História A Passionate WonWoo - Capítulo 4


Escrita por: ~

Postado
Categorias Seventeen
Tags Meanie
Exibições 76
Palavras 1.040
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Colegial, Ecchi, Fluffy, Lemon, Romance e Novela
Avisos: Álcool, Homossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Nudez, Sexo
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas da Autora


ANNYEONG~! POR INCRÍVEL QUE PAREÇA, BOO TROUXA YOORA TÁ DE VOLTA.
Vcs vão me desculpar mas eu n tava conseguindo mesmo, mas agora foi, ahn?? Pensa numa pessoa alegre, então sou eu mesma. Com vcs: altas mudanças, pode entrar. Aproveitem e capítulo e desculpem qualquer erro, rs.

Capítulo 4 - Nova Tentativa de Espionagem


Depois de minha conversa com MingHao, Jun havia pedido para que eu o ajudasse com suas desculpas. Não respondi a mensagem, já que MingHao suplicara para que eu não o fizesse, enquanto acabava com minha barra de chocolate meio amarga.

Ele estava em minha casa, pois seus pais estavam em uma viagem para comemorar o aniversário de casamento. Então a mãe dele pediu que a minha cuidasse da criatura, já que as chances de MingHao botar fogo na casa cozinhando lámen sozinho eram altas.

Acabou que ele ficaria uma semana, dividindo o quarto comigo. Contando de hoje, já haviam se passado dois dias, e nos dois dias eu escutei o garoto murmurar: “O que aquela garota tem que eu não tenho?! Eu vou matar JunHui”, isso pelo menos de cinco em cinco minutos.

– Por acaso seu disco quebrou, Hao? – Falei, revirando os olhos.

– Tá Gyu, já parei. Mas e aí, WonWoo voltou a falar com você ou não? – Ele realmente sabia mudar de assunto.

– Não, – murmurei – ainda está me evitando.

A história foi a seguinte: nem eu sei. WonWoo simplesmente decidiu que seria uma boa ideia me ignorar, e cumpria a decisão regularmente. Estava determinado em abordá-lo na próxima aula de química – que seria no dia seguinte – para saber o que diabos estava acontecendo.

– Eu posso perguntar para ele, se quiser. Então te conto depois.

Ok, com essa proposta, por que não arriscar? Estava farto de ser ignorado o tempo inteiro, e sentia falta de Jeon – odeio admitir, sim.

– Por que não sugeriu antes?! – Foi ver minha expressão ansiosa e logo MingHao pegou o celular para falar com WonWoo.

Esperei algum tempo, deitando na cama, mas logo senti um sono invadir-me e, inevitavelmente, dormi, sem ler a resposta que tanto me interessava.

 

Acordei com uma dor de cabeça terrível, mas não me importei em levantar apressado e procurar meu amigo pela casa. Provavelmente ele já tinha descoberto os motivos de WonWoo, e eu estava extremamente curioso.

Andei por todos os cômodos em sua procura, mas a única coisa que consegui encontrar foi seu celular. Sem hesitar, desbloqueei o aparelho – rindo ao ver que acertei a senha de primeira, mesmo que antes eu não a soubesse – e abri o aplicativo de mensagens.

 

[WonWoo]

Você pode vir aqui em casa? Quero falar com você, e tem relação com a pergunta.

[Você/MingHao]

Claro, sorte que Mingyu está dormindo.

 

Aquele falso realmente tinha me deixado, e duvido que me conte tudo depois que chegar. Então o que Kim Mingyu faria? Exatamente, eu bancaria o espião de novo. Tentaria, dessa vez, ficar longe de arbustos.

Peguei meu moletom rosa e saí, com sorte por estar no horário do ônibus que deveria pegar. Nem mesmo deu tempo de ficar na parada, ele chegou e, felizmente, estava vazio. Sentei no fundo, enquanto colocava meu casaco e observava as gotas finas de chuva chocando-se contra a janela.

Chegado a meu objetivo, o que era para ser um simples chuvisco tornou-se uma tempestade. Não me importava em molhar-me um pouco, já que ainda teria que andar alguns metros para chegar a casa, mas tinha certeza que resultaria numa forte gripe do dia seguinte.

