História A prima de Rony Weasley - Capítulo 4


Escrita por: ~

Postado
Categorias Harry Potter
Visualizações 57
Palavras 3.347
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Ação, Aventura, Fantasia, FemmeSlash, Ficção, Hentai, Lemon, Magia, Mistério, Saga, Slash, Universo Alternativo, Violência
Avisos: Bissexualidade, Heterossexualidade, Homossexualidade, Nudez, Spoilers, Tortura
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Notas do Autor


Aqui mais um capítulo, espero que gostem.

Capítulo 4 - O Chapéu Seletor


A porta abriu-se de chofre. E apareceu uma bruxa alta de cabelos negros e veste verde-esmeralda. Tinha o rosto muito severo e o meu primeiro pensamento foi que era uma pessoa a quem não se devia aborrecer.

-Alunos do primeiro ano, Professora Minerva McConagall- informou o grandão.

-Obrigada Hagrid. Eu cuido deles daqui em diante.

As portas se abriram mostrando o saguão que era enorme, as paredes de pedras estavam iluminadas com archotes flamejantes, o teto era alto demais para se ver, e todos nos subimos as escadas de mármore que levava aos andares superiores. Nos acompanhamos a Prof.McGonagall a uma sala vazia ao lado do saguão, olhei para os alunos e todos pareciam bastante nervosos.

— Bem-vindos a Hogwarts — disse a Professora Minerva. — O banquete de abertura do ano letivo vai começar daqui a pouco, mas antes de se sentarem às mesas, vocês serão selecionados por casas. A seleção é uma cerimônia muito importante porque, enquanto estiverem aqui sua casa será uma espécie de família em Hogwarts. Vocês assistirão a aulas com o restante dos alunos de sua casa, dormirão no dormitório da casa e passarão o tempo livre na sala comunal. As quatro casas chamam-se Grifinória, Lufa-Lufa, Corvinal e Sonserina. Cada casa tem sua história honrosa e cada uma produziu bruxas e bruxos extraordinários. Enquanto estiverem em Hogwarts os seus acertos renderão pontos para sua casa, enquanto os erros a farão perder. No fim do ano, a casa com o maior numero de pontos receberá a Taça da Casa, uma grande honra. Espero que cada um de vocês seja motivo de orgulho para a casa a qual vier a pertencer. A Cerimônia de Seleção vai se realizar dentro de alguns minutos na presença de toda a escola. Sugiro que vocês se arrumem o melhor que puderem enquanto esperam.

O olhar dela se demorou por um instante na capa de Neville, que estava afivelada debaixo da orelha esquerda, e no nariz sujo de Rony, vi que Harry, tentou arrumar os seus cabelos, mas só conseguiu bagunçar eles mais ainda.

-Voltarei quando estivermos prontos para receber vocês- disse a Professora Minerva.- Por favor, aguardem em silêncio.

E se retirou da sala.

-Mas como é que eles selecionam a gente para as casas?- perguntou Harry para Rony.

-Devem fazer uma espécie de teste, acho. Fred diz que dói à cabeça, mas acho que estava brincando.

Eu olhei para os dois e ri muito.

-Do que está rindo Lia?- perguntou Harry curioso.

-De vocês, e da ingenuidade de Rony, serio que você ainda acredita em alguma coisa que os gêmeos falam. Bom...boa sorte de qualquer jeito, espero que sua cabeça não doa muito Ron- falei em um tom risonho e Rony fechou a cara.

Olhei para os lados e vi que todos pareciam bastante nervosos, Hermione murmurava vários feitiços, virei o rosto e esperei Tia Minnie voltar, mas a coisa mais sinistra aconteceu, uns vinte fantasmas passaram pela parede dos fundos, brancos-pérola e ligeiramente transparentes,eles deslizaram pela sala conversando e entre si, mal vendo os alunos do primeiro ano. Pareciam estar discutindo. O que lembrava um fradinho gorducho ia dizendo:

-Perdoar e esquecer eu diria, vamos dar a ele uma segunda chance...

-Meu caro Frei, já não demos a Pirraça todas as chances que ele merecia? Ele mancha a nossa reputação e, você sabe, ele nem ao menos é um fantasma. Nossa, o que é que essa garotada está fazendo aqui? Um fantasma, que usava uma gola de rufos engomados e meiões, de repente reparou nos alunos do primeiro ano.

Ninguém respondeu.

-Alunos novos!- disse o frei Gorducho, sorrindo para eles.

-Estão esperando para ser selecionados, imagino?

