História A Outra Face - Capítulo 15


Escrita por: ~

Postado
Categorias Backstreet Boys, Originais
Personagens AJ MacLean, Brian Littrell, Howie D, Kevin Richardson, Nick Carter, Personagens Originais
Tags Backstreet Boys, Bsb, Fanfics
Visualizações 6
Palavras 1.358
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Ação, Policial, Romance e Novela, Suspense, Violência
Avisos: Nudez, Sadomasoquismo, Sexo, Tortura, Violência
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas do Autor


Espero que gostem

Capítulo 15 - Capítulo 15


Fanfic / Fanfiction A Outra Face - Capítulo 15 - Capítulo 15

O moço ainda pensa em dizer mais alguma coisa em defesa do homem desacordado, mas acaba não falando mais. Ela também não diz mais nada e desliga, sem nem dizer adeus.

            Com cheirinho de chuva, Ana Paula acorda, ao abrir os olhos, acaba tendo uma visão inesperada. De costas, Nick procura por roupas, com uma toalha enrolada na cintura.

 

            - ... aí... desculpa... te acordei? – ele vira-se vendo ela com os olhos abertos - ... pode voltar a dormir... estou só pegando uma roupa para vestir... – ele avisa

            - Não precisa se desculpar... é o seu quarto... – ela fala levantando-se - ... eu é que tenho que te pedir desculpas... te tirei do seu lugar...

            - ... quer tomar café?... Licença... vou trocar de roupas... – ele aponta para o banheiro, segurando a toalha - ... fica à vontade...

           

            A jovem apenas balança a cabeça, positivamente. Assim que ele entra no banheiro, ela levanta-se, trocando a roupa. Ela corre para o banheiro social, onde toma um banho rápido, vestindo a mesma roupa.

           

            - O café já está pronto!!! – ele bate na porta

            - Ok!... já estou saindo... – ela grita

 

            Assim que ela aparece na cozinha, encontra a mesa posta e colorida. Café, leite, torradas, pão, mel, bacon e frutas. O loiro puxa a cadeira e ela senta-se. Ele acomoda-se na sua frente.

 

            - Olha!... eu... eu queria te pedir desculpas por ontem à noite... – ele começa a falar - ... eu não deveria ter gritado com você... nem te segurado com força...

            - ... todos estávamos nervosos... – Ana Paula, sorrindo timidamente, tenta amenizar as atitudes do loiro - ... na sua pele... eu poderia ter feito pior...

            - ... vamos tomar café... em paz... – o loiro fala, oferecendo café - ... depois agente vai pra casa do Brian... no caminho você me conta... o que eu não sei... – e avisa, dando uma mordida em uma torrada

 

            Na cela, o rapaz olhando para o relógio, entra no ambiente, verificando novamente o pulso do latino, que não se mexia, e respirava com dificuldade. Mesmo com pena, o amordaça, antes da chegada de Pandora.

            Assim que ele vai saindo de dentro, encontra a mulher entrando. Ele acaba não disfarçando o espanto ao vê-la.

 

            - Senhora?... desculpa... eu...eu... – o rapaz tenta se justificar - ... eu... só fui olhar como ele estava...

            - ... e como ele está? – Pandora pergunta na porta - ... ainda desacordado?

            - Ele... está com a pulsação mais franca... ele...ele está respirando com um pouco de dificuldade... e continua desacordado... – o rapaz faz o relatório, olhando para o chão - .. se me permite... não seria melhor... deixá-lo ir?... ele não tem condições de nada... – ele acaba sugerindo

            - ... acho que devo ter exagerado um pouco... – ela fica pensativa - ... queria brincar um pouquinho com ele... – e faz bico

            - ... as cordas... o estão machucando... ele está sangrando... – o rapaz lembra-se  - ... vai continuar mantendo-a aqui e dessa forma? – ele pergunta

            - Não!... limpe onde ele está ferido... coloque ataduras... o prenda nas correntes... – ela dando as instruções, aponta para a parede - ... tire as roupas dele e joga água... pra ver se ele acorda... daqui a... meia hora... eu volto e decido o que eu faço... – ela vai saindo

 

            O rapaz saí logo em seguida, entrando em uma farmácia, compra o material de primeiros socorros. Assim que retorna, encontra o latino abrindo os olhos de leve, respirando fundo, gemendo um pouco.

