História A Outra Face - Capítulo 2


Escrita por: ~

Postado
Categorias Backstreet Boys, Originais
Personagens AJ MacLean, Brian Littrell, Howie D, Kevin Richardson, Nick Carter, Personagens Originais
Tags Backstreet Boys, Bsb, Fanfics
Visualizações 10
Palavras 1.518
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Ação, Policial, Romance e Novela, Suspense, Violência
Avisos: Nudez, Sadomasoquismo, Sexo, Tortura, Violência
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas do Autor


Olá,
Chegando mais um capítulo

Capítulo 2 - Capítulo 2


Fanfic / Fanfiction A Outra Face - Capítulo 2 - Capítulo 2

  Mesmo com um pouco de sono, não vai para a cama, fica na sala mudando os canais, apesar de nada o agradar, acaba colocando em um canal de clips. Em meia hora, acaba adormecendo lá mesmo.

            Com o sol já “alto” no céu, o loiro acorda com o celular dando sinal de vida em algum lugar da casa. Ele sai procurando, onde o teria deixado. O encontra no bolso da calça, largada perto da cozinha.

 

            - Alô! – ele aperta o play

            - NICK CARTER... onde você está? Você está atrasado de novo... – uma voz masculina fala alto, reclamando

            - Quê?... que horas são? – ele olha para o pulso - ... droga! – ele com o celular ainda no ouvido sai correndo para a parte superior da casa - ... em 15 minutos eu chego... agüenta aí... – ele fala e desliga, antes que a voz recomece

 

            Ele toma banho o mais rápido possível. Assim que sai, enxugando-se na toalha, molhando todo o quarto. A primeira roupa que encontra, veste. Desce, passando pela sala.

            No carro, dá partida, saindo, “cantando” pneu. Em menos de uma hora, atravessa a cidade, chegando a um prédio, com aparência de ser antigo, com uma placa na frente, com pouca visibilidade: ESTÙDIO Z.

            Ele estaciona e corre entrando no lugar. Saí cumprimentando todos que aparecem na sua frente, até chegar na última sala. O rapaz bate e antes que qualquer pessoa lá dentro fale, ele abre a porta.

            No ambiente, uma mesa oval com inúmeras cadeiras, um ar condicionado, várias mesas pequenas, um computador em um dos cantos. Quatro cadeiras estavam ocupadas, um homem de cabelos pretos, curtos, de barbicha, com tatuagens, aponta para uma cadeira entre ele e um outro, baixo, moreno claro, cabelos castanhos curtos, olhos arredondados.

           

            - Nick... de novo?... assim complica a nossa vida... – um homem alto, cabelos lisos e curtos, de olhos esverdeados, de bigode, fala - ... isso é irresponsabilidade...

            - ... Já que ele chegou... podemos começar... tenho alguns compromissos... – um outro loiro, só que mais baixo, de voz mansa fala, olhando para o relógio

            - ... Kevin... deixa de ser chato... – Nick fala balançando-se na cadeira

            - CHATO?... Chato é um monte de produtores no seu pé... – o homem comenta, enfurecido

            - ... que saco! – o loiro começa a resmungar baixinho... – o Kevin só serve pra infernizar um... – ele fala consigo

            - ... se eu fosse você... eu calava a boca... antes que ele escute... – o homem de olhos arredondados fala bem perto de seu ouvido

            - Howie!!! Por favor... Estou com dor de cabeça... nem tomei café... – ele começa uma conversa paralela, enquanto o Kevin continua as reclamações - ... conheci uma mulher... – e revela sorrindo

            - Outra?... Nick... quantas namoradas você teve em um mês, cara? – Howie pergunta sem acreditar

            - ... sei lá... não fico contando... – ele acaba respondendo, sem se importar

            - ... ei... ei... a reunião é aqui... – Kevin fala, olhando para Howie e Nick, que param de conversar

            - Gente... é sério! Precisamos gravar o cd... ou não vamos mais... – Kevin começa - ... hoje à tarde... vamos começar... sem desculpas... todos aqui às duas da tarde... – e dá o ultimato

            - ... hoje vai ser um pouco complicado pra mim... tenho vários compromissos de carreira solo, primo! – Brian, o loiro baixinho comenta

            - Assim... não vamos escolher as músicas nunca... vocês... sempre tem algum compromisso de carreira... –  a voz de Kevin ecoa na sala - ... é melhor rasgar o contrato... – e acaba desabafando

            - ... você está muito estressado... precisa se divertir um pouco... – Nick ri, ironicamente, levantando a mão - ... posso te ajudar nisso...

            - ... eu tenho certeza que sim, Nick... – Kevin responde - ... vamos continua a reunião...

            O homem alto de olhos verdes continua, com várias interrupções, os desabafos e reclamações. O loiro alto, por alguns minutos, pára de prestar a atenção, viajando até a boate da noite anterior.

            Faltando cinco para o meio dia, o loiro lembra-se do almoço. Pula da cadeira, como se o tivessem beliscado, chamando a atenção.

 

            - Gente... lamento... mas tenho que ir... tenho um compromisso muito importante, que não pode esperar... – ele vai falando e se afastando cada vez mais da mesa, indo em direção a porta.

