História A Nova Influência - Capítulo 5


Escrita por: ~

Postado
Categorias Naruto
Personagens Boruto Uzumaki, Gaara do Deserto (Sabaku no Gaara), Ino Yamanaka, Inojin Yamanaka, Sai, Sakura Haruno, Sarada Uchiha, Sasori, Sasuke Uchiha, Shinki, Yodo
Tags Drama, Naruto, Romance, Sasusaku
Exibições 190
Palavras 2.371
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 16 ANOS
Gêneros: Drama (Tragédia), Famí­lia, Ficção, Musical (Songfic), Romance e Novela, Universo Alternativo

Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Notas da Autora


Oi gente, tudo bem? Estão gostando da história? Boa leitura! :D

Capítulo 5 - Malas quase prontas


Há três anos Inojin estava desaparecido. Embora parte de Sarada tivesse seguido em frente, outra estava presa nas lembranças do antigo namorado. Por conta disso, ela e Boruto não tinham evoluído muito no último ano. Se nos dois primeiros, a Uchiha havia ficado imersa em sua dor, naquele ano ela começava a voltar a ser mais normal. Saía com Boruto, o beijava, o amava, mas não conseguia assumi-lo como namorado. Era como se o lugar fosse de Inojin, como se nunca tivesse deixado de ser, o que era muito estranho pra ela.

Boruto estava começando a  ficar de saco cheio de ter aquela relação mal definida. Afinal, na frente de todos e em quatro paredes eles se comportavam como namorados, mas Sarada sempre dizia que não gostava de nomear a relação. Outra coisa que começou a fazer Boruto ficar irritado era, além de esperar Sarada se recuperar totalmente da perda de Inojin, foi que ela agora era uma digital influencer como a mãe. Sarada tinha um espaço exclusivo no blog da mãe chamado La Uchiha – tipo uma coluna semanal – em que ela escrevia sobre temas aleatórios e com isso já tinha ganhado muitos seguidores e quase superava sua mãe. Com a fama, Sarada passou a ter menos tempo para “namorar”, pois ela ainda tinha que dar conta dos estudos.

Tinha chegado a hora deles escolherem que profissões gostariam de seguir. Para Boruto estava claro, ele seria um juiz como seu pai. Gostava da ideia de fazer justiça. Fora que seu pai sempre foi seu herói pessoal. Seguir seus passos era algo muito nítido para ele como ideal de sucesso na vida. Enquanto isso, Sarada queria seguir os passos da mãe e se firmar como uma digital influencer. Então, aquele velho plano de ir cursar faculdade em Nova York estava começando a tirar o sono de Sasuke, que não queria por nada no mundo que a filha fosse.

— Não sei como a sua mãe pode apoiar essa sua ideia maluca de ir estudar em Nova York e morar lá sozinha. – Falava Sasuke revoltado.

— Não é uma ideia maluca. Julliard é uma excelente opção. Além disso, nem sabemos se eu serei admitida. É só tentar. Quero fazer o teste. – Pontuou Sarada.

— Você quer mesmo deixar sua família, seus amigos e ir morar sozinha lá?

— Pai, vocês poderiam me visitar sempre que quisessem. Além disso, Konoha não é tão longe de Nova York assim. Ainda estaremos no mesmo país, no mesmo fuso horário.

— Não quero ficar longe de você, filha.

— Lembra daquele nosso papo do passarinho sair do ninho? Chegou a hora, pai!

— Sarada, se isso for uma forma sua de fugir das lembranças do Inojin...

— Não é! Claro que não! Eu superei essa perda.

— Tudo bem, digamos que você superou, mas e o Boruto? Ele sabe dessa sua ideia de ir morar em Nova York?

— Eu vou contar a ele sobre a minha vontade de estudar lá.

— Seu namorado ficará desolado ao descobrir que você quer abandoná-lo, porque eu estava conversando com o Naruto outro dia e o Boruto cursará Direito aqui na Universidade Estadual de Konoha.

