História A pequena gangue de Park Jeongguk - Capítulo 1


Escrita por: ~

Postado
Categorias Bangtan Boys (BTS)
Personagens Jimin, Jungkook, Personagens Originais
Tags Ahhh Que Fofura, Bunnykook, Jikook, Jimin, Jungkook, Kookmin, Mpreg, Nochuday, Projeto Begin, Trigêmeos
Visualizações 1.505
Palavras 8.074
Terminada Sim
LIVRE PARA TODOS OS PÚBLICOS
Gêneros: Comédia, Famí­lia, Fluffy
Avisos: Gravidez Masculina (MPreg), Homossexualidade
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas do Autor


Olha a louca, achei que logo eu, quem começou o projeto pro aniversário do neném, não ia conseguir postar algo kkkkkkkkk Mas essa é só a primeira OS, pretendo fazer mais.

Mais uma vez, me desculpem por ela ser tão grande, às vezes não consigo me conter, É UM PROBLEMA SÉRIO, PERDÃO.

De qualquer forma, a ideia de trigêmeos sempre foi algo que eu quis fazer, e provavelmente farei mais vezes, quem sabe né? Me diverti bastante escrevendo isso. E espero que gostem dos nomes dos bebês, vai ser tudo explicadinho hehe

Enfim, espero mesmo que se divirtam lendo. Obrigadaaaaaaaaaaa <3

Capítulo 1 - Melhor mundo do papai.


 

Jeongguk e Jimin já passaram por coisas difíceis em suas vidas, é claro que sim, afinal, é assim que as coisas são, certo? Todos são enviados para a Terra, tem a vida perfeita quando bebês, com serviçais que fazem tudo pra você e te carregam para todos os lugares. Já nascemos de férias, não é ótimo?

Bem, sim, para os bebês é incrível. Mas vamos pensar nos ''serviçais''. Ou, se preferirem, os papais. Além de estarem cansados o tempo todo, ainda precisam lidar com cheiros desagradáveis, sons ensurdecedores e, wow, esse sapatinho é feito de ouro? Por que caralhos é tão caro?!

Ok, então um bebê não é a coisa mais fácil de se lidar na vida. Agora, imagine três. Três crianças. Pior, três crianças de uma vez só. Trigêmeos!

Bem, não os entenda de forma errada, haviam planejado ter um bebê, e Jimin precisou se sentar e tomar um bom copo de água com açúcar quando soube da novidade. Eles ficaram extasiados, não podiam parar de sorrir, e ligaram para a lista inteira de seus contatos, praticamente gritando que teriam um bebê. Tiveram que repetir a novidade pelo menos três vezes para cada uma das pessoas pra quem haviam ligado, já que falavam ao mesmo tempo, e então Jimin chorava mais um pouco, e Jeongguk fazia questão de tirar uma foto do teste de gravidez positivo para mandar como prova. As fotos eram basicamente o garoto segurando o teste perto do rosto - ew, jeongguk, tenha um pouco de decência, yoongi mandou de volta -  e Jimin com o rosto inchado e fazendo um joinha, sua expressão dividida entre um sorriso e sua cara de choro.

Então em um momento Jeongguk estava grávido, e em outro descobriam que na verdade teriam trigêmeos!

É dispensável dizer que, mais uma vez, Jimin quase sofreu um desmaio.

Não era exatamente o que tinham em mente quando decidiram começar uma família. Na verdade estava bem longe disso, e estariam mentindo se dissessem que não ficaram extremamente assustados. Tinham espaço o bastante em casa, e a vida que levavam era ótima, mas ninguém está preparado para cuidar de três bebês ao mesmo tempo. Algumas noites Jeongguk tinha ataques de insegura sobre ter apenas um bebê, e agora como faria sabendo que teriam três?

Não conversaram sobre aquele assunto por pelo menos duas semanas. Não fingiam que os bebês não estavam ali, é claro que não. Assim que saíram do consultório compraram três roupinhas iguais, e riram ao verem as chupetas com estampas engraçadas. Ainda estavam feliz com a notícia, só não sabiam como reagir ao pequeno imprevisto.

A discussão veio numa sexta à noite. Jeongguk havia passado o dia com a mãe, a mais velha estava nas nuvens com a notícia de ser vovó, mas também queria preparar o filho para todas as dificuldades que teriam. Não é preciso dizer que aquilo virou completamente a cabeça de Jeongguk, e quando Jimin chegou em casa, assim que deu uma olhada no rosto inchado e molhado do marido, não precisou nem perguntar, apenas se sentou ao seu lado no sofá e segurou em suas mãos.

Eu sei que parece uma loucura agora, e provavelmente é. Ok, com certeza é, nós somos um casal de malucos. — Jimin havia dito. — Mas vai ficar tudo bem. Nós temos quatro braços juntos, e se precisar eu carrego eles nas minhas costas, no meu peito, até nas minhas pernas. Jeongguk, eu vou carregar você, se for preciso. Tudo vai ficar bem. São três vidas novas, eu sei, eu sei que vai ser a coisa mais difícil que vamos precisar fazer em nossas vidas, mas... Mas são nossas vidinhas. Certo?

E aquilo foi o bastante para que Jeongguk dormisse confortavelmente aquela noite.

A gravidez foi uma dor. Literalmente. Tudo doía em Jeongguk, e era desconfortável parecer uma bola o tempo todo. Quando os trigêmeos estavam para nascer, foi a vez de Jimin sentir dor. Jeongguk se certificou de estar a todo momento segurando, não só sua mão, mas cada pedaço que podia apertar de seu braço. E até seu rosto acabou ganhando alguns arranhões também.

Mas lá estavam eles, os três bebês, exatamente iguais, com os rostinhos franzidos, e os bracinhos e perninhas que não paravam de se mexer. Pareciam bravos por terem sido tirados de um lugar tão quentinho e aconchegante.

O casal se esqueceu completamente do medo, das dificuldades, das inseguranças. Naquele momento sentiam apenas uma coisa: Amor. Um amor incondicional. Não era o tipo de amor que sentiam um pelo outro, embora esse também tivesse sido algo novo para os dois. Era só... Algo puro. Algo totalmente diferente de qualquer outra coisa.

Jimin correu como um louco pelos corredores do hospital, até achar os amigos e a família que esperavam ansiosamente por notícia, e então se virou para a mãe disse, com lágrimas nos olhos:

— Mãe, você precisa ver, eu e o Jeongguk fizemos as coisas mais perfeitas do mundo inteiro!

O que combinou perfeitamente com a primeira coisa que Jeongguk disse quando entraram no quarto:

— Vocês não vão acreditar, mas eu acho que mandaram anjos de verdade pra gente.

