História A Nova Geração (Harry Potter - interativa) - Capítulo 10


Escrita por: ~

Postado
Categorias Harry Potter, Originais
Personagens Alvo Potter, Argo Filch, Arthur Weasley, Barão Sangrento, Bellatrix Lestrange, Carlinhos Weasley, Cho Chang, Draco Malfoy, Fleur Delacour, Gina Weasley, Godric Gryffindor, Gregory Goyle, Gui Weasley, Harry Potter, Helena Ravenclaw, Helga Hufflepuff, Hermione Granger, Jorge Weasley, Lord Voldemort, Luna Lovegood, Minerva Mcgonagall, Ministro Milicent Bagnold, Molly Weasley, Murta Que Geme, Neville Longbottom, Nymphadora Tonks, Pansy Parkinson, Percy Weasley, Personagens Originais, Remo Lupin, Rita Skeeter, Ronald Weasley, Rowena Ravenclaw, Rúbeo Hagrid, Severo Snape, Ted Lupin
Tags Filha, Herdeiros, Você-sabe-quem
Exibições 39
Palavras 1.273
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Ação, Artes Marciais, Aventura, Colegial, Drama (Tragédia), Escolar, Famí­lia, Fantasia, Festa, Ficção, Ficção Científica, Luta, Magia, Mistério, Romance e Novela, Sobrenatural, Suspense, Universo Alternativo, Violência
Avisos: Adultério, Álcool, Bissexualidade, Drogas, Estupro, Heterossexualidade, Homossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Mutilação, Necrofilia, Suicídio, Tortura, Violência
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Notas da Autora


Primeiramente, quero pedir a todos os leitores de minha vida: Não me matém!

Boa leitura!

Capítulo 10 - Lufa-Lufa X Sonserina


P.O.V. Andrew 


~Dia dos Testes~


Após Carol sair do campo com uma expressão sarcástica no rosto, Christian foi ajudar Brooklyn, que estava caída no chão e com o nariz sangrando. 


- Brooklyn, você está bem? - Disse Christian, tentando ajudar a garota Loira.


- Fique longe de mim, eu não preciso de babá! - Esbravejou a loira. - Essa vaca me paga!


- Antes de falar qualquer coisa, loira azeda, espero que se lembre que você soltou os balaços. - Rebati.


- Devia, pelo menos, esperar Carol aparecer pra falar mal dela. - Continuou Luke. - Vamos ver se você tem essa coragem toda com ela na sua frente. 


- Depois daquele soco, certamente que não. - Falei.


- Vincent, eu sou sua irmã! Vai deixar eles falarem de mim desse jeito? - Disse a loira, com uma carinha pidona. 


- Você bem que mereceu! - Respondeu o capitão saindo do campo, deixando a loira oxigenada transbordando de ódio. 


Sem perceber, comecei a gargalhar e Luke também. A expressão da loira ficou ainda mais raivosa.


- Isso vai ter volta. - Sussurrou Brooklyn pra mim.


- Vou estar esperando ansiosamente. - Sorri cínico pra ela.


Ao contrário do que eu pensei, ela abriu um sorriso interessado e começou a rir baixo enquanto andava de volta. Menina louca!


P.O.V. Carol


~Dias atuais~


- Parece que você foi selecionada. - Disse Oliver num tom baixo. - E Alvo também.


- Por que você não vai cuidar da sua vida? - Retruquei. 


Saí de perto do quadro de avisos e fui até a mesa da Grifinoria. Encontrei Alvo lá, sorrindo feliz.


- Alvo, você viu os resultados? - Perguntei.


- Sim, fomos selecionados. - Respondeu. Eu fiquei apreensiva, acho que minha expressão transbordava isso.


~Quebra de tempo - Intervalo minutos antes da aula de Poções com a Grifinoria~


Eu estava nos jardins, ao lado de uma árvore, pensando. Mordia os lábios inferiores, nervosa. Não sei como seria um jogo contra os "Perfeitinhos", preciso ganhar a confiança desse povo. Como fazer isso lutando contar eles?


- Carol? - Falou Alvo, que apareceu de repente, eu tomei um susto. - Assustei você? Desculpe.


- Não, tudo bem. - Respondi. 


- Está tudo bem? - Perguntou. 


- Está. - Desviei o olhar, abaixando a cabeça. 


Alvo percebeu que não estava tudo bem, mas deve ter entendido errado. Ele levantou o meu queixo, me fazendo olhar pra ele. 


- Ei! Não fique assim! - Falou com uma voz tranquila, sua expressão num formato preocupado. - Não me importo de perder ou ganhar. É só um jogo, Carol! 


- Mas e se eu... - Comecei mas ele me interrompeu.


- É como dizem: amigos, amigos. Quadribol à parte. - Ele sorriu.


- Amigos, amigos. Quadribol à parte. - Sorri de volta e começamos a rir. - Acho que está na hora de irmos, aula de Poções.


- Infelizmente. - Resmungou.


- Ah, poções nem é tão difícil. 


- Assim como Defesa Contra as Artes das Trevas. - Retrucou.


- Aí não vale, nunca tentei essa matéria, é a primeira vez. - Falei.


- Por que não tentou antes? - Perguntou.


