História A Outra. - Capítulo 26


Escrita por: ~

Postado
Categorias Cristiano Ronaldo, Gareth Bale, Sergio Ramos
Personagens Cristiano Ronaldo, Gareth Bale, Personagens Originais, Sergio Ramos
Tags Sergio Ramos
Exibições 126
Palavras 1.991
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Crossover, Romance e Novela, Violência
Avisos: Adultério, Álcool, Heterossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Nudez, Sexo
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas do Autor


V.O.L.T.E.I☆


Perdoem, não deu tempo de revisar.

Capítulo 26 - 26 - Dizem...


Fanfic / Fanfiction A Outra. - Capítulo 26 - 26 - Dizem...





P.O.V. Maria.

Uma faixa de luz toca meus olhos me despertando. Sinto um peso sobre minha cintura. Estranho. Olho e sorrio. - A perna do Sergio em cima da minha cintura, sua mão passando pela minha barriga. Me mantendo mais perto dele. - Me viro com dificuldade e o encaro. Seu rosto, sua boca. Passo o dedo por ela.

- Vai ficar me olhando? - ele fala com o olho ainda fechado.

- As vezes é difícil de acreditar que você está aqui comigo. - passo a mão pelo seu rosto.

- Por que?  - ele abre o olho.

- Foi tanto tempo, tantas brigas, que já cheguei a pensar que você só me usava como se fosse seu refúgio de um dia ruim ou da sua esposa que não lhe dava a devida atenção. - ele me olhava atentamente.  Era olho no olho no momento. Sua mão acariciava minha cintura.

- No começo era somente isso,  mas depois de te conhecer, pude ver quem você é de verdade. Diferente das outras mulheres que já me relacionei. E se te usei como refúgio um dia,  hoje te tenho como meu porto seguro... como minha mulher com quem vou  encontrar todo o dia em casa,  quem vai me da apoio, quem vai me ajudar em um momento ruim. E seu homem aqui, vai ajudar você quando estiver em seus momentos ruins, quem vai sair no meio da noite pra te conceder um desejo quando estiver grávida... - o interrompo.

- Grávida? - sorrio.

- É grávida.  Quando a senhorita estava esperando o Anthony,  você não me permitiu acompanhar, então a única solução é ter outro filho. - ele fala e beija meu rosto.

- Você sabe muito bem dos meus motivos. Mas vamos esperar mais um pouco,  quero terminar alguns trabalhos ainda, assim posso ter mais tempo pra ele. - explico.

- Por mim, poderíamos começar a praticar agora. - ele sorri.

- Tenho outra idéia melhor.  Já que hoje é o jogo. Posso fazer com que, você relaxe. - falo e fico por cima dele.

- Sexo matinal. - ele morde o lábio inferior.

- Não estou bonita. Estou com o rosto inchado e olheiras,  mas acho que posso fazer o meu melhor pra te satisfazer. - minhas mãos esta em seu peito e sua mão na minha cintura.
- Você é linda de qualquer jeito. Já te falei que você ficar sexy nessa camisola?  - ele coloca uma mecha do meu cabelo atrás da minha orelha.
- Não sabia que ela tinha esse poder. E já sim, só que Anthony tava perto. - sorrio e o beijo.

Damos início ao um beijo calmo,  porém cheio de paixão e desejos. Suas mãos da minha cintura passaram pra minha bunda,  apertando a mesma e subindo o tecido branco de seda.

- Dormiu sem calcinha?  - ele pergunta entre o beijo.

- Sim. - mordo seu lábio.

- Como não vi isso? - ele diz frustrado.

- Você chegou muito cansado e eu vim pra cama tarde.  E me deparei com você já no seu segundo sono.  - selo nossos lábios e início outro beijo.

Paramos quando o fôlego se faz ausente.  Tiro o tecido de seda branco e volto a beija-lo. Somos interrompidos por Junior e Anthony.

- Mamãe.  - Anthony grita batendo na porta.

- Papai.  - Junior chama.

Paro sorrio e encaro Sergio.  - Tem certeza que quer ter mais filhos? - falo saindo de cima dele, me levanto e pego meu roupão.

- Tenho.- ele se levanta e abre a porta pra os meninos, quem vem correndo e pulam na cama.

- Dormiram bem?  - falo e me sento na cama.

