História A princesa dos mares e o filho das sombras - Capítulo 4


Escrita por: ~

Postado
Categorias Percy Jackson & os Olimpianos
Exibições 28
Palavras 2.681
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 12 ANOS
Gêneros: Ação, Aventura, Famí­lia, Luta, Musical (Songfic), Romance e Novela, Violência
Avisos: Linguagem Imprópria, Violência
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Notas do Autor


oi jujubas, sinto muito por ter sumido. mas tive alguns probleminhas e não pude postar. boa leitura!

Capítulo 4 - O garoto não para de olhar para Mel


  

Depois que o garoto, que julgo ser o Max, foi levado para enfermaria eu fiquei parada olhando o Travis abraçar a Duda. Acho que levaram uns cinco minutos abraçados, até que enfim se separam e ficam se fitando.

Travis – você cresceu! - falou todo sorridente e ela deu um risinho fraco

Duda – pensou que eu fosse ficar com oito anos para o resto da vida? - falou arrancando um risinho dele.

Travis – vou te levar a enfermaria, parece ter cortes superficiais. - falou já a arrastando até a enfermaria. Depois que eles entraram Mel e o garoto de Ares voltaram, ela estava com um sorriso bobo na cara.

Kay – o que foi? - falei a olhando e ela fez cara de confusa.

Mel – como assim? - falou se sentando ao meu lado.

Kay – você esta com esse sorriso besta na cara. O que aconteceu?

Mel – nada.

Kay – ele é bonitinho, né? - falei e ela corou e fitou o chão.

Mel – é. Ele é lindo. - falou e virou a cara como se desse o assunto por encerrado.

Kay – Nico? - o chamei lembrando que ele estava sentado ao meu lado.

Nico – hum – falou um pouco ríspido e de cara fechada. Ele está com ciúmes, a mais perai que agora vou me divertir com a cara dele.

Kay – o que foi você também? Pra que a rispidez? - falei me fingindo de zangada. Ele mudou rapidamente a cara fechada e fez uma cara de preocupado, pegou na minha mão e com a outra puxou meu queixo me forçando a olha-lo.

Nico – foi mal, não queria te deixar zangada ou chateada... - falou e eu não consegui conter o riso. - a não acredito que tava tirando com a minha cara, você vai ver! vou te dar motivo para rir.

Ele começou a fazer cocegas em mim e eu estava dando varias gargalhadas. Até que eu meio que rolei de cima do tronco (estávamos sentados encima de um tronco cortado ao meio envolta da fogueira) e cai no chão, ele acabou caindo encima de mim.

Ele pôs as duas mãos no chão para se levantar mas não o suficiente para sair. Nossos narizes ficaram a pelo menos dois centímetros um do outro, estávamos ofegantes. Era como se só tivesse nós dois ali, em outra dimensão. Eu esqueci de tudo, meu nome, onde estava. Quando ele ia me beijar fomos interrompidos.

Senhor D. - desculpa interromper mais vocês tem plateia. - falou e me lembrei do meu nome e de onde estava. Nico deu um pulo mais vermelho que uma lata de coca- cola e não acho que estou diferente.

Eu corri sentei ao lado de Mel e dobrei os joelhos enfiando a cara ali. Só deixei o olho para fora e vi Nico do outro lado da fogueira fitando o chão.

                                                  {…}

No dia seguinte acordei e me deparei com Mel me balançando, ela estava encima de mim

Mel – até que enfim, ele acordou. - falou saindo de cima de mim

Kay – ele quem? - falei esfregando os olhos

Mel – o tal Max. A garota que estava com ele está bem também, eles se parecem muito. - falou meio elétrica.

Kay – deixa eu me arrumar, ai agente vai vê-los e aproveita para treinar. - falei e ela assentiu saindo. Meus irmãos estavam dormindo e eu não seria tão maldosa de acorda-los, ou seria?

Corri para o banheiro enchi um balde de água e contei até três. Assim que joguei eles se levantaram como num furacão. O Lean caiu da cama, a Carla bateu a cabeça no beliche de cima e o Percy levantou como se tivesse visto um fantasma. Eu rolei de rir.

