História A Nova Era - Capítulo 9


Escrita por: ~

Postado
Categorias Originais
Tags Espacial, Espaço, Estrelas, Ficção, Nova Era, Sci-fi
Exibições 1
Palavras 1.624
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 16 ANOS
Gêneros: Ação, Aventura, Fantasia, Ficção, Ficção Científica, Mistério, Romance e Novela, Sci-Fi
Avisos: Violência
Aviso legal
Todos os personagens desta história são de minha propriedade intelectual.

Capítulo 9 - Marvin


                                                       MARVIN
Quatro dias haviam se passado desde que Jonah tinha chagado em Dharn. Lancel tinha prometido para Marvin que deixaria ele levar Pou para a escola e ele estava muito animado com isso.
Acordou de manhã para tomar café mais cedo que todos na casa, se deparou na cozinha com Pou, e percebeu que ainda não tinham achado os pais do bebê.
- Ainda não acharam os pais da criança? - indaga Marvin.
- Como você pode ver ainda não, pequeno senhor - diz Pou.
Marvin então muda o foco da conversa.
- Então hoje é o grande dia! - exclama Marvin.
- Por que senhor? Algo importante ocorrerá hoje? Achei que a cerimônia para agradecer os serviços de seu tio seria daqui a nove dias - diz Pou.
- Não Pou, hoje é o dia que Pyrcel vai se mudar, ele vai morar na nave do comandante que ele vai servir na Guarda do Sistema - diz Marvin.
- Senhor Pyrcel não irá mais morar conosco? - indaga Pou.
- Não. Vou sentir saudades do meu irmão, mas um dia quando eu entrar para a Guarda do Sistema, vou poder servir na nave dele, se ele ja tiver uma! - diz Marvin.
- Concerteza você também será um ótimo guardião do sistema, meu pequeno senhor - diz Pou.
- Mas oque importa é que hoje você vai pra escola comigo e com o Lireen - diz Marvin animado.
- É mesmo, ja ia me esquecendo - diz Pou.
Pip acorda com o barulho da conversa dos dois, Marvin faz carinho no animal. O barulho de uma porta abrindo é ouvido, era Lancel que havia acordado também.
- Bom dia filho, bom dia Pou - diz Lancel.
- Bom dia pai
- Bom dia meu senhor.
- Pelo visto teremos que ficar com esse bebê - diz Lancel.
- Ia ser legal, ter mais um irmão - diz Marvin.
Lancel sorri e passa a mão na cabeça do filho. O resto da familia acorda, incluindo Jonah que ainda estava por la. Todos se sentam na mesa, o clima é de despedida, lágrimas escorrem do rosto de Martha.
- Meu menino, ja vai sair de casa - diz Martha chorando.
- Calma mãe, vou visitar vocês sempre - diz Pyrcel enquanto abraça a mãe.
Marvin percebia que seu pai estava orgulhoso de Pyrcel, e queria causar esse orgulho nele também algum dia.
- Meu filho, é uma grande honra ser da Guarda do Sistema, quero que saiba que estou muito orgulhoso de você - diz Lancel.
Lancel abraça Pyrcel.
- Obrigado pai.
- Irmão, meus parabens! - exclama Lireen, mesmo sem saber oque estava acontecendo direito.
- Obrigado, irmãozinho - diz Pyrcel sorrindo.
- Vou sentir saudades - continuou Lireen.
Pyrcel então da um abraço no seu irmão caçula.
- Irmão, fique me esperando alguns anos la, que logo logo eu também vou fazer parte da Guarda do Sistema! - exclama Marvin.
Pyrcel abre um sorriso.
- Estarei te esperando la, irmãozinho - diz Pyrcel.
Os dois se abraçam, Marvin não queria que aquilo fosse uma despedida pois admirava muito seu irmão mais velho.
- Garoto, vi você crescer, você é como se fosse um sobrinho meu, e quero que saiba que eu também compartilho desse orgulho que sua família esta sentindo - diz Jonah.
- Obrigado, Jonah - diz Pyrcel.
Acontece um aperto de mão, seguido de um abraço.
- Você ja vai partir? - indaga Lancel.
- O tio Paraguassu disse que ia vir me buscar em sua nave - diz Pyrcel.
Alguem bate na porta, Lancel vai atender, era Higert.
- Higert, bem vindo - diz Lancel.
- Bom dia senhor - diz Higert.
- Higert, oque faz aqui tão cedo? - indaga Jonah.
- A nave do irmão do senhor Lancel pousou aqui, e disse que esta esperando Pyrcel Cartman - diz Higert.
Martha não conseguia parar de chorar.
- Meu menino, cresce tão rapido - diz ela.
- Isso não é uma despedida - diz Pyrcel.
- Nada mais justo do que levarmos ele até a nave, quero falar com meu irmão - diz Lancel.
- Boa ideia! - exclama Marvin.
- Você e seu irmão vão para escola, e como eu prometi, Pou pode ir com vocês hoje - diz Lancel.
- Bom, queria que você soubesse que estou muito feliz com sua conquista, senhor Pyrcel.
- Muito obrigado, Pou.
Martha, Lancel, Jonah e Pyrcel acompanham Higert, deixando Lireen e Marvin sozinhos com Pou, e Pip, é claro. Martha havia pegado o bebê os braços de Pou, e levado com ela.
