História A outra Petrova - Capítulo 1


Escrita por: ~

Postado
Categorias The Vampire Diaries
Personagens Damon Salvatore, Elena Gilbert, Elijah Mikaelson, Katherine Pierce, Klaus Mikaelson, Kol Mikaelson, Personagens Originais, Rebekah Mikaelson, Stefan Salvatore
Tags Petrova, The Vampire Diares
Exibições 6
Palavras 633
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 16 ANOS
Gêneros: Aventura, Crossover, Drama (Tragédia), Romance e Novela, Suspense
Avisos: Insinuação de sexo, Violência
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Notas da Autora


Oi genteeee
Estou aqui com mais uma fanfic, dessa vez com uma das minhas series favoritas kkkk
Espero mt que gostem <333

Capítulo 1 - Introdução


Fanfic / Fanfiction A outra Petrova - Capítulo 1 - Introdução

Passado

– Anna, ande logo – Tatiana disse impaciente.

– Eu já estou indo, Tatiana – Respondi. Eu nunca usava seu nome completo, a menos que eu tivesse a chance.

Tatia bufou. Eu sabia que ela odiava quando eu falava seu nome.

– Desde quando estamos com pressa para apanhar flores? – Perguntei.

–Desde que eu disse que estamos – Ela disse e eu ri.

Ela era minha irmã e melhor amiga, todos os domingos nós caminhávamos pela aldeia até o campo das flores. Tatia e eu gostávamos de colher as rosas. Íamos para o campo quando precisávamos pensar ou só quando estávamos entediadas. Íamos lá desde crianças.

Nosso pai tinha fugido e agora ficamos com nossa mãe, 2 cavalos, um galo, 3 galinhas, uma vaca e o nosso pequeno bangalô na periferia da aldeia. Minha mãe era costureira, ela fez todos os nossos vestidos e todos os vestidos para as mulheres da aldeia. Tatiana e eu geralmente saiamos para o bosque para tentar escapar do bangalô, que estava sempre de cheio de mulheres com seus acessórios e tudo mais. Nós não éramos pobres, mas também não éramos ricas, classe média, eu acho que esse é o termo certo. Nada de interessante acontecia. Nada. Eu ia acabar me sufocando com minhas próprias palavras.

Eu estava a pegar uma rosa vermelha, quando escuto Tatia suspirar.

– O que foi, Tatia? – Perguntei.

– Ah, eu não sei, eu só estava pensando se é apropriado para nós, jovens de 16 anos, estarmos colhendo flores em vez de estar preparando uma refeição ou algo assim. Você conhece Meredith? Da estrada abaixo? Sua mãe faz com que ela cozinhe o dia todo – Disse Tatia.

– Suponho que mamãe possa querer nossa ajuda – Eu disse em um tom preguiçoso.

A verdade é que nós fazíamos tudo que podíamos para ajudar nossa mãe. Dia após dia, semana após semana, mas sempre havia tanta gente. Eu sempre quis saber como minha mãe colocava todas aquelas mulheres em nossa pequena casa. Foi difícil sem papai, minha mãe teve que trabalhar mais tempo, Tatia e eu tivemos que trabalhar mais e o pior era que o coração de Tatia tinha sido quebrado. Ela adorava o papai. Eles costumavam fazer tudo juntos quando de repente... ele se foi. Pobre Tatia. Eu odiava meu pai e ele odiava minha mãe e a mim.

– Entrem meninas – Minha mãe chamou com um aceno.

Nós entramos e fechamos a porta.

– Mamãe o que é tudo isso? – Perguntei.

– Essa é Ruth. Ela é irmã do seu pai. Ela veio nos informar da morte de seu pai, sei que isso pode ser chocante – Minha mãe disse tristemente.

Com uma respiração profunda ela continuou.

– Ruth veio levar uma de vocês para viajar com ela, pelo visto era desejo do seu pai que suas filhas experimentassem o mundo – Minha mãe disse.

Tatia e eu nos olhamos tristemente.

– Eu sinto muito, Tatia

– Eu também – Foi a sua resposta.

– Então Ruth qual é? – Minha mãe pergunta.

– O que quer dizer? Está dizendo que vai nos separar? – Tatia se exaltou indo para mais perto de mim.

– Está tudo bem, Tati – Disse suavemente.

– Sinto muito meninas.

– Está tudo bem, vocês vão se ver em pouco tempo – Minha mãe nos reconfortou.

Ruth suspirou.

– Suas coisas estão embaladas Anastasia – Ela disse alegremente.

Os olhos de Tatia se encheram de água.

– Está tudo bem, Tatia. Vamos nos ver em pouco tempo. Ajude a mamãe e colha margaridas e rosas todos os domingos – Eu disse a ela e logo depois lhe deu um abraço apertado.

– Eu te amo, Anastasia. Fique segura e volte logo – Ela disse e eu balancei a cabeça.

Logo depois minha mãe me deu um forte abraço.

– Eu te amo, Anna. Volte logo.

– Eu também te amo mamãe.

Minha mãe beijou meu rosto e Tatiana beijou minha testa em seguida eu segui tia Ruth até a saída.


Notas Finais


Desculpem qualquer erro.
Comentem o que acharam <3


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...