Carla – sua peste você vai ver. - ela levantou e eu corri para o banheiro, e tranquei a porta. Eu chorei de rir lá dentro do banheiro mesmo.

                                                  {…}

Me encontrei com a Mel na porta da enfermaria e entramos. Assim que entramos pegamos a menina ajeitando a toca nos seus longos cabelos castanhos. O menino bebia o néctar e olhava para Mel. SENTI UM CLIMA AI!

Kay – licença, viemos só ver se estavam bem – falei entrando.

Duda – a valeu.  Eu sou a Duda – falou me estendendo a mão, eu apertei.

Kay – eu sei já ouvi falar de você, eu sou a Kylie Jones mas me chama de Kay. Essa é a Mel.

Duda – já ouviu falar de mim? - perguntou confusa.

Kay – o Travis me falou de você. - falei e ela sorriu boba fitando o chão e enrolando uma ponta do cabelo.

Max – é só falar do Travis que de marrenta ela vira envergonhada – falou se levantando.

Duda – cala boca... pelo amor de deus Max, tira esse casaco – falou meio  emburrada.

Max – não e você sabe o porque. Eu prometi a ela – falou olhando profundamente os olhos da garota, que parecia muito com ele.

Duda – eu sei, sinto muito. É que você esta com ele a pelo menos três dias. - falou e percebi que seus olhos estavam marejados. Resolvi não comentar.

Max – eu vou tentar por para lavar, mas vou usa-lo sempre. Ei, não precisa dessa cara sombrinha – falou a abraçando de lado.

Duda – tá bom, cabeça de asa. - falou sorrindo fraco.

Mel – desculpa me meter, mas vocês são irmãos né? - falou fitando o garoto.

Max – somos gêmeos, filhos de apolo. - falou olhando para Mel com um sorriso.

Duda – mas com bençãos diferentes. Eu tenho a benção de Hades e ele de hermes. - falou como se acrescentasse levantando o dedo indicador.

Kay – a tá... Vamos treinar, querem ir?

Duda e Max – claro – falaram e se entreolharam.

Duda e Max – para de me imitar

Duda e Max – você que tá me imitando. - falaram e eu e Mel começamos a gargalhar.

Kay – vamos? - falei e eles assentiram.

Saímos e damos de cara com Travis com a mão levantada como se fosse bater na porta.

Travis – eu já ia bater. - falou abaixando a mão. - iai Max, como tá cara? - falou fazendo um aperto da mão com Max.

Max – to bem. Não to com dor nem nada.

Duda – isso, só fala com meu irmão e fingi que eu não existo – falou fingindo estar emburrada.

Travis – impossível. Você deixou ser invisível quando parou de ficar aparecendo do nada nas sombras, sombrinha. - falou a abraçando de lado pela cintura.

Duda – tava testando meus novos poderes. O padrinho Hades é muito legal tá. E eu tinha seis anos, não era uma pessoa sociável. - falou sorrindo.

Travis – você ainda usa – falou apontando para o colar de coração no pescoço dela e sorrindo.

Duda – nunca vou tirar, ele é especial. - falou e percebi que o Travis abaixou a cabeça envergonhado e com um sorriso bobo.

Kay – obrigada por nos notar aqui viu. - falei apontando para mim para Mel.

Travis – como esquecer da cabeça de alga dois e da sabidinha dois? - falou abraçando mel e depois a mim.

Duda fechou a cara. O irmão dela também não gostou do Travis abraçando a Mel. Meu deus, que gente ciumenta!

Travis – estavam indo para onde? - falou mudando de assunto enquanto andávamos. Ele pegou no meu ombro e no de Duda.

Max – elas nos convidaram para treinar. - falou um pouco inexpressivo.

Travis – se incomodam se eu for junto? - falou olhando para mim e para Duda.

Duda e eu – claro que não – falamos, nos entreolhamos e sorrimos fraco. Travis nos soltou e parou na nossa frente andando de costas.

Travis – por favor, se juntem... vocês são parecidas, só que a Duda é mais alta e tem um cabelo mais comprido. Mas vocês são idênticas. - falou e de repente um garoto apareceu.

Ele era um pouco mais alto que Travis, era moreno (acho que latino), tinha um cabelo meio encaracolado, tinha orelhas pontudas e cara de travesso.

