História A patricinha e o grafiteiro - Capítulo 8


Escrita por: ~ e ~kamillaah

Postado
Categorias Malhação
Exibições 11
Palavras 907
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 16 ANOS
Gêneros: Romance e Novela
Avisos: Álcool, Insinuação de sexo, Nudez, Sexo
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Notas do Autor


Boa noite galerinha!
Pra compensar o tempo perdido, dois cap novinho pra vocês!

Capítulo 8 - Choro não combina com você


Acordei no dia seguinte atrasada pra escola, mal dormi a noite, fui até o banheiro e tomei um banho rápido, vesti uma calça jeans, a blusa da escola, prendi meu cabelo em um coque, passei uma leve maquiagem, peguei minha mochila e desci, dona Tania estava em casa, o que me durou surpresa.
- Bom dia Tania – falei.
- Bom dia filha, pra você é mãe – ela disse sorrindo.
- Ok mãe, vou indo tchau.
Sai rapidamente pra escola, encontrei com Manu que parecia bem melhor que ontem .
- Oi amiga – falei.
- Oi -ela respondeu um pouco animada.
- Você está melhor? – perguntei.
- Estou indo, meu pai ainda...
O barulho do meu celular interrompeu nossa conversa, olhei no visor, outra mensagem do desconhecido.
Xxx: Boa aula princesa.
Sorri com aquilo, estava estranho, mas era bom saber que alguém gostava de mim.
- Quem é? – perguntou Manuela.
- Olha só – peguei meu celular e mostrei todas as mensagens pra ela, Manuela ficou curiosa e intrigada. – Começou ontem à noite – falei.
- Quem será? – Manu perguntou curiosa.
- Não faço a mínima ideia, eu até achei que fosse o Jabá, mas isso não faz o estilo dele – falei.
- Não mesmo, vamos descobrir quem é – sugeriu Manuela.
- Vamos esperar mais um pouco, estou gostando do mistério – falei sorridente.
- Tá se achando – Manu disse mostrando a língua pra mim.
Dei de ombros pra ela e respondi meu “novo amigo”.
De Luíza: Obrigado meu admirador.
Salvei seu número como “My Secret Friend” e desliguei o celular, em seguida fomos pra sala de aula, passei por Lucas que estava junto de Juliana, ele me olhou de modo estranho e desvio o olhar, fiz o mesmo e entrei direto pra sala. As duas primeira aulas de matemática passaram rápido, o sinal do intervalo tocou e nós saímos, Manuela foi ao banheiro enquanto eu fui comprar alguma coisa pra comer, sai da fila e sem querer esbarrei em Juliana, a ruiva me olhou com fúria.
- Tá cega garota.
- Desculpa, eu não te vi – falei.
- Ah, a patricinha sabe pedir desculpas é? – ela disse debochando.
- Sei sim, agora da licença garota – falei saindo, mas ela me puxou pelo braço.
- Você se acha muito né, só porque a mamãe é rica, quer saber? Meu pai é famoso e nem por isso eu ajo desse jeito – gritou Juliana.
- Me solta – falei puxando meu braço. – Qual o seu problema comigo? Eu nunca te fiz nada – disse.
- Ah não, você humilha as pessoas, passa por cima de todos só porque tem dinheiro, acorda garota.
- Cala a boca, você é uma idiota, não sabe o que tá dizendo – gritei.
Nesse momento a multidão estava formada, Manuela chegou correndo e se assustou ao me vir discutindo com Juliana, Lucas também chegou e tentou conter a namorada.
- Juliana chega – disse ele.
- Chega nada Lucas, essa dai precisa ouvir umas verdades, ela acha que porque é bonitinha e riquinha pode fazer o que quiser, mas meu amor, o mundo não é assim, ele é bem mais cruel, principalmente com pessoas feito você – esbravejou Juliana.
- Juliana chega – gritou Manuela.
- E você Manuela, não devia andar com essa dai não, se fosse boa pessoa o pai não tinha abandonado ela e a mãe.
Agora Juliana tinha pegado pesado, o assunto do meu pai era logo que eu sempre evitava, eu sofri muito quando ele me abandonou e desde então eu não falava sobre isso. Não respondi, sai correndo dali ignorando os chamados de Manuela, me tranquei no banheiro e comecei a chorar, eu realmente era uma pessoa ruim, todos deviam me odiar, eu era a patricinha mimada, que humilhava as pessoas. Manuela chegou e bateu na porta, pedia pra eu abrir, o que eu neguei.
- Abre por favor amiga – pedia ela.
- Manu, eu quero ficar sozinha – falei entre soluços.
- Olha, a Juliana pegou pesado sim, mas ela não fez por mal...
- Me deixa Manuela, por favor – falei rude.
Acho que ela acabou atendendo aos meus pedidos, não ouvi mais barulho ou chamados, continuei lá trancada e chorando.
...................................x.......................
Acordei com batidas na porta, meus braços e minhas pernas doíam, olhei em volta e percebi que tinha dormido no banheiro da escola, que droga, pensei.
- Abre essa porta – a voz grave do diretor falou alto.
Peguei minha mochila e abri a porta, Correa me olhou intrigado, em seguida adentrou o banheiro pra ver se tinha alguém comigo, claro que não encontrou nada.
- Senhorita Luíza, deu pra dormir em banheiro agora – ele disse irritado.
- Foi mal, acabei me distraindo e peguei no sono – falei.
- Ótimo, as aulas já acabaram, só sobrou você, pode ir, mas da próxima vez que matar aula vai levar suspensão.
Apenas concordei e sai dali, a escola realmente estava vazia, peguei meu celular e tinha varias chamadas e mensagens, algumas de Manuela e algumas do meu admirador.
De Manuela: Amiga me atende.
De Manuela: Luíza me atende por favor, já te liguei cinco vezes.
De Manuela: Quando quiser conversar, me liga. Beijo!

Apaguei todas e em seguida li as do meu novo amigo.
De My Secret Friend: Seu? Haha gostei disso.
De My Secret Friend: Está no intervalo?
E a última que me deixou bem intrigada.
De My Secret friend: Choro não combina com você, seu rosto é lindo demais pra chorar por quem não vale a pena.



Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...