E é claro que os amigos estavam felizes por eles, e até Namjoon e Yoongi deixaram algumas lágrimas rolar. Mas eles não entendiam completamente. Não entendiam como três bebês ainda ligeiramente vermelhinhos, com caras de joelho e que soltavam barulhos estranhos podiam trazer tanta felicidade. Não entendiam como Jeongguk e Jimin achavam perfeito até a forma que seus peitinhos subiam e desciam com cada respiração que tomavam, e a forma que se mexiam, a forma que suas mãozinhas agarravam o nada, e seus pézinhos chutavam o vento.

Eles não entendiam, mas Jeongguk e Jimin podiam entender o que o outro sentia apenas numa troca de olhares.

Park Louis nasceu primeiro, e então veio Park Harry, e por último Park Ashton. Eles até tentaram pensar em nomes Coreanos, e tinham alguns ótimos em mente, mas quando se lembravam do casamento que havia sido na Inglaterra, só conseguiam pensar que aquele havia sido o melhor dia de suas vidas, então por que não colocar nos bebês um pouco do primeiro contato com a perfeição que tiveram? Era uma decisão incrível, juntar duas coisas perfeitas em uma só!

[]

Cinco anos já haviam se passado desde a primeira vez que viram o rostinho de seus filhos. Foi difícil se adaptar à um ambiente tão novo, mas agora eram profissionais em domar as pequenas feras.

Louis, o mais velho, era o mais engraçado entre os três, e quase sempre o que os metia em problemas. Era sempre quem começava os planos, e o primeiro a culpar os irmãos quando algo dava errado. Adorava roupinhas listradas, frango frito e bolsas. Sim, bolsas. Era um perigo deixá-lo perto do armário de Jeongguk.

Harry, o do meio, poderia ser classificado como o mais preguiçoso. Detestava os planos de Louis, embora fosse o único que conseguia inventar desculpas quando eram pegos fazendo algo errado. Adorava usar uma coroa de príncipe, assistir O Incrível mundo de Gumball e ficar pelado. Deus, era tão difícil fazê-lo vestir roupas.

Ashton, o mais novo, era o hiperativo entre os três. Aceitava participar dos planos de Louis sem ao menos ouvi-los por inteiro, e era encarregado de usar a expressão fofinha para tentar livrá-los do castigo. Nunca tirava o boné vermelho da cabeça, e adorava sua pelúcia do pikachu e de fazer perguntas estranhas.

Enfim, a coisa é que: Todo ano Jeongguk prepara algo incrível com os meninos para surpreender Jimin no dias dos pais. E Jimin adora, é claro, até porque a melhor parte de seu dia é chegar do trabalho e ver os filhos e o marido. Ele sempre compra um presente para Jeongguk também, mas sente que não é o bastante, afinal, é Jeongguk que passa a maior parte do tempo com as crianças, os da banho, prepara os lanches, leva para a escola, busca da escola, leva-os para tomar sorvete, etc. E ele nunca reclama de nada, é como se fosse uma diversão.

Mas Jimin sabe.

Jimin sabe o quão exausto ele realmente fica. Sabe das dores em suas costas e em sua cabeça. Sabe do seu estresse, e como alguns dias ele fica tão perdido que Jimin precisa segurá-lo pelos ombros e o fazer sentar por algum tempo, o acalmando o máximo que pode.

É por isso que, esse ano, Jimin resolveu que vai ser ele quem vai preparar uma surpresa para Jeongguk. Mas sabe que não vai ser nada fácil, afinal, o mais novo está sempre preocupado com tudo, e tem até um mural com as coisas que precisa fazer e marcado com as datas importantes. Bem, primeira parte do plano: Fazê-lo esquecer do dias dos pais. Não vai ser fácil, é claro, então precisa tirar qualquer marcação daquele maldito quadro quando Jeongguk não estiver olhando.

— Harry, a gente vai se atrasar! — Jeongguk gritou, tirando Jimin de sua linha de pensamento. — Ugh, eu juro por Deus! Harry!

— Ouch, minha barriga tá doendo muito. — Louis entrou na cozinha, com as mãozinhas na barriga e fazendo uma expressão de dor.

— Sem gracinhas, Louis, eu te vi dançando nas escadas. —  Jeongguk revirou os olhos, ainda tentando fazer Harry vestir a calça.

— Uh, você vai ter que tentar melhor do que isso, amigo. — Jimin riu para o filho mais velho, que continuava com a encenação.

Ashton balançou a cabeça, consertando o boné na cabeça.

— Lou Lou, não pode contar mentiras!

— Ah, olha só, nós temos um filho normal, Jimin. — Jeongguk sorriu debochado.

— Os aliens só pegam pessoas inteligentes, e pessoas inteligentes não contam mentiras. Você não quer conhecer os aliens? — Ashton continuou, levantando as mãozinhas para reforçar sua pergunta.

— Que com certeza não é esse aqui. — Jimin sorriu de volta para Jeongguk, andando lentamente até Harry, que havia se escondido atrás do sofá, e o jogando por cima do ombro, o levando até Jeongguk. — Prontinho. Vista suas calças, garoto, os aliens só pegam pessoas vestidas. — Brincou, ganhando um joinha de Ashton, e um revirar de olhos de Jeongguk, que o agradeceu logo em seguida por finalmente conseguir vestir Harry.

— Ahhhhh. — Ah, claro, de volta à Louis. — E se eu fizer cocô no meio de toooodo mundo, papai?

— Então você vai ser conhecido como o garoto cocô pelo resto do ano. — Jeongguk falou, colocando a tigela de cereal dos garotos em frente à cada um.

— Você não se importa? — Louis perguntou, de repente se esquecendo da dor de barriga e atacando o cereal.

— Não. — Jeongguk deu de ombros. — Pensa pelo lado bom, pelo menos nunca vão esquecer de você.

O pequeno pareceu pensar naquilo por alguns segundos, e então assentiu, voltando a se alimentar.

— Gukkie, você vai estar ocupado amanhã? — Jimin questionou, olhando algo no celular.

— Ah, sim, na verdade eu preciso... Fazer uma coisa. — Jeongguk murmurou.

É claro que ele estaria ocupado, Jeongguk sempre começava o presente uma semana antes da data, e estavam na segunda, então Jimin precisaria ser inteligente e o manter ocupado a semana inteira.

— Eu preciso que você faça algo pra mim. Tem uns papéis muito importantes, e eu preciso que você leve eles até o escritório do meu pai pra mim. 

— Mas, amor, é muito longe. É uma hora daqui, e seu pai tem todas aquelas reuniões, eu teria que esperar uma eternidade!

— Aigo, Gukkie. — Jimin fez um beicinho. — Por favor, é muito importante mesmo, e eu nem posso mandar meu assistente fazer isso, porque eu confio mais em você.

Jeongguk suspirou.

— Tá, tudo bem, eu levo. 