Garoto – ei stoll. Percy está chamando você para treinar – falou chegando perto e fazendo um comprimento com Travis.

Travis – Estávamos indo para lá, Valdez. - falou de repente o menino olhou todos e parou o olhar em mim.

Valdez – você é a nova irmã do Percy né? Aquela que tem mãe semideusa filha de ares. - falou com aquele sorriso sapeca.

Kay – eu mesma. Kylie Jones, Prazer – falei estendendo mão e ele apertou.

Valdez – Léo Valdez. Escuta, mais tarde vai ter verdade ou consequência no meu chalé. Querem ir? - falou e todos assentiram. - ótimo. Vamos.

Quando chegamos nos deparamos com Carla e Percy lutando, Nico e Annabeth sentados só olhando a luta. Nico deu um sorrisão quando me viu, eu fiz o mesmo.

Annabeth – até que enfim Léo. - falou se posicionando e pegando a espada

Percy – tempo... vamos descobrir no que os novatos são bons. - falou saindo da luta e eu ouvi Carla sussurrar um: amarelão.

Max – pode ser. Quer que eu comece? -  falou e Percy assentiu. Max começou a correr. Ele corria na velocidade da luz, era muito rápido. Deu três voltas no campo em um minuto e voltou. - Benção de Hermes, sou filho de Apolo.

Léo - deixa eu testar – falou e pegou a espada da mão de Annabeth e fez um pequeno corte na palma. Max botou a mão encima e quando tirou o corte tinha sumido. - tá acredito. E você lindinha? - falou para Duda e Travis fechou a cara.

Duda – eu sou gêmea dele ou seja faço a mesma coisa, mas por ser mais nova tenho um poder que ele não tem.  - falou e Max deu língua para ela.

Max – fica ai se gabando.

Travis – mostra para eles – falou perto dela, até demais.

Duda – com prazer.

Ela começou a fazer uma esfera de luz com a mão e quando a esfera estava do tamanho de uma bola de futebol ela jogou no irmão. A bola de luz começou a cobrir o Max e começou a levitar o levando junto. Então ela o colocou no chão e estralou os dedos fazenda a bola desaparecer.

Duda – essa bola tem duas funções: 1) eu posso fazer alguém não enxergar para o resto da vida ou 2) curar todas as doenças do corpo.

Percy – irado.

Duda – eu tenho benção de Hades também, posso viajar nas sombras.

Nico – quero ver – falou se pronunciando pela primeira vez naquela conversa.

Duda entrou no meio de uma sombra e apareceu do outro lado do campo depois voltou.

Nico – é difícil de acreditar que meu pai deu uma benção a alguém.

Kay – então pessoal está tudo lindo, tudo ótimo mas que tal se formos treinar? - falei puxando meu colar.

Nico – quer que eu treine com você? - falou enfiando a sua mão numa sombra e pegando sua espada.

Kay – claro. Por que não? ... Só não fique triste se eu te der uma surra, tá? - falei e ele soltou um risinho.

Nico – veremos. - falou e nos posicionamos.

Nico me atacou e eu me defendi. Esperei o momento certo e quando ele cansou, ataquei seguidamente. Então enquanto ele se defendia de meus ataques eu lhe dei uma rasteira e pus minha espada em sua garganta (a mesma coisa que fiz com Clarisse).

Nico – eu não acredito que perdi... ainda não perdi – falou e me surpreendeu  afundando numa sombra e aparecendo na do lado de pé, pegou sua lança e apontando como se disse-se (pode vir).

Então lutamos um pouco e num momento de distração minha ele tentou me dar uma rasteira. Mas eu estava muito firmada no chão então só desequilibrei um pé e comecei a rodar que nem uma barata tonta. Quando consegui parar estava quase caída no peito de nico.

Kay – essa vez não contou. - falei olhando em seus olhos e sentindo sua respiração ofegante.

Nico – se você não levantar Percy vai me matar com o olhar – falou eu desviei levemente a visão e vi Percy fuzilando Nico com o olhar. Travis, Annabeth e Carla me olhavam com um sorriso malicioso.

Duda, e Max olhavam para o além perdidos em pensamentos. Sai rapidamente de cima de Nico (provavelmente vermelha feito tomate) e fiquei ao lado de Carla.

