História A Origem dos Guardiões: O retorno do Rei dos Pesadelos - Capítulo 7


Escrita por: ~

Visualizações 291
Palavras 948
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 10 ANOS
Gêneros: Ação, Aventura, Famí­lia, Fantasia, Ficção, Luta, Romance e Novela
Avisos: Spoilers
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Notas da Autora


Jamie continua a ser um bom menino, e agora Jack sabe disso.

Capítulo 7 - Um bom menino


-SNOLO!!

De todo o parque, os trenós de Jamie e Sophie eram os mais rápidos. Mas é claro, Jack Frost era seu guia! Escorregavam a toda velocidade, descendo até mesmo escadas, deixando para trás confusão e flocos de neve de alegria e diversão. Acabaram de cabeça para baixo na neve, embaixo de uma estátua de mármore.

-De novo! –gritou Sophie, levantando-se na maior empolgação.

            Jack abaixou-se para olhá-la. Tinha dez anos agora e já estava enorme. “Cada vez mais bonita”, como ouvia o Coelhão dizer toda vez que deixava ovos escondidos em sua casa.

            Jamie reparou no olhar nostálgico que Jack lançava a ela.

-Jack, me desculpe. –disse quase que sem jeito. –Por ter meio que… te mandado embora aquele dia.

            Jack encurvou-se no colo da estátua e deu de ombros.

-Você está crescendo Jamie. E… É uma coisa normal deixar para trás algumas coisas da infância. –disse enquanto ajeitava os cabelos de Sophie e a distraia com flocos de neve em seu cajado.

-Mas Jack… eu prometo que nunca vou parar de acreditar em você.

            Jack Frost confirmou com a cabeça e olhou-o com um sorriso carismático.

-Eu sei.

-Jamie! –uma voz de menina chamou por detrás da estátua.

            Jack podia vê-la de sua posição privilegiada, mas mesmo se não pudesse, saberia quem era pela reação de Jamie. Ele ficou todo vermelho, assim, de cara. Então só podia ser Nath, a menina bonita de quem ele gostava. O menino estava vermelho até as orelhas.

-Oi Jamie… -ela olhou para onde Jack estava, mas viu apenas a estátua amontoada de neve. –Está ocupado?

-Estamos brincando com Jack Fr…

            Antes que Sophie terminasse a sentença, Jack tapou sua boca e fez que não com a cabeça. Jamie apertou os dentes, embaraçado.

-Jack Frost? –a menina riu. –Que legal! E onde ele está?

-Bem aqui, ó! –disse a menininha, apontando Jack com o polegar.

-Olá Jack! –disse Nath, num tom infantilizado. Mal sabia que estava mesmo cara a cara com Jack Frost. –Não congele o nariz da Sophie, ein? –ela riu mais uma vez e virou-se para Jamie. –Crianças… quando você tinha a idade dela acreditava em cada coisa também! Até em Coelhinho da páscoa!

-O Coelhão é legal. –rebateu Sophie, apertando os olhos e fazendo beiço. –Não é Jamie?

            Os três olharam para o menino, que parecia até com calor, tamanho nervosismo. Ele ria e engolia o seco. E coçava a cabeça por debaixo do gorro.

-He… He… Crianças. –disse para Nath, dando de ombros.

            Sophie mordeu os lábios e franziu o cenho, então pegou seu trenó e puxou Jack pela mão. O rapaz gelado deu de ombros e sorriu para Jamie. Mas no fundo, era um sorriso triste.

            Jamie suspirou.

-Jamie, a Cupcake vai dar uma festa antes do Natal. Você quer vir comigo? –perguntou Nath.

-V… va… vo… você quer que eu vá com você?

-É! Nós moramos perto. Fica mais fácil de irmos juntos.

            Jamie arregalou os olhos e confirmou o mais insistentemente possível. Sua primeira festa de escola… com a menina que, lá no fundo, queria que fosse sua primeira namorada!

            Ali por perto Sophie puxava Jack Frost escadas a cima e dizia:

-Jamie é um bobão.

-Hey, não diga isso. Ele só está crescendo. –rebateu Jack, sem jeito.

-Então eu não vou crescer NUNCA!.

            Jack estava prestes a dar uma resposta bem-humorada, mas uma menina que vinha descendo as escadas apressada tropeçou em seu cajado, por muito pouco ela não caiu. Uma adolescente, como Jamie.

-Desculpe! –gritou ela, enquanto corria desajeitada com vários livros em suas mãos.

-O quê?! –indagou Jack, voando em sua direção. Mas pousou ao pé da escada ao se lembrar de que estava cuidando de Sophie.

            Olhou por cima dos ombros para a menininha confusa, depois para a garota de cabelos compridos que corria para longe. Então reparou que algo caia de seus cabelos e deixava um rastro. Algo dourado.

            Abaixou-se e esfregou a neve nos dedos.

-Areia…

            Ouviu, então, Sophie soltando um grito estridente e pedindo ajuda. Voltou-se rápido a ela, a tempo de ver dois meninos maiores, da idade de Jamie, empurrando-a para pegar seu trenó. Um deles era gorducho e usava touca. O outro loirinho de jeito metido. Dois bullies.

-Passa isso pra cá, menininha.

-Me deixem em paz, bobões!

            Ao dizer isso, Sophie chutou o loirinho na canela, e fugiu escadas abaixo, para trás das pernas de Jack. O maior, de gorro, correu atrás, enquanto o outro xingava, esfregando a perna.

            Frost franziu o cenho. Bullies o deixavam muito nervoso.

-Vai pra casa, moleque. –disse assoprando uma ventania em seu rosto.

            Além de não conseguir enxergar, o bully pareceu desorientado e tonto, e começou a espirrar. O segundo veio correndo perguntar “o que diabos há de errado com você”, mas tropeçou no gelo que Jack criou em seu caminho. No fim, estavam os dois no chão, cobertos de neve. Sophie começou a rir.

-Ora, pirralinha! Quando eu te pegar…

-Vai fazer o que, valentão?

            Jack viu Jamie ao seu lado, de braços cruzados, apontando um policial que passava ali por perto. Quando fez menção de chamá-lo os dois meninos levantaram-se e colocaram-se a correr para longe.

            Jack Frost sorriu ao ver Jamie pegar Sophie no colo: um bom irmão mais velho. Reparou, mesmo, que ele não era mais um menininho indefeso, mas um rapaz esperto e dedicado. Era um guardião: o guardião de Sophie. E aquilo o tranquilizou.

            Porque Jamie ainda era um bom menino.


Bully é como, nos Estados Unidos, são chamadas as crianças/ adolescentes que praticam o Bullying. Xingar, agredir, espalhar boatos ruins e isolar outras crianças/ adolescentes, seja nas escolas, vizinhanças ou mesmo pela internet é considerado Bullying. E isso é crime. 


Notas Finais


E o próximo capítulo está logo ali em baixo! Boa leitura =)


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...