História A primeira desordeira - Capítulo 12


Escrita por: ~

Postado
Categorias Meninas Super Poderosas (The Powerpuff Girls)
Personagens Personagens Originais
Exibições 16
Palavras 1.082
Terminada Não
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Notas do Autor


aqui estar mais um capitulo espero que gostem, e leem as notas finais por favor

Capítulo 12 - Nível final


Fortão on:

 

Eu estava com Docinho nos meus braços, Explosão estava colocando o antídoto em uma vacina para colocar nela. Durão estava com suas bolas de fogo preparadas pra atira na criatura.

Explosão: Pronto.

Fortão: Me dar de uma vez.

Ele me dar a seringa e eu dou a injeção em Docinho. Ela acorda.

Docinho: Que aconteceu?

Fortão: Você foi envenenada pela aquela coisa. Quase morreu.

Docinho se levantou sem dificuldade, seus olhos... mudaram de cor? Eles estavam verdes como sempre, mas somente a metade, a outra metade estava vermelho. Ela foi até a floresta, só pude ouvir um rugido auto parecei da criatura. Logo depois voltamos pra mesma arena do nível 1.

Docinho: Colecionador cadê você?

Ela falava com calma, mas estava sombrio, eu estou acostumado de ouvir ela falar assim quando lutávamos antes de sermos aliados.

Durão: Docinho você não está bem.

Docinho: Claro quer estou bem, você e que não está.

Ela vai pra cima de Durão, mas ele se desviou.

Colecionador: Bem vindos ao nível final. No nível anterior vocês deram o antinodo certo pra Docinho, mas esse soro estava incompleto, Docinho agora está com um único pensamento “derrotar seus piores inimigos”. Ela vai acerta as contas do passado de todas as vezes que vocês a derrotaram.

Docinho vai na minha direção, mas viro sombra e me desvio.

 

Fortão off:

Giselle on:

 

Docinho usa seu martelo para ataca o Explosão, mas ele não passava de uma mera ilusão do mesmo.

Durão: Fortão uma vez em nosso treinamento, você me vez desmaiar por falta de ar, pode fazer isso com ela também?

Explosão: Não e necessário.

Durão: Oque?

Explosão aponta pra Docinho, ela estava parada sem fazer nada. O Colecionador aparece na sua frente.

Colecionador: O que está esperando? Lute contra eles.

Docinho cochichou bem baixo, o colecionador não estava ouvindo nada. Ele chega mais perto dela para ouvir melhor.

Colecionador: Repete, mas dessa vez mais auto.

Docinho: Eu disse: Eu não luto contra aqueles que estão ao meu lado.

Ela dar um soco no Colecionador, assim o fazendo voar na direção de Fortão que estava com seu taco de beisebol pronto.

Fortão: É ele marca.

Fortão bate nele com o toco e assim o lançando pra direção de Durão.

Durão: Hora da vingança.

Durão dar um soco nele assim o fazendo ir na direção de Explosão. Explosão dar um soco que vai na direção da parede. Docinho vai até Fortão.

Fortão: Desde quando você não está sobre o controle dele?

Docinho: Desde sempre. O antinodo que vocês me deram só alterou a cor dos meus olhos.

Fortão: Ufa, por um instante pensei que tinha que lutar contra você.

Docinho: Ficou com mede de perde pra uma garota?

Explosão: O bate-papo está ótimo, mas ainda estamos preços.

Eles vão até o colecionador.

Durão: Tira a gente daqui.

Colecionador: Está bem.

Ele estala os dedos e eles voltam pra arena.

Durão: Agora diz como consegui esses poderes?

Colecionador: Nunca.

Mãe lua: Pelo visto vão precisar disso.

Mãe lua dar um tipo de cristal para o Durão, ele aponta para o Colecionador e uma áurea escura aparece ao seu redor.

Durão: Que áurea e essa?

Colecionador: A mesma coisa que vocês são feitos. Principalmente ela, o anjo que veio das trevas.

Docinho chuta o Colecionador é o pega pela blusa.

