História A ordinary life - Capítulo 1


Escrita por: ~

Postado
Categorias Monsta X
Personagens Hyung Won, I'M, Joo Heon, Ki Hyun, Min Hyuk, Personagens Originais, Show Nu, Won Ho
Tags Changkyun, Monsta X, Romance, Wonho
Exibições 13
Palavras 1.387
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 14 ANOS
Gêneros: Colegial, Drama (Tragédia), Escolar, Romance e Novela, Shoujo (Romântico), Violência
Avisos: Heterossexualidade, Violência
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas da Autora


Oee :v aqui é a Rafa
eu ja havia postado essa fanfic uma vez,mas tive que apagar por ter dado um pequeno bug nela,mas estou repostando lol
espero que gostem~~

Capítulo 1 - The beginning


Oi,meu nome é Joohee,tenho dezesseis anos e estou no segundo ano do ensino médio.

Irei contar a vocês minha trajetória de vida ate o momento.

Quando eu era criança,meu pai chegou a falecer.

Estávamos passando em frente a um bar na qual estava ocorrendo uma briga.Meu pai era um policial e cumprindo seu dever tentou separá-los,mas um dos homens,na qual estava com uma faca nas mãos enfiou a mesma nas costas de meu pai.Eu apenas vi seu corpo caindo sobre o chão e uma poça de sangue formando em sua volta.Minha mãe veio correndo ao meu encontro tampando meus olhos.Era uma cena horrível.No momento eu não sabia o que havia acabado de acontecer,somente entendi quando olhei para minha mãe e a vi chorando olhando para o chão desesperada.

A ambulância demorou a chegar e meu pai faleceu ali mesmo,caído sobre o chão.

Os rapazes que estavam brigando foram presos.Estavam todos embriagados,sem exceção de nenhum.

Eu olhava para o corpo sem vida de meu pai.Aproximei-me e dei leves cutucadas em suas costas,ele não se movia.Comecei a entrar em desespero e o puxava,gritando e chorando.Minha mãe se aproximou,me tirou de cima dele tentando me acalmar.

Eu fiquei durante meses com aquela cena passando sobre minha mente.Minha mãe me levou ao psicólogo algumas vezes,mas a doutora disse que somente o tempo poderia me ajudar a melhorar.

Depois disso,eu não diria que superei,porque afinal,meu pai havia morrido e isso seria algo difícil de esquecer.

Desde então tudo tem sido difícil.

Nós morávamos de aluguel,tínhamos uma loja de doces na qual tirávamos nosso sustento,pelo menos,parte dele.Minha mãe trabalhava sozinha nela,enquanto meu pai fazia seu serviço como policial.Agora a única fonte de renda que nós tínhamos,era a loja.

Eu ajudava minha mãe na loja depois da escola e meu irmão tentava arrumar um trabalho por ai.

Ele não tinha terminado a escola por conta de todo o acontecido.Minha mãe não conseguia dinheiro suficiente com a loja,ou seja,não havia como pagar nossas escolas,então meu irmão parou de estudar e tentou arranjar um emprego.Mas quem daria emprego para um garoto de dezesseis anos que nem havia terminado a escola ou sequer estava estudando?

E desde esta “época” minha vida escolar também não era das melhores.Eu não diria que sofria bullying,mas por conta de tudo que tem acontecido na minha vida,as pessoas me interpretavam errado e me tratavam de uma maneira diferente.Não precisam se preocupar,eu acabei me acostumando.

Os anos se passaram,mas não mudou muita coisa.Meu irmão agora tinha vinte e três anos,não tinha emprego fixo,trabalhava de meio período em algumas indústrias,mas nunca durava muito tempo.Minha mãe trabalhava na loja e eu,como sempre,a ajudava depois da escola.

~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~

Acordei com minha mãe me chamando do andar debaixo.Era meu primeiro dia de aula em uma nova escola,não podia chegar atrasada.

Minha mãe me transferiu de escola por conta de alguns acontecimentos na minha antiga,mas se não se importar,eu não gostaria de comentar sobre isso,não agora.

Levantei,fiz minha higiene e desci para tomar café.

Cheguei à cozinha,minha mãe estava preparando alguns biscoitos.

-Cadê o Kyu?-Perguntei me sentando.

-Ainda está dormindo.

-Ele não vai trabalhar?

Minha mãe olhou para o chão com uma expressão triste.

-Ele não vai trabalhar hoje,ele...

-Foi despedido de novo?-A interrompi.

Sabia o quão difícil isso era para minha mãe,afinal,ela se sentia culpada por Kyusoo não ter terminado a escola e ela sabia que nessas condições não conseguiria pagar para ele terminar a mesma.

-Não se preocupe mãe,vamos dar um jeito.-Sorri para ela.-Já vou indo,tchau.

Peguei minhas coisas e fui para a escola.

~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~

Cheguei à escola e fui para o ginásio na qual teria uma cerimônia de iniciação.Creio que não preciso narrar o que acontece lá.

Fomos para a sala de aula.Os lugares já estavam reservados.Caminhei ate o meu que era a primeira carteira da segunda fileira a esquerda da porta.

As aulas prosseguiram normalmente.Pela primeira vez eu achava que meu ano escolar seria tranqüilo,mas obviamente,eu estava errada.

Bateu o horário do intervalo.Eu desci para o refeitório,mas antes que eu pudesse chegar nele,fui interrompida por um bando de garotas maquiadas de saia curta.Eram apenas três garotas,mas pra mim,aquilo já era muito.

