História A outra dimensão. - Capítulo 15


Escrita por: ~

Postado
Categorias Originais
Tags Acidente, Ayane, Decio, Kai
Exibições 14
Palavras 2.068
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 14 ANOS
Gêneros: Drama (Tragédia), Famí­lia, Magia, Romance e Novela, Shoujo (Romântico)

Aviso legal
Todos os personagens desta história são de minha propriedade intelectual.

Capítulo 15 - Mundo dos sonhos e seus mistérios.


Lin caminhava pela rua tranquilamente indo encontrar o dono do blog, onde saberia mais sobre o mundo dos sonhos. Lin de alguma forma queria ajudar Ayane a voltar e viver bem e estava muito animado a isso.

No mundo dos sonhos Royne se lembra de um livro antigo enquanto cuida da parte do seu cristal e grita:

- MAYNA! – a garota entra correndo pela sala onde fica a parte que seu patrão cuida quase vinte e quatro horas por dia.

- Chamou senhor? – ela entra ofegante por correr.

- Sim Mayna, busca para mim um livro de capa rosa azulado na prateleira, por favor.

- Sim senhor – ela sai e logo volta com o livro em mãos.

Royne abre o livro antigo e começa folear aos poucos, pois ele tinha certeza que naquele livro teria alguma explicação de como Déci estava utilizando o corpo do irmão da Ayane no mundo real. Logo o guardião achou a pagina começou a ler, mas não encontra muita coisa, mas mesmo assim começa a ler?

“O reflexo do mundo dos sonhos está ligado à alma da pessoa na vida humana, onde o reflexo pode interferir como bem entender mesmo estando no mundo dos sonhos, basta que eles estejam em uma sintonia de vibração tanto negativa, como positiva e eles podem interferir um no lado do outro”.

- Foi como eu trouxe o Lin para cá – Royne sentiu um estalo em sua mente. – Então eu posso interferir sem usar o espelho, basta estamos vibrando no mesmo sentimento – ele deu um sorriso maroto, por que ele sabia que podia ver a Ayane na vida real.

****

Lin foi convidado a entrar na casa do blogueiro e o mesmo o chamou para sentar-se em um sofá enquanto o mesmo foi buscar o seu notboock. Não demorou muito e ele veio com o mesmo e colocou sobre a mesa que estava diante do sofá.

Ligou o aparelho e logo entrou nas imagens que ele havia conseguido.

- Olha isso Lin, foi tudo que eu consegui na minha ida a caverna que os povos antigos cultuavam o mudo dos sonhos, mas nada concreto.

Lin olhou foto por foto, texto por texto, suspirou fundo e o encarou.

- Gerson posso ficar com essas fotos? – ele mostrou um pen drive a ele.

- Só as fotos te interessaram – o blogueiro o encarou. – Você sabe de algo não e mesmo?

Lin olhou com aqueles olhos azuis e deu um leve sorriso de lado, sua esperança aumentava cada vez mais em seu coração, foi quando ele não viu e nem sentiu mais alguém entrou em sintonia com ele usando o seu corpo e logo ele começou a dizer:

- Essas fotos são incríveis, mostra o mundo dos sonhos perfeitamente e a profecia que vem de muitos e muitos tempos atrás. Olha isso! – ele apontou para parte do cristal desenhado na parede da caverna na foto. – E parte do meu cristal – ele fica encantado.

- Lin ficou maluco – o blogueiro o encarou sem entender.

- Não sou o Lin, sou o Royne, estou usando a sintonia de pensamentos, eu moro no mundo dos sonhos e sou um dos guardiões e preciso que você dê um recado para o Lin para mim.

Gerson arregalou os olhos sem acreditar.

- Eu não posso demorar, mas diz ao Lin que o Déci usa a sintonia para usar o corpo do Décio, ele vai entender.

- Você é do mundo dos sonhos mesmo? – o blogueiro o encarou o balançando querendo saber mais sobre o mundo dos sonhos.

A pergunta não foi respondida e Lin se sentiu meio tonto.

- Ei você não me respondeu – ele estava indignado...

- Respondi o que? – ele colocou a mão na testa se sentindo tonto e sem entender. – Eu estou meio tonto, sabe se aconteceu alguma coisa...