- Sim.- eles respondem.

- Quero beijo de Bom dia.- falo e sinto beijos em cada lado do rosto.

- Amor senta aqui.- chamo Sergio e mando ele se sentar na cama. - E vocês parem de pular na cama agora.  - Anthony e Junior param e fazem o mesmo que o pai.

- Que foi, linda? - Sergio pergunta.

- Vamos ter aquela conversinha.- sorrio. - Filho. - chamo a atenção de Anthony. - Você lembra, de quando você perguntou a mamãe se você tinha papai? E porque seus amiguimos da escola tinha pai, mais você não?  E a mamãe falou que  tinha brigado com ele e foi morar em Berlim. - falo com um certo nervosismo. Sergio só fica observando.

- Lembro, não.  - ele fala inocente, rancando uma risada de Sergio.

- Filho eu sou seu pai. - Sergio fala e coloca Anthony sentando em seu colo.

- Não! Você é o meu pai.  -Junior fala e senta junto com Anthony.

- Sou pai dos dois.  - ele fala.

Anthony parece meio pensativo.  - Filho o que foi? - pego sua mão.

- Eu tenho papai. Tenho um papai- ele olha pra Sergio. Que sorri que nem criança. Seus olhos brilhavam ao ouvir Anthony falar e sorrir. Ele abraça o filho forte. Junior desce da cama e sai chorando.

- Ele tá com ciumes. - levanto mais Sergio me impede de continuar.

- Eu vou falar com ele sozinho. - ele sai.

Fico com Anthony no quarto.

- Você tá feliz, por ter um papai?  - pergunto.

- To, agora ele vai poder me buscar na escola.  - ele fala e seus olhinhos brilham.

P.O.V. Sergio.

- Filho.  - vejo ele deitado chorando. - Você não gostou de ter Anthony como seu irmão? - falo e ele se vira pra mim.

- Agora você vai brincar só com ele e gostar só dele- ele fala entre soluços.

- Não campeão. Gosto de você dois e vamos brincar os três.  - sorrio.

- Verdade?  - ele pergunta e fungando.

- Verdade. Agora ele é seu irmão. - falo e limpo seu rosto.

Ele me abraça e Maria entra com Anthony nos braços.

-Podemos?  - ele pergunta.

- Claro.

- Anthony vamos brincar,  eu, você e o papai e a Maria.- ele se anima pulando na cama.

                          ↓

- Você vai no jogo?  - pergunto, retirando as vasilhas do café e colocando na pia.

- Acho melhor não, tá tudo muito recente ainda. Prefiro esperar mais um pouco. - ela se explica.

Eu sei da preocupação dela e tudo mais,  por isso vou respeitar seu momento.

- Vai ver o jogo pelo menos?

- Não. - ela fala.

- Por que não?  - pergunto surpreso.

- É uma pergunta meio óbvia. É claro que vou ver.  Se eu assistia quando morava em Berlim,  porque deixar de ver agora?. - ela rir.

- Assistia meu jogos lá? - agora sim ela me surpreendeu.

- Sim assistia,  mais não por você e sim por causa do Cristiano. - fecho a cara e cruzo os braços.

- Fala que você tá brincando comigo. - frazo as sobrancelhas

Ela ri mais alto.  - To brincando,  senhor nervozinho. Sinto seu beijo molhado.

- É bom mesmo.  - ela se afasta e continua lavando a louça.

Ela ficava sexy de qualquer jeito. Tudo que vinha dela era com amor e ternura.  Eu a amava. E agora Anthony sabe quem é seu pai. Ele está tão feliz e meio desacreditado ainda, mas isso passa com o tempo e ele se acostuma.

P.O.V Maria.

Termino de arrumar as coisa e ouço meu celular tocar.

- Alô. - atendo.

- Maria arruma os meninos que vou passar aí para buscar-los. Quero levar eles para o jogo.  - meu pai ordena.

E antes que eu comece a protesta ele diz.

- Eles vão ficar junto com a María (minha madrasta) na sala VIP. - ele diz.

- Ta bom. -  me dou por vencida e desligo.

Vou pra sala e me deparo com os três deitados assistindo televisão.

- Você e você. - aponto chamando atenção deles. - Banheiro agora. O avô Florentino vem buscar vocês.