- Que droga, queria ir dar tchau para o meu irmão - diz Marvin chateado.
- Calma pequena criança, seu irmão em breve vem visitar vocês, e vocês dois tem seus compromissos escolares agora - diz Pou.
- Escola é chato - diz Lireen.
Marvin saiu de casa com seu irmão e com Pou, e durante a caminhada para a escola eles vão conversando.
- Aposto que com você comigo, Doug não vai me aperriar hoje - diz Marvin.
- É verdade, ele vive aperriando meu irmão - diz Lireen.
- Como assim crianças? - indaga Pou.
Marvin tinha vergonha de falar para os seus pais que era atormentado por outro garoto na escola, ja que todos os homens de sua família eram considerados tão corajosos. Mas o porém é que Doug era dois anos mais velho que Marvin.
- Doug é um garoto mais velho idiota, que fica me pertubando, fica enchendo o saco dizendo que minha vida é facil por causa do meu pai que é o imperador - diz Marvin.
- Ele é chato - diz Lireen.
- Se o Marvin esta sendo pertubado por um garoto mais velho, deveria contar para o senhor Lancel, ele resolveria o problema concerteza - diz Pou.
- Não vou contar pro meu pai, que tipo de menino que quer ser da Guarda do Sistema, fica correndo pro pai e pra mãe quando tem algum problema? - diz Marvin.
- Senhor Marvin, eu me apeguei muito com a familia de vocês, gosto muito de você e do senhor Lireen, jamais deixaria que nada de ruim acontecesse com nenhum dos dois, se precisar de ajuda em qualquer coisa, pode contar comigo - diz Pou
- Doug Barbos não vai ser um problema hoje - diz Marvin sorridente.
- Doug Barbos?! - indaga Pou.
- Sim, ele é filho do Kevin Barbos, que concorreu com o papai nas ultimas eleições - diz Marvin.
- O pai deveria saber o filho agressivo que tem - diz Marvin.
- Se eu contar pro meu pai, concerteza isso vai pra mídia, e todos vão achar que eu sou um covarde, não quero que isso aconteça - diz Marvin triste.
- Meu irmão não é um covarde! - exclama Lireen.
- Tem razão Lireen, ele esta longe disso - diz Pou.
Marvin abraça Pou.
- Você é o melhor presente eu eu ja ganhei, Pou - diz Marvin para o robô.
Por mais que não tivesse sentimentos por ser um robô, Pou gostava muito das crianças.
- Vocês que foram como presentes pra mim, crianças - diz Pou.
Finalmente chegam na escola, varias crianças juntas num lugar só e correndo de um lado para o outro, Lireen estava indo para sala dele e deixando Marvin sozinho com Pou, mas um garoto maior, gordinho e com cabelos cacheados, colocou o pé para o membro mais novo da familia Cartman tropeçar, Lireen caiu e começou a chorar.
- Senhor Marvin, viu oque aquele garotinho pálido e gordo fez com o seu irmão? - diz Pou.
Marvin estava estático, queria muito ajudar seu irmão mas estava com medo.
- É ele Pou, Doug Barbos - diz Marvin.
- Vou ver se esta tudo bem com seu irmão - diz Pou.
Pou sai de perto de Marvin e vai ver se Lireen esta bem, mas Doug vem na direção de Marvin.
- E aí magrelo - diz Doug.
- Sai daqui Doug seu gordo, ninguem gosta de você, você ja bateu no meu irmão hoje! - exclama Marvin.
- Como vai sua vida super dificil, sendo filhinho do imperador, super paparicado por tudo e por todos? - pergunta Doug, desdenhando de Marvin.
- Sabe de uma coisa? - diz Marvin.
Marvin ja tinha perdido a paciência com o garoto.
- O que foi moleque retardado? - pergunta Doug.
- Acho que você tem inveja, se o seu pai tivesse ganhado a eleição você nao ia encher o meu saco nem o do Lireen, mas como ele é um bundão corrupto ele não ganhou e você desconta isso na gente! - exclama Marvin.
Todas as crianças que estavam no pátio pararam oque estavam fazendo para olhar, como toda criança, começaram a instigar uma briga entre Marvin e Doug, gritos como "eu não deixava" puderam ser ouvidos. Os olhos de Doug arregalaram e ele começou a bufar, Marvin nunca tinha visto o garoto tão irritado, Doug tinha se sentido humilhado.
- Como ousa falar assim do meu pai?! - exclama Doug.
Marvin estava com medo, Doug deu um soco em sua face, ele caiu no chão instantâneamente, podia sentir o gosto de sangue na sua boca, todos presentes soltaram um "Uhhh".
- Se levanta seu verme! - grita Doug.
Marvin lentamente tenta se levantar, mas Doug da um chute nele que cai denovo, Doug agora o segura pela gola e o levanta, Marvin olha no fundo de seus olhos, que derrepente se fecham e ele cai no chão, Marvin cai também, ele não tinha entendido oque tinha acontecido, todos pareciam surpresos, Doug estava desmaiado no chão, e atras dele estava Pou, que tinha dado um golpe que o teria feito desmaiar.



Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...