História A Piramide Vermelha - outro lado da historia - - Capítulo 1


Escrita por: ~ e ~SashDaBatata

Visualizações 4
Palavras 1.036
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Ação, Aventura, Colegial, Drama (Tragédia), Ecchi, Escolar, Ficção, Hentai, Luta, Magia, Mistério, Misticismo, Romance e Novela, Shoujo-Ai, Sobrenatural, Universo Alternativo, Violência, Yuri
Avisos: Bissexualidade, Drogas, Heterossexualidade, Homossexualidade, Incesto, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Nudez, Sexo, Tortura, Violência
Aviso legal
Todos os personagens desta história são de minha propriedade intelectual.

Notas da Autora


repostando essa historia depois de seculos
oooh credo

espero que gostem

voa leitura

Capítulo 1 - Porque sempre começamos pelo começo ?


Fanfic / Fanfiction A Piramide Vermelha - outro lado da historia - - Capítulo 1 - Porque sempre começamos pelo começo ?

ola pessoas, eu sei que isso e muito !! MUITO repentino para vocês, mas sim !! estamos em meio a uma guerra !! e quem esta no meio disso tudo ?? quem quem ?? euzinha !!! mas porqueee ?? eu não sei !!! taaa sei que não estão entendo porra nenhuma, deixe-me voltar no meio no ano...ou inicio.....ou ate um pouco mais antes, quem sabe ?? 


meu nome e Zia Rashed –que nome escroto né !! parece ate nome de atriz porno !! heuheueheu. mas pena que é meu nome , e não !! não sou ma atriz pornô.– tenho 17 anos e sou totalmente normal...digamos que nem tanto...mas eu me considero normal. já os outros me consideram estranha heueheuheeuheu

Tenho uma irmã chamada Nefits Rashed ela também é considerada normal, por mim ! pelos outros ela e considerada uma deusa, diva, gostosona, popular, sabe né. São coisas da vida...

agora que vou começar a falar da minha vidinha de merda por favor não me zoem. Serio isso chega a ser cômico, em pensar que uma garota em pleno século 21 tem que passar por essas coisas

                                  

Já beirava oito horas quando papai me disse que iriamos visitar minha irmã em Londres onde morava com mamãe, e nosso voo seria as nove. o papai trabalhava como antropólogo e cientista, eu sempre estudei e morei com ele, ele sempre me deu aulas durante todo meu tempo conhecido como infância e puberdade pois nós sempre viajamos, não importa onde, seja na America do sul, na America do norte, na Europa, na Ásia, ou ate mesmo no Japão. Mas o local onde mais íamos era a áfrica, por conta do Egito. Meu pai sempre foi apaixonado pelo Egito,pelas pirâmides, pela sociedade egípcia, ele seria mais um especialista em Egito antigo do que um arqueólogo. Por conta de sempre estarmos a viajar nos nunca tivemos uma casa fixa, por esse outro motivo que eu nunca estudei em uma escola, e também por esse motivo eu nunca fiz amigos. Então da pra se imaginar a vidinha de merda eu que levo não dá ?

Já minha irmã sempre estudou em colégios e sempre teve uma casa fixa ao contrario de mim, papai sempre dizia que nos nunca iriamos da certo no mesmo lugar, pois uma vez um colega de classe me chamou de esquisita e minha irmã surtou e quebrou tanto quanto o nariz  quanto o braço dele.  –o que causou um grande problema na escolinha já que eu tinha 4 e ela 6 e o garoto 8–  eu sempre achei ela estressada e surtada de mais, principalmente quando se tratava de mim, mas mamãe sempre dizia que ela só ficava assim perto de mim. depois de que nos separamos aos meus seis anos eu nunca mais pude ver minha irmã, a não ser nos dia de natal ou em festas importantes, mas ano passado e retrasado nos não pudemos nos reencontrar afinal papa teve uma viagem importantíssima... – eu odeio essas viagens dele– esse ano com certeza a mamãe vai inventar  alguma coisa que também ira fazer nós nos afastar, e isso me irrita !! eu e minha irmã eramos inseparáveis e agora nem ao menos sabemos de como está uma a outra.

 

Depois dele me contar que eventualmente passaríamos as férias juntos eu fiquei super animada, aquilo me deixou em choque de primeira, mas logo surtei e comecei a abraçar e beijar meu pai.
- TE AMOOOO !!! - gritava enquanto o abraçava e beijava-o rindo
- eu sei !! eu sei ! agora vá se arrumar !! vamos pegar o voo ainda hoje querida !! - dizia meu pai sorridente vestido com sua roupa social de sempre .
- ta ta ta !! obrigada papai !! - dou outro beijo nele e corro pro quarto animada. eu iria ver a nat !! finalmente !! depois de longos três anos eu veria minha irmãzinha !! 

começo a arrumar minhas coisas correndo pelo quarto frenetica tentando enfiar  as roupas na mala. merda !! porque diabos ele só veio me falar isso agora ?? continuo com minha briga desesperada, contra as roupas que não entravam de jeito nenhum na maldita mala, acabando por cair da cama, rio de mim mesma e saio correndo pro banheiro tirando a roupa, faço minha higiene e tomo um banho “não muito” demorado, não parava de pensar em como minha loirinha deveria estar, a ansiedade não me deixa nem pensar direito. passo quase uma hora no banheiro lavando e hidratando os cabelos, saio correndo pelo corredor indo pro quarto e me vestindo rapidamente, eu tava tão eufórica que nem percebi meu pai sentado na cama rindo da minha cara, encaro ele e não me controlo, começo a gargalhar também.
- o quê que foi ??? tenho cara de palhaça agora ?? - ele ria e eu também não me aguentava, não sei por quanto tempo rimos mas aquilo foi aconchegante pra mim.
- nada !! claro que não minha querida !! é só que seu desespero é muito engraçado !! - dizia ele enquanto ria, eu sabia disso. estava na cara dele !! 
- isso não tem graça !! - ainda parando de rir toda vermelha e sem ar, tomo ar e suspiro. - vamos logo !! to ansiosa papai !! - dizia enquanto terminava de me arrumar, ele sorria pra mim enquanto pegava minhas coisas, desço com ele e pegamos o elevador para a portaria, logo papai paga a diária e pegamos um taxi na rua, fomos direto para o aeroporto, enquanto isso conversamos sobre a família e de como estávamos tão separados por esses últimos anos, logo chegamos no aeroporto e papai fez todo o procedimento enquanto eu comia na lanchonete, tomei um remedio pra dormi pois odiava aviões sempre passava mal por isso iamos sempre de onibus para outras cidades e quando éramos obrigados a ir de avião eu tomava remédio e ficava dopada a viagem toda.

Quando nos embarcamos eu mal sentei na poltrona e apaguei. passei cinco horas inteirinhas apagada. nos estávamos em Toronto. Papai estava visitando os museus do Canadá para fazer um relatório pro seu chefe que milagrosamente “nos” deu férias e agora podemos finalmente nos encontrar com a família.



 


Notas Finais


capitulo pequeno eu sei
mas ta melhor do que o antigo hsuehsuheuhs


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...