- Eles vão pro estágio?  - Sergio pergunta com um sorriso enorme no rosto.

- Sim, meu pai vai vim busca-los.  - falo subindo as escadas.

Dou banho em cada um. Em Anthony coloco a blusa Bale 11 e Junior  a blusa 4 com o nome do pai estampado.  Desço com as minhas crianças prontas.

- Olha papai. - Junior grita mostrando a blusa com o nome do pai.

- Olha.- Anthony também mostra.

- Amor porque a 11 e não a minha?- ele questiona.

- Na época que a gente comprou... vamos dizer assim... que eu tinha um pouquinho de raiva de você,  então eu não ia comprar um com seu nome. -sorrio.

Ele arqueia a sobrancelha, o encaro e começo a rir.

- Amanhã mesmo vou mandar fazer uma blusa pra ele, com o meu nome e o meu número. - ele diz.

- Hmmm... Meu Deus gente,  ta bom senhor nervosinho. - digo, o abraço, em seguida dou um beijo da sua bochecha e selo nossos lábios.

Escuto a campainha, saio dos braços de Sergio e vou atender a porta. 

- Oi pai.- o cumprimento e o abraço.

- Oi minha filha.- ele retribui.  - Onde estão os meninos? - pergunta, adentrado. - Você não vai ao hoje?!  - ele pergunta olhando meu traje.

- Não,  prefiro não dá motivos para mídia.  Tem muito pouco tempo que Sergio se separou. - explico.

- Mais você veio justamente pra ver o jogo. - ele fala e dava pra perceber uma certa frustração na sua voz.

- Sim, mais as coisas mudaram. - sorrio.  - Vamos esperar mais um pouquinho, só mais um pouquinho. - falo.

- Ta bom! Você sabe o que faz. - ele termina de falar e os meus "boyzinhos" vem correndo e pulam no nosso velho e querido Pérez. Junior não se limita em pular nele.

- Oi Florentino - Sergio vem da sala de televisão e aperta sua mão.

- Oi Sergio. - ele retribui. - Vamos então! - ele diz pros meninos.

Pego a mochila de cada um e entrego ao meu pai. Que deixa um beijo na testa e batidas nas costas de Sergio e sai e fecha a porta. Sergio sai andando pra sala de televisão.

- Dissem que sexo antes de uma partida, pode inspirar qualquer jogador. - ele para e vira pra mim. Mordo o lábio e saio andando em direção a escadas sendo acompanhada por Sergio. Antes de dar o passo para entrar no quarto, sinto suas mãos na minha cintura, seguido de beijos no pescoço, andamos juntos até a cama,  onde me deito. Sou beijada ferozmente.  - adoro suas pegadas,  beijos no pescoço e também gosto de saber quando ele precisa de mim. -  Suas mãos desfaz o laço do roupão. Sua boca abocanha cada um dos meus seios.

Já estava totalmente molhada, desejando aquele homem dentro de mim. Ele se desfaz das suas roupas.
Sinto seu membro quente e pulsante passando por toda extensão da minha intimidade,  me torturando. Fecho os olhos e entrelaço meus dedos no lençol.

- S-sergio... - falo manhosa.

- Sim Cariño. - ele me penetra.

- Preciso de você,  dentro de mim. Agora! - falo pausando.

Um gemido afogante sai e ecoa pelo quarto. Seus movimentos a cada segundo ficava mais fortes e fundos.  Sinto seu beijo,  tento retribuir, mais um orgasmo toma conta de mim ,fazendo meu corpo tremer e um gemido alto sair pela minha boca. Cravo minhas unhas nos meus ombros.  Ele chega ao seu ápice, me permitindo ouvir seu gemido - era ótimo ouvir isso. - Nossos corpos estavam suados e respirações descontroladas.  Ele sai de dentro de mim e cai na cama ao meu lado,  me puxando pro seu peito.  Fico deitada ali escutando seu coração e sua respiração.
 
- Quero um segundo round depois do jogo. - ele fala.

- Só se fizer um gol.  - sorrio e olho pra ele, que rir.

- Tenho que fazer meu trabalho pra ganhar recompensa,  então?

- Sim, meu amor.  - selo nossos lábios e sorrio.


Notas Finais


Inspiração vendo o jogo do Betis x Real Madrid. Só que o jogo da fic é um antigo já.


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...