            - Nick... Nick... a reunião ainda não acabou... – Kevin levanta-se olhando para o loiro

            - Pra mim... acabou... tchauzinho... – o rapaz sai, praticamente correndo do lugar

 

            Mais uma vez, ele “corre” com o carro, chegando em minutos ao restaurante, indicado pela sua futura “vítima”. Ele entra no ambiente, olhando para os lados. Na porta, um homem de terno, cabelo no gel.

 

            - Boa Tarde, eu... é... marquei aqui com uma jovem... – o rapaz comenta

            - ... Sr. Carter? ... suponho... – o homem o observa de cima a baixo

            - Sim! Sou eu!... – o rapaz confirma, sorrindo

            - Acompanhe-me, por favor... a senhora o aguarda... – o homem pede que ele o siga, indo na frente

 

            Eles caminham pelo enorme salão, indo para uma área reservada. Na última mesa, a jovem estava sentada. Batom vermelho, cabelos presos, feito um coque, vestido nos joelhos, estampado com flores pequenas.

 

            - Está atrasado... – ela fala olhando para ele e sorrindo

            - ... desculpe... eu estava em uma reunião... – ele fala sentando-se e pegando o guardanapo, colocando no colo

            - ... Você sempre se atrasa em seus compromissos? – ela pergunta séria, com o olhar fixo nele

            - Não... não... – ele apenas responde, um pouco envergonhado

            - ... tempo para mim... é dinheiro... – ela comenta – vinho? – ela chama discretamente o garçom, que coloca o liquido em sua taça e logo em seguida na do moço

            - Para mim também... – ele diz, tomando um gole, um pouco sem graça - ... você comentou... ontem... que poderia ser que nem nos encontrássemos novamente... – e acaba lembrando

            - Mudei de idéia... Sr. Carter... – ela responde, com um olhar sedutor

            - Você sabe quem eu sou... mas.. e você?... – ele pergunta intrigado

            - Pandora Sanclear... dona da boate que você foi ontem... – ela apresenta-se

            - Quê?...  – ele quase se engasga com o vinho

            - ... vamos pedir o almoço... almoçar... e depois... – ela dá um sorriso enigmático - ... você me acompanhará...

            - Porque diz isso... com tanta propriedade? – ele pergunta, em tom ameaçador

            - ... sua curiosidade... – ela apenas diz

 

            Depois de sua última palavra, o garçom aproxima-se com o cardápio, eles recebem sem mais conversar. Pedem e almoçam em silêncio absoluto. Assim que terminam, ela levanta-se e ele a segue.

            Na porta, o motorista chega com o seu veículo, com vidros fumê. Ele abre a porta para que ela entre e logo em seguida, entra pela outra porta. Mesmo morrendo de curiosidade, ele não abre a boca, continua em silêncio.

 

            - Não se preocupe... vou mandar levar seu carro para casa... – ela que o silêncio

            - ... para onde vamos? – ele finalmente pergunta o que tanto queria

            - ... terá que esperar... – Pandora fala pegando um pano preto - ... tenho que colocar isso em você... – e comenta

            - O que é isso? – Nick pergunta, franzindo a testa

            - Uma venda... – ela começa a esclarecer - ... quero fazer um jogo com você... e isso faz parte do jogo

            - Tudo bem! – o loiro aceita a condição, mordendo o lábio inferior – pode ser...

           

            O rapaz, sem medo e sem pensar muito, vira-se de costas; Pandora, com a venda nas mãos, coloca nele, deixando-o no “escuro”. Ele senta-se direito novamente e começa a acariciar seu rosto, chegando bem perto.

            Ela morde de leve seus lábios, o moço gosta do início da brincadeira. A jovem pega algo, colocando em sua boca.

 

            - Morda!... Sinta o sabor... – ela ordena

            - Humm... mo... morango... docinho... – ele comenta degustando a fruta

 

            Antes que ela possa fazer qualquer outra coisa, o veículo pára. Pandora saí do carro, mas o loiro permanece no mesmo lugar. Ele espera e escuta a porta do seu lado ser aberta.

 

            - Não tire a venda! – Pandora pede, enquanto o ajuda a sair

 

            O loiro obedece, continuando sem ver nada. Ela começa a guiá-lo. Eles andam um pouco, primeiro em linha reta, depois, uma curva aqui, outra ali. Finalmente ela pede que ele sente-se, e o ajuda a fazê-lo.

            O rapaz fica sentado, sem se mexer, esperando algo acontecer. Ele acaba escutando o salto de seu sapato, vindo novamente em sua direção. Ela prende seus braços para trás.

            - Ei... espera aí... vendar os olhos... tudo bem... – ele sente algo frio e de metal o prendendo a cadeira - ... agora... esse negócio de amarrar... não é muito meu estilo não...

            - Calma... sei que você vai gostar... – ela fala em seu ouvido, dando uma pequena mordida de leve, fazendo-o arrepiar-se - ... confia em mim... – Pandora pede, abrindo sua camisa, alisando de leve seu tórax

            - Ah!... eu..eu.. nem te conheço... como posso confiar em vo-vo-você – ele sente seus toques, começando a ficar excitado

            - ... está com medo de um joguinho?... – a moça pergunta, ainda passando a mão pelo seu corpo - ... se quiser... paramos por aqui...

            - Nãoooo... ahhhhhh... – ele fica mais excitado - ... continua... continua – e repete 


Notas Finais


Aguardem próximo capítulo


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...