ficou bom, olha os capitulos a seguir iram contar ainda mais bastannnnnte coisa sobre toda uma historia mirabolante( sei nem o que significa), vai ter muita coisa ainda,vocês ainda vão entender as atitudes sem pé nem cabeça do Kanda, preparem-se para saber mais sobre Sophie e o paralelo Kanda.Paralelo kanda soa tão legal kkkk.
Desculpa meio que me desviei do caminho mais é isso , até a proxima.


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...