História A novata - Capítulo 21


Escrita por: ~

Postado
Categorias Fifth Harmony
Personagens Ally Brooke, Camila Cabello, Dinah Jane Hansen, Lauren Jauregui, Normani Hamilton
Tags Camila Cabello, Camren, Camren G!p, Fifth Harmony, Lauren Jauregui
Visualizações 618
Palavras 1.754
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Ação, Colegial, Festa, Luta, Mistério, Romance e Novela, Violência
Avisos: Adultério, Álcool, Bissexualidade, Drogas, Homossexualidade, Insinuação de sexo, Intersexualidade (G!P), Linguagem Imprópria, Sexo
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas da Autora


Hi there! Tem um tempo que não posto, me desculpem, mas eu estou de volta!
Enjoy Kids

Capítulo 21 - Miami


Fanfic / Fanfiction A novata - Capítulo 21 - Miami

- Camila, por favor fica calma. - Harry segura em meus ombros e olha fixamente em meus ombros.

- M-meus pais... - Eu entro em estado de choque e ele simplesmente me abraça forte. - Que merda. - Começo a chorar e Harry afaga minhas costas.

- Vamos fazer assim. - Ele começa a sussurrar enquanto afaga meus cabelos. - Agora, a gente passa no seu apartamento, pega umas roupas, avisa Dinah e eu e você vamos pro aeroporto pegar o próximo voo pra Miami tudo bem?

- Você não precisa ir comigo Harry. - Digo me afastando e enxugando as lagrimas.

- Eu sei que não, mas você não tem que voltar pra aquela cidade sozinha. - Passa a mão pelos seus cabelos suspirando. - Dinah e Louis vão cuidar de Sofi tudo bem?

- Eu não acho bom falar com ela por agora, eu quero saber qual a real situação primeiro.

Passo a mão pelo meus rosto e suspiro fundo.

- Vai ficar tudo bem, não deve ser nada de mais.

Ouço a porta abrindo, então Louis aparece hesitando um pouco, mas quando me vê ele apenas abre os braços e eu logo me aconchego nele.

- Faça o que o Harry disse. - Ele fala dando beijos no meu cabelo e têmpora. - Eu vou garantir que tudo fique bem por aqui, se for preciso eu levo Sofia pra Miami quando você souber o que aconteceu direito.

- Eu não pretendo ficar lá, só quero saber o que aconteceu e logo volto. - Suspiro, me dá arrepios só de pensar em ter que ir pra Miami de novo.

Ele apenas mexe a cabeça positivamente e ligo meu modo automático. Sofi estava dormindo então eu a pego no colo com ela apagada e a coloco no carro.

O caminho para o apartamento de Dinah foi silencioso, depois de explicar a situação pra ela, ela insistiu mil vezes em ir comigo, mas eu precisava que ela ficasse pra Sofia.

- Eu volto amanhã se der. - Digo abraçando forte Dinah.

- Se precisar eu vou pra lá tudo bem? - Eu assinto e ela suspira. - Camila você não vai enfrentar tudo de novo tudo bem? Eu sei muito bem o que está passando na sua cabeça.

- Só da ideia de estar lá me deixa completamente sufocada, tudo absolutamente tudo me dá medo.

- Você é outra Camila. - Ela diz acariciando meus cabelos. - Você sabe se defender e não deve nada a ninguém, seja o que acontecer você vai ser sair bem. Você se reergueu, se reconstruiu e ninguém vai te derrubar.

Eu não sabia o que dizer então apenas a abracei forte.

- Você tem as chaves do meu apartamento, fique lá com Harry. - Ela disse por ultimo me dando um beijo na cabeça

Como Sofia estava dormindo, não quis acorda-la, dependendo da situação ela nem vai saber que eu fui a Miami.

Harry me guiou para o aeroporto, já era uma da manhã e o nosso voo saia em 20 minutos. Não conseguia me alimentar, mesmo Harry insistindo muito, mas o que mais estava me ajudando é que ele não tirava seus braços da minha volta nem por um segundo e respeitou meu silêncio.

Harry me aconchegou em seu peito a apagou durante todo o voo, já eu mal consegui pregar os olhos.

Mas o problema foi quando pousamos.

Eu comecei a ter um quase ataque de pânico...quase.

Minha respiração ficou ofegante e eu não conseguia me mover, Harry teve que literalmente me carregar, pois eu não conseguia me mover. Ele me pôs em um taxi e voltou para pegar as malas, e quando chegou me abraçou forte de novo e foi ali que eu me permiti chorar.

Por medo de perder a minha mãe, por mais que ela tenha me feito por passar por muita merda, eu não consigo imaginar ela morta, não dá. Medo dessa cidade me prender de novo, medo do meu passado aqui.

- Sweet creature... - Harry começou a cantar baixinho.- Had another talk about where it's going wrong. But we're still young... We don't know where we're going, but we know where we belong.

Comecei a me acalmar de verdade, respirando fundo e ouvindo sua voz. Ele continuou cantando, até chegarmos no hospital no qual meus pais estavam.

- Eu to aqui e vai dar tudo certo. - Harry paga a corrida e abre a porta para mim sair, eu apenas agradeço em um movimento com a cabeça e seguimos para o hospital.

Sinto arrepios por todo meu corpo apenas de entrar naquele mesmo hospital.

- Foi nesse hospital, não foi? - Harry pergunta.

- Sim... Tenho cicatrizes até hoje.

Seguimos para a recepção onde uma atendente olhava para nós.

- Olá, em que posso ajudar?

- Sinuhe e Alejandro Cabello. - Harry diz para a recepcionista.

- Vocês são o que deles?

- Filha. - Me pronuncio. - Qual a situação deles?

