História A Piloto e o Cantor - Capítulo 4


Escrita por: ~

Postado
Categorias Bangtan Boys (BTS)
Personagens J-hope, Jimin, Jin, Jungkook, Personagens Originais, Rap Monster, Suga, V
Tags Bts, Drama, Romance
Visualizações 4
Palavras 1.294
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Comédia, Romance e Novela
Avisos: Adultério, Álcool, Heterossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Nudez, Sexo
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas do Autor


Postando capítulo hoje porque o próximo vai demorar um pouco, provavelmente.

Só lembrando que a fic é +18, podem ter algumas citações que deixem alguns desconfortáveis, mesmo que eu tenha sido sútil quanto à isso.

Boa leitura.

Capítulo 4 - Capítulo 4 - A Boate


Fanfic / Fanfiction A Piloto e o Cantor - Capítulo 4 - Capítulo 4 - A Boate

21 de fevereiro de 2018, Rio de Janeiro 21h35min.

_ Vamos, vamos, mi señorita! - Juan chamou a amiga que parecia ter morrido naquele quarto. - Espero chegar antes da fiesta acabar, por favor.

Com a ajuda da mãe de Mia - porque se ela não tivesse aparecido, Mia nunca teria aceitado ir com ele, - Juan conseguira levá-la em uma viagem para comemorar o aniversário de Mia. Estavam hospedados no Bittencourt Palace Hotel.

_ Calma, Juan! - ela gritou. - Hoje é meu aniversário, posso ter um pouco de luxo.

Juan revirou os olhos. Mia sempre fazia drama, já tinha tido muito trabalho para convencê-la a ir naquela boate com ele. Ele teve que ganhar dela oito vezes num melhor de quinze para ela ir e agora eles chegariam muito tarde porque ela de repente resolveu ficar vaidosa.

Desceu para a sala apartamento na cobertura do hotel. Com tantas viagens que Mia fazia por causa das corridas, ela tinha feito um apartamento na cobertura de cada um seus hotéis espalhados pelo mundo. Esses apartamentos eram exclusivamente para o uso dela e da família, não para hóspedes. Uma frescura que Juan apreciava, pois ele sempre tinha carta branca para usá-los.

_ Estou achando que é melhor pedir uma pi... - sua voz morreu quando a viu a viu na escada. - Uau! - ele disse, impressionado. - Isso valeu a espera.

_ Não está exagerado? - ela perguntou com receio.

_ Você está magnífica! - Juan assegurou.

_ Tem certeza? - se olhou no espelho na parede.

_ Tenho. Agora vamos, cariño! - ele a puxou pela mão para o elevador privativo que tinha um painel digital com botão do estacionamento e os números para digitar o código de acesso a cobertura. - Já está muito tarde.

Mia bufou, mas sabia que seu amigo estava certo. Ela demorara demais se arrumando, mas se era para aproveitar seu aniversário que fosse bem arrumada. Entraram no carro dela com Juan no volante e logo estavam à caminho da tal boate que Mia não fazia ideia de qual era e nem de onde ficava. Para sua surpresa o trajeto não foi tão longo, e logo estavam caminhando em direção a entrada, evitando a fila.

_ Eu devia ter trazido minha bolsa...

_ Não dava para ficar com ela na mão o tempo todo. - ele disse. - A noite é por minha conta, aniversariante.

_ Está bem. - suspirou ela.

_ Pensei que não viria mais, Hernandez. - o segurança falou, dando passagem para eles. - Aproveitem.

_ Nós vamos. - Juan piscou para ele e entrou.

Mia apertou o braço dele com força quando ouviu a música eletrônica tocando e viu os corpos se movendo pela pista. Podia sentir dali, o calor dos corpos em movimento. Não era o que ela esperava.

_ Você quer acabar comigo. - ela sussurrou.

_ Não, estou tentando fazer você ter uma bela noite. - ele disse, e puxou-a até o bar. - Quando foi a última vez que você deu para alguém?

_ Hã... há uns dois anos. - respondeu.

_ Já está virgem de novo! Vou te ajudar. Seis vodkas, por favor.

_ Isso não é muito forte? - ela perguntou. - Você está dirigindo.

_ Ah, elas são para você, não para mim. Eu vou ficar sóbrio hoje.

_ Eu não vou beber isso!

_ São para você relaxar, prometo que serão só esses. - Juan disse. - Isso vai ser o suficiente para você que nunca bebeu na vida e como também não comeu nada. deposs copos no balcão.

_ Está bem. - Mia pegou o primeiro copo. - É meu aniversário, eu posso fazer isso.

_ Exatamente. - ele sorriu.

Observou enquanto ela virava o copo e fazia uma careta hilária.