— Obrigado, bebê, você é o melhor. — O mais velho sorriu, se levantando e deixando um beijo nos lábios do marido.

— Ewww, a gente tá comendo. — Harry resmungou, fazendo careta.

— Eu espero que os aliens não tenham beijos, Ash. — Louis falou alarmado.

— Eu gosto de ver eles se beijando. — Ashton riu com as mãozinhas em frente da boca.

[]

Jeongguk estacionou em frente à escola, dando a volta na minivan e abrindo a porta. Primeiro tirou Harry da cadeirinha, o colocando no chão. Depois foi a vez de Louis, que antes mesmo de abrir o cinto do menino, este já balançava as perninhas para sair logo dali. E então foi Ashton, que se agarrou ao pescoço do mais velho num abraço apertando, deixando um beijo molhado em sua bochecha. Jeongguk sorriu, beijando o filho de volta. Ashton era o mais apegado consigo.

— Se comportem, ok? Nada de trocar as mochilas pra confundirem as professoras. Lou, o que não devemos fazer?

O menino suspirou.

— Não é pra roubar o lanche dos meus irmãos.

— Isso. E você, Hazz?

O pequeno deu de ombros, coçando a cabeça.

— Não posso chamar os outros de burro só porque eu sei mais do que eles.

— Uhum. Ash?

Ashton sorriu largamente, virando o boné para trás.

— Não devo procurar aliens na hora dos estudos.

— Isso aí. Todo mundo pronto, tenham um bom dia. Eu venho buscar vocês, ok?

Os garotos acenaram, e Jeongguk viu Harry praticamente arrastar a mochila, com uma expressão entediada no rosto, enquanto Louis saltitava para dentro da escola, e Ashton quase batia em tudo à sua frente enquanto usava seu ''rádio de aliens'' para, bem, procurar aliens.

[]

Então Jimin tirou aquele primeiro dia para pensar no plano perfeito. O que fariam, como manteria Jeongguk longe da casa tempo o bastante para fazerem tudo funcionar, e como poderia recompensá-lo por todos os outros anos. Precisaria da ajuda de sua sogra, e de alguns amigos, mas teria a certeza que tudo daria certo.

Tinha que dar.

Quando chegou em casa estava exausto, e assim que entrou pela porta esperava três corpinhos colidindo com suas pernas e o abraçando. Mas não foi bem assim. Franziu o cenho, e quando ia chamar por alguém, ouviu vozes vindas da sala, e precisou parar enquanto observava a cena à sua frente. Cruzou os braços, usando um sorrisinho no rosto enquanto assistia Jeongguk e os meninos. Estavam assistindo O Estranho Mundo de Jack pela vigésima vez, usando suas máscaras de caveira, e cantando em conjunto a música que passava no filme:

— Ah não, que é isso? Alguém beijou alguém

Oh céus, que coisa incomum

Felizes, em volta da lareira

Leem livros sem parar a noite inteira

Que é isso?

Jimin sempre gostou de ver os quatro juntos, parecia pura mágica.

Harry estava deitado no chão, com as perninhas cruzadas, mas um enorme sorriso no rosto, enquanto gritava a canção. Louis pulava sem parar, rolando no chão como se virasse cambalhota. E Ashton estava no colo de Jeongguk, batendo palmas, e ao invés de seu boné, agora tinha um chapéu feito de papel alumínio na cabeça, para se proteger dos aliens.

Suspirou, finalmente decidindo se fazer presente, e se sentou ao lado do marido no chão, cantando a música junto com os quatro garotos. Quando Louis o notou, se jogou em seu colo, segurando em seu rosto e cantando o final da música enquanto praticamente gritava no rosto de Jimin.

— O QUE É ISSO?

— É, bom te ver também, Lou. — Jimin riu, abraçando o pequeno.

— Appa, adivinha só. — Harry falou animado.

— Hmmm, me da uma dica.

— Eu vou poder dormir o dia todo! — Harry contou, e Jimin franziu o cenho.

— A escola vai ficar de recesso essa semana. — Jeongguk explicou, dando mais alguns detalhes, mas Jimin nem ouviu o resto. Aquela era a oportunidade perfeita!

— Ah, isso é legal. — Falou, fazendo um carinho nos cabelos de Louis, que logo saiu de seus braços para se jogar em cima de Harry, que revirou os olhos.

— Super legal. — Jeongguk murmurou. — Vou poder participar de The Walking Dead logo, logo.

— Ei, relaxa. — Jimin falou, beijando a bochecha do marido. — Essa semana vou tirar férias do trabalho, ok? Te ajudar com os meninos, assim ninguém fica sobrecarregado.

— Você adora tirar proveito em ser o chefe, né?

— Bem, eu tento não tirar. — O Park mais velho deu de ombros, sabendo que era mentira.

— O appa vai ficar com a gente o dia todo?! — Ashton perguntou animado, quase pulando no colo de Jeongguk.

— Eu vou deixar ele louco! — Louis gritou, ainda rolando em cima de Harry, que tentava o empurrar.

— Você vai deixar todo mundo louco, seu maluco! — Harry gritou de volta, acertando um tapa no rosto de Louis, que gritou, já pronto para devolver.

— Já chega! — Jeongguk rosnou, passando Ashton para o colo de Jimin, e indo até os dois meninos, os separando.

— Ele quem começou.

— Não, foi você quem começou.

— Você me atacou! 

— Você invadiu meu espaço!

— Papai! — Ashton gritou, querendo ir na direção de Jeongguk, que dava um sermão nos filhos, mas na verdade eram só os três gritando ao mesmo tempo.

Ok, era só uma semana. Apenas uma semana, para mostrar o quanto amava e era grato à Jeongguk. Ele iria conseguir, Jimin tinha certeza.

— E eu não quero dormir com você hoje, vou dormir no quarto do papai e do appa!

Ah meu Deus...

[]

A terça feira logo chegou, e Jimin sabia que tinha que começar seu plano. Então lá estavam eles, tomando o café da manhã como faziam todos os dias.

— Ei, já que você vai ficar em casa hoje, pode levar os papéis pro seu pai, não é? — Jeongguk sugeriu, limpando a boca de Ashton.

— Ah, na verdade eu queria passar um tempo com os meninos. — Jimin deu de ombros. — E vai ser bom pra você não estar com eles o tempo todo.

Jeongguk apenas assentiu. Jimin sabia que que o marido não gostava de fazer aquele tipo de coisa, Jeongguk odiava dirigir, mas principalmente, odiava quando  mexiam em seus planos, e era exatamente o que o mais velho estava fazendo.

— Bom, sejam bonzinhos com o appa. — Jeongguk sorriu, se levantando e dando um beijo na cabeça dos filhos. — Vou tentar não demorar.

— Tudo bem, tome o tempo que precisar, amor. —  O Park falou.

