História A primavera de Sakura... - Capítulo 7


Escrita por: ~

Postado
Categorias Naruto
Personagens Personagens Originais
Tags Naruto, Sasusaku
Visualizações 471
Palavras 1.617
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Drama (Tragédia), Romance e Novela, Saga, Shoujo (Romântico)
Avisos: Álcool, Heterossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Sexo, Violência
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Notas do Autor


Olá amores
EU peço que vocês fiquem atentos ao crescimento da Sakura, perceba que antes ela sequer questionava Sasuke agora ela se sente confortável o insuficiente para ter uma conversa franca com ele. Eu quero que vocês percebam isso porque a ideia é que ela cresça aos poucos.
Sobre o sentimentos do Sasuke, bom.. vejam aí.

Boa leitura.

Capítulo 7 - Confusão


Eu nunca estive tão feliz, cada segundo da noite anterior foi perfeito, eu finalmente sentia que nós poderíamos dar certo.

 Sasuke já saiu, ele acordou bem cedo esta manhã e saiu em missão, não trocamos muitas palavras mas a forma como ele me olhou essa manhã foi totalmente diferente de como fazia antes. Ele sempre parecia irritado ou nervoso, hoje parecia tranquilo, isso me faz feliz, vê-lo bem me deixa contente.  

Minhas colegas de trabalho e principalmente Ino não entendem o motivo de tanta felicidade, e sinceramente não ouso contar, bom, como eu faria isso? Eu não encontrava palavras para descrever a noite maravilhosa que nós havíamos passado juntos. Havia algo além de prazer físico, foi isso que tornou a minha noite perfeita. Sorri tanto durante o dia que senti o rosto doer, o trabalho se tornou tão leve que não vi as horas passarem, tudo estava tranquilo até ouvir um barulhoo e Ino entrar em minha sala.

- Testa, Sasuke está aqui.

Não minto que senti meu coração disparar e as pernas tremerem de ansiedade, eu queria vê-lo logo, já sentia saudades suas, por isso corri para fora e procurei por ele. Meu sorriso se desfez no mesmo momento em que vi uma moça levar o meu esposo em uma maca para a sala de cirurgia. Eu tentei correr em seu encontro, mas Ino me segurou.

- Sakura, espere! 

Eu tentei me soltar de seus braços pois queria ver logo como Sasuke estava, mas ela continuou me segurando com toda a força que tinha, perdi a cabeça.

- Solte-me! Eu preciso cuidar dele.

- Como? – Ela gritou para mim – como essas mãos? 

Eu olhei para as minhas mãos que tremiam e suavam de medo, ela estava certa, eu não poderia conduzir ou realizar uma cirurgia desse jeito. Senti a visão ficar turva, chorei pois temia pela segurança do meu esposo e fui consolada pela minha melhor amiga. 

Naruto chegou alguns minutos depois, Ino e eu estávamos sentadas esperando por alguma informação que custava chegar, meu amigo se sentou ao meu lado e tomou minha mão, não disse nada e eu agradeci por isso. 
Três horas depois, um médico que eu conhecia bem se aproximou de nós, ele abaixou a máscara e nos saldou com um sorriso mínimo.

- Tudo ocorreu bem. 

Ino e Naruto soltaram um suspiro de alívio mas eu não estava satisfeita, estava aliviada, mas não satisfeita.

- Quero ver meu esposo.

O médico que eu já conhecia bem sorriu para mim.

- Ele ainda dorme e precisa descansar, não posso deixá-la entrar. Não ainda.

Eu me desesperei ainda mais, entretanto sabia bem como as coisas funcionavam e esperei. Foram de 1 a 2 horas de espera até o médico retornar, ele parecia inquieto e quando se aproximou de nós deu um sorriso nervoso.

- O paciente encontra-se estável e consciente.

Todos suspiraram de alívio. 

- Posso vê-lo? – Minha voz saiu nervosa.

Eis o momento em que vi o rosto do médico empalidecer, ele gaguejou algo antes de finalmente nos responder:

- Ele não quer ver a senhora. 

- Como assim? – Eu voltei a perguntar surpresa.

- O paciente me perguntou apenas pelo jovem Naruto. 

Meu amigo ficou tão surpreso quanto eu.

- O Teme quer me ver? 

- Sim, foi o desejo dele.

Naruto olhou para mim e vi seus olhos me questionarem, eu assenti. Se esse era o desejo do meu esposo que seja realizada a sua vontade, àquilo me doeu, tanto que quase me desmanchei em lágrimas, mas eu as ocultei e fingi estar tudo bem. Naruto foi encontrar Sasuke e eu tive que lidar com Ino.

- Sakura, querida, eles devem ter algo para conversar.

- Porca, meu maldito marido prefere o amigo a mim. Pelo amor de Deus, não me venha com essa conversa. – passei as mãos pelos cabelos – eu só quero que ele fique bem.

Finalmente senti as lágrimas descerem quentes pelo rosto.

Ino tentou me animar mas eu resolvi ir embora para casa, eu voltaria mais tarde, precisava de um banho e comer alguma coisa. Eu caminhava lentamente pelos corredores do hospital quando ouvi passos apressados e alguém chamando meu nome. 

- SAKURA-CHAN!

Naruto parou em minha frente, colocou as suas mãos nos joelhos enquanto tentava retomar o ar perdido.

- Aconteceu algo? 

Ele ergueu o rosto sério e me disse:

-Precisamos conversar.

Meu amigo havia me feito abrir minha sala, pois alegou se tratar de uma conversa séria, eu sentei e esperei que ele fizesse o mesmo, mas ele continuou caminhando de um lado para o outro.

- Está me deixando nervosa! – Gritei para ele.