“Esses dois me pagam”, pensava, enquanto pulava das poças na calçada, desviando normalmente vez ou outra e rindo sozinho. Parecia, no mínimo, um idiota.

Parei quando vi a grade branca a minha frente, refletindo como entraria sem fazer algum barulho. Resolvi que iria pular, de preferência o mais cuidadosamente possível. Comecei a escalar e logo podia ver, de cima, o quarto de WonWoo.

Vacilei um pouco e apreciei a visão do dono do quarto ao abrir a porta para MingHao. A raiva que sentia por ser ignorado passou quase que automaticamente, e decidi por continuar minha invasão.

Já adentrado o jardim, me agachei em frente à janela de vidro, enquanto escutava – com certa dificuldade – o assunto dos garotos.

Joshua me disse que Mingyu e você estão juntos, é verdade? É que pelo que sei você gosta do... – a voz de WonWoo era abafada pela parede, mas consegui escutar com clareza a sua pergunta. Minha risada foi inevitável.

Nem termine essa frase! Eu gosto dessa pessoa sim, Jeon besta WonWoo. Mas Mingyu e eu? De onde Jisoo tirou uma ideia tão idiota? – Pelo visto não fora apenas eu quem achara a questão uma piada, pois MingHao ria como uma criança. – Mas o que isso tem a ver?

Comecei a soluçar, e pensei que seria descoberto quando Jeon escancarou a janela acima de mim. Tapei minha boca com as duas mãos e encolhi-me contra a parede.

Soltei um suspiro de alívio ao escutá-lo saindo, e a conversa pôde ser mais bem escutada, sem o mesmo som abafado de antes.

– Sobre eu estar evitando Gyu? Ahn... Eu-meio-que-gosto-dele. – Falou rápido, mas o suficiente para eu entender.

Não grite, não grite, não grite.

– Então é por ele que você está apaixonado?! – O espanto na voz de MingHao era evidente – Que gosto péssimo, Jeon. – Riu da própria brincadeira.

Falando de mim pelas costas e nem estou ai para me defender. Com certeza irei me lembrar disso.

É, eu acho que é isso mesmo. – Revirei os olhos pelo “acho”.

Ok, eu descobri o que queria. Meu estômago revirava-se em felicidade e inquietação, e a primeira coisa que pude pensar ao ouvir a declaração foi apressar-me para ir embora. Estava envergonhado e não queria parecer um bisbilhoteiro de novo.

Saí dali tão rápido que poderia, com certeza, ser o próximo vilão da série do Flash. Sorria como um bobo, enquanto passava pelas vitrines das lojas e encarava minha expressão animada.

Quem resistiria a uma pessoa tão bonita, afinal? Certo, não é hora para ser convencido. Eu estava realmente alegre, mas sentia-me estranho ao descobrir algo tão importante depois de espreitar conversas alheias, sem ser dito diretamente para mim.

Ainda chovia e julguei ser mais sensato proteger-me do frio. Avistei uma cafeteria, com pisca-piscas convidando-me a entrar. Foi o que fiz, já ansioso para um bom e quente capuccino.

O lugar era aconchegante, com mesas, cadeiras e paredes de madeira e plantas por toda parte. Parecia elegante, embora também muito confortável.

Fiz meu pedido para uma moça simpática, mas outro funcionário o trouxe.

– Seungcheol? – Surpreendi-me ao reconhecer meu amigo que não via há dois anos.


Notas Finais


Beleza, para vcs n ficarem perdidos em tanta mudança: FOCA MUITO NO SEUNGCHEOL AINDA E NO JISOO TBM. O que acharam? Antes tava melhor ou comequié? Eu acho que o rumo da história vai ficar muito melhor agora, então sorry sorry quem num gostou, mas agora tô mais satisfeita e animada para continuar.
ENFIM COMENTEM pufavô, até o próximo cap q com certeza n demora pra sair (eu me afundei em várias fanfics n sei qual atualizar primeiro, mas num vou vacilar com vcs de novo).
AMO VCS ♥


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...