Assim que Jeongguk saiu, Jimin se virou para os filhos, batendo as mãos para chamar a atenção dos três garotos, que se assustaram por um segundo.

— Então... Vocês sabem o que está chegando? — Jimin perguntou.

— Uh, meu aniversário? — Ashton falou confuso.

— Nosso aniversário, bobo, a gente faz aniversário junto. — Harry revirou os olhos.

— Vocês fazem. — Louis disse com um ar superior. — Eu nasci antes.

E naquele momento Jimin quis estrangular Yoongi por ter soltado para os meninos aquele pequeno detalhe. Louis havia nascido exatamente às 23:50, enquanto seus irmãos nasceram depois da meia noite. Mas ainda assim comemoravam o aniversário juntos, os três, em uma só festa, embora depois do dia que Louis soube da verdade, exigia abrir seus presentes primeiro que o dos irmãos. Mas é claro que Jeongguk não permitia.

— O dia dos pais! — Jimin os lembrou, e os meninos soltaram um ''ahhh'' em conjunto.

— Ah, é, temos que comprar um presente pra você. — Ashton sorriu.

— Cala a boca, Ash! — Harry gritou, e Louis tampou a boquinha do irmão.

— Ei, ei. — Jimin bufou, tirando Louis de perto de Ashton e dizendo para Harry não tratar o mais novo daquela forma. — Esse ano as coisas vão ser diferentes, ok? Nós vamos fazer uma surpresa pro papai, mas ele não pode saber de nada. Vai ser nosso segredinho, sim?

Os garotos assentiram.

— Então, o que querem fazer?

Os pequenos pensaram por alguns segundos, e então Ash levantou a mão.

— Sim, Ash? 

— Quero fazer uma espaçonave pra gente voar nas estrelas. Só eu e ele.

— Ooook. Haz?

— Hmm, acho que quero escrever alguma coisa. Mas eu não sei escrever muitas coisas.

— Tudo bem, voltamos nisso depois. Lou?

— Quero fazer um video!

— Tudo bem. Ideias maravilhosas. — Jimin sorriu amarelo. — Ok, eu vou precisar que vocês façam uma coisa pra mim, é tipo... Uma missão.

— Uma missão? — Louis perguntou animado.

— Sim, nós somos tipo, uh, uma gangue, ok? E eu preciso que vocês recolham informações pra mim.

— Que tipo de informações? — Harry pareceu interessado.

— Informações do papai. Nós vamos juntar todas elas e usar pra algo muito legal no final, tudo bem?

— Nós estamos meio que fazendo seu trabalho pra você, não é? — Harry indagou, cerrando os olhos, e Jimin riu nervoso.

— É claro que não.

— Então se a gente não quiser fazer isso, a gente não precisa? — Louis continuou.

— Vocês fazem, e ganham um ano de bolo de chocolate todos os dias.

— Feito! — Ashton gritou.

Aquilo seria interessante.

 

Aparentemente as coisas começariam com Ashton, à noite naquele dia. Mas, na realidade, quando não começavam? Ashton sempre era o primeiro a fazer qualquer coisa que envolvesse Jeongguk.

— Papai? — O pequeno chamou da porta do quarto, segurando o Pikachu de pelúcia. Jeongguk estava sentado de pernas cruzadas na cama, conversando sobre algo com Jimin, que terminava de usar o banheiro.

— Oi, super herói. 

A criança tomou aquilo como um convite, e logo correu até a cama, sendo pego no colo por Jeongguk, que sorriu e beijou sua bochecha.

— Tudo bem? Não consegue dormir?

— Tudo bem. — Ashton deu de ombros. — Só fiquei com saudades.

— Mesmo? — Jeongguk riu. — O que você quer?

— Só estava pensando, você me ama?

— É claro que eu amo, você é meu bolinho de felicidade. — Jeongguk sorriu, enchendo o rosto do filho de beijos.

— Eu sei, eu sei. — Ashton gargalhou. — Mas você me ama mais do que o Haz e o Lou?

— Eu amo os três exatamente do mesmo jeitinho.

— Como? Você é um anjo? A vovó disse que os anjos amam todo mundo e protegem todo mundo também. Você é um anjo?

Jimin soltou uma risada baixa da onde ouvia toda a história. No começo de tudo, quando conheceu Jeongguk, também havia achado que o menino era um anjo. Mas, bem, anjos não fazem o tipo de coisa que Jeongguk faz entre quatro paredes.

— Não exatamente. — Jeongguk respondeu. — Na verdade, vocês são meus três anjinhos, é por isso que eu consigo amar os três da mesma forma, mais do que qualquer outra coisa no mundo inteirinho. — Sorriu, cutucando a barriguinha do filho, que riu.

— Até mais do que o appa?

— É um tipo diferente de amor.

— Como assim?

— Hmmm, sabe como você gosta da Sunny? — Perguntou, se referindo a vizinha do lado, que era a melhor amiga de Ashton, e...

— Sim, ela é minha namorada! Mas ela não sabe ainda...

— Uhum, e você não gosta da Sunny da mesma forma que gosta, hm, do seu Pikachu, certo?

— Ah, não, eu acho..

— Viu, é exatamente assim. São amores diferentes.

— Você é esperto, papai. — Ash sorriu, abraçando o maior. — Então... Posso dormir aqui?

— Mas nem pensar, já pra cama. — Foi a vez de Jimin dizer, pegando o filho do colo de Jeongguk.

— Me salva, me salva. — Ashton gritava enquanto era levado para fora do quarto, tentando escapar das cócegas de Jimin.

[]

O segundo foi Harry. Jimin estava no andar debaixo com os outros dois filhos, enquanto Jeongguk se arrumava para ir até uma reunião importante da empresa de sapatos na qual era dono. Era uma empresa renomeada, mas Jeongguk preferia fazer tudo de casa, aparecendo no lugar apenas uma vez por semana, para controlar as coisas. Infelizmente aquela semana parecia estar tão corrida, e algo em sua mente o dizia que estava esquecendo algo muito importante, mas não conseguia pensar no que.

— Oi, papai. — Harry murmurou, entrando no closet onde Jeongguk estava, e sentando-se no chão, com a cabeça apoiada em uma das mãos.

— Oi, exibicionista. — Jeongguk falou de volta, vendo o filho usando apenas uma cuequinha. — Por que não está lá embaixo assistindo desenho com seus irmãos e o appa?

— Eles não param de gritar.

— Uh, isso é um problema, né? — O mais velho riu, calçando um dos sapatos.

— Uhum. Hey, posso perguntar uma coisa?

— Claro. — O Jeon deu de ombros.

— Você fica cansado?

— Uh, como assim?

— Da gente. — Harry pareceu pensativo. — Dos gritos, do Lou correndo, do Ash sendo louco, e... Bem, das visitas sempre me vendo pelado.