Alguns garotos confirmaram com a cabeça, mudos.

-Espero ver vocês na Lufa-Lufa!- falou o frei.- A minha casa antiga, sabe?

-Vamos andando agora- disse uma voz enérgica.- A Cerimônia de Seleção vai começar.

A Professora Minerva voltara e um a um os fantasmas saíram voando pela parede oposta.

-Agora façam fila e me sigam.

Calmamente eu entrei na fila na frente de Harry, e Hermione ficou na minha frente. Todos saímos da sala e tornamos a atravessar o saguão e as portas duplas que levavam ao Grande Salão. Assim que vi o Salão Principal, fiquei maravilhada, milhares de velas flutuavam no ar sobre quatro mesas compridas, onde os demais estudantes já se encontravam sentados. As mesas estavam postas com pratos e taças douradas. No outro extremo do salão havia mais uma mesa comprida em que se sentavam os professores. A Tia Minnie(como eu carinhosamente apelidei) levou os alunos do primeiro ano até ali, de modo que eles pareciam enfileirados diante dos outros tendo os professores nos observando.

Escutei Hermione murmurar que o teto havia sido enfeitiçando para parecer com o céu e que ela leu em Hogwarts, uma história.

Eu olhei para a frente vendo a Tia Minnie colocar um banquinho de quatro pernas e em cima pois um chapéu bastante empoeirado, por alguns segundos fez silêncio total. Então o chapéu se mexeu. Um rasgo se abriu como uma boca e ele começou a cantar:

Ah, você podem me achar pouco atraente,

Mas não me julguem só pela aparência

Engulo a mim mesmo se puderem encontrar

Um chapéu mais inteligente do que o papai aqui.

Podem guardar seus chapéus-coco bem pretos,

Suas cartolas altas de cetim brilhoso

Porque sou o Chapéu Seletor de Hogwarts.

E dou de dez a zero em qualquer outro chapéu.

Não há nada escondido em sua cabeça

Que o Chapéu Seletor não consiga ver,

Por isso é só me porem na cabeça que vou dizer

Em que casa de Hogwarts deverão ficar

Quem sabe sua morada é a Grifinória,

Casa onde habitam os corações indômitos.

Ousadia e sangue-frio e nobreza

Destacam os alunos da Grifinória dos demais,

Quem sabe é na Lufa-Lufa que você vai morar,

Onde seus moradores são justos e leais

Pacientes, sinceros, sem medo da dor,

Ou será a velha e sábia Corvinal

A casa dos que têm a mente sempre alerta,

Onde os homens de grande espírito e saber

Sempre encontrarão companheiros seus iguais,

Ou quem sabe a Sonserina será a sua casa

E ali estejam seus verdadeiros amigos,

Homens de astúcia que usam quaisquer meios

Para atingir os fins que antes colimaram.

Vamos, me experimentem! Não devem temer!

Nem se atrapalhar! Estarão em boas mãos!

(Mesmo que os chapéus não tenham pés nem mãos)

Porque sou único, sou um Chapéu Pensador!

Bati palmas assim como todos no Salão assim que o chapéu acabou. Ele fez uma reverência para cada uma das quatro mesas e em seguida ficou muito quieto outra vez.

-Então só precisamos experimentar o chapéu!- cochichou Rony a Harry.- Vou matar a Lia e o Fred, eles não pararam de falar numa luta contra um trasgo.

Virei minha cabeça para trás e sorri marota para Rony enquanto piscava o olho direto bem humorada, depois virei-me para frente para prestar atenção na Seleção.

Tia Minnie então se adiantou segurando um longo rolo de pergaminho.

-Quando eu chamar seus nomes, vocês porão o chapéu e se sentarão no banquinho para a seleção. Ana Abbott!

Uma garotinha de loura sentou-se no banco e pois o chapéu na cabeça.

-LUFA LUFA!- exclamou o chapéu e a mesa da Lufa-Lufa bateu palmos quando Ana foi sentar-se lá.

-Susana Bones!

-LUFA LUFA!

-Teo Boor

-CORVINAL!

Desta vez foi a mesa onde as cores predominantes era o azul e bronze que bateram palmas. Lilá Brown foi a primeira a ser escolhida para a Grifinória o que fez a mesa explodir em vivas. Mila Bulstrode se tornou uma Sonserina. Vários outros foram selecionados para varias casas, Hermione e Neville haviam sido selecionados para Grifinória, o que me fez ficar feliz pelos dois. Draco Malfoy foi chamado e mau o chapéu tocou na cabeça dele e ele já havia sido selecionado para Sonserina. Cada vez que alguém era selecionado eu ficava cada vez mais ansiosa e um pouco nervosa, mesmo não demonstrando.