— Primeiro, não gosto de nomear meus sentimentos pelo Boruto. Segundo, existem relacionamentos à distância. Vocês falam como se eu fosse ficar a vida inteira lá e não é bem assim. Serão só alguns anos e eu virei aqui nas férias, feriados, sempre que estiver com saudade.

— O que é aquilo que você tem com ele então se não é um namoro?

— É amor. Mas é um lance mais livre sabe?

— Não entendo mais esses jovens. – Sasuke disse e Sakura chegou no meio da conversa.

— O que vocês estão discutindo? – Perguntou a rosada.

— A obsessão da sua filha em estudar em Nova York. – Disse Sasuke.

— Eu apoio ela ir para Julliard. Vai ser excelente pra ela. Sarada toca violino tão bem. Fará bonito! Nos encherá de orgulho! – Sorriu Sakura.

— Obrigada, mãe! Alguém nessa família tem juízo! – Ironizou Sarada.

— Acho maluquice deixar essa menina morando sozinha lá! – Rebateu Sasuke.

— Bem, vamos esperar primeiro o resultado dos exames. Quando ela for aprovada, veremos o lance da moradia. Mas acho que não será problema. – Disse Sakura.

— Por que? – Questionou Sasuke.

— Eu sempre vou a Nova York. Sarada poderá morar na minha cobertura e Shizune estará lá para ajudá-la sempre que precisar. Além disso, Izumi estava conversando comigo que Obito também vai para Nova York. Os dois podem dividir o apartamento. – Observou Sakura.

— Chouchou também vai! – Disse Sarada.

— Três crianças num apartamento? – Perguntou Sasuke.

— Três jovens adultos. Todo mundo já tem 18 anos pai! – Disse Sarada.

— Vamos dar um voto de confiança a ela. O que acha? – Disse Sakura abraçando o marido por trás.

— Tudo bem. Eu sempre perco quando as duas se juntam contra mim mesmo. – Sasuke bufou e Sakura e Sarada sorriram vitoriosas.

 

[...]

 

Quando a carta de Julliard chegou avisando que Sarada tinha sido aprovada, a menina chorou. Era um sonho que finalmente seria realizado. Ela correu e contou para toda sua família que ficou feliz pela garota. Até Sasuke já tinha se acostumado com a ideia. No entanto, Sarada só temia a reação de uma pessoa. Ela contou para Boruto que iria fazer o teste para Julliard, mas o garoto achou que Sarada não fosse passar, por ser considerado um teste muito difícil. Na hora que a menina lhe disse que havia sido aprovada, o sorriso costumeiro nos lábios do loiro desapareceu. Uma parte de seu mundo havia desabado naquela hora.

— E você vai estudar em Julliard Sarada? Porque, mesmo sendo aprovada, você pode decidir ficar sabe? – Lembrou Boruto nervoso.

— Boruto, eu quero muito estudar lá. É uma grande oportunidade também.

— Aqui em Konoha tem uma boa faculdade de Música também. Você não precisa ir pra lá para aperfeiçoar seus talentos.

— Eu não preciso, mas eu quero.

— Sarada, você sabe que indo pra Nova York estará terminando o que temos não sabe?

— Eu não quero terminar o que a gente tem, Boruto. Podemos continuar nos relacionando. Tantos casais mantém uma relação à distância... Além disso, serão poucos anos e eu sempre virei até Konoha.

— Eu não quero um relacionamento à distância.

— Você prefere ficar sem mim, Boruto?

— Na verdade, acho que você nunca foi minha. Sempre houve o fantasma do Inojin sobre nós e agora você ainda vai colocar um obstáculo físico entre a gente. Como se não fosse o bastante o obstáculo emocional!

— Você não tá satisfeito com a nossa relação?

— Não é isso...

— É isso sim, Boruto! Você disse que saberia esperar, mas vive me cobrando uma nomenclatura para o que nós temos!

— Há um ano nós estamos juntos, Sarada! E eu continuo sendo nada pra você! – Esbravejou Boruto.

— Você está sendo injusto! Eu amo você!

— Então, por que você não larga essa ideia de ir para Nova York e fica comigo?

— Porque eu não preciso abandonar os meus sonhos pra isso.

— Então tá! – Boruto virou as costas para a menina e saiu andando.