— Ah. — Jeongguk ponderou aquilo por alguns segundos, antes de rir, e se sentar do lado do filho. — É claro que não. Quer dizer, as vezes eu fico cansado, mas todo mundo fica cansado, certo?

Harry deu de ombros, assentindo logo em seguida.

— Mas eu nunca me cansaria de vocês. Mesmo no dia mais cansativo de toda vida, de tooodo o universo, eu ainda pularia na cama elástica com vocês durante horas e horas e depois faria um montão de cupcakes! — Jeongguk sorriu, puxando o filho para seu colo e o apertando num abraço, ganhando uma risadinha do pequeno.

— Eu te amo, papai.

Jeongguk suspirou, beijando a cabecinha do filho. Harry não tinha costume de expressar seus sentimentos, era o mais fechado entre as três crianças, mas Jeongguk sabia que também era o mais emotivo, apesar de tudo.

— Eu sei, eu também te amo, Haz, muito mesmo. 

[]

E então foi a vez de Louis. Jeongguk havia chegado em casa há algumas horas, Jimin já havia dado banho em Harry e Ashton, mas Louis sempre exigia que fosse Jeongguk a lhe banhar, porque aparentemente ele era o único que sabia tratar de forma correta de seus cabelos.

O pequeno estava sentado na banheira, brincando com seu navio de borracha, enquanto fazia barulhos engraçados com a boca, mas assim que Jeongguk começou a esfregar a parte de trás de sua cabeça, Louis soltou um suspiro, fechando os olhos e relaxando contra a mão do mais velho, que riu. 

— Dia longo, campeão?

Louis assentiu.

— O Ash é gordo, e me fez balançar ele no parquinho um tempão.

— Ei, não fala assim do seu irmão. — Jeongguk o repreendeu. — Está sendo divertido ficar com o appa?

— Acho que sim, até agora não consegui deixar ele louco, mas só tenho que esperar, né?

Jeongguk balançou a cabeça, rindo.

— O appa é um cara legal, e eu acho que já o deixei louco o bastante antes de vocês nascerem, então que tal dar um tempo pra ele?

O garoto pareceu pensar naquilo por alguns segundos, e então abriu os olhos.

— O appa te deixa louco também?

— Hm, às vezes, mas é mais do outro jeito. Vou te contar um segredo, quando eu grito com ele, ele chora. — Sussurrou no ouvido do filho, que pareceu surpreso.

— Sério? Eu achei que o appa só chorasse vendo filme de beijinho, bleh.

— Ele é bem sensível. — Jeongguk deu de ombros.

— Ai ai, só você mesmo pra aguentar isso, papai.

Jeongguk achava engraçado a forma que Louis parecia tão adulto, mas tinha que concordar com o filho. Riu, beijando a bochecha do pequeno, que passou a mão molhada em seu rosto.

— Ei!

[]

Na quarta feira foi quando o projeto começou a andar. Jimin queria fazer algo grande para Jeongguk, e tinha tantas ideias que pensou Hey, por que não apenas juntar todas elas?

Poderia funcionar, certo?

Bem, aquele dia Jeongguk iria passar com a mãe. Seus pais moravam há duas horas de sua casa, e estavam na cidade por alguns dias, então resolveram ter um momento de mãe e filho. É claro que Jimin aproveitou isso para sair com os filhos no mercado próximo de casa. Parecia até que o universo estava conspirando à seu favor.

Mas então ele lembrou que precisava lidar com trigêmeos, e nunca era uma tarefa fácil sair com os meninos sozinho.

Harry estava sentado de maneira comportada dentro do carrinho, assistindo vídeos no celular, enquanto Louis corria pelo menos dois metros à sua frente, e Jimin tinha que desviar Ashton de bater nas coisas à sua frente, já que o menino estava distraído com o maldito detector de aliens.

— Ok, então, o que vamos fazer pro papai? Que tal uma torta de frango? O papai adora torta de frango.

— Balas! — Louis gritou.

— Que tal vários chocolates? — Ashton sugeriu.

— Ovo de páscoa. — Harry murmurou.

— O quê? Não estamos na páscoa. — Jimin franziu o cenho.

— Quando é a páscoa? — Harry perguntou confuso.

— Ano que vem, vai demorar pra chegar.

— O papai vai ter que esperar então. — Ashton suspirou.

— Nós não vamos comprar ovos de páscoa, meu Deus. — O Park revirou os olhos, entrando em um dos corredores do mercado. — E se fizermos cupcakes? O papai adora eles, e sempre faz pra gente.

— Eu não vou ficar na cozinha com o Harry pelado. — Louis fez uma careta.

— Ninguém quer você na cozinha mesmo. — Harry deu  de ombros, e Louis  tentou escalar o carrinho, se pendurando no mesmo e tentando acertar o irmão com o pacote de biscoito que tinha em mãos.

— Lou, não! — Ashton gritou, tentando agarrar o irmão por trás.  — Você vai quebrar o biscoito, para!

— Meu Deus, vocês podem parar por um minuto?! — Jimin bufou, tirando Louis de cima do carrinho. — Se continuarem assim, não vamos fazer nada, e vocês vão perder um monte de doce.

— Você não tem ideias boas, appa. — Harry suspirou.

— Ei, já sei, vamos perguntar aquela moça. — Louis falou, apontando para uma mulher mais à frente. — Mulheres sempre sabem de tudo, é o que a vovó diz.

Jimin pensou em parar o filho, mas antes que pudesse o fazer, teve que ir atrás de Ashton que tentava subir uma prateleira, alegando que seu detector apontava naquela direção.

— Ei, moça. — Enquanto isso Louis conversava com a mulher. — O que você vai fazer? — Perguntou, olhando para o carrinho da mesma.

— Ah, oi, bonitinho. — A mulher sorriu. — Vou fazer um bolo pro meu filho, ele volta da faculdade hoje.

— Legal. — O garoto assentiu. — Acho que também vou fazer um bolo pro meu papai. — Deu de ombros. — Você vai fazer de quê?

— De banana, é um bolo saudável. 

Aquilo fez com que o garoto rapidamente fizesse uma careta, encarando a mulher de forma incrédula.

— Eu vou rezar pra quem comer esse bolo. — Murmurou, se virando e voltando para perto do pai e dos irmãos.

— O que conseguiu? — Harry perguntou. 

— Ela é louca. — Louis disse simplesmente, e Jimin voltou com Ashton no colo.

— É isso, só uns cupcakes. — O mais velho falou, balançando a cabeça negativamente, e querendo recolher tudo o que precisava, para sair dali o mais rápido possível.