-Harry Potter!

Assim que Tia Minnie chamou o nome de Harry, começou o burburinho por todo o Salão, Harry foi até o banquinho sentando-se no mesmo, e Tia Minnie colocou o chapéu na cabeça dele. O chapéu demorou dois longos minutos com ele, mas por fim pareceu se decidir pois havia gritado: GRIFINÓRIA, fazendo Harry sorrir largamente e correr para a mesa vermelha e dourada que receberam ele com aplausos e barulhos, vindo particularmente dos meus gêmeos favoritos.

-Amélia Prewett!

Tia Minnie chamou meu nome e eu respirei fundo, olhei rapidamente para a mesa vermelha e dourada, e vi meus primos com sorrisos no rosto, virei meu rosto para a mesa dos professores e vi que eles me olharem com olhos arregalados, até o Diretor Dumbledore, fiquei confusa, mas mesmo assim sentei-me no banco e Tia Minnie pareceu voltar a realidade, pois colocou o chapéu na minha cabeça.

Ah..uma prewett, faz alguns anos que eu não seleciono mais nenhum de vocês. Mas vejamos, vejo que sua vida é repleta de segredos minha jovem, segredos que você mesma desconhece.

Que tipo de segredos?- perguntei na minha mente.

Como por exemplo sua mãe, sei que quer muito saber sobre ela, e tem um pouco de esperança de que eu talvez possa lhe contar algo sobre ela não é mesmo? Bem não precisa responder eu sei que estou certo, o nome de sua mãe era Alpha, uma brilhante e talentosa aluna da Sonserina, você é idêntica a ela, tirando os cabelos ruivos que puxou de seu pai. Sua mãe foi a pessoa mais nobre, gentil e bondosa que esse castelo já viu, era capaz de alegrar as pessoas com sua simples presença, ela tinha esse dom, dom que você também tem pelo que vejo.

Bom mas voltando a sua seleção, você poderia ir muito bem para a Sonserina por causa de sua família materna, mas...também Grifinória seria uma excelente casa, você tem uma mente brilhante e adaptável para qualquer situação, seria uma brilhante Corvina, mas...também é leal e determinada para conseguir aquilo que você quer coisa que lhe faria uma maravilhosa Lufana.

Bem eu não consigo me decidir, você ficaria perfeita em todas as casas, você tem alguma preferência?

Não- sussurrei para mim mesma.

Bom então melhor que fique na...GRIFINÓRIA.

Assim que ele disse isso eu tirei o chapéu da minha cabeça e olhei na direção da mesa vermelha e dourada que comemorava com altos aplausos, sorri largamente e sai de cima do banco e entreguei o chapéu para Tia Minnie que deu um pequeno sorriso para mim.

Fui caminhando para a mesa da Grifinória e Fred veio ao meu encontro me abraçando e me girando no ar, me fazendo rir.

-Parabéns estamos orgulhosos- disse Fred me colocando suavemente no chão.

-Verdade, estávamos esperando ansiosamente que você caísse na Grifinória- falou Jorge me abraçando e beijando minha bochecha.

-Valeu meninos, mas agora temos que ver a seleção de Rony- falei sorrindo.

-Lia, parabéns por ter sido selecionada para a Grifinória- falou Percy me abraçando.

-Obrigado Percy- sorri gentilmente.

Sentei-me ao lado de Hermione na mesa da Grifinória, e a mesma me abraçou me parabenizando, sorri e parabenizei ela também, olhei para Neville sorri para o mesmo e ele retribuiu com um sorriso tímido, olhei para Harry que estava na minha frente e sorri para ele.

-Parabéns por ter vindo para a Grifinória Harry- falei e ele sorriu.

-Parabéns para você também- falou gentilmente.

Virei-me para trás e fiquei observando os outros primeiranistas, duas garotas foram selecionadas para Corvinal e um garoto foi selecionado para Sonserina, depois de um longo tempo(nem tão longo), Tia Minnie chamou o Rony, ele extremamente nervoso sentou-se no banquinho, o chapéu pareceu pensativo por alguns segundos quando finalmente gritou: GRIFINÓRIA, Rony ficou aliviado e abriu um sorriso animado vindo ao nosso encontro.

Me levantei de onde estava e pulei em seus braços, fazendo ele quase cair no chão, mas me segurou apertando minha cintura.