-Na onde vai novata?

-Ao refeitório?-Disse com ironia.

-Não,você irá vir com a gente.

-E por que eu deveria?

Elas se entreolharam e começaram a rir,era como se alguém tivesse contado a piada mais engraçada do mundo.

-Qual a graça?

-Você.

Não entendi absolutamente nada.Tentei sair pelo lado,mas elas me bloquearam.

-Com licença.

-Não.

Respirei fundo.Eu estava com muita fome para manter minha paciência,mas elas eram muitas,eu teria que me segurar,pois eu estava (muito) em desvantagem.

A mais maquiada delas olhou para mim e estendeu a mão.

-O que você quer?-Perguntei olhando para a mesma.

-Dinheiro.

-Ta pedindo esmola?-Bati na mão dela e tentei passar.

Elas se juntaram no meu ombro e me jogaram contra parede,bati minha cabeça e cai no chão.

-Nós não estamos pedindo,estamos mandando.Nos de o dinheiro e deixamos você passar.

-Eu não vou te dar nada.-Tentei me levantar.

-Pode deixar que pegamos nós mesmas.-Ela fez um sinal para duas garotas que afirmaram com a cabeça parecendo entender o recado.

As duas me jogaram no chão.Uma segurou meus braços,enquanto a outra apalpava meus bolsos tirando algumas notas que minha mãe havia me dado no dia anterior.

-Me devolvam.-Eu tentava tirar a garota de cima de mim.

-É pouco,mas já é suficiente obrigada.

Ela fez um sinal para as garotas que a seguiram.

Vocês podem notar que meu primeiro dia esta sendo ótimo.

Levantei-me limpando a barra de minha saia e fui ate o refeitório.Não consegui comer muita coisa,afinal,a maioria das comidas ali eram pagas.

Passei o resto da manhã com fome,então não fui muito produtiva durante o resto das aulas.

As aulas terminaram,arrumei minhas coisas e me dirigi à saída esbarrando em alguém.

-Olha por onde anda baixinha.

-Me desculpe eu não o vi.-Disse olhando para cima.

Era um garoto alto,apesar de que todos ali serem mais altos que eu,tinha os olhos pequenos e os cabelos castanhos claro.

-Da próxima,ande olhando para cima.-Ele me deu um peteleco na testa.

Coloquei a mão sobre a mesma dando um pequeno gemido de dor.

Escutei algumas vozes vindas do final do corredor,pareciam estar chamando pelo garoto.

-Estou indo.-Ele gritou.

Ele olhou para mim e saiu correndo ao encontro deles.

Olhei para trás vendo o garoto sumir pelo corredor.

Virei-me e fui embora.

~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~

Chegando em casa,minha mãe estava trabalhando no loja.Ela estava atendendo um cliente,não quis incomodá-la então subi para o meu quarto.

Coloquei minha mochila no chão e me joguei na cama.

-Hoje foi o pior primeiro dia de aula da minha vida.-Murmurei para mim mesma.

De repente escuto alguém bater na porta.

-Entra.

Era minha mãe,que estava com uma pequena caixa sobre as mãos.

Ela entrou e colocou a mesma sobre minha cômoda.

-Como foi hoje?

-Foi bem.-Menti.

Não podia simplesmente dizer para minha mãe que haviam me roubado e que provavelmente havia feito inimigas na escola logo no primeiro dia,nós já tínhamos problemas demais,não queria que ela se preocupasse com os meus problemas pessoais também.

-Ah sim.-Ela me olhou como se soubesse que eu estava mentindo.-De qualquer forma,eu te trouxe alguns doces que sobraram da loja.

-Obrigada.-Eu disse sorrindo.

-Joohee,tudo ira melhorar,eu prometo.-Ela disse passando a mão sobre a minha.

Ela caminhou ate a porta e saiu.

Eu realmente espero que ela esteja certa.

Alguns minutos depois,escuto novamente alguém bater na porta.

-Entra.

Meu irmão.Ele abriu a porta e sentou ao meu lado.

-Como foi na escola?

-Foi bem.

-Pra mim você não precisa mentir.

Respirei fundo e contei tudo a ele.

-Você vai agüentar isso?

-Não sei.Talvez tenha sido apenas hoje.

-Talvez...-Ele disse olhando para a janela.-Mas não conte com isso.Elas podem não fazer isso amanha,mas sim no dia seguinte.Então não pense que possa ter sido somente hoje,mas pense no que você ira fazer se caso isso voltar a acontecer.Você não pode simplesmente aceitar isso.

Meu irmão tinha razão,mas eu não sei o que fazer,eu havia acabado de me mudar para aquela escola,as coisas ainda estavam muito complicadas para nós.

-Se por acaso piorar,venha falar comigo,mas só tente agüentar mais um pouco,ate tudo melhorar okay?

Ela acariciou minha cabeça, levantou e saiu.

Eu sei que não posso deixar aquelas garotas me tratarem daquela maneira,se não,será como na minha antiga escola e sinceramente,eu não quero passar por aquilo de novo.


Notas Finais


~espero que nao se importem se eu postar tres capitulos seguidos... é pq da primeira vez ja havia dois,e estarei acrescentando oq teria sido o seguinte :v~
Espero que tenham gostado do capitulo ^^
Espero voces tbm no proximo atee!!


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...