Docinho: Talvez uns três anos na prisão te fação falar sem enigmas.

Mãe lua: Que um lanche pra viajem.

Mãe lua mostra uma pequena vizinha cheia de biscoitos de chocolate (Giselle: Ótimo agoira eu estou com fome).

Docinho: Sim obrigada.

Mãe lua: Quando você comer isso os seus olhos devem voltar ao normal.

Durão: Sabe de tudo isso porque?

Mãe lua: Fiquei assistindo vocês por uma janela interdimensional.

Durão: Faz sentido.

Docinho pega o Colecionador e a vizinha e vai para o portal.  Assim que chega na cidade ela vai direto para a prisão e simplesmente o joga lá dentro. Docinho vai pra sua casa comendo os biscoitos.

Docinho: Que delicia, se e assim os biscoitos dela, imagina o jantar e o almoço.

Ela chega em casa.

Florzinha: Nossa, Docinho você demorou hoje.

Docinho: O Colecionador me capturou e me forçou a três níveis de um enorme jogo.

Florzinha: Teve um assalto a um banco hoje, mas era só três então não teve problemas.

Lindinha: Docinho olha só esse passarinho.

Docinho olhou paro o passarinho e o reconheceu sendo seu primeiro desenho a ganhar vida. O passarinha era preto e branco, já que ela não o pintou.

Docinho: Esse passinho foi eu que desenhei e dei vida.

Lindinha: Ele e tão fofinho.

Docinho olhou pra sua irmã, ela estava acariciando o passarinho com muito cuidado. Docinho pegou um lápis de cor e pintou o pico do passarinho.

Docinho: Porque você não dar um pouco mais de cor a ele? Eu estou subindo, vou descansar um pouco.

Docinho sobe e pula na cama. Seu celular vibra dizendo que ela recebeu uma mensagem.

 

Conversa sobre mensagem:

 

???: Sou eu o Fortão.

Docinho: O que foi?

Fortão: Mãe lua disse que já está na hora dos desordeiros voltarem de uma vez por todas.

Docinho: Serio?

Fortão: Lembra quando nós estávamos casando o chupa-cabra?

Docinho: Sim.

Fortão: Alguém tirou uma foto do Explosão.

Docinho: Quando vai ser o ataque?

Fortão: Agora.

 

Fim da mensagem:

 

Docinho ficou confusa, mas quando estava preste a responder à mensagem ela ouve o telefone tocar (aquele telefone de palhaço continua ali), Docinho desce com a maior presa.

Docinho: O que foi dessa vez?

Florzinha: Os desordeiros estão atacando o parque no centro da cidade.

Lindinha: Passarinho fica aqui que eu volto talvez aqui a várias horas.

Florzinha: Por que várias horas?

Lindinha: São desordeiros, eles vão dar trabalho.

Docinho: Já pequei meu martelo, vamos.

Elas saem na velocidade da luz, chegando no parque elas avistam os desordeiros.

Durão: Ai meninos, parece que as super-piolhentas chegaram.

Fortão: Estava começando a acha que não viriam de tanto tempo que ficamos aqui.

Florzinha: Calem a boca.

Florzinha percebe as armas que eles estavam.

Explosão: Gostaram de nossas armas.

Ele atira uma bola de energia em Lindinha, mas Docinho usa seu martelo e bate na boa a fazendo ir pro céu.

Durão: Pelo visto só a Docinho vai lutar de verdade.

Os desordeiros vão pra cima das meninas, Durão e Florzinha; Explosão e Lindinha; Fortão e Docinho. Tudo não passava de uma mentira, os desordeiros não estavam lá para matar as meninas e sim para convencer os vilões que eles ainda são do mau.


Notas Finais


Giselle/Autora: Seguinte, o próximo capitulo vai falar o que aconteceu na luta. Me desculpem se o nível final não foi como vocês esperavam, mas eu estava com um bloqueio. Não sei quando vai ser o próximo capitulo, mas vai demorar um pouco. Até a próxima tchau.


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...