História A Nova Era - Capítulo 8


Escrita por: ~

Postado
Categorias Originais
Tags Espacial, Espaço, Estrelas, Ficção, Nova Era, Sci-fi
Exibições 2
Palavras 2.032
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 16 ANOS
Gêneros: Ação, Aventura, Fantasia, Ficção, Ficção Científica, Mistério, Romance e Novela, Sci-Fi
Avisos: Violência
Aviso legal
Todos os personagens desta história são de minha propriedade intelectual.

Capítulo 8 - Boomer


                                                               BOOMER
Boomer estava cansado, ja não aguentava mais olhar para os mesmos rostos durante tanto tempo  Marlene, Buners, Beylor e Éster também aparentavam a mesma coisa, mas a unica coisa que importava é que ja estavam chegando em Gyor.
- Não acredito que finalmente essa merda esta acabando - diz Beylor.
- Você reclama demais para alguem jovem - diz o experiente Buners.
- Não vejo a hora de esticar as minhas pernas - diz Marlene.
- Sabe que arrumou um problema dos grandes não sabe? - indaga Éster.
- Do que você esta falando? - pergunta Boomer.
- Toda a guarda do sistema esta atrás de nós nesse momento, e você vai chegar para o seu chefe sem o contrabando gigantesco que havia prometido, não sei se tenho mais medo dele ou da guarda - diz Éster.
- Luthor é meu amigo, tudo bem que ele é meio violento e ditador, mas ele vai enteder - diz Boomer.
- Eu discordo, eu ficaria indignado, mataria todos - diz Buners.
- Como assim mestre? - indaga Beylor.
- Não existe amizade entre criminosos, existem apenas negócios - diz Buners.
Boomer reflete, ainda que não quisesse que fosse, ele sabia que as palavras de Buners eram verdade. Ele percebia no olhar de cada um de seus amigos a preocupação, tudo que acontecesse dali para frente era imprevisível.
Algumas horas se passaram e a nave deles pousou em um planeta frio, nevava no local, pousaram em uma floresta cuja fauna e flora jamais haviam sido vistas por nenhum dos quatro. Boomer também estava ficando com mais medo a medida que o encontro com Luthor se aproximava, estava caindo na real que ele não aceitaria tudo numa boa.
Luthor era um ditador muito rico, o planeta Gyor era muito frio e ele dominava tudo, tinha seus homens de confiança para governar as outras partes do corpo celeste. Ele é muito conhecido por sua crueldade,por ainda usar a escravidão e pela pena de morte que aplicava para praticamente todos os que o incomodavam.
- Não tenho mais idade para essas coisas - diz Buners.
- Não sei nem para onde estamos indo, só vamos continuar andando, que pelo menos chegaremos em algum lugar - diz Boomer.
- Ou não, podem ter criaturas hostis por aqui - diz Éster.
- Isso esta me deixando assustada - diz Marlene.
- Calma amor, vai dar tudo certo - diz Boomer.
- Aonde nós fomos nos meter - diz Beylor.
Eles caminham por varias horas, todos estavam exaustos, Boomer olhava o cansaço e o pavor da face de seus amigos, ele se sentia culpado por ter colocado todos nessa situação.
- O que é aquilo? - indaga Beylor.
Varias naves pequenas pousam em volta dos quatro, homens com roupas militares pousam descem delas, todos eles eram pálidos, assim como todos os habitantes de Gyor. Os homens então se posicionam e apontam armas para Boomer e seus amigos, um deles da um passo a frente e se pronuncia.
- Sou Adam Musten, lider da tropa militar de Luthor, nosso soberano. O que seres como vocês fazem aqui? - indaga Adam.
Os quatro se olham sem saber o que dizer.
- Somos convidados de Luthor, mas tivemos um pequeno problema durante a nossa viagem. - responde Boomer.
Adam observa os quatro com um olhar fitante.
- Qual o nome de vocês? - indaga Adam.
- Sou Boomer, Luthor estava me esperando, estes são Beylor, Buners, Éster e Marlene.
Todos os soldados abaixam as armas.
- Me acompanhe em minha nave, Boomer. Estavamos esperando por você - diz Adam.
- E meus amigos? - indaga Boomer.
