História A novata - Capítulo 16


Escrita por: ~

Postado
Categorias Fifth Harmony
Personagens Ally Brooke, Camila Cabello, Dinah Jane Hansen, Lauren Jauregui, Normani Hamilton
Tags Camila Cabello, Camren, Camren G!p, Fifth Harmony, Lauren Jauregui
Exibições 512
Palavras 2.795
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Ação, Colegial, Festa, Luta, Mistério, Romance e Novela, Violência
Avisos: Adultério, Álcool, Bissexualidade, Drogas, Homossexualidade, Insinuação de sexo, Intersexualidade (G!P), Linguagem Imprópria, Sexo
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas da Autora


Look who is back! E além de estar de volta eu estou quase de férias o que significa capítulos mais rápidos. Sinto muito pela demora gente, mas eu não quero fazer essa fic de qualquer jeito, por isso demoro tanto.
Enjoy Kids

Capítulo 16 - Apaixonada


Camila Cabello Point Of View

- Camz, se acalma por favor!- Lauren pede me olhando séria agora.

- Ela tem razão Camila.- Diz Dinah.- Essa história já tá muito complicada.

- Eu sei.- Respiro fundo e fecho meus olhos.

Quando acordamos essa manhã, a primeira coisa que eu e Lauren fizemos foi ligar para Dinah. Ela foi ao apartamento da Lauren e lá eu contei o que aconteceu, detalhe por detalhe. O problema é que nem eu sei o que aconteceu, ou o que vai acontecer. Mas o mais importante é Sofia, e nesse momento nós três estamos indo a casa de sua amiga buscar ela para ficar no apartamento de Lauren, por tempo indeterminado...

- Eu vou com você Camz.- Diz Lauren tirando o cinto e saindo do carro, eu logo fiz o mesmo.

Lauren me deu um sorriso triste e pegou minha mão entrelaçando nossos dedos, suspirei com o contato fazendo um pequeno carinho com meu polegar nas costas de sua mão e segui para bater na porta da amiga de Sofi.

- Camila!- Haile a mãe de Bea atendeu a porta.- Quanto tempo eu não te vejo.

- Olá Haile!- Lhe dou um sorriso e aperto sua mão. - Vim buscar Sofi, ela já acordou?

- Se bobiar ela nem dormiu Mila! - Solta uma risadinha e olha para Lauren. - E essa moça bonita, quem é?

- Oh, me perdoe! Essa é Lauren, Lauren essa é Haile, a mãe da amiga de Sofi!

- É um prazer conhecer a senhora! - Lauren solta sua mão da minha para cumprimentar a moça a nossa frente.

- Sem essa de senhora minha querida, ainda não estou tão velha.- Diz divertida. - Espere só um momento que irei trazê-la. - Sorrio em agradecimento e espero ela sair de vista para me virar e me agarrar ao pescoço de Lauren sentindo ela me enlaçar pela cintura.

- Vai dar tudo certo pequena. - Ela diz subindo sua mão direita para acariciar meus cabelos. Eu não disse nada, apenas me encostei em seu peito aproveitando o carinho que recebia.

Não demorou muito para uma Sofi saltitante aparecer com seu bichinho de pelúcia em mãos.

- Kaki!!!- Sofi solta sua mini girafa  e pula em cima de mim me abraçando.

- Oi meu amor.- Digo abraçando ela forte sentindo seu cheirinho de criança, mas isso não durou muito tempo, pois logo viu Lauren no seu campo de visão e fez questão de mudar de colo.

- OLHOS VERDES! - Abraçou o pescoço de Lauren bem apertado, sendo mimada pela garota recebendo um tanto de beijinhos pelo rosto.

Deixei Sofi com Lauren mesmo e fui me despedir de Haile, logo voltando para as meninas.

- Sofi, antes de entrar no carro a gente precisa de ter uma conversa rapidinho tudo bem?- Me agacho a sua altura colocando uma mecha atrás de sua orelha.

- Eu juro que não fui eu que rasguei seu poster da One Direction!

- Não é sobre isso... Pera, meu poster da 1D tá rasgado?

- Camila...- Lauren me repreende rindo e eu logo me concerto.

- Isso não importa agora. Sofi, como você se sente de passar uns dias comigo e com a Lolo no apartamento dela?

- ISSO É SÉRIO???- Ela dá um pulinho empolgada que me faz rir e me sentir aliviada também.

- Sim meu amor.

- A gente pode levar a mama também?- Ela pergunta inocente e eu sinto um aperto no meu peito.