- O Teme está bem, tão bem que já consegue ser tão chato como costuma ser. Ele sofreu uma pequena emboscada e o número de ninjas foi maior que o previsto, ele deu conta do recado mas teve o abdômen perfurado. 

-Ele..

- Como eu disse, ele tá bem! Vai sair em alguns dias, só precisa ficar em observação e depois pode se recuperar em casa.

Eu me senti aliviada porém meu coração ainda estava triste.

- O que aconteceu entre vocês? 

Nesse momento olhei para Naruto sem compreende-lo.

- O quê?

- O Sasuke está esquisito. 

- Como assim?

Naruto sentou-se ao meu lado.

- Quando eu fui vê-lo, ele estava nervoso, perguntou se você estava aqui, se tinha visto ele chegar, se estava preocupada e muitas outras coisas.

- Naruto, seja mais específico.

- Eu não sei... Teme é difícil de entender. Ele disse que eu devia te levar para casa e não deixar você entrar. 

- Ele não me quer por perto. – Decretei.

- Esse é o problema. – Ele devolveu confuso – ele parecia triste. 

Meus olhos se arregalam, eu  tentei mascarar a minha surpresa.

- Eu acho que ele não quer que você vá. – Naruto coçou a cabeça – era como se ele dissesse aquilo mas não quisesse.

Eu parei para refletir um pouco e apenas me tornei mais confusa, levantei-me rapidamente e dei passos seguros em direção ao quarto de Sasuke, Naruto me questionou:

- Para onde vai?

- Tirar essa história a limpo. – Foi o que eu lhe respondi.

A verdade era que eu mesma queria comprovar o que Naruto havia me falado, eu queria olhar dentro dos olhos de Sasuke e entender porque depois de tudo ele ainda se recusava a me ver. Fiquei alguns minutos encarado a porta de madeira do seu quarto, coloquei a mão na maçaneta porém não a consegui girar. 

- Deus me ajude..

Eu entrei, ele estava deitado com os olhos fechados, quando fui me aproximando o vi abrir os olhos lentamente e exibir uma cara confusa.

- Você não devia estar aqui. 

Eu não me abalei com suas palavras, sentei-me ao seu lado, afastei as minhas inseguranças e comecei:

- Sabe de uma coisa Sasuke? Eu não sei exatamente o aconteceu ontem, mas eu achei que nós..

- Sakura...

- Eu achei que nós havíamos chegado a um acordo. Acordo este em que nós nos esfoiçaríamos a tentar fazer essa droga de casamento dar certo!

Ele permaneceu calado.

- Você se machucou droga! Você passou por uma cirurgia, sabe o quanto eu estive preocupada? E depois se recusou a me ver!  

- Desculpe.

- Não! Eu não desculpo! Você sempre age dessa forma e depois simplesmente diz: Desculpe. Disso nada adianta se no dia seguinte você me tratar como nada. Somos casados, eu sou sua esposa! Sabe o que significa isso? nós devíamos ser muito mais que moradores da mesma casa, devíamos ser amigos, companheiros, amantes, nós devíamos ser apenas um! Mas você me afasta cada dia mais.

 - Você precisa se acalmar. – Ele me disse com seus olhos suplicantes – a criança.

- Você escutou o que eu disse? VOCÊ POR ACASO ESCUTOU O QUE EU DISSO SASUKE???

-SIM! – ele gritou comigo, sua voz grave ecoou por toda a sala e eu parei assustada.

- Eu escutei tudo... desde que nos casamos. Cada maldita palavra. A saudade que sente dos pais, o cansaço do seu trabalho, os livros que leu, as novelas que viu, os pacientes que cuidou, até as perguntas que me fez e eu fingi não ouvir. Tudo, Sakura. Eu escutei tudo. 

Eu permaneci parada e pasma.

- Então por que eu fiz isso? Eu nunca liguei para você, ou para qualquer um. Então por que até quando você resmunga consigo mesma eu aguço a audição para te ouvir?  Por que eu me lembro de você quando sinto determinados cheiros? Por que eu que não ligo para nada sei dos seus costumes e manias? Por que eu que sou um poço de frieza gostei de ontem? E por que quando eu me machuquei fiquei com medo de não voltar para casa? O que você está fazendo comigo? Sua feiticeira maldita! Você não sai da minha cabeça! Por que merda eu sinto tanta falta quando você passa todas as malditas horas do seu dia, aqui, longe  mim?!

- Mas que merda, Sakura... Eu acho que... que eu... 

- Sasuke, o que você quer dizer? 

Ele me olhou irritado, confuso e agoniado, passou a mão pelos cabelos e puxou os fios com força, eu assisti tudo aquilo sem saber como reagir. Me aproximei e puxei sua mão, seus olhos negros encontraram os meus.

- Você está me deixando confuso. – Ele admitiu. 

Eu fitei seus olhos perdidos, e quase me senti culpada por causar tanta confusão. Parte de mim entendeu que por trás dos gritos, palavras grosseiras e olhar raivoso, Sasuke estava finalmente se apaixonando por mim. Puxei seu rosto delicadamente em minha direção, ele não se afastou e eu juntei os nosso lábios, senti Sasuke se acalmar sob meus toques e me afastei logo depois.

- Está tudo bem, anata.


Notas Finais


Bom, daqui pra frente é quando o relacionamento realmente começa.
E então pessoal? Tá ruim, bom, razoável? Me fala que isso é muito importante.
Para o pessoal da outra fic, capítulo novo amanhã a noite.

Beijo na testa, abraço apertado e brigadão.
Fiquem com Jesus Cristo é nois.

Alguém me ensina a fazer sinopse? Eu não sei fazer essa treco. Me dá uma dica, tem que fazer caridade ao próximo.


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...