História A primavera de Sakura... - Capítulo 6


Escrita por: ~

Postado
Categorias Naruto
Personagens Personagens Originais
Tags Naruto, Sasusaku
Visualizações 292
Palavras 1.867
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Drama (Tragédia), Romance e Novela, Saga, Shoujo (Romântico)
Avisos: Álcool, Heterossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Sexo, Violência
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Notas do Autor


Olá, boa noite.
Mais um capítulo, com umas cenas mais íntimas, evite ler se incomoda.
Espero que gostem.
Só uma coisinha, o capítulo de A fronteira está sendo concluido.

Capítulo 6 - Amor


As palavras de Sasuke soavam em minha cabeça, eu queria acreditar que ele realmente se sentia assim, mas todas as suas ações diziam o contrário, ele agia como se não me suportasse. Sasuke me deixava confusa.

- Se quiser ir embora eu não farei nada, Sakura. 

Sua voz me despertou dos meus pensamentos, e automaticamente eu entrei em desespero, eu não queria ir embora. 

- O quê? 

- Se você quiser...

- Eu não quero. Eu não vou. – Respondi no mesmo instante.

O vi relaxar um pouco, soltou a respiração com força e bagunçou os cabelos escuros. Eu o assisti encantada, Sasuke era mesmo um homem muito bonito. Ele voltou a olhar para mim, não havia raiva ou irritação em seus olhos, eu corei, senti o meu rosto esquentar. 

- Vou deixar você em paz. – Ele disse enquanto levantava. 

Eu não permiti, abusei de sua bondade e puxei sua camisa para que ele ficasse. Sasuke me olhou assustado, confuso, porém voltou a se sentar. Eu não disse nada, apertei ainda mais o tecido da sua camisa, eu queria dizer tantas coisas, havia tanta coisa guardada dentro de mim.

- Vamos tentar de novo? – Eu o pedi. 

Ele virou o rosto.

- Só mais uma vez, Sasuke. 

- Eu não sou o que você quer, Sakura. – Ele me respondeu. - Eu nunca fui. Você diz gostar de mim, mas quer que eu aja como outra pessoa.

- Eu só não quero que aja como se me odiasse! Isso é tão difícil assim? 

- Sim! – Me devolveu nervoso – É difícil sim. Isso não é natural! Eu não sou assim! 

- Você é um monstro! – Gritei para ele pois já havia me esquecido de todas as boas palavras que ele havia me dito. – Eu fiz e faço tudo por você. Me desfiz do meu amor próprio, briguei com meus amigos, não vejo mais os meus pais, fiz tudo isso e você não consegue ser gentil? Para o inferno Sasuke! Você, sua raiva, sua casa, seu clã, e seu maldito bebê! – O rosto de Sasuke demostrou um medo que eu nunca havia presenciado - Nada pode mudar você! Seu idiota! Maldito arrogante e egoísta! Eu odeio você! 

Vi os lábios de Sasuke se moverem rapidamente, mas não consegui escutar nada, de repente me senti tonta, tudo girava e meu corpo parecia pesado demais. Fiquei com medo e puxei sua camisa para que ele me ajudasse, logo depois vi tudo ficar escuro. 

Acordei na nossa cama, Sasuke estava deitado ao meu lado, ele parecia perdido fitando o teto, me remexi na cama e fiquei sentada massageando as têmporas, minha cabeça doía. 

- Vamos tentar outra vez. – Ele me disse. 

- Nada vai mudar. – Eu o disse sinceramente.

- Você não quer mais a criança? – Ele virou o rosto para mim, eu me assustei, as palavras sumiram da minha boca, Sasuke estava chorando. 

- Eu quero. – Falei imediatamente - eu estava nervosa, Sasuke. Não devia ter falado aquilo. É claro que eu quero. Muito!

- Obrigado. – Ele sussurrou – obrigado... 

Logo após isso Sasuke me perguntou se eu desejava ir ao hospital ver se estava tudo bem, eu neguei, aleguei que estava tudo bem e ele me avisou que sairia e voltaria antes do jantar. Isso para mim já foi motivo de muita surpresa, ele quase nunca me avisava para onde ia, mas o tom que ele usou, a forma, as palavras, parecia ter um cuidado que eu julguei falso, pois parecia devidamente ensaiado, mas estou grata pela consideração. 
Ele se atrasou para o jantar, eu não me incomodei em comer sozinha e quando ele chegou não fiz cara feia por causa disso, ele também comeu sozinho e depois me procurou.
- Tenho trabalho para essa noite. – Me mostrou dois pergaminhos –mas pode ir até o escritório se quiser.