- A mama está com uns probleminhas pequena, mas a Kaki já vai resolver tudo bem? - Pego na sua mãozinha.

- Mas ta tudo bem com você?

- Tá sim meu amor! Vai ser por pouco tempo.- Pego ela no colo e recebo um beijo estalado na bochecha.

- Ei, eu também quero! - Lauren aparece inclinando a bochecha pra Sofi, que logo dá um beijo bem babado, causando risadas e nós duas.

Quando chegamos no apartamento, Lauren resolveu pedir uma pizza, o que eu não contestei. Fiquei um bom tempo admirando como Lauren e Sofia se davam bem,  crianças sempre foram o meu ponto fraco, agora crianças mais Lauren era minha morte.

- A baba tá escorrendo Mila.- Dinah diz se aproximando, Lauren estava dando pizza pra Sofi que estava sentada em seu colo assistindo A origem Dos Guardiões.

- Eu vou precisar de um balde daqui a pouco.- Digo não querendo desviar meu olhar da cena.

- Aconteceu alguma coisa entre vocês duas, eu posso sentir isso.

- Lauren me beijou ontem.- Digo soltando um suspiro e vejo um perfeito "O" se formando na boca de Dinah

- E depois???

- Depois a gente dormiu abraçada, e agora ela tá sendo toda carinhosa comigo.- Digo soltando um sorriso bobo.

- Sempre soube que mesmo com um brinquedinho você seria a passiva.

- Eu só queria conseguir aproveitar mais isso, a garota na qual eu estou apaixonada acaba de me beijar, mas tirando isso só é coisa ruim que tem acontecido.

- Você tem que ir conversar com eles Camila, ou sua mãe.

- Eu to com medo.- Digo me virando para ela.- Medo dela querer por ele nas nossas vidas, na vida de Sofi principalmente.

- Camila, você não tem mais 12 anos de idade! ano que vem você já faz 18 e se quiser pode lutar pela guarda da Sofi sim! Não acho que seja preciso, por mais que tenha feito bobagem sua mãe te ama, ela não separaria vocês duas ou faria algo pra te perder. Você tem o meu apoio, o apoio da Lauren. Mas você tem que enfrentar isso.

- Eu sei.- Suspiro e me levanto da mesa pegando a chave do carro de Lauren.

- Onde vai?

- Enfrentar meus pais.- Digo suspirando e vou até Lauren, beijo a testa de Sofi e acaricio os cabelos de Lauren.- Eu vou falar com minha mãe.- Lauren tira Sofi de seu colo com cuidado e se levanta nos afastando dali.

- Camila você tem certeza?

- Eu tenho que enfrentar Lo.- Suspiro.- Me empresta seu carro?

- Claro pequena. Quer que eu vá com você?

- Fica com Sofi, distrai ela. Eu preciso fazer isso sozinha. - Sem pensar duas vezes me jogo em seus braços e colo nossos lábios mais uma vez. Não estou me importando com nada agora, mas eu preciso disso, preciso do calor de seus lábios nos meus, sua língua macia acariciando a minha,  preciso que me dê força. Terminei com um selinho e Lauren parecia meio atordoada.

- Boa sorte.

- Obrigada Lo. - Dou um ultimo selinho e vou em direção ao carro, para enfrentar meu grande medo.

Já estou a 15 minutos parada em frente a minha casa tomando coragem para enfrentar.  Já eram 16:26 da tarde e o ceu começava a se fechar. Respirei fundo e saí do carro, passo a passo indo até a porta a batendo a campainha.

- Já vai!- Pude ouvir a voz da minha mãe e logo a porta se abrindo, quando me viu seu rosto pareceu aliviado.- Cam...

- Já me avisa se ele estiver aqui, porque se não nem perco meu tempo e já dou meia volta.- Digo curta e grossa e sua feição muda novamente para preocupada, triste.

- Ele não está aqui. - Ela diz e eu me alivio um pouco.- Você não sabe como me deixou preocupada Camila.

- Eu imagino toda essa preocupação. - Digo irônica passando por ela e entrando dentro da casa.

- Camila você precisa me ouvir.- Ela diz calma, paciente, angustiada. Suspiro alto e me viro a ela, abaixando um pouco a guarda, lembrando que é a minha mãe ali.

- Eu sei.- Respondo parecendo alivia-la.

- Vamos pra sala.- Ela diz e eu a sigo sentando na poltrona e ela no sofá. - Eu juro que nunca foi minha intenção você descobrir desse jeito.

