História A outra metade de mim - Capítulo 29


Escrita por: ~

Postado
Categorias Originais
Personagens Personagens Originais
Tags Amor, Cadeiras De Rodas, Drama, Erótico, Homem Apaixonado, Moça Na Cadeira De Rodas, Paixão, Romance, Sexo
Exibições 122
Palavras 1.979
Terminada Sim
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Famí­lia, Hentai, Romance e Novela, Shoujo (Romântico)
Avisos: Álcool, Drogas, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Nudez, Sexo, Violência
Aviso legal
Todos os personagens desta história são de minha propriedade intelectual.

Notas da Autora


Pessoal, aqui está o penultimo capitulo, o proximo já será o ultimo, então aproveitem!

Capítulo 29 - Capítulo 29 - Anjo.


Fanfic / Fanfiction A outra metade de mim - Capítulo 29 - Capítulo 29 - Anjo.

A experiência de compartilhar um apartamento com outra pessoa era completamente novo para mim, era excitante e diferente. Uma nova e boa fase estava começando em minha vida e eu estava aproveitando ao máximo. 

Com o passar dos dias eu descobri que éramos aquele casal que todos chamam de tradicional, aqueles que trabalham o dia inteiro, se encontram no final da tarde, fazem o jantar juntos e passam o resto da noite descobrindo cada canto do corpo que ainda não foi explorado.

A minha alta estima estava se elevando rapidamente, eu estava me redescobrindo novamente, dentro de mim havia uma nova mulher, aquela mulher depois do acidente que estava lutando dentro de mim para ser descoberta, e aos poucos eu estava libertando ela e me sentindo melhor a cada descoberta.

Minha vida não era cheia de surpresas, havia uma rotina a se seguir: acordar, trabalhar, voltar para casa e fazer amor com o meu namorado. Muitos poderiam dizer que era uma rotina entediante, porém eu estava feliz em seguir essa rotina pelo resto dos meus dias.

- Eu conheço essa ex-pressão, você está sonhan-do alto! - Linda exclama chamando minha atenção enquanto praticava exercícios em minha perna direita, ela estava linda gravida, tão linda que fazia jus ao nome dela.

- Eu estava sonhando, estava pensando no quanto minha vida mudou.

- Eu sabi-a que você seria feliz Elle, olhe para onde você está, você con-quis-tou muitas coisas em um curto espa-ço de tempo, nunca deixe a dor te pegar nova-mente, ela é uma doença.

- Não irei Linda, não há mais dor dentro de mim, apenas felicidade, a cada dia eu aprendo a ver minha condição de um ponto de vista melhor, eu sempre sentirei falta das minhas pernas, mas elas já não fazem mais parte de mim, da minha estrutura, então estou aprendendo a fazer tudo o que eu fazia sem as forças dela para me sustentar - a aceitação é difícil, é como uma ferroada que deixa seu corpo inchado, entretanto sinto que estou no caminho para a aceitação completa.

- Isso é bom - Linda sorri - Alexan-der já não deveria ter chegado?

- Sim - olho o relógio que está pendurado na parede, os ponteiros marcavam sete horas da noite - Ele está chegando tarde essa semana, algo importante deve ter surgido.

Olho ao redor e fico satisfeita ao ver meu pequeno apartamento em ordem, a decoração rustica dava um toque simples, era isso o que eu queria. As duas semanas para colocar esse apartamento em ordem foram bem aproveitadas.

O tempo de fisioterapia termina, passo para a cadeira e ajudo linda a guardar seu pertences, assim que terminamos levo-a em direção a porta ao mesmo tempo em que a campainha toca, ela abre a porta e encontra Roben, seu marido e um dos médicos que cuidou de mim.

- É bom te ver Elle - ele sorri.

- Igualmente.

- Alexander já está subindo, o encontrei enquanto estava subindo, ele está estacionando o carro - assinto, Linda pega sua mão e nos despedimos, é maravilhoso vê-la irradiar de alegria.

As portas do elevador se abrem e Alexander aparece ao mesmo tempo em que Linda e Roben entram, eles se cumprimentam rapidamente e Alexander vem até mim com um sorriso estampado no rosto.