[]

Na quinta feira a coisa era mais complicada, tinham que gravar um pequeno vídeo em homenagem à Jeongguk, e pra isso, novamente, Jimin teve que dar um jeito do marido passar algumas horas fora, então recorreu à Taehyung, o melhor amigo do mais novo. O Kim prontamente aceitou, dizendo à Jeongguk que precisava de ajuda para escolher os móveis do novo apartamento pra onde estava se mudando, e conhecendo os amigos, Jimin sabia que aquilo levaria um bom tempo, já que tinham opiniões completamente diferentes sobre... Bem, quase tudo.

E então ali estava Jimin, no quintal de casa, com uma câmera na mão, e três papéis, onde estava exatamente o que cada menino deveria fazer, e depois de entregá-los a cada um, os garotos apenas o encararam de cenho franzido.

— O quê? — Jimin perguntou.

— A gente não sabe ler isso tudo. — Harry suspirou.

— Ah, é, hmm, vamos ter que improvisar então, ok?

Quatro horas depois, quando Jeongguk chegou em casa, foi exatamente assim que os encontrou: Jimin deitado no chão do quintal, sendo impiedosamente atacado por três crianças cheias de lama na mão, resultado da chuva que havia caído mais cedo naquele dia.

— Parabéns, vocês neutralizaram o inimigo. — Falou, batendo palmas.

— Omma! — Ashton gritou, saindo de cima de Jimin e abraçando as pernas de Jeongguk, o sujando no processo.

— Ah, vocês me pegaram, agora eu sou do time de vocês, e temos um novo inimigo em vista. — Jimin falou do chão, se levantando e molhando as mãos com lama, enquanto iam na direção de Jeongguk, que arregalou os olhos.

— Ei, eu faço a comida de vocês, não se esqueçam disso.

Mas já era tarde demais, e Jeongguk foi derrotado pela infame gangue da lama.

[]

Na sexta feira Jimin não conseguiu se livrar de Jeongguk, mas tudo bem, teriam um ótimo tempo em família, principalmente agora que o mais novo estava junto, e não havia ninguém melhor para conter os trigêmeos do que Jeongguk. De qualquer forma, sempre que iam no shopping, deixavam que cada um dos garotos levassem apenas um presente para casa.

O primeiro a escolher foi Louis, e é claro que ele queria uma roupa. Louis era um garoto de classe, e apesar de sua cabecinha perturbada, era sempre muito estiloso, por isso detestava a mania de Harry de sair pelado por aí, e de Ashton de colocar coisas na cabeça.

Enquanto deixava que Louis escolhesse uma roupinha, Harry brincar com seu cavalinho de madeira, e Ashton correr entre as roupas, fugindo dos aliens, Jeongguk também observava algumas roupas, até que Jimin o abraçou por trás, beijando sua nuca.

— Aposto que não está se divertindo tanto quanto o Lou. — Murmurou, e Jeongguk virou a cabeça para ver o filho em êxtase enquanto achava a roupa perfeita.

— Com certeza não. — Sorriu, segurando a mão de Jimin em sua cintura, e a puxando até seus lábios, deixando um beijo ali. — Eles são tão diferentes. Cada um com sua própria personalidade. Quando eu descobri que íamos ter trigêmeos, fiquei louco achando que não ia conseguir distingui-los. — O Jeon riu.

Jimin concordou. 

— Lembra quando descobrimos que eles tinham uma pintinha na bunda? — O mais velho comentou. — O Harry no lado direito, o Ash na esquerda, e o Lou bem abaixo do bumbum, na coxa direita. A gente achou que isso seria ótimo pra saber quem era quem.

O casal riu junto, observando os filhos.

— Nem precisamos disso, no final. Louis sempre foi o que come demais, o Ash sempre gritava com tudo de novo que via, e o Harry tinha preguiça até de reclamar quando estava com a fralda cheia.

— Eles foram a melhor decisão que tomamos. — Jimin murmurou, e Jeongguk assentiu, deixando um beijo nos lábios do marido.

— É tão estranho vê-los tão grandes agora, parece que foi ontem que eles eram apenas um protótipo de ser humano. — O Jeon riu baixinho.

— Uhum. —  O Park concordou, e então murmurou algo contra o ombro de Jeongguk.

— O que você disse?

— Eu disse que adoraria ter mais três.

Aquilo fez com que Jeongguk arregalasse os olhos, logo gargalhando em seguida.

— Meu Deus, Jimin, nós definitivamente iríamos precisar de um psiquiatra.

O mais velho fez um biquinho por alguns segundos, e Jeongguk temeu tê-lo magoado de verdade, e então Jimin riu também.

— Eu sei. — Suspirou. — Mas não faz mal sonhar. Talvez quando eles estiveram maiores, uh? E então a gente faz eles nos ajudarem a cuidar dos bebês, só pra provarem um pouquinho do veneno.

Jeongguk assentiu.

— Talvez.

 

Louis saiu da loja com uma blusa listrada de amarelo e branco e uma calça skinny preta. Harry optou pela loja de camas, e saiu de lá com um travesseiro novinho em folha. Ashton, é claro, foi direto para a loja de brinquedos, e escolheu uma pelúcia enorme do Mike de Monstros S.A.

Jimin também saiu com algo no bolso, mas isso era assunto pra outro momento.

[]

No sábado requisitaram a ajuda da Mamãe Jeon novamente, precisavam tirar Jeongguk de casa tempo o bastante para prepararem os cupcakes para o outro dia. Felizmente haviam duas geladeiras em casa, uma na cozinha, onde eles definitivamente não poderiam ficar, e outra na sala de lazer que tinham feito no porão.

Jimin sabia que Jeongguk não gostava de passar muitas horas longe dos filhos, então tinham que agir o mais rápido possível.

— Sem bagunças, ok? — Avisou aos filhos, que levantaram os dedos num joinha.

Todos usavam chapéu de confeiteiro, ainda que o de Ashton caísse o tempo todo em seus olhos, por não terem achado um menor para ele.

— Vamos assar os cupcakes e confeitá-los em homenagem ao papai, então sejam criativos, ok?

— Eu sou um artista. — Harry murmurou.

— Ei, vai colocar uma camisa, não quero seus peitos perto do meu cupcake. — Louis reclamou, e Ashton riu ao ouvir a palavra ''peitos''.

— Peitos. — O mais novo repetiu, balançando a cabeça e escondendo o sorrisinho com uma das mãos.

— Louis! — Jimin o repreendeu. — Não diga esse tipo de coisa, seu pai vai me matar.

E então ficou em silêncio por alguns segundos, antes de completar:

— E não são peitos, são mamilos.

— Mamilos! — Ashton gritou, levantando a blusinha.

— Agora são quatro ''mamilos'' — Louis fez as aspas com os dedinhos. — Perto dos meus cupcakes. Obrigado, appa.

 

No final tudo havia corrido bem. 

Bom, o quão bem poderia ser, pelo menos. Depois de alguns cupcakes caírem no chão, os meninos começarem uma guerra de farinha, e Louis tentar comer um ovo cru, parecia que tudo estava perfeito para o dia seguinte.