- Eu sinto muito. - Ela dá um sorriso triste e Harry afaga minhas costas. - Eu não sei o quadro atual, mas eles chegaram aqui muito feridos, o motorista principalmente.

- Você sabe o que aconteceu?

- Aparentemente seu pai estava bêbado e acabou perdendo o controle do carro. - Ouvir aquilo foi como um choque, um choque de raiva. - Eles estão no terceiro andar, a médica no caso deles é a Doutora Shay Mitchell.

- Obrigado. - Harry disse e logo me tirou dali. - Calma Camila.

- Esse babaca, desgraçado botou a vida na minha mãe em perigo por causa de bebida? BEBIDA HARRY? - Acabo me alterando e ganhando alguns olhares, mas tava pouco me fodendo.

- Você não sabe o que aconteceu direito, vamos conversar com a médica tudo bem? Se acalma, por favor.

Respiro fundo umas 3 vezes.

- Isso, agora vamos.

Fomos andando par ao elevador do hospital, eu e ele fomos recepcionados por outra atendente que nos deixou em uma sala de espera, parece que a médica estava na sala do Alejandro. Foram longos minutos até uma moça morena, linda por sinal, aparecer com um sorriso triste nos lábios e o uniforme todo vermelho.

- Você deve ser Camila Cabello certo?

- Sim. - Digo me levantando.

- Eu fiz o que pude. - Ela diz com a voz cansada. - Seu pai estava com muito álcool no sistema dela, além dos ferimentos da batida ele acabou tendo uma overdose e não conseguimos recuperar ele.

- Ele morreu?

-  Infelizmente sim.

- E minha mãe? - Pergunto sem saber reagir a isso.

- Ela está bem na medida do possível, ela quebrou duas costelas, mas já fizemos uma cirurgia nela, fora arranhões e machucados.

- Ela está consciente?

- Sim, mas por causa dos remédios ela está dormindo. Mas ela precisará de cuidados e fisioterapia por umas boas semanas.

- Você se importa de dar essa noticia pra ela? - Eu pergunto meio atordoada. - Eu não acho que iria conseguir.

- Tudo bem, vou deixar vocês a sós.

Ela saiu e logo senti os braços de Harry em minha volta de novo.

- Eu vou ter que ficar né? - Eu pergunto já sabendo a resposta.

- É temporário Mila, é só até ela melhorar. - Suspiro fundo. - O que ta passando na sua cabeça?

- Eu to me sentindo culpada por não estar nem um pouco triste com a morte do Alejandro, eu me sinto aliviada pra falar a verdade. - Me abro com ele e me sento na poltrona.

- É de se esperar, ele só te fez mal.

- Eu poderia contratar uma enfermeira pra Sinu, ligar o fodasse como ela fez comigo e voltar pra NY como se nada tivesse acontecido.

- Mas você é boa de mais pra isso.

- O estado emocional dela deve estar terrível e só eu sei como é bom ter companhia nesses momentos. - Bufo e me recosto no sofá. - Eu não posso perder umas semanas de aula.

- O que você pretende fazer? Se quiser eu posso contratar uns professores particulares... A gente dá um jeito.

- Não dá Harry. - Dou um sorriso triste pra ele. - Eu vou ir na minha antiga escola amanhã, tentar conversar pra ver se posso ficar aqui temporariamente, não sei se outra escola me permitiria fazer isso.

- Como estão suas notas?

- Acima de 80 por cento, todas. Eu preciso de manter pra entrar na faculdade de Nova York.

- Camila, isso vai te fazer muito mal, você não precisa fazer isso. Voltar pra sua antiga escola.

- A gente discute isso depois tudo bem? Eu to confusa de mais no momento.

- Vamos pro apartamento da Dinah? Sinuhe não vai acordar tão cedo e você precisa dormir.

- Você se importa se eu ficar aqui? - Pergunto incerta. - Eu quero estar aqui quando ela acordar, quero saber se eu realmente vou ter que ficar na cidade.

- Eu fico então.

- Não, vai. Por favor, conversa com Dinah, Louis sobre o que aconteceu. - Passo a mão pelos meus cabelos e suspiro. - Eu preciso encarar Sinuhe sozinha.

- Quando quiser ir pra casa me liga, entendeu?

- Obrigada Harry, por tudo. - Abraço ele forte e me despeço. 

Fico sentada pensando em tudo, meu Deus se eu tiver que ficar aqui vai ser tudo um inferno. Mas um inferno rápido, pois assim que Sinu melhorar eu volto pra NY.

- Camila? - Vejo a Doutora Mitchell entrando e logo me levanto.

- Está tudo bem?

- Sim. - Ela me dá um sorriso. - Tem uma poltrona no quarto que sua mãe está, se quiser pode ficar lá.

- Tudo bem, obrigada.

- Eu vou ficar de plantão hoje, se precisar de algo é só pedir pra me chamar. - Ela deu um ultimo sorriso e saiu.

Suspirei, tem tanto tempo que eu não vejo Sinu.

Me levanto e decido ir para o quarto, abro a porta e tenho a imagem da minha mãe deitada com algumas agulhas e faixas cobrindo partes do seu corpo.

Me aproximo de seu corpo deixando uma lagrima cair.

- De todas as pessoas no mundo, você era a única que eu esperei nunca me decepcionar. - Digo baixinho. - Mas você fez isso da pior maneira que podia me atingir e o pior que não fez nada pra mudar isso. - Suspiro e me sento na poltrona que tinha no canto da sala. Vai ser uma noite longa.

 


Notas Finais


Eu sei que vocês querem saber o lado da Lauren, mas tudo em seu tempo, confiem em mim okay?
Comentem :)
Prometo ter outro essa semana


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...