Depois foi embora, novamente não fiz nenhum caso sobre essa informação, apesar de despertar certa curiosidade. Quando desci para tomar água vi que ele havia deixado a porta levemente aberta, talvez para que eu me sentisse mais inclinada a ir vê-lo. Fui por pura curiosidade e não vontade de estar com ele, também dormiria sozinha, não faria diferença para mim naquela noite. 

Entrei como quem não quer nada, seus olhos me seguiram até que eu sentassem em uma cadeira distante dele, depois o vi relaxar. 

- Está tarde. – Eu comecei.

- Prefiro acabar isso hoje. 

Eu me inclinei para espiar o pergaminho e o  que ele escrevia. Logo depois me aproximei um pouco apenas para ler melhor.

- O que está fazendo?

- Estratégia.

Isso despertou ainda mais minha curiosidade.

- É? E como anda?

- Bem.

Mordi o lábio e me aproximei mais, fiquei bem ao seu lado, ele não se importou.

- Quer ver? – Sasuke me perguntou.

Eu não disse nada, peguei o papel e li a prova de como meu esposo era inteligente e audacioso. 

- Você fará isso? – Perguntei preocupada com a sua segurança.

- Sim. 

- Você vai ficar bem?

Ele pensou um pouco a respeito.

- Talvez. 

Minhas mãos suaram um pouco, elas estavam trêmulas porque a chance de Sasuke se machucar me deixava em pânico.

- Eu vou sair amanhã cedo – Ele disse levando-se – e voltarei antes do jantar, sem atrasos. 
Depois ele me puxou para fora, subimos as escadas de mãos dadas e quando chegamos ao quarto Sasuke me conduziu até a cama.

- Você disse que às vezes doía. 

Eu assenti envergonhada.

- Você está com medo de mim? 

Eu neguei.

- Ainda quer transar comigo? 

Nesse momento fiquei chocada, senti o rosto arder ainda mais e apertei o tecido da minha saia com força, Sasuke estava esperando alguma resposta, tímida apenas fiz que sim com a cabeça. 

- Então diga como eu tenho que fazer ou quando eu devo parar. 

Eu levantei meu rosto ainda avermelhado e fitei a face determinada de Sasuke. 

- Tudo bem? – Ele perguntou.

- Tudo bem. – O respondi. 

Sasuke puxou minha mão e me fez levantar, trocamos de lugar, ele sentou e eu fiquei de pé. Puxou o tecido da minha camiseta para cima e eu ergui meus braços para que ele a removesse. Ele agia lentamente, o que era novo para mim, quando transávamos era sempre tudo muito rápido. Sua única mão deslizou pelo meu corpo até encontrar a saia que eu vestia, ele também retirou essa peça, e eu me senti estranha. Eu sempre tive um pouco de vergonha do meu corpo, acredito que esta era a primeira vez que Sasuke realmente me olhava por completa. Os olhos desiguais passearam pelo meu corpo, ele torceu o rosto levemente, eu tive medo de que ele não gostasse de algo.

- Seu corpo está mudando. – Ele me falou. 

- A gravidez... 

Ele assentiu depois me puxou para mais perto. 

- Tem algo que você não quer que eu faça? 

Eu refleti sobre isso, sim, havia um monte de coisas, mas eu não sabia se podia contar.  

- Odeio quando me vira como se eu fosse algo. Àquilo dói muito. 

- Desculpe, nunca mais farei isso. – Ele me pareceu verdadeiro.

- Não xingue ou evite olhar para mim. 

Ele concordou e eu encerrei. Eu podia descrever uma noite perfeita, mas o que eu realmente desejava era que ele me fizesse feliz porque queria e não porque eu estava mandando.