-Parabéns Ron, estou muito feliz por você- falei sorrindo assim que me separei dele.

-Valeu Lia, mas eu fiquei com muito medo de não cair na Grifinória- admitiu com um sorriso aliviado.

-Muito bem, Rony excelente- disse Percy pomposamente dando umas batidas no ombro de Ron.

Voltei-me a me sentar ao lado de Hermione, e Ron se sentou ao lado de Harry. Alvo Dumbledore se levantou da sua cadeira, sorriu radiante para os alunos e os braços abertos como se pudesse abraçar todos.

-Sejam bem-vindos!- disse. - Sejam bem-vindos para um novo ano em Hogwarts! Antes de começarmos nosso banquete, eu gostaria de dizer umas palavrinhas: Pateta! Chorão!Desbocado! Beliscão! Obrigado.

Todos bateram palmas e deram vivas animados e eu mesmo confusa, bati palmas.

-Ele é...um pouquinho maluco?- perguntou Harry para Percy.

-Maluco?- disse Percy despreocupado.- Ele é um gênio, o melhor bruxo do mundo, mas é um pouquinho maluco, sim. Batatas, Harry?

Isso pareceu me despertar e voltar a realidade, eu senti o maravilhoso cheiro de comida, olhei para a mesa e os pratos estavam cheios de comida, peguei meu prato e coloquei rosbife, batatas e torta de carne, e comecei a comer. Estava tudo maravilhosamente delicioso.

-Isto está com uma cara ótima- disse um fantasma observando, tristemente, Harry corta o rosbife.

-O senhor não pode...?- perguntei apontando para a comida.

-Não como há quase quatrocentos anos- explicou o fantasma.- Não preciso, é claro, mas a pessoa sente falta. Acho que ainda não me apresentei? Cavalheiro Nicholas de Mimsy Porpington às suas ordens. Fantasma residente da torre da Grinfinória.

-Eu sei quem é o senhor!- disse Rony inesperadamente.- Meus irmãos me falaram do senhor. O Senhor é, o Nick Quase Sem Cabeça.

-Eu prefiro que você me chame de cavalheiro Nicholas de Mimsy.- falou ele formalmente.

-Quase Sem Cabeça? Como é que alguém pode ser quase sem cabeça?- perguntou Simas.

Sir Nicholas parecia muitíssimo aborrecido, como se aquela conversinha não estivesse tomando o rumo que ele queria.

-Assim- disse com irritação. E agarrou a orelha esquerda e puxou. A cabeça toda girou para fora do pescoço e caiu por cima do ombro como se estivesse presa por uma dobradiça. Senti uma mão tampando meus olhos me impedindo de ver o resto, o que agradeci, pois eu quase coloco minha comida para fora.

-Odeio quando ele faz isso- murmurou uma voz que reconheci sendo a de Fred, ele tirou as mãos do meu rosto e eu suspirei aliviada e sorri.

-Valeu Fred, ele faz sempre isso?- perguntei me recompondo.

-Sim, sempre que algum idiota pergunta- falou Jorge que estava ao lado de Fred.

-Então, novos moradores da Grifinória! Espero que nos ajudem a ganhar o campeonato das casas este ano! Grifinória nunca passou tanto tempo sem ganhar a taça. Sonserina tem ganhado nos últimos seis anos! O barão Sangrento está ficando quase insuportável. Ele é o fantasma da Sonserina.

Olhei para a mesa da Sonserina e vi um fantasma horroroso, os olhos vidrados e suas vestes sujas de sangue prateado.

-Como foi que ele ficou coberto de sangue?- perguntou Simas muito interessado.

-Nunca perguntei- respondeu Nick educadamente.

Depois de terminarmos de comer, as sobras desapareceram dos pratos, deixando-os limpos como no início.

Logo depois surgiram as sobremesas, eu coloquei no meu prato um pedaço de cheesecake de morango e um pouco de sorvete de pistache com creme, quando estava aproveitando minha maravilhosa comida, à conversa havia se voltado para as famílias.

-Eu sou meio a meio- disse Simas.- Papai é trouxa. Mamãe não contou a ele que era bruxa até depois de casarem. Teve um choque horrível.

Eu e os outros rimos.

-E você, Neville?- perguntou Rony.