- Desculpe chegar tarde, mas amanhã o dia será nosso - os finais de semanas se tornaram os dias mais esperados por mim, assim eu poderia ficar ao seu lado o dia todo - Trouxe pizza, já está tarde para fazer o jantar.

Ele segue para a cozinha enquanto eu vou para a sala, desloco-me da cadeira sentando no tapete felpudo e ligo a televisão, Alexander retorna com a caixa de pizza na mão e dois copos de suco, ele se acomoda ao meu lado e começamos a comer.

- Amanhã quero te levar a um lugar especial - ele beija minha têmpora e morde mais um pedaço da sua pizza.

- Que lugar é esse? - a curiosidade começa a despertar diretamente do meu âmago, pego sua pizza antes que ele a leve novamente em direção a sua boca e o encaro inflexível.

- Ei - ele tenta pegar a pizza de volta e a jogo de volta na caixa - Você é uma menina muito má, você sabe o que acontece com meninas más?

- Você atiçou minha curiosidade - digo, sorrio inocentemente e dou de ombros. Inesperadamente seu corpo cobre o meu e grito rindo quando meu corpo cai sobre o tapete felpudo. 

- Elle, você irá saber apenas amanhã - praticamente me desfaço diante dos seus olhos, levo minha mão ao seu rosto e o puxo em direção aos meus lábios, meus dedos automaticamente desfazem os botões da sua camisa com pressa, as roupas sempre são um processo frustrante, ainda mais depois de um longo dia de trabalho.

Alexander puxa a calça do meu pijama e o joga em algum canto junto com minha blusa e sutiã, a calcinha teve o mesmo rumo e assim que eu me encontrei nua Alexander fez um rápido trabalho em se livrar de sua calça social e cueca box.

- Eu vou fazer isso bem gostoso e rápido - tudo que posso fazer é assentir em meio a névoa de prazer, sinto seus dedos entrando em contato com minha vagina e solto um sonoro gemido ao senti-lo massagear meu clitóris - Bem molhada, do jeito que eu gosto - Alexander pega minhas pernas e as coloca em cima do seu ombro, nessa posição estou completamente a mercê dele, ele que controla meu corpo e o ritmo.

Alexander entra tão abruptamente fazendo-me gemer de prazer, meu corpo se ajusta ao seu completando um ao outro, dando e recebendo prazer.

Fecho meus olhos quando sua mão circula meu seio em formato de concha e o aperta, a combinação das suas investidas junto a isso é afrodisíaco. Lentamente abro meus olhos para ver seus dedos brincarem com meu mamilo direito, sigo meu olho diretamente para baixo e vejo a junção de nossas carnes, ouvindo o barulho que elas emitem cada vez que elas se encontram, e meu olhar de puro prazer deixa Alexander do jeito que eu quero feroz.

Suas investidas começam a se tornar cada vez mais duras deixando-me quase sem folego, a sensação já tão bem conhecida por mim começa a se construir em meu ventre e é nesse momento que a vontade de me mexer meu quadril me deixa a beira da insanidade. Aperto seu pênis dentro de mim a cada segundo que sinto o orgasmo chegando, massageando-o e ganhando deliciosos grunhidos em troca.

- Vou ir um pouco mais forte, se você não quiser... - seus movimentos começam a se tornar erráticos e reviro os olhos ao sentir meu clímax me alcançar.

- De tudo de si - murmuro sofregamente, sua ultima e dura investida me levou a um show orgásmico poderoso. Eu sentia seu esperma me preencher a cada investida, seus gemidos roucos penetravam em meu ouvido denunciando o quanto o orgasmo era maravilhoso, era fodidamente fantástico as sensações que podíamos dar um para o outro.

Por alguns segundos olhamos um para o outro até que Alexander se aconchega no meio das minhas pernas e deita por cima de mim, ele planta um beijo carinhoso na minha testa e roça o seu nariz no meu, esse era o momento que eu mais amava depois do sexo, eu simplesmente amava ver o amor cintilando em seus olhos.

- Você vai adorar a surpresa - ele sussurra em meu ouvido.

- Tenho certeza que irei.