— O que você tá fazendo, Boruto?

— Por mais que me doa, to terminando com você. – Disse sem virar pra trás.

— Se é isso que você quer! – Gritou Sarada, mas Boruto continuou andando.

 

[...]

 

— Mãe, por que os garotos são tão imaturos? – Perguntou Sarada.

— Você e o Boruto brigaram?

— Na verdade, ele terminou comigo.

— Já sei! Foi por causa da sua ida para Julliard?

— Sim, ele não quer um relacionamento à distância, o que eu considero um completo egoísmo da parte dele. Pela segunda vez, ele está nos separando.

— Boruto é um menino carente. Você ainda não percebeu isso, Sarada?

— Sei que ele é, mas o que custa ele entender o meu lado também? Por que ele não vai para Nova York comigo que nem a Chouchou e o Obito?

— O sonho do Boruto é diferente do seu Sarada. Só isso.

— Estou começando a acreditar que a gente não devia ficar junto mesmo.

— Posso te fazer uma pergunta?

— Todas que você quiser mãe!

— Se o Inojin estivesse aqui, vivo, voltasse para Konoha, você largaria o Boruto?

— Essa é uma pergunta difícil.

— Você nunca pensou nisso?

— Nos primeiros dois anos eu pensei e, por esta razão, continuei sendo só amiga do Boruto. No terceiro ano após o desaparecimento do Inojin, eu comecei a acreditar que ele tinha morrido. Aí eu pensei que não era errado estar com o Boruto.

— Mas se ele voltasse?

— Eu ficaria confusa. Porque eu amo o Boruto, mas eu também amo o Inojin.

— Eu entendo, mas você acha que o Boruto não pensa nisso?

— Ele me disse que Inojin está sempre entre nós.

— Eu dou um pouco de razão a Boruto.

— Então, a senhora acha que eu deveria ficar em Konoha para provar ao Boruto que eu o amo?

— Não, não estou dizendo isso. O que eu quero dizer é que Boruto enxerga dessa forma. Ele gostaria que você provasse que o ama. Parece bobo, mas pra ele é importante reafirmar pra si mesmo que Inojin não é um obstáculo entre vocês.

— Boruto não percebe, mas ele que sempre nos afasta. Primeiro foi quando começou a namorar a Mirai e agora isso.

— Dê tempo ao tempo. Ainda tem algumas semanas até que você precise se mudar para Nova York.

— Se ele não me procurar dizendo que se arrepende, eu vou dar esta história como terminada.

— Faça o que seu coração mandar. – Sakura então beijou a testa da filha.

 

[...]

 

— Chouchou, preciso que seja sincera comigo. Boruto tem razão quando diz que eu sou a vilã da nossa história por ir morar em Nova York agora que, finalmente, as coisas estão funcionando pra nós? – Perguntou Sarada jogada na cama enquanto Chouchou comia pipoca.

— Ah, qualquer namorado ficaria chateado de ver a namorada indo morar em outra cidade quando poderia muito bem ficar por perto, mas isso não faz de você vilã. Sarada, você está pensando no seu futuro.

— Ok. Mas e se essa minha decisão afetar minha relação com o Boruto para sempre?

— Sarada, você tem que decidir! Quer seguir atrás do seu sonho de ir pra Julliard e arriscar a relação com o Boruto ou quer ficar com o Boruto mesmo que lá na frente jogue na cara dele que não correu atrás do que queria por culpa dele?

— Não quero ser uma pessoa profissionalmente frustrada.

— Se você já tem a resposta, porque me pergunta?

— Chouchou, eu amo o Boruto. Não quero perdê-lo. Já perdi o Inojin.

— Sarada, Boruto não vai sumir ok? Ele pode até virar a cara pra você ou arrumar uma outra garota como fez quando começou a namorar a Mirai, mas ele continuará aqui. Quem sabe daqui a alguns anos vocês possam viver esse amor?

— Eu queria ter o domínio sobre as coisas.

— Mas você não tem. Com sorte, vocês podem viver essa história como os seus pais fizeram depois de muitos anos.

— A minha história com o Boruto é diferente.