Sasuke se levantou, pegou minha mão e me fez despi-lo, quando ele já estava completamente nu, eu contemplei o homem forte que ele havia se tornado, a falta do braço não alterava em nada sua beleza, eu senti meu corpo queimar de desejo e o toquei sem pudor, minhas mãos deslizaram por todo o corpo, arranhei seu abdômen e parei lá. Ergui meus olhos para o rosto de Sasuke, fiquei admirada com o que vi, apenas isso já lhe causava prazer. 
Ele abriu os olhos lentamente, inclinou seu rosto e me beijou, éramos nós agora, não apenas Sasuke fazendo o que tinha que ser feito. Foi maravilhoso, incrível, impossível de escrever, a cada segundo que sua boca exigia a minha eu me sentia mais poderosa. Àquilo era real, aquilo era desejo. 

Eu empurrei seu corpo e ele caiu sobre o colchão, engatinhei até me sentar sobre ele, nossas intimidades se tocaram e nos gememos juntos. Sasuke sentou-se e retirou meu sutiã, eu me senti exposta mas não reclamei, eu gostava de ver o desejo nos olhos dele. Fechei os meus olhos e me deliciei com a maravilhosa sensação de sua boca massageando meus seios, um de cada vez, vem pressa alguma. Puxei seus cabelos agoniada, gemi sem me importar se ele acharia isso irritante ou não, logo Sasuke levantou seu rosto, me empurrou e ficou por cima. Seus lábios frios voltaram a beijar meu corpo, passaram queimando a minha pele, despertando em mim um prazer físico e emocional que nunca havia sentido antes. Ele castigou meu corpo, provocou minha sanidade, deixou marcas e me fez sentir mulher. Quase perdi o chão quando ele removeu minha calcinha e me preencheu com seus dedos, apertei os lençóis com força, senti o prazer se alastrar e foi impossível não chamar por ele.

- S-sasuke...

Sasuke nunca havia feito isso, ele nunca se importou em me “preparar” para recebê-lo, era sempre direto e por vezes me senti horrível durante o sexo, mas agora mal conseguia manter a boca fechada, sentia meu interior esquentar, era estranho, mas parecia ser algo bom. Entretanto ele parou, voltou a me beijar, trocamos carícias, sua mão deslizou por todo o meu corpo e eu estremeci sob seus toques, tudo era maravilhoso.

Meu esposo se posicionou entre minhas pernas, continuou me fazendo carinho até onde podia, mas eu tinha um visão tão ruim do sexo que foi impossível não ficar nervosa. Ele encostou a testa suada na minha, olhou no fundo dos meus olhos e deslizou com incrível facilidade para dentro de mim, foi bem lentamente e extremante prazeroso, fechei os olhos imediatamente com o intuito de sentir ao máximo aquela incrível sensação. Ele voltou a sair e depois entrar, esses simples movimentos eram capazes de me deixar alucinada, eu senti meu corpo se contrair, se movimentar por conta própria, eu queria que ele soubesse o quanto eu estava amando aquela nova sensação, então o beijei, uma, duas, três vezes, me perdi e me encontrei em seus lábios. O senti se movimentar com mais força e firmeza, seu corpo se chocava com o meu com rudeza, porém não havia ficado ruim, muito pelo contrário o prazer só se tornava ainda mais intenso. Perdi o total controle do meu corpo, minha mente ficou em um branco total, senti o prazer mais incrível que alguém poderia sentir, ele se espalhou por todo o meu corpo e cada célula minha se deleitou com meu primeiro orgasmo. O grito saiu sôfrego e rasgando a minha garganta, por longos segundos senti meu corpo submerso ao prazer mais intenso, as lágrimas se acumularam em meus olhos. A sensação se prolongou pois meu esposo continuou se movimentando até que encontrasse o próprio prazer, após cair sobre meu corpo, eu o abracei como nunca havia feito antes. O corpo de Sasuke estava unido ao meu e eu nunca estive tão feliz.

- Eu te amo. – Eu lhe segredei e dormi. 

 


Notas Finais


Expressar sua opinião, favoritar a fic e compartilhar com os amigos me ajuda muito. Dá uma força aí parça. Eu não comentei isso mas acho que essa fic vai durar uns 20 capítulos ou 25, já que eu não sigo a ordem da história original. Se eu conseguir história para mais de 25 capítulos, como qualquer outra informação sobre a fanfic vou avisá-los.
Obrigada pela atenção, desculpa se te fiz perder tempo e é isso.
Beijo no coração e até mais.

Fiquem com Javé.


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...