_ Meu Deus, isso é horrível. - ela disse. - Eca!

_ Vamos, beba os outros também. - Juan empurrou o outro para ela.

_ Se eu fizer algo vergonhoso, prometa que não vai filmar e colocar na internet. - pediu, enquanto pegava o segundo copo.

_ Eu prometo! - ele levantou a mão solenemente.

*******

_ Viram alguém interessante? - Namjoon perguntou aos meninos.

Jimin, Taehyung e Yoongi sorriram, enquanto os outros negaram. Estavam na área VIP no segundo andar, olhando de cima para pista de dança e bar. Tinha muitas garotas, a maior parte com amigas, o que era um ponto positivo. Isso significava que estavam livres e desimpedidas, possivelmente.

_ Eu acho que não vou descer. - Hoseok falou, chamando a atenção de todos.

_ Por quê? - Taehyung perguntou.

_ Não sei, não me sinto bem com isso. - ele passou a mão pelos fios lisos.

_ De jeito nenhum! Vamos descer agora, nem que seja para dançar. - Taehyung o puxou pelo braço em direção as escadas.

_ Espera, TaeTae! - ele soltou seu braço. - Vamos esperar só mais um pouco, talvez eu veja alguém que chame a minha atenção.

Taehyung olhou seriamente para o mais novo e assentiu, não custava nada esperar, afinal. Voltaram a se apoiar na barra de proteção de metal e olhar para baixo, mas dessa vez Hoseok estava realmente procurando alguém. Nem que fosse para bater um papo antes de ir embora.

Foi quando passou seus pela pista que a viu, dançando como uma verdeira musa. Os cabelos longos e balançavam com graça e por vezes ela puxava os fios para cima enquanto descia até o chão, as coxas grossas e de aparência macia fizeram seu corpo esquentar. Seu baixo ventre formigou. Seus olhos passaram a acompanhá-la pela pista, quase perdendo-a de vista quando um cara se aproximou, mas ela acabou afastando-se para pegar uma bebida. Pela forma que se movia, aquele, com certeza, não era seu primeiro copo.

Ela virou o copo de uma vez e voltou para a pista logo depois.

_ Estou descendo. - falou para os meninos.

Seus pensamentos sobre não se sentir confortável foram totalmente esquecidos.

Chegou no alto da escada, no mesmo instante que uma nova música começou a tocar.

_ Eu vou com você. - Jimin falou, já seguindo-o pelas escadas. - Então, qual foi a que você viu?

_ Uma garota de vestido preto e estampado. - respondeu. - Está na pista.

_ Okay, boa sorte. A minha está numa mesa perto do bar. - Jimin disse. - Fale inglês, talvez ajude.

_ Eu sei. - revirou os olhos.

Namjoon havia passado para eles várias instruções para que conseguissem conversar sem problemas.

Se separaram no fim da escada, Hoseok seguiu até onde a menina dançava animada. Parecia tão desposta a sexo casual quanto ele, porque depois de ver todo aquele desempenho na pista, ele precisava de um alívio. Respirou fundo antes de colar seu corpo ao dela e segurar seu quadril, movimentando-o contra o seu, controlando os movimentos. Moveu seu corpo contra o dela, mas ela não permitiu que ele tivesse o controle, desceu e subiu, esfregando-se nele e levou suas mãos à nuca dele, puxando-o para mais perto. Viu com satisfação, a pele azeitonada se arrepiar com sua respiração quente no pescoço. Ela era tão pequena, mas tão... gostosa.

Aquela era a melhor palavra para descrevê-la. Que sua mãe o desculpasse por aquele pensamento, não que ela fosse ficar sabendo...

Mia já estava quente por causa da bebida que Juan a obrigou a beber, depois ele a empurrou para a pista e assim seu corpo esquentou ainda mais. Então ela começou a ir até o bar atrás de outra bebida repetidas vezes. Não se sentia tão bêbada, mas não podia ter certeza. Nunca beberá na vida.

 Então sentiu o corpo colado ao seu, as mãos firmes em seu quadril e seu corpo entrou em combustão. Era uma pegada maravilhosa. Não aguentava mais não saber que estava provocando aquelas sensações em seu corpo. Aproveitou a troca de músicas e virou-se frente para ele, mas paralisou...

Era o seu ídolo, ali, na sua frente! Com o corpo colado ao seu. Talvez fosse a embriaguez lhe pregando peças, não era possível que ele estivesse ali, era?

Céus! Aquilo não podia ser real.


Notas Finais


Joguei a bomba e sai correndo.

Enfim, eu me sinto constrangida sobre escrever hot, mas no próximo vai ter, à menos que não queiram. Fica à critério de vocês.


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...