História A outra Potter e a viagem no tempo - Capítulo 5


Escrita por: ~

Postado
Categorias Harry Potter
Personagens Alice Longbottom, Alvo Dumbledore, Alvo Potter, Arthur Weasley, Dominique Weasley, Draco Malfoy, Euphemia Potter, Fleamont Potter, Fleur Delacour, Gina Weasley, Gui Weasley, Hermione Granger, Hugo Weasley, Lílian Evans, Lílian L. Potter, Lysander Scamander, Narcissa Black Malfoy, Nymphadora Tonks, Regulus Black, Remo Lupin, Ronald Weasley, Rose Weasley, Scorpius Malfoy, Sirius Black, Ted Lupin, Tiago Potter, Tiago S. Potter
Tags Harry Potter, Marotos, Viagem No Tempo
Visualizações 29
Palavras 698
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 14 ANOS
Gêneros: Ação, Famí­lia, Fantasia, Magia, Romance e Novela, Universo Alternativo

Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Capítulo 5 - Lucy e Remo


Fanfic / Fanfiction A outra Potter e a viagem no tempo - Capítulo 5 - Lucy e Remo

Voltar no tempo requer muito esforço, mas não esforço fisico, tá mais para um esforço emocional, saber que tudo isso depende de você, a vida de todos que eu conheço e amo esta nas minhas mãos, me faz questionar se sou mesmo capaz de realizar tal missão, faz com que eu fique pensando, será mesmo que eu sou uma Potter de verdade?

Eu havia acabado de sentar em uma poltrona na sala precisa de frente a lareira que queimava de forma lenta e silenciosa, ao meu lado estava meu pai passando a mão em meu cabelo de forma delicada e carinhosa, parecia que eu estava em casa denovo, sem guerra, sem viagem no tempo, apenas eu e meu pai, mas como tudo que é bom dura pouco.

-PONTAS! PONTAS! - Sirius entra correndo pela sala precisa como um alucinado procurando pelo meu pai. -VIADO!

-Pelo amor de merlin Sirius, é cervo, CERVO! - Meu pai grita respondendo ao amigo me fazendo rir.

-Tanto faz, você ainda não pegou a Lily então não temos certeza ainda que você gosta de mulher meu caro amigo. -Rio do jeito malicioso de Sirius.

-Serio Sirius? E como você explicaria meus filhos?

-Meu caro pontas, não esqueça que temos magia, tudo é possivel. -Olho para ele revoltada. -Mas esqueça isso e vem logo.

-Não quero cansar minha beleza.

-Que beleza? A de trasgo?

-Eu não sou você Sirius.

-Claro que não é, eu sou perfeito e maravilhoso, mas agora é serio vem logo.

-Qual o problema?

-Remo.

Não espero nem ele terminar de falar e já saiu correndo atrás de onde se encontrava Remo, pode parecer imprudente, mas Remo é meu padrinho e eu faria qualquer coisa para ajuda-lo no que for preciso.

Entrei ele perto do lago negro um pouco transtornado conversando com Tonks que geticulava constantemente parecendo nervosa, fecho os olhos e aparato ao lado deles ouvindo uma parte da discusão deles.

-Qual o problema da gente se conhecer melhor Lupin? Vamos ter um filho no futuro, isso prova que temos uma relaçao mais intima.

-Mas voce não entende Nymphadora, eu sou perigoso para você e essa criança que teremos. -Não entendo ele, eles ainda não estão no tempo certo para ter o Teddy, então porque essa discusão toda?

-Remo? Remo Lupin! -Grito chamando a atenção dos dois para mim. -Podemos conversar, por favor?

Ele concorda passando as mãos no cabelo em sinal de nervosismo, pego uma das suas mãos com um sorriso no rosto e o levo para o outro lado do lago para uma conversa franca com ele. Quando já estavamos longe o suficiente de todos paro em um ponto da extremidade do lago e olho para ele, pego uma pedra do chão e entrego a ele indicando o lago para ele jogar, sem pensar duas vezes jogar a pedra com força.

-Uma vez você foi passar o fim de semana comigo em Hogsmeade, e disse que na vida não devemos pensar nas consequências do agora e sim se vale a pena essas consequências acontecer, e, eu acreditei em você. -Jogo uma pedra junto dele e me viro na sua direção. - Tem certeza que quer sacrificar momentos de felicidades por causa de uma coisa que pode ser controlada? Por que as suas transformaçoes são controladas por você, e apenas você é capaz de controlar sua vida.

-E se eu machuca-la? E o Teddy herdar a licantropia?

-Você já perguntou isso a ele? Você ao menos já conversou com o seu filho Remo?

-Não...

-Converse com seu filho, tente ser um pai para ele, descubra como é bom ter uma familia. -Abraço ele pela cintura colocando a cabeça em seu pescoço. - Eu te amo Remo, você é o melhor padrinho do mundo, é como um pai para mim, mas o seu filho tambem merece ter um pai.

-Você tem razão, mas não espere um casamento pequena.

-Eu? Esperar um casamento? Que nada, eu já planejei todo o casamento. -Digo e saio correndo ate o castelo.

-Lucy! Volta aqui sua capeta!!!

[ é pequeno o capitulo, mas é apenas para vocês perceberem como é a relaçao dela com o padrinho, não é superficial, é um amor fraterno, pai e filha, uma amizade que ultrapassa a a barreiras da sociedade, por que tudo com magia é possivel.

Beijos e ate o proximo capitulo, não esqueçam de comentar. 😘❤]



Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...