-Bom, minha avó me criou e ela é bruxa, mas a família achou durante anos que eu era completamente trouxa. Meu tio-avô Algi vivia tentando me pegar desprevenido e me forçar a recorrer à magia. Ele me empurrou pela borda de um cais uma vez, eu quase me afoguei. Mas nada aconteceu até eu completar oito anos. Meu tio Algi veio tomar chá conosco e tinha me pendurado pelos calcanhares para fora de uma janela do primeiro andar, quando a minha tia-avó Enid lhe ofereceu um merengue e ele sem querer me deixou cair. Mas eu desci flutuando até o jardim e a estrada. Todos ficaram realmente satisfeitos. Minha avó chorou de tanta felicidade. E vocês deviam ter visto a cara deles quando entrei para Hogwarts. Achavam que eu não era bastante mágico para entrar, entendem. Meu tio Algi ficou tão contente que me comprou um sapo.

Do meu lado Percy e Hermione conversavam sobre as aulas de Hogwarts, esses dois se pareciam muito, fiz uma leve careta com o pensamento. Me senti aquecida e cheia de sono, meus olhos estavam levemente pesados, encostei a cabeça no ombro de Fred que estava ao meu lado.

-Com sono?- perguntou fazendo carinho nos meus cabelos e eu assenti.- Daqui a pouco eles devem nos expulsar para irmos ao Salão Comunal, Dumbledore só vai dar os seus avisos de sempre e fazer a gente cantar o hino da escola.

-Isso parece chato- murmurei de olhos fechados.

-E é, mas é uma tradição de boas vindas- murmurou ainda mexendo nas madeixas dos meus cabelos.- Dumbledore vai começar a falar.

Levantei a cabeça e vi Dumbledore se levantando e todo o Salão ficou inesperadamente silencioso.

-Hum... Só mais umas palavrinhas agora que já comemos e bebemos.Tenho alguns avisos de início de ano letivo para vocês. Os alunos do primeiro ano devem observar que é proibido andar na floresta da propriedade. E alguns dos nossos estudantes mais antigos fariam bem em se lembrar dessa proibição.

Os olhos dele faiscaram na direção de Fred e Jorge que estavam ao meu lado, eu rir da careta que os dois fizeram.

-O Sr. Filch o zelador, me pediu para lembrar a todos que não devem fazer mágicas no corredor durante os intervalos das aulas. Os testes de Quadribol serão realizados na segunda semana de aulas. Quem estiver interessado em entrar para o time de sua casa deverá procurar Madame Hooch. E, por último, é preciso avisar que, este ano, o corredor do terceiro andar do lado direito está proibido a todos que não quiserem ter uma morte muito dolorosa.

Harry riu, mas foi um dos poucos que fizeram isso.

-Ele não está falando sério?- perguntou o moreno para Percy.

-Deve estar- respondeu Percy franzindo a testa para Dumbledore.- E estranho porque em geral ele sempre nos diz a razão porque somos proibidos de ir a algum lugar A floresta está cheia de animais selvagens, todo o mundo sabe disso. Acho que poderia ter dito aos monitores, pelo menos.

Revirei os olhos, serio que Percy acha que o diretor da escola tem que dar alguma justificativa a ele? As vezes meu primo consegue ser um idiota.

-E agora, antes de irmos para a cama, vamos cantar o hino da escola!- exclamou Dumbledore, percebi que a maioria dos alunos mais velhos resmungaram.

Todos começaram a cantar o hino de Hogwarts e eu só movia a boca fingindo acompanhar, a verdade é que estava cansada demais para isso, depois todos terminaram em tempos diferentes, só sobrando Fred e Jorge cantando sozinhos ao som de uma marcha fúnebre. Assim que eles terminaram, todos aplaudiram.

-Ah..a música- disse Dumbledore secando os olhos.- Uma mágica que transcende todas que trazemos aqui! É hora de dormir.

-Andando!- berrou Percy.

Percy nos guiou para o Salão Comunal da Grifinória, nos avisou para tomarmos cuidado com as escadas que vivem mudando de lado, no caminho encontramos Pirraça que era um poltergeist, paramos em frente a um quadro de uma mulher gorda vestida de rosa, ela pediu a senha e Percy disse cabeça de dragão. Percy nos indicou o dormitório das meninas e dos meninos, e avisou que os meninos não poderiam entrar no dormitório das meninas. Eu me despedi de Rony com um abraço e dei um beijo na bochecha de Harry, e rapidamente subi ao dormitório das meninas.

Assim que entrei no meu quarto vi que Hermione já estava em sua cama lendo um livro, eu sorri para ela e me deitei na minha cama que estava ao lado da janela, com a gaiola de Morgan, murmurei um Boa Noite, logo depois tudo ficou preto.

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 



Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...