- Tem quanto tempo? - Pergunto fria.

- Seu pai voltou a ter contato comigo tem mais ou menos um ano, mas de inicio eu sempre o rejeitava e ignorava sua existência. Ele se mostrou muito arrependido e realmente tentou concertar seu erro, mas em respeito a Sofi e principalmente a você eu tentei cortar relações.

- Quanto respeito em.- Digo revirando os olhos.

- Eu sou apaixonada por ele Camila.- Ela me olha nos olhos. - Eu sempre fui, eu não espero que entenda isso, mas ele me conquistou de novo, pouco a pouco. Eu venho tentando falar mais dele com você, mas parece que você realmente criou uma barreira com ele.

- Eu não quero ele perto de Sofia.

-Camila, ele é o pai dela, ele tem o direito! - Uma raiva imensa subiu em mim.

- ELE REJEITOU ELA! - Eu me levantei sentindo minha respiração acelerar.- Você disse o seu lado, agora eu vou dizer o meu. EU TINHA 12 ANOS SINUHE, 12 ANOS.- Explodi. - Eu era a droga de uma criança e tive que cuidar de mim e de  uma mulher grávida, porque um babaca transou e não quis assumir as responsabilidade por medo da filha nascer uma aberração que nem eu! EU OUVI A DROGA DA CONVERSA! Quer saber mais mãe? Eu sempre sofri Bulliyng, sabia?

- Vou ouviu a conversa? Bullying do que você tá falando.

- Tá vendo? Passou tanto tempo escondendo seu namoradinho que não prestava atenção na filha que chegava todo o dia  cheia de arranhões no corpo. Quer ver uma coisa Sinuhe? - Tirei minha camisa onde tinham todas as cicatrizes e hematoma, sua boca fez um perfeito "O".- E mesmo assim eu voltava com um sorriso na cara, brincava com Sofi, ajudava você em tudo que eu podia. Eu tive que cuidar da sua gravidez sozinha, eu tive que praticamente criar Sofia! Tudo isso por causa do Alejandro. E eu não te culpo, pelo amor de Deus eu não te culpo. Mas eu vou passar a te culpar, por cada  coisa que eu já tive que passar se você botar esse marginal na minha vida e na vida de Sofia de novo.- Respirei fundo e a observei, tinha lagrimas nos olhos, olhando cada canto do meu corpo.

- Como você pode esconder isso de mim Camila? Eu devia ter te ajudado, ido ao seu colégio. Eu podia ter feito algo!

- Eu nunca achei necessário! Pra mim você já tinha sofrido de mais e não merecia esquentar a cabeça porque sua filha é uma aberração. Mas eu acho que eu estava muito enganada.

- Eu sinto muito Camila.- Sua voz era chorosa.

- Eu também sinto, acredite. - Ficamos em silêncio durante um bom tempo, apenas ouvindo as fungadas da minha mãe. - Ele te abandonou grávida, ele me chamou de aberração, ele disse que a culpa da gravidez foi sua porque a parte dele ele fez, ele passou por aquela porta. - Apontei par ao local. - Sem pensar duas vezes e depois de 4 anos ele volta para você e você simplesmente aceita? Você se lembra das noites que EU tive que fazer você comer? Lembra de todas as vezes que eu fiz as compras da casa, fiz o almoço. Lembra de que uma criança de 12 anos teve que se virar? LEMBRA SINUHE?

- L-lembro.

- Lembra quem teve que cuidar de Sofi? Matricular em uma escola, levar, buscar, por pra dormir, ajudar quando estava doente? Ajudar em dever de casa? E além de fazer tudo isso eu ainda tinha uma vida, que no ensino médio se tornou um inferno, mas a minha família era mais importante. VOCÊ ERA MAIS IMPORTANTE! - Lagrimas começara, a descer sobre meu rosto, meu choro era compulsivo junto ao da mulher a minha frente.

- Ele se arrepende Camila.- Sinu suspirou.

- É tarde de mais para ele se arrepender. E se você vier com papo dele entrar na justiça, eu arrumo o melhor advogado desse mundo e ainda tiro a guarda da Sofia de você tá me entendendo?

- Hey, eu nunca tiraria Sofia de você Camila. - Ela se levantou e tentou tocar meu rosto, mas eu desviei. Um silêncio predominou outra vez.

- Você vai ter que escolher, suas filhas ou ele. - Digo por ultimo encarando o chão.

- Camila você não pode...