- Ele disse que o Déci usa a sintonia para usar o corpo do Décio e que você ia entender – o cara ficou chocado.

- Royne... Ele usou o meu corpo? – ele perguntou ligando os fatos

- Sim.

- Então ele descobriu como Deci usa o corpo do Décio- ele fez uma pausa. - E se isso é possível mesmo Ayane corre perigo, eu preciso ir – ele tirou o pen drive com as fotos e saiu às pressas dali e Gerson queria respostas e não ia sossegar ate tê-las.

*******

Décio já entrava no hospital para visitar sua irmã e vê sua mãe sorrindo para ele.

- Se está sorrindo para eu aceitar a proposta daquele falso, tira o cavalinho da chuva – ele passou por ela e a deixou meio triste e sem entender.

Décio foi para o quarto que Ayane estava e sentou-se ao lado dela segurando a sua mão sentindo uma grande desesperança e tristeza em seu coração.

*****

Eu havia conseguido me tele portar depois de muito treino com o Kogu eu finalmente conseguia ir de um lugar para o outro só sentindo a energia dos guardiões e então o nono guardião veio até mim e disse ao ver que eu havia voltado.

- Muito bem Ayane você aprendeu muito bem – ele sorriu aquele sorrisão e caminhamos em direção a sua esposa e Fen.

- Terminou seu treino Ayane? – Fen me perguntou com um leve sorriso.

- Sim eu terminei.

- Isso e bom, podemos seguir adiante então?

- Sim podemos – sorri a ele, mas comecei a sentir falta de ar do nada, como se alguém tivesse apertando a minha garganta.

- Ayane... – só vi os dois correndo em minha direção e tudo ficou escuro...

****

Décio apertava a garganta de sua irmã, mas não via nada...

- Quero ver você sobreviver, senhora salvadora do mundo dos sonhos – o sorriso maligno surgiu nos lábios do Deci enquanto ele apertava sem ninguém ali por perto.

Lin correu a toda à velocidade e entrou rapidamente no quarto, mas quando entrou ele escutava os aparelhos apitarem em um som único.

- DECIOOOOO NÃOOOO! – o grito de Lin ecoou pelo hospital e os pais de Ayane, assim como os médicos correram até o quarto, mas Lin o ouviu...

- Tarde de mais – ele deu um sorriso sínico e o corpo de Décio cambaleou um pouco e ele se sentiu tonto tentando entender o que havia acontecido.

Ele olhou a irmã e os aparelhos apitando sem parar.

Décio olhou para mãe e ela havia visto o que acontecera.

- Por que filho, por quê? – Luana perguntou olhando o corpo da garota imóvel...

Décio encarou apavorado e sem saber o que tinha acontecido...

- Mas o que ouve? – ele olhava para todos ali sem entender nada, apenas vendo as lagrimas escorrer pelos olhos da sua mãe.

- Temos que tentar reanima-la, deixe-nos trabalhar – os médicos os tiraram da sala e Décio não entendia...

- Por que você enforcou a sua irmã? – Luana derramava lagrimas encarado o filho.

- Eu nunca faria isso mãe... – ele fala desesperado e sem entender.

- Mas você fez – ela o encarou e Lin o encarou.

- Venha comigo Décio – ele o chamou.

Lin olhou Luana e saiu pela porta do hospital.

Décio sem entender e sentindo um pouco de raiva do garoto o seguiu assim mesmo.

Lin o encarou e diz:

- Deci foi até você ontem não foi?

- Quem é esse cara? – ele perguntou sem saber,

  Lin suspirou fundo e disse:

- Um cara de rosto deformado com um sorriso malvado vestido de preto.

- Eu vi ontem à noite.

- O que ele te disse?

- Ele me disse que você esta fazendo tudo isso por que se sente culpado por tudo que aconteceu com a Ayane e você só quer dar um de bonzinho, além de dizer que minha irmã nunca mais ia voltar.

- Se ela morrer, não vai voltar mesmo – ele abaixou a cabeça triste.

- Lin o que você sabe? O que aconteceu lá naquele quarto? – Décio o encarou de forma que misturava raiva, tristeza e queria compreender tudo que havia acontecido.