- Meu tio é meio rígido com esse lance de magia. - Respondi. Percebi que os corredores estavam vazios. - Acho que passamos da hora! 


Corremos até a sala, mas a professora já havia chegado. 


- Com licença, professora Gorete. - Falei. - Nós nos atrasamos. 


- Posso saber o motivo de tal atraso? - Perguntou a professora. Depois disso todo mundo nos olhou com um olhar meio malicioso. Mostrei a língua pra eles.


- Ficamos presos, na Sala Proibida. - Respondi. 


- Calem a boca e entrem logo! - Gritou a professora, espantada com tal conhecimento. 


Durante a aula inteira, Alvo me observou curioso. Sorte que apenas ele escutou o meu comentário sobre a Sala Proibida. Espero que não conte sobre nada pra ninguém, apenas os professores sabiam dela e meu pai descobriu. Ser filha de Voldemort tem suas vantagens.


Saímos da sala de aula em silêncio, o falatório dos outros estudantes impediu Alvo de falar qualquer coisa. Agradeci mentalmente por isso.


~Quebra de Tempo - Primeiro Jogo de Quadribol~


Era hoje, o dia em que eu iria brilhar. Talvez ganhar pontos pra minha casa.


O Jogo de hoje seria conta a Lufa-Lufa, coisa fácil. A única pessoa com a qual eu deveria me preocupar alí era a Sasha, mas acho que ela não me dará problemas. Então, vamos acabar logo com isso. 


Vincent veio encher o saco logo cedo, no café da manhã. O horário nos dias de jogos era diferente do meu habitual e eu acordei umas 7:00. Normalmente, costumo dormir até as 9:30 ou 10:00 horas. 


Atualmente, estávamos no vestiário, discutindo técnicas de jogo. Vincent passou a conversar com Christian sobre formas de distrair o outro Apanhador. Luke treinava com Dimitri. Andrew estava mais afastado de todos, e foi seguido por uma Brooklyn convencida.


Segui eles dois de longe e scutei a conversa.


- Olha, Andrew, eu queria me desculpar. - Ela disse, fazendo o loiro se virar com uma expressão curiosa. - Eu não de vi ter feito aquilo, foi muito arrogante da minha parte.


- Você não precisa se desculpar comigo. - Respondeu levemente ríspido. - Carol, já pode sair daí.


- Como você descobriu? - Perguntei. 


- Seu cabelo preto no meio da manhã pálida denúncia tudo. - Falou e eu ri. 


Brooklyn foi se afastando. Me incline pra mais perto de Andrew e Sussurrei.


- Está tudo pronto pra hoje a noite? 


- Sim, já falei com Luke e ele estará pronto quando você enviar o sinal. - Respondeu, depois saiu andando na direção contrária.


Ótimo.


●~●


As pessoas começaram a chegar aos poucos. Eu estava já de uniforme, assim como os outros do time. A professora Vanessa nos chamou para o centro do campo e os capitães deram um aperto de mão. Ficamos nas posições e olhei para os torcedores. Consegui identificar os meus "amigos". Apesar de serem de outras casas, eles estavam torcendo por mim, como bons amigos. 


Que dó, iludidos!


O apito soou e o jogo começou. Todos demos um impulso e ficamos no ar. A Goles estava com Vincent, que passou pra mim ao ficar encurralado por dois Artilheiros. Christian voava olhando por todos os lados, assim como o Apanhador do outro time. 


Um balaço, mandado por Dylan, quase me acertou. Consegui desviar no último minuto. Eu estava com a Goles e vários artilheiros estavam atrás de mim. Fiz um movimento indicando que iria para a direita, mas joguei a Goles pra Andrew, que estava na minha esquerda. 


Pude perceber que Sasha fazia o possível pra não mirar um balaço em minha direção. Andrew passou pra mim e consegui desviar do goleiro da Lufa-Lufa, passando a Goles por entre um dos aros. Ganhamos um ponto!


O jogo continuou. Victor conseguiu pegar a Goles de mim, mas foi surpreendido por Vincent, que ficou na sua cola. Um balaço passou raspando e quase acertou a cabeça de Victor, mas ele conseguiu desviar, deixando a Goles cair.


Fui voando (trocadilhos a parte) até a Goles e consegui pegar a bola quando ela estava no ar. Estava prestes a fazer mais um gol, quando sou atingida no peito por uma coisa dura e incrivelmente pesada.


Um balaço.


Sinto o ar ricocheteando em meu rosto. Eu estava caindo.


Espero sentir o chão duro, mas isso não acontece. Olho na direção dos braços que me seguravam e vejo várias pessoas a minha volta, inclusive Ruby, Adhara, Nick, Lee, Florence (Por incrível que pareça) e Alvo. 


Não vejo Sasha, Luke, Joey ou Andrew, mas escuto seus gritos antes de apagar.


●~●

P.O.V. Autora


- Você enlouqueceu, Brooklyn? - Gritou Sasha. - Ela é do seu time!


- Você tem ideia do que fez? - Gritou Andrew. 


Todos os presentes tomam um susto ao ouvir a pronúncia de apenas uma palavra, vinda de Luke.


- Crucio! 


Notas Finais


Crucio = Maldição Cruciatos.

Vou nem falar nada, podem surtar.


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...