- Eles não estão autorizados a nos acompanhar, ficarão aqui com os outros soldados - diz Adam.
Boomer olha para os outros.
- Pode ir, garoto. Vamos esperar aqui, sei como essas coisas funcionam - diz Buners.
- Vai la amigo, estaremos esperando aqui - diz Beylor.
Marlene apenas faz um gesto com a cabeça para Boomer prosseguir, Éster parecia assustada.
Boomer então entra na nave com Adam, ele estava com medo de nunca mais ver sua tripulação, ja que Luthor não era uma das pessoas mais amigaveis, e não sabia como ele iria reagir a notícia de que perdeu a carga.
- Pelo visto não deu certo, não é mesmo? - indaga Adam
Boomer se demonstra surpreso.
- Não se preocupe, sei de tudo. Luthor conta tudo para os seus homens de confiança - diz Adam.
- Sim, deu tudo errado. Os desgraçados da guarda do sistema pegaram a gente, deu tudo errado, perdi todos os bebês que estavam la, inclusive um filho meu que uma mulher que eu fodi me obrigou a criar, não que eu me importe com ele - diz Boomer.
- E você é obrigado a alguma coisa por uma mulher? - indaga Adam.
- Longa historia, mas ela morreu no parto, tive que ficar com a criança - diz Boomer.
- Só queria te dizer que Luthor sabe que você falhou, e seu final não vai ser muito feliz - diz Adam.
- Como assim? - indaga Boomer.
Adam para de pilotar a nave e coloca no piloto automático, se vira, e da um soco em Boomer que cai no chão. Boomer percebe o que esta acontecendo e tenta reagir, mas Adam é muito mais forte, Adam então monta em cima de Boomer e começa a deferir socos em sua face, até que Boomer apaga.
Ele acorda depois em uma espécie de cela, estava frio e escuro, não fazia ideia de onde estava, só pensava na sua tripulação. Onde estariam seus amigos, esse pensamento não saia de sua cabeça, seus rosto estava inchado, ele sentia o sangue escorrer de ferimentos em sua face. Boomer estava desesperado.
- Tem alguem aí?! - grita Boomer o mais alto que pode.
Se passam alguns segundo e ninguem responde.
- Tem alguem aí?! - grita novamente.
E denovo ninguem responde.
Boomer começa a chorar, ele não sabia o que fazer e estava apavorado, jamais havia passado por situação parecida. Um barulho de porta abrindo é ouvido, passos vão se aproximando de sua cela.
- Finalmente acordou, Bela Adormecida - diz Adam com um sorrisinho no rosto.
Boomer cospe nele, Adam visivelmente fica irritado.
- Não é com essa atitude que você vai sair daqui vivo - diz Adam.
Boomer ja não tinha mais esperanças.
- E tem alguma chance de eu sair daqui vivo?
Adam da um sorriso irônico.
- Não.
O desespero corria pelo seu corpo, ele se sentia culpado pela morte de sua tripulação, pois sabia que eles também não escapariam.
- Onde estão meus homens? - indaga Boomer.
- Isso não é da sua conta, logo você irá encontra-los - responde Adam.
- E pra que você veio aqui? - pergunta Boomer.
- Luthor quer ver você, só vim avisar pra se preparar psicologicamente, ele quer o dinheiro que ele te adiantou de volta, e vai fazer algumas coisas também pra garantir que você não vai abrir o bico, se tudo der certo você pode ir embora - diz Adam.
Boomer se surpreende.
- Achei que eu não iria sair daqui vivo - diz Boomer.
Novamente sorrindo, responde.
- Estava só tirando uma com a sua cara 
Adam vai embora, equanto o barulho de seus passos iam sumindo pelo corredor, Boomer pergunta:
- Quando ele quer me ver?!
- Quando ele tiver tempo, suponho que ainda essa semana! - grita de volta Adam.
O barulho dos passos some e Boomer ouve uma porta se fechando, tudo que ele queria era sair daquela cela úmida e fria, ele estava machucado e sofrendo, sua consciência continuava pesando.
Passaram-se varios dias, Boomer não aguentava mais ver o rosto de Adam indo levar aquela comida horrorosa todo dia e zombando de sua cara. Naquele dia Adam chegou mais cedo, Boomer estranhou tal ato.
- Por que veio tão cedo hoje? - indagou Boomer.
- Chegou a sua hora - responde Adam.