 

***

 

Tive que prometer dezenas de vezes de que não iria abrir os olhos, e por mais que quisesse saber para onde estávamos indo eu sabia que a antecipação era a melhor sensação. 

Eu pude sentir a mudança do cheiro do ar conforme seguíamos de carro em direção ao "lugar especial", soube o exato momento em que deixamos o ar poluente da cidade, pois o ar que eu respiro nesse momento é limpo e fresco, e muito familiar. O cheiro de grama molhada e variados tipos de flores preenchem minhas narinas e torna-se impossível não sorrir, uma vez que eu já sabia onde estávamos.

O carro parou e meu coração começou a disparar desenfreadamente, eu sinto que dessa vez nós não viemos para nadar na cachoeira e fazer um piquenique, do contrário Alexander não teria preparado essa surpresa.

- Estamos na propriedade do seu pai? - recebo o silêncio como resposta a minha pergunta, ouço a porta se abrir e seus passos pesados darem a volta ao redor do carro, minha porta é aberta e Alexander me pega em seus braços colocando-me sentada sobre a cadeira de rodas.

- Respondendo a sua pergunta esse não é a propriedade do meu pai, é nossa.

- Nossa? - pergunto confusa.

- Sim, abra os olhos - e então eu os abro.

Eu perco o ar enquanto observo a grandeza a minha frente, tento falar repetidas vezes, mas não consigo emitir nenhuma palavra, simplesmente não consigo expressar algo, me encontro completamente sem os sentidos básicos do corpo humano.

- Eu comprei do meu pai, agora ela é nossa.

- Nossa? – pergunto novamente, devo estar parecendo uma pessoa com doenças mentais.

- Sim, nossa – Alexander aperta meu ombro e ambos olhamos para a frente, para onde está sendo construído a casa dos sonhos, eu irei morar no paraíso – Eu percebi o quanto você gostou daqui e isso foi o empurrão que eu precisava, nós iremos morar aqui assim que a construção terminar, porém isso irá demorar um pouco. Começamos nessa semana a erguer as paredes, entretanto iremos juntos distribuir os cômodos, eu quero que essa casa seja do jeito que você planejar.

- Eu... estou sem palavras, isso é extraordinário Alexander – meus olhos devem estar brilhando de pura empolgação nesse momento, olho para ele e deixo-o ver o quanto me faz feliz.

- Não é apenas essa surpresa que eu guardo – Alexander sorri serenamente e se ajoelha na minha frente ficando na minha altura, nos tornando iguais – Deus sabe o quanto eu sou apaixonado por você e até mesmo agradeço mentalmente ao meu pai por me mandar para cá para cuidar da sua empresa, do contrário eu jamais teria te conhecido. Quanto te vi naquele dia em que acidentalmente te derrubei eu sabia que você era especial, eu conseguia enxergar a sua dor, seu sofrimento e eu queria curá-la, eu mal te conhecia e já sabia que você iria me mudar. Você trouxe algo para o meu coração que até pouco tempo eu desconhecia, o amor, e eu sou sortudo por ter uma mulher como você. Eu não te conheci antes, não conheci a Elle antes do acidente, mas essa mulher que está na minha frente é surpreendente, maravilhosa e tem um bom coração, isso me cativou e ainda me cativa todas as manhãs quando acordo ao seu lado e te encontro sorrindo – deixo a primeira lágrima de muitas que ainda irão cair, eu já sei o que está por vir e quero que Alexander chegue na ultima parte para que eu diga a resposta que ele espera ouvir, pois não há outra a não ser essa – Elle, eu quero que você saiba que eu estarei aqui por você todos os dias, eu serei seu apoio, seu amante, aquele para qual você pode confessar o que desejar e futuramente serei o seu marido. Eu posso estar me precipitando, talvez seja cedo demais, mas eu não consigo mais me conter, eu preciso te perguntar. Elle, você quer ser minha esposa?

Um sorriso vagarosamente desponta dos meus lábios e aperto suas mãos encarando seu olhar ansioso.

- Sim, não há outra resposta Alexander. Obrigado por ser a pessoa que veio como um anjo para mudar o rumo da minha vida – sorrimos e juntamos nossos lábios com a promessa de um futuro maravilhoso.

 



Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...