Duda – vamos trocar agora? Fica eu e Annabeth, Percy e Max, Nico e Carla, Travis e Kylie. Léo disse que tinha um compromisso.- falou e todos assentimos e fomos treinar.

                                                   {...}     

depois do treino, arrastei Duda, Mel, Travis e Max para o riacho. No meio do caminho Duda parou bruscamente.

Duda – o não. Eu não acredito... ele tem que estar por aqui. - falou e começou a voltar o caminho. Travis correu atras dela.

Travis – o que foi? - fomos atrás deles e e eu pudi ver que ela estava com os olhos marejados.

Duda – eu o perdi... perdi o colar que... v-você deu para mim. Eu preciso achar. - falou entre soluços, ela chorava desesperadamente. Travis botou as duas mãos nas bochechas dela a fazendo olhar para ele. Logo em seguida colou suas testas.

Travis – calma, não precisa procurar. - falou na tentativa de acalma-la.

Duda – ele significa muito para mim. Eu não vou perde-lo. - falou e tirou a testa da de Travis, ela ainda estava chorando. Eu nem sei do que eles estão falando. ALGUEM ME DIZ!

Kay – Max, do que eles estão falando? - sussurrei no ouvido de Max

Max – o Travis deu um colar de coração para Duda que ela diz ser muito importante. Eles sempre se gostaram e tal. Para ela é o fim perder o colar.

Kay – a tá. - falei meio chocada.

A procura durou uma hora inteira mas não achamos. Duda foi para seu chalé derrotada e com o rosto inchado de tanto chorar. Travis ficou triste, mas não pelo colar e sim por Duda ter ficado naquele estado de desespero. Nico viajou nas sombras e sumiu. Mel foi para o chalé dela junto com a Annabeth (provavelmente vão estudar)  e eu, Carla e Percy fomos para o nosso chalé.

Ao chegar lá me deparei com Lean jogado no chão se debatendo. Ai meus deuses.

Percy – ei Lean. Ajuda aqui. - Carla pegou Lean pelo braço e Percy pegou pelo outro, eles o colocaram na cama.

O mar cura, minha filha. Você sabe o que fazer!

A voz do meu pai na minha cabeça disse e com num impulso eu separei minhas duas pernas, levantei os braços a minha frente e meu cabelo começou a levitar. Vieram água de todos os cantos eu apenas fiz com que elas ( devagar) caíssem sobre Lean. Ele parou de se debater. Então eu voltei ao normal.

Carla – como fez isso? - falou e se assustou quando Lean abriu os olhos e se levantou brutalmente.

Lean – os deuses... toma cuidado Kay... eles vão pegar você e o filho das sombras.- falou e então caiu novamente na cama desmaiado.

Kay – o que você quis dizer? Lean, LEAN. - falei (gritei) o empurrando mais já estava desmaiado.

Percy- vamos leva-lo para enfermaria e depois descobriremos. Tome um banho, descanse e depois nos conte como fez aquilo. - falou e eu assenti. Entrei no banheiro e deixei com que a água fria escorre-se pelo meu corpo.

Depois do banho vesti uma roupa confortável e fui ao chalé de Atena, precisava desabafar.

 Quando terminei de falar a Mel percebe que faltavam minutos para o jantar. Ela não comentou nada apenas me ouviu e olhou como se pensa-se.

Mel – você tem um novo poder que seu pai, Poseidon, te deu ou você herdou. Quanto ao que Lean falou eu não entendi. - falou dando fim ao silêncio.

Depois do jantar era hora do verdade ou desafio no chalé do Léo. Fui com Percy, Mel e Carla ao meu lado. Quando chegamos a porta ( tomando cuidado para que as fúrias não nos pegassem) vimos Nico, Annabeth e mais    algumas pessoas parados nos esperando. Nico deu aquele sorrisão e eu sorri envergonhada. Quando entramos vimos que já tinha gente. Léo estava pegando uma garrafa, Duda estava sentada com um semblante triste e com Travis ao seu lado a abraçando, Max deu o mesmo sorriso que Nico deu para mim só que ele deu ao ver Mel.

Vamos começar esse jogo, né?


Notas Finais




Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...