Lin suspirou fundo e então começou a narrar:

- A alma da Ayane está em um mundo chamado mundo dos sonhos... Esse cara que te contatou se chama Deci. Ele é um guardião de um cristal nesse mundo é o seu reflexo, mas ele desviou do seu foco e se tornou malvado, por que você perdeu a esperança e se a Ayane morrer aqui ela morre lá e se ela morrer lá ela morre aqui e tudo se acaba... Lin fez uma pausa. – Ele usou o seu corpo para tentar matar a Ayane e pode ter conseguido... – Lin chorou... – Eu estava tão perto de ajudar ela...

- O que você fumou Lin? – ele  não acreditou. -  Você só pode estar maluco – ele saiu desorientado dali...

Lin viu um espelho e colocou a mão...

- Me chamou Lin...

- Preciso ir ai, ou Ayane pode morrer isso se ela já não tiver morrido...

- Ok – ele usou a luz e logo Lin estava de frente para o Royne.

- Me tele porta para lá.

Royne não entendia muito, mas sabia que tinha que ser rápido e tele portou Lin para onde a garota estava.

Fen logo viu o rapaz aparecer frente a garota e diz:

- Royne me perdoa eu não sei o que aconteceu...

- Não de preocupe Fen, não foi culpa sua – Lin estava com as roupas do Royne.

Ele caminhou até o corpo da garota que piscava e apalpou os bolsos dela então achou a varinha em forma de coração colocou na mão dela e apertou com a sua...

- Ayane... – ele abaixou deixando as lágrimas cair sobre o corpo e a varinha que estava em ambas às mãos... – Fica comigo... Fica comigo... – ele encosta o seus lábios no dela de uma forma terna como se fosse acordar uma princesa adormecida.

****

No hospital os aparelhos voltavam a fazer os barulhos dos batimentos cardíacos e os médicos deram graças por eles terem conseguido trazer agarota de volta, no entanto iam examina-la para ver se não havia nenhuma lesão na tentativa do enforcamento.

*****

A varinha brilhou intensamente envolvendo os dois corpos com um coração de luz intensa que quase cegou Fen que observava os dois. Logo a luz sessou e Lin olhava a garota com lagrimas nos olhos.

- Volta para mim Ayane... – ele ainda segurava a mão dela.

Abri lentamente meus olhos e senti a claridade entrar neles, após me acostumar com a claridade olhei e vi aqueles olhos azuis misturado com o vermelho e as lagrimas escorrendo pelo rosto dele e mostrei um sorriso tímido, mas senti minha garganta doer e tentei me mexer, mas vi que ele estava em cima de mim.

“Lin você precisa voltar”. A voz na sua cabeça soou.

“Eu sei, mas preciso ter certeza que Ayane vai ficar bem, segura mais um pouco ai Royne” ele respondeu em pensamento.

Lin olhou para Ayane e disse:

- E bom te ver Ayane... – ele se levantou estendeu a mão para mim me ajudando a levantar. – Vença Deci a todo custo e nos ajude – ele me deu um sorriso e eu pulei no pescoço dele o beijando com toda a intensidade.

Ele me afastou com calma e disse:

- Eu preciso voltar, fica bem e eu estarei contigo... – com essas palavras eu complementei.

- Eu vencerei Royne... – mas ele já havia sumido da minha frente.

Fen me olhou preocupado e sem saber o que aconteceu, mas ali ninguém não entendeu nada.

- Alguém pode me dizer o que aconteceu? – Kogu fez uma carinha de tonto e me olhou.

- Provavelmente aconteceu alguma coisa comigo no meu mundo, mas não sei te dizer o que é, mas o importante é que eu continuo viva.

- Melhor você descansar por hoje Ayane, partimos amanhã... – Fen colocou a mão no meu ombro e deu um sorriso meigo.

- Que bom que você ficara bem, podem ficar o quanto precisarem. - Kogu deu aquele sorriso largo dele e vi sua esposa entrando para arrumar os quartos.

Seria mais um dia na casa do nono guardião, porém eu olhei o céu e sabia que algo tinha acontecido comigo no mundo real, tanto que havia comentado com o Kogu que ficou preocupado, mas não sabia o que exatamente. Fiquei pensativa por um tempo, dei os ombros e entrei na casa do Kogu para descansar um pouco, afinal muita coisa havia acontecido aquele dia e o melhor de todos foi o beijo do Royne. 



Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...