[]

No domingo Jimin acordou bem cedo. Finalmente era dia dos pais, e precisava arrumar tudo antes que Jeongguk acordasse, e então teria a difícil missão de tirar os filhos da cama. Bem, de tirar Harry da cama, já que Ashton estava sempre ligado no 220, e Louis já estava querendo comer os cupcakes desde que a ideia foi posta na cabecinha dele.

O mais velho tomou um tempo para observar o marido ainda dormindo. Estava feliz por Jeongguk parecer menos estressado ultimamente, ele sempre fazia tudo pelos garotos, e por Jimin também, e o Park nunca soube como agradecer de forma correta. Merda, nem o que havia planejado parecia bom o bastante para o quão bom Jeongguk era.

Suspirou, mexendo em seus cabelos e tirando alguns fios que haviam caído em seus olhos, depositando um beijo em sua testa, e outro em seu nariz. Queria tanto acordar Jeongguk, enchê-lo de beijos, fazer amor com ele, e repetir ''obrigado'' pelo resto do dia.

Mas ele tinha coisas pra fazer, coisas importantes. Então se forçou a levantar da cama e vestir uma roupa, não era o Harry, não podia andar pelado pela casa. Ah, como sentia falta do tempo em que morava sozinho com Jeongguk.

Foi até o quarto dos filhos e andou até Ashton primeiro.

— Ei, pitico, acorda. — Sussurrou, mexendo nos fios do garoto, que não demorou a abrir os olhos, se esticando todo na cama enquanto se espreguiçava, e então se apoiou em um dos cotovelos, com os cabelos completamente desarrumados. O garoto suspirou, pegando o boné que deixava ao lado do travesseiro e colocou na cabeça.

— Já é hora?

Jimin riu.

— Sim, vamos preparar a surpresa do papai.

O pequeno assentiu, e Jimin o ajudou a se levantar da cama.

O próximo foi Louis.

— Ursinho? Levanta, vamos comer cupcake hoje. — Falou, e Louis logo se remexeu, passando a mão pelo cabelinho e sorrindo para o mais velho.

— O papai vai amar meus cupcakes.

— Vai sim. — Sorriu, e disse para os filhos irem escovar os dentes.

E então foi a vez de Harry.

— Leãozinho? — Chamou, trazendo o pequeno para seu colo. — Eu sei que seus horários de sono são importantes, mas hoje vamos fazer algo legal pro papai, uh? Que tal isso?

Harry soltou um longo grunhido, seguido de mãozinhas coçando os olhos, e um biquinho nos lábios.

— Tudo bem, tudo bem, só pelo papai. — Murmurou, e Jimin o levou ao banheiro onde os outros estavam.
Uma hora depois e finalmente tudo estava pronto, Ashton quase pulava de ansiedade, e até Harry parecia animado. Louis continuava olhando as coisas para ver se estava tudo correto, e repassaram mais uma vez o que fariam para Jeongguk.

— Agora eu vou lá em cima acordar o papai. Por favor, fiquem quietinhos aqui, ok?

— Tudo bem, appa, eu tomo conta deles. — Harry sorriu.

Jimin fez um joinha para o filho, e subiu as escadas correndo, entrando na ponta dos pés no quarto, e se sentando ao lado de Jeongguk na cama.

— Amor? — Chamou, fazendo uma trilha de beijos da nuca de Jeongguk, até sua bochecha, e depois seus lábios. — Acorda, meu amor.

Jeongguk soltou o mesmo grunhido que Harry havia feito há alguns segundos, então mexeu nos cabelos como Louis, e se esticou na cama como Ashton, antes de sorrir de canto para Jimin.

— Feliz dos pais, appa Jimin. — O mais novo murmurou, e Jimin franziu o cenho. Ele lembrou.

— Achou que eu ia esquecer? — Jeongguk continuou, rindo, e se sentou na cama para beijar o marido, que logo retribuiu, alisando sua cintura.

— É claro que não, você sempre sabe de tudo, não é? — Jimin sorriu, beijando a testa do mais novo.

Jeongguk deu de ombros, e então levantou da cama, indo até o armário e pegando uma sacola.

— Me desculpa, não consegui preparar algo muito grande pra esse ano, essa semana foi corrida, não consegui nem envolver os meninos. — Falou num tom chateado, entregando a sacola para Jimin. — Mas espero que goste.

O mais velho abriu o presente lentamente, e soltou uma risada quando viu o conteúdo. Era uma escultura que Jeongguk havia mandado fazer, de Jimin com uma capa de super herói, segurando Jeongguk no colo, enquanto Louis estava sentado em seus ombros, Ashton nos braços de Jeongguk, e Harry agarrado em sua perna. Na base dizia: Nem sempre é fácil, mas é nosso.

E por um momento Jimin se sentiu inseguro com o que havia planejado, era incrível como Jeongguk conseguia ser perfeito sem nem tentar. Era até meio injusto!

Abraçou o mais novo de forma apertada, beijando seu rosto várias vezes.

— Obrigado, amor, é lindo. — Sorriu, e então abraçou a escultura contra o peito, fazendo o Jeon rir. — Mas eu também tenho algo pra você.

Jeongguk franziu o cenho com aquilo, mas nada disse, deixando que Jimin pegasse sua mão e o levasse até o andar debaixo, e seu coração quase parou ao ver o que tinham feito ali.

Tinha uma faixa pendurada na parede, com letras tortas, onde provavelmente Jimin havia segurado na mãozinha dos filhos para escrever. Dizia: ''Te amamos, papai!''

E então tinha uma mesa, onde estava os cupcakes, onde em casa um tinha uma letra, que formava a frase ''Obrigado por ser nosso papai'', e então alguns outros cupcakes em volta com enfeites peculiares; Alguns corações tortos, outros com bonequinhos de palito, uns com apenas um ''J'', etc.

— Bom dia, papai. — Os trigêmeos falaram em conjunto, e Jeongguk já sentiu os olhos arderem com lágrimas.

Louis falou:

— Fizemos cupcakes, mas você só pode comer depois de ver tudo, ok?

E Jeongguk só conseguiu assentir, com medo de que se abrisse a boca choraria descontroladamente. Jimin havia pegado uma cadeira para o marido, para que este pudesse se sentar enquanto assistia tudo o que haviam preparado.

E então Ashton deu um passo a frente, segurando uma folha em branco, porque segundo ele era mais legal se o papai achasse que ele estava lendo de verdade.

— O nome dele é papai. — O pequeno começou. — Ele nos faz comidinha gostosa, e no jardim é uma linda rosa.

Jeongguk não pôde reprimir uma risadinha com aquilo.

E então foi a vez de Harry:

— Ele sempre nos mantém limpinho, e me ensinou a usar o peniquinho.