- Sim, mãe. Eu posso.- Direciono meu olhar para ela. - Ou você acaba logo com o que você tem com ele, ou eu pego Sofia e me mudo daqui, eu não brinquei quando falei que não quero aquele ogro perto dela.

- Ela também é minha filha.

- E é por isso que eu estou te dando uma escolha. Não vou sumir com ela obviamente, você é minha mãe e eu ainda te amo. Mas vou fazer de tudo para ela não saber da existência dele, do jeito que eu queria que tivesse sido comigo. E se você ainda tem um pingo de respeito por mim, você não vai se opor. Você tem todo o direito de querer viver ao lado do "amor da sua vida", mas não tem o direito de arrastar suas filhas junto. - Respirei fundo tentando cessar as lagrimas.

- Você tem razão. - Ela respira fundo. - Independente do que aconteça eu sempre te amei Camila, eu sempre vou te amar e me sinto muito orgulhosa da pessoa guerreira que você se tornou, queria ter sido uma mãe melhor, tanto pra você quanto pra Sofia, queria ter te ajudado, evitado todo esse sofrimento. Eu sou muito grata por tudo que você fez minha filha.

- Então está na hora e mostrar um pouco essa gratidão.- Respiro fundo. - Você tem 7 dias pra tomar um decisão e nesse meio tempo eu e Sofi estamos no apartamento de Lauren. Pode visitar, ligar, o que for, mas não ouse levar Alejandro pra lá, se você fizer isso ai sim eu sumo com Sofia. Não me desafie Sinu, quando se trata da pequena eu não sei o que sou capaz de fazer.

- Tudo bem Camila.- Ela me deu um meio sorriso. - Lauren é de confiança, eu confio nela e em você para tomar conta dela.

- Eu sempre tomei de qualquer jeito.- Digo passando por ela e indo ao meu quarto e ao quarto de Sofia, peguei algumas roupas minhas e o mesmo com Sofia, peguei alguns brinquedos e bichinhos dela, além de seu material escolar, vitaminas e remédios caso ela passe mal. Dei uma ultima olhada no quarto e suspirei.

Um pressentimento de que não irei voltar a dormir aqui deu um aperto em meu peito.

Desci as escadas e encontrei Sinuhe encolhida no sofá chorando, me trazendo sérias lembranças de um tempo atrás, se as circunstâncias fossem outras, eu já estaria a abraçando falando que estava tudo bem e que estaria ali para ela.

- Eu já vou mãe.

- Você não vai dar nem uma chance a ele?

- E quando foi que ele me de uma mãe? Ou a Sofi? - Perguntei calma, não para insulta-la, mas para mostrar meu lado. E como pensei não obtive resposta.- Você tem uma semana mãe, pense bem.- Dou um beijo na sua testa e saio e lá, com um pesar no coração e um sentimento nada bom.

Quando cheguei ao apartamento senti um enorme cansaço emocional, Dinah já tinha ido, então fui recebida pelo braços aconchegantes de Lauren, que entendendo que eu não queria falar muito apenas me deitou no sofá junto a ela e colocou um filme pra gente assistir.

- Obrigada por nos deixar ficar aqui Lo, tem certeza que não vai te incomodar?- Pergunto receosa e me virando para ficar de frente pra ela.

- Claro que não Camz. É bom que assim eu posso cuidar de vocês.- Sorri e beijei sua testa, logo me aconchegando novamente em seu corpo. Uma vontade enorme de dizer aquelas 3 palavrinhas me consumia, mas ainda era cedo de mais.

O tempo passou rápido e quando percebi Lauren adormeceu, e mesmo assim continuou com o carinho em meus cabelos. Me desvencilhei de seus braços e desliguei a TV, peguei a garota em meus braços e coloquei ela em sua cama, tirei seus sapatos e cobri com sua coberta, logo dando um beijinho em sua testa.

- Boa noite Lo. - Sussurrei e sai de seu quarto, logo indo em direção ao quarto em que Sofia dormia.

Entrei no quarto sem fazer barulho e a encontrei deitada abraçando sua girafa de pelúcia. Fechei a porta atrás de mim e fui em direção da cama, me deitei ao seu lado e me aconcheguei por trás de seu pequeno corpo em uma conchinha. A abracei forte, e afundei meu rosto em seu pescoço sentindo seu cheirinho único. E só assim me permiti quebrar, chorando baixinho pra não acordar minha pequena.


Notas Finais


Então o que vocês acham que a Sinu vai decidir?
Comentem bastante que eu volto com outro até essa semana, beleza?


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...