— Claro! Até porque você não está grávida! – Chouchou riu.

— Nem brinca com um troço desses! E fala baixo que meus pais estão no quarto ao lado!

— Seus pais sabem que você não é mais virgem né?

— Acho que só minha mãe sabe! Papai não tem maturidade para lidar com isso! – Sarada riu.

— Seu pai é muito figura!

— Nem me fale! Mas Chouchou você está animada com a nossa mudança?

— Claro que sim! Vamos morar na cobertura linda da sua mãe! Mesmo não estudando na mesma Universidade, só de morarmos na mesma casa já vai ser muito legal!

— Eu também acho! Vamos nos tornar mais independentes né?

— Sim! Mas vem cá seu primo também vai morar com a gente né?

— Sim, Chouchou. Obito morará conosco. Espero que vocês se deem bem.

— Ele é meio caladão, mas acho que consigo conviver com ele sim.

— Ótimo!

 

[...]

 

Um dia antes de Sarada se mudar para Nova York, Sasuke e Naruto combinaram de ir beberem juntos no bar como sempre faziam. Os dois homens continuavam grandes amigos e gostavam de conversar sobre tudo, inclusive, seus dois filhos adolescentes. Naruto não escondeu o quanto Boruto estava chateado com a ida de Sarada para estudar em Nova York. Enquanto Sasuke falou abertamente sobre como a filha estava animada com a ida para Julliard, que era uma conquista e que, assim como a mãe, ela não era de abrir mão das coisas.

— Eu entendo a sua filha, mas mesmo assim fico triste de ver Boruto murcho pelos cantos. – Comentou Naruto antes de pedir mais uma cerveja.

— Sarada é muito estudiosa e pensa no futuro. Seu filho está sendo bobo de novo. Só falta ele arrumar uma outra namorada como da última vez. – Comentou Sasuke.

— Boruto sabe que errou com Sarada daquela vez, mas ele já se redimiu ou não?

— Eu sei que depois da perda de Inojin, Boruto foi fundamental para Sarada voltar a ser a menina alegre de sempre, mas isso não dá poderes a ele de decidir o futuro de minha filha.

— Eu sei Sasuke. Só que Boruto queria viver esse amor e sua filha só adia as coisas. Ela nem considera ele um namorado.

— Naruto, eu tenho certeza que minha filha ama o seu, mas pra ela é complicado chamar Boruto de namorado por causa de Inojin. Fazem três anos, mas a ferida ainda é muito recente. Não tá cicatrizado direito.

— Meu filho acha que Sarada só o usa para esquecer Inojin.

— Ele está enganado. Sarada jamais faria isso.

— Acho que ele quer uma prova de amor.

— Sarada não é esse tipo de garota. Ela não vai ficar fazendo mil e uma declarações de amor para o seu filho. Ela é como eu nesse aspecto. Prova no dia a dia. Estar junto de Boruto há mais de um ano já diz muito sobre o que ela sente.

— A verdade é que Boruto está se sentindo rejeitado.

— A verdade é que seu filho é imaturo! Ele que terminou com Sarada e não o contrário.

— Namorar a distância é uma coisa complicada.

— Ele não quer nem tentar. Sarada se esforçaria para fazer dar certo.

— Eu já falei com ele sobre isso, Sasuke. Mas Boruto pensa diferente de nós. Ele quer uma namorada o tempo todo presente. Fora que é muito ciumento.

— Eu já fui muito ciumento e não acho que isso ajude nenhum relacionamento. Quase perdi Sakura para sempre por causa dos meus ciúmes. Isso só vai prejudicar Boruto também.


Notas Finais


Sei que vai ter gente querendo me matar porque eu separei Boruto e Sarada de novo, mas é necessário ok? Enquanto isso, quero que vocês compartilhem comigo que visão vocês tem desse triângulo Boruto/Sarada/Inojin. Sei que por enquanto também não tivemos grandes momentos SasuSaku, mas é que o foco dessa vez é a Sarada! E está nos planos uma história para o casal SasuSaku também, só que mais pra frente! To deixando eles em paz nesse começo de fic :)


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...