História A Origem dos Guardiões: O retorno do Rei dos Pesadelos - Capítulo 8


Escrita por: ~

Visualizações 255
Palavras 690
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 10 ANOS
Gêneros: Ação, Aventura, Famí­lia, Fantasia, Ficção, Luta, Romance e Novela
Avisos: Spoilers
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Notas do Autor


Eles não tem idade nem restrições. Só uma fé inabalável

Capítulo 8 - Os guardiões dos guardiões


-Ele não parece bem. –disse Toothiana, revoando por cima de Noel e Coelhão. –Talvez devêssemos... não sei, dar algum remédio pra ele.

-Ele só está cansado. –disse Noel, ajeitando o cinto na barriga.

-Também, depois de fazer esse monte de brinquedos. –disse Coelhão, levantando Sandman adormecido pela gola de sua roupinha.

-Oh céus… Oh céus! –exclamou Toothiana. –Não é como se a areia dele durasse para sempre! Já está de noite no outro lado do continente, quem vai levar sonhos às crianças?

-Ora, elas podem ficar uma noitezinha sem sonhar, não podem? –disse Coelhão, tentando acordá-lo com sacudidas.

            Tudo o que Sandman fez foi roncar.

-Coelhão! –esbravejou Toothiana.

-Podemos fazer que nem daquela vez com os dentes. –sugeriu Noel.

-E você, por acaso, sabe como fazer sonhos? –perguntou Coelhão, sacudindo a pata para limpar a baba que caia da boca do homenzinho.

Noel deu de ombros.

-Knock, knock? –chamou Jack Frost, aproximando-se pela porta. –Algum problema?

-Jack Frost! Ele pode fazer sonhos de gelo. –disse Noel.

-Mas ai elas precisariam estar acordadas para ver. –respondeu Coelhão.

-Ai! Mas que desastre! –exclamou Toothiana.

-Vocês apagaram o Sandy? –brincou Jack. –Só porque eu queria falar com ele…

            Jack Frost tirou do bolso canguru de seu casaco um vidrinho de gelo com neve que brilhava em pequenos pontinhos dourados.

-O que é isso, Frost? –perguntou Coelhão, desconfiado.

-É uma história curiosa… 

Jack contou aos Guardiões (aos que estavam acordados) sobre a adolescente que tropeçara em seu cajado no parque, e como a perdera de vista enfrentando os bullies que atacaram Sophie.

-Detesto bullies. –resmungou Coelhão.

-Vocês acha, que ela é a ‘Wendy’ do Sandy? –perguntou Jack Frost.

-Wendy? –indagou Toothiana.

-É… quer dizer, os meninos são “Peter Pans” e as meninas são “Wendies”. Não faz sentido? –disse Jack.

-Você não entendeu a metáfora. –disse Coelhão.

            Noel levou a mão à barba e coçou a pança.

-Há! É a menina do dragãozinho! Ela já é uma adolescente?

-Ein? –fez Jack.

-Venha cá, Jack. Vou te mostrar uma coisa. –disse Noel, puxando-o até uma estante de livros.

            Noel tirou dela o maior e mais empoeirado de todos os livros: um encadernado de vários outros livros muito antigos. Folheou e folheou as páginas até chegar a uma capa.

“Guardiões dos Guardiões”

Escrito, editado e produzido pelo Homem da Lua,

Exemplar especial (e único) de lançamento.

Venda proibida.

Página 1: “Os Guardiões da infância são entidades mágicas e poderosas, escolhidas pelo homem da lua para guardar e proteger as crianças da terra.”

-Eu estou aqui na gravura! –exclamou Jack, animado. –Como é possível?

-Esse livro se renova todo ano. É magia do Homem da Lua. –disse Toothiana.

Página 2: “Mas de tempos em tempos o mal pode despertar na terra. E se a escuridão e o medo abalam a crença, os Guardiões podem ficar à mercê de males maiores”

-Pitch… -disse Jack, passando a mão pela figura antes de virar a página.

            Página 3: “Para isso, o Homem da Lua escolheu crianças especiais. Eles não tem idade ou restrições. Apenas um coração juvenil puro e uma fé inabalável em seus Guardiões. Eles são os protetores daqueles que protegem. São os Guardiões dos Guardiões.”

            Jack olhou bem a figura. No meio de centenas de rostos reconheceu Jamie e Sophie de alguns anos atrás. E pensou que talvez tivesse visto uma versão mais nova da menina do parque. Eram muitas crianças, com roupas de diversas épocas e países.

            Jack se sentiu feliz ao fechar o livro. Então sempre houve crianças para acreditar com fé inabalável.

            Ouviram, então, um bocejo.

-Hey Sandy! –disseram os quatro.

-Bom, já que ele acordou, todos de volta ao trabalho! –disse Noel, puxando Jack pelo gorro. –Já, já o natal está ai e você tem muitos brinquedos para concertar.

-Hey meninas! Ao trabalho! –disse Toothiana, partindo com suas fadinhas.

            Coelhão deu de ombros e voltou pulando para a organização dos Yetis. Sandman os olhou partir sem nenhuma pista do que havia acontecido. Então viu rolar o vidrinho de gelo em sua direção. Pegou-o nas mãos e admirou o brilho dourado, que agora parecia ainda mais forte.

Um ponto de interrogação se formou em sua cabeça.


Notas Finais


E o próximo capítulo está logo aqui em baixo! Boa leitura! =)


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...