Adam abre a porta da cela e algema Boomer, caminha pelo corredor que antes ele havia apenas imaginado como seria a aparencia, e era tão repugnante quanto sua cela. Subiram as escadas do castelo que claramente ficou mais bonito, obvio que seria mais bonito que o calabouço. O piso era de marmore claro, com varias colunas e varias portas que Boomer nem imaginava onde iam parar. Chegaram então na sala do trono, onde um homem idoso e careca, com seus grandes olhos rodeados com olheiras e seu nariz maior do que o da maioria, esperava por ele, era Luthor.
Ele estava no seu trono, que ficava em um degrau maior do que o resto da sala. No degrau de baixo Boomer reconheceu seus amigos. Marlene, Éster e Beylor estavam la, ja era um grande alivio ja que pensava que todos estavam mortos.
Todos eles se encaram,perceberam a ausência de Buners, sabem do perigo, Boomer se ajoelha ao lado de seus amigos. Luthor olha fixamente para Boomer.
- Você me garantiu, você não faz ideia do quanto eu estou irritado, por mim vocês todos estariam mortos com as cabeças em estacas, mas isso deixaria muito óbvio que a encomenda era para mim - diz Luthor.
- E oque você pretende fazer com a gente? - indaga Boomer.
- Ainda não decidi, se a guarda do sistema de vocês captura-lo, como ter certeza de que você não vai me entregar junto? - indaga Luthor.
- Jamais faria isso - diz Boomer, claramente assustado.
- Qualquer um diria isso na sua situação - diz Luthor.
- Então oque você quer?! - diz Luthor.
- Quero que você saiba do que eu sou capaz de fazer, quero colocar medo em vocês, só assim saberão que jamais vocês e a familia de cada um estarão seguros denovo se me entregarem - diz Luthor.
Luthor estala os dedos, Adam pega uma bandeja que estava em cima de uma mesa e caminha até o trono de Luthor, entregando-a para ele.
- Eis aqui, uma prova doque eu sou capaz, Boomer - diz Luthor com um sorriso no rosto.
Luthor tira a tampa da bandeja e para a surpresa de todos, nela estava a cabeça de Buners. Lagrimas escorrem dos olhos de todos, Boomer o considerava um mentor, um amigo, um pai.
- Não...Não...Não precisava - diz Boomer gaguejando enquanto lagrimas escorriam pelo seu rosto.
- Sim, precisava - diz Luthor.
Boomer percebe o estado de choque de Beylor, Marlene e Éster, todos estavam visivelmente abalados.
- Fiquei sabendo que você tem uma namoradinha, Boomer - diz Luthor.
Boomer olha para Marlene, que também olha para ele com um olhar desesperado.
- Não...Por favor, não faça nada - implora Boomer.
- Traga ela pra mim, Adam - ordena Luthor.
Adam pega Marlene que também esta algemada, e leva até Luthor, que tira uma pistola de plasma da cintura, ele ajoelha Marlene na frente dele e aponta a arma para ela, que esta em estado de choque e não para de chorar.
- Não se preocupe, se vou machucá-la ou não, só depende do seu comportamento - diz Luthor.
- Se você enconstar um dedo nela...
- Acho que você não esta em condições de ameaçar ninguem - diz Luthor.
- O que você quer de mim? - indaga Boomer.
- O investimento que eu joguei no lixo, te adiantei metade do pagamento e você só me deu prejuizo, quero o meu dinheiro de volta com bônus de 50 por cento - ordena Luthor.
- De onde vou tirar esse dinheiro? - indaga Boomer.
- Aí ja não é problema meu, você tem um mês, se tentar bancar o espertinho ela morre, se não entregar no prazo, ela morre, boa sorte. Adam, leve-os devolta para a nave deles - ordena Luthor.
Adam leva Boomer, Éster e Beylor para fora do castelo, onde uma nave os esperava, Marlene fica com Luthor.
- Ja deveriam estar agradecendo, Luthor foi muito generoso em ceder uma nave noca para vocês - diz Adam.
Todos ficam em silêncio, ainda estavam chocados com o ocorrido. Os 3 entram na nave, Beylor decola e sai do planeta, Boomer não fazia ideia de como, mas ele estava determinado a conseguir esse dinheiro.



Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...