Louis:

— Ele dá beijinho nos nossos machucados, e luta contra os monstros mau encarados.

E Ashton sussurrou baixinho para Jeongguk:

— Os que ficam embaixo das camas!

— E agora pra mostrar o quanto somos gratos, fizemos um vídeo com a ajuda do appa gato. — Harry murmurou, com uma careta no rosto.

Jeongguk olhou para Jimin com aquilo, que estava ao seu lado, fazendo joinha para os filhos. Balançou a cabeça de forma negativa, não conseguindo parar de sorrir.

Louis apertou o play no controle, e de repente um vídeo começou, com a voz de Ashton o narrando:

— Papai sempre está por perto, cuidou da gente desde quando éramos um feto.

No vídeo Ashton e Louis apareciam deitados na cama, de fraldinhas, e com chupetas na boca, imitando bebês, enquanto Harry usava uma camisa de Jeongguk, e alisava a cabeça dos pequenos, provavelmente como se tivesse ''cuidando'' deles. De repente Harry olhou para acima da câmera, soltando um:

— Já está bom?

E veio a voz de Jimin sussurrando:

— Ok, corta.

E então a cena mudou novamente, dessa vez com a voz de Louis a narrando:

— Nós somos muito levados, às vezes ficamos de castigo, mas o papai sempre vai ser nosso amigo.

No vídeo, dessa vez, Harry e Louis apareciam com as mãos cheias de tinta, marcando um isopor que deveria representar uma parede da casa, e então Ashton aparecia dessa vez com uma blusa de Jeongguk, dizendo:

— Ei, seus levadinhos, estão de castigo!

Harry e Louis abaixavam a cabeça, dizendo em conjunto:

— Desculpa, papai.

E então Ashton os abraçava.

— Tudo bem, amo vocês.

E aí os três se desequilibravam com o abraço e caíam um em cima do outro.

E de novo a cena mudou, dessa vez sendo narrado pela voz de Harry:

— O papai é demais, perto dele o Hulk vira um bebê. Ele é mais esperto que o homem de ferro, e mais engraçado que o homem aranha. Papai é nosso super herói favorito, e o appa acha ele o príncipe mais bonito!

Dessa vez Ashton estava com sua roupinha do Hulk, e Harry com sua máscara do homem aranha, enquanto Louis usava a blusa de Jeongguk, e fingia derrotar os ''outros super heróis'', e então Jimin aparecia e o pegava no colo, enchendo seu rosto de beijos, no qual Louis tentava o afastar.

— Socorro, socorro. — O pequeno gritava, e os outros dois pequeninos começaram a atacar as pernas de Jimin.

Então a tela ficou preta, e segundos depois o rosto dos três garotos apareceram perto demais da câmera, sorrindo e dando tchauzinho, gritando ''FIM''.

Assim que o vídeo acabou, Jimin se ajoelhou perto dos filhos, e os outros três ficaram lado a lado, enquanto o Park contava até 3, e então todos abriram as camisas de pijama e no peito de Jimin havia uma folha colada e escrita ''MELHOR''.

E então no de Ashton ''MUNDO''.

E de Harry ''DO''.

E Louis ''PAPAI''.

Jeongguk gargalhou com aquilo, e Jimin franziu o cenho, olhando para o lado e vendo que estavam posicionados de forma errada, então rapidamente puxou Louis para seu lado, e mandou Ashton ir para o final, e pareciam minhoquinhas tontas indo para lá e para cá, mas finalmente a frase estava pronta. MELHOR PAPAI DO MUNDO. E Jeongguk já era uma confusão de lágrimas, e suas bochechas doíam de tanto sorrir.

— Ah, meu Deus. — Foi a única coisa que conseguiu dizer.

— Então... Você gostou? — Jimin perguntou meio apreensivo.

— Tá de brincadeira? — Jeongguk falou. — É o melhor presente que já ganhei na minha vida inteira.

Com isso os três garotos correram na direção do Jeon, o abraçando com força.

— Ainda não acabou. — Jimin disse, e os garotos rapidamente largaram de Jeongguk, como se lembrassem de algo importante, e correram até a sala, pegando os presentes que haviam comprado.

Primeiro foi Harry, o garoto havia escolhido um edredom com estampa do Homem de ferro para Jeongguk, e disse:

— Pra você lembrar de mim até quando estiver dormindo.

E então Ashton, o pequeno fez um chapéu de alumínio para o Jeon, e também lhe deu um par de meias com estampa de aliens.

— Aqui, o chapéu é pra te proteger quando eu não estiver perto, mas as meias é pra você lembrar que aliens são legais. Mas você é meu papai, não pode ir com eles, ok?

E por último Louis, que optou por uma blusa branca com estampa de pizzas.

— Porque você tem muito estilo, e pizzas são legais igual à você.

Depois de Harry enxugar as lágrimas de Jeongguk com um guardanapo, Louis perguntar se ele estava com dodói por estar chorando, e Ashton o abraçar forte com medo de Jeongguk realmente estar dodói, finalmente o Jeon conseguiu parar de chorar, e estavam todos agarrados no sofá, enquanto comiam cupcake e assistiam, pela vigésima primeira vez, O estranho mundo de Jack.

Os pequenos acabaram dormindo em algum momento, pois não estavam acostumados a acordar tão cedo no final de semana, e Jimin viu aquilo como sua oportunidade de finalmente entregar seu presente. Se levantou do sofá, vendo o olhar confuso de Jeongguk, e voltou alguns minutos depois, com uma caixinha na mão, e entregou ao mais novo.

— Mais surpresas? Acho que meu coração não aguenta. — O Jeon brincou, mas abriu a caixa de qualque forma, tirando dali um colar de ouro, com uma asinha de anjo. Jimin então tirou de dentro da camisa um colar igual aquele, e Jeongguk percebeu que eles se completavam.

— Se lembra quando os meninos nasceram, e você disse que haviam mandado anjos de verdade pra gente?

O Jeon assentiu, sorrindo de canto.

— Vamos sempre carregá-los com a gente, mesmo quando cada um tiver sua própria família, e então só restar nós dois, velhinhos, numa casa de campo, de mãos dadas, vendo o sol nascer e se pôr. — Jimin explicou, esfregando seu nariz no do mais novo.

— Fico grato por poder passar o resto da minha vida com você, Ji. — Jeongguk murmurou.

— Eu também, meu amor. — O mais velho sorriu, o abraçando. — Eu também.
 


Notas Finais


MEU BIAS É O ASH, JA FALEI, NEM ADIANTA

AHUSHAUHS

E aí, o que acharam?

Se estiverem por fora, comecei um projeto para o aniversário do Jeongguk> https://spiritfanfics.com/jornais/projeto-begin--nochu-day-jeongguks-birthday-9903834


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...