 

            - ... você está com dor? – o rapaz pergunta, retirando a mordaça

            - Sim!... – Howie responde, apertando os olhos e respirando profundamente - ... obrigado... pelo que você está fazendo por mim... – ele ainda consegue forças para falar um pouco mais

            - ... não acho certo... o que ela faz com os homens.... – o rapaz comenta - ... não fale mais... poupe suas energias... ela vai voltar daqui à pouco... – ele diz cortando as cordas

            - Aí... aí... – o latino sente o ardor

            - ... Calma... vou limpar... e colocar ataduras... mas... vou ter que te prender nas correntes... – ele aponta para a parede do outro lado - ... você vai ter que me desculpar... – o rapaz pede

            - Você parece ser uma boa pessoa... porque está com essa mulher? – Howie inicia uma outra conversa, enquanto faz caretas, sentindo o remédio sendo administrado em seus cortes - ... você pode ter uma vida melhor...

            - ... Ela... é minha mãe... – o rapaz revela com vergonha - ... mas... não é de sangue... fui adotado...

            - ... me desculpe... – Howie se compadece

            - Você consegue se levantar? – o rapaz pergunta - ... coma logo... essa maçã... foi a única coisa que consegui trazer... e o mais rápido... ela deve estar chegando – ele entrega a fruta não mão do latino

            - ... Obrigado!... obrigado! – Howie acaba se emocionando - ... estou sentindo meu corpo todo dolorido...

 

            Assim que o homem termina a fruta, o rapaz o ajuda a levantar-se, com dificuldade, ele é levado até a parede oposta, onde correntes estavam presas às paredes. O rapaz o acorrenta.

 

            - ... você ainda não fez o que pedi? – Pandora surge na porta - ... Oi! bebê... que bom que acordou... – ela chega bem próximo do latino alisando seu rosto

            - Você não pode me manter preso aqui!!! – Howie fala, tentando se soltar, ainda um pouco fraco, acaba ficando de joelhos, suas pernas não o obedeciam 

            - ... é assim que eu quero... você aos meus pés, meu bem... – ela segura firme seu cabelo, puxando sua cabeça para trás - ... só quero proporcionar o mesmo prazer... que você me proporcionou – ela revela, passando a mão em seu membro

            - ... ME DEIXANDO PARA MORRER? – Howie acaba se alterando - ... ME AMARRANDO E AMORDAÇANDO... ME DEIXANDOS SEM COMIDA E SEM ÁGUA... É ESSE O PRAZER QUE VOCÊ QUER ME OFERECER? – ele continua

            - ... não... mas você não quis fazer o que pedi... estou te castigando por isso... – ela confirma - ... tira a roupa dele... – virando-se para o rapaz, manda

 

            O rapaz, que continuava em silêncio e de cabeça baixa, com uma tesoura, começa a rasgar toda a roupa do latino, que com as forças que ainda tinha, debate-se, tentando dificultar a ação

            Completamente sem roupas, o latino sente seu corpo arrepiar-se de frio. Ela mandar que o rapaz jogue a água gelada nele e o moço obedece sem questionar. Howie respira ofegante, começando a tremer, sentindo como se agulhas penetrassem por todo o seu corpo.

           

            - O... que... é...  isso? – Howie tremendo muito, tentando se encolher pergunta para as mãos dela

            - ... um pequeno chicote... – ela responde sorrindo, mostrando o objeto - ... amordaça ele novamente... – a mulher olha para o rapaz

            - NÃO!!!... NÃO!!! – Howie implora gritando, forçando as correntes para a frente

 

            Mesmo sob protesto, ele é amordaçado, ficando apenas nos gemidos. Ela ordena que o rapaz fique do lado de fora e ele saí sem olhar para trás, de cabeça baixa.

            Ela dá a primeira chicotada, na barriga, e ele sente, como se a carne se abrisse. Ele geme com a dor, sem conseguir gritar. Com mais algumas chicotadas, em outras partes do corpo, ela termina a sessão.

            A mulher começa a observar o latino, que sem forças, não reage, quase suspenso pelas correntes, ainda tremia. Pandora grita pelo rapaz, que logo aparece. Ela o entrega o chicote, começando novas instruções. 

 

            - ... mais um banho nele... deixe-o mais um pouco... até à noite... depois... o solte... – ela, de braços cruzados, espera a última ação - ... quero a água... pra agora...

 

            O rapaz corre, pega mais um balde, com os olhos fechados, joga com força no homem, que geme alto, contraindo todo o corpo, tremendo violentamente.

            Satisfeita, com um sorriso nos lábios, ela aproxima-se, passando a mão pelo seu corpo, arranha seu tórax. Ela o beija por cima da mordaça, saindo em seguida.

            Assim que o rapaz percebe que seu carro foi embora de vez, retorna, tirando a mordaça do latino e retirando suas correntes. O homem caí no chão com todo o corpo, encolhe-se tremendo.

 

            - Calma!!!... vou te trazer uma coberta... – o rapaz avisa, saindo


Notas Finais


Aguardem novas emoções


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...