História A Princesa e o Dragão - Capítulo 16


Escrita por: ~

Postado
Categorias Fairy Tail
Personagens Cana Alberona, Elfman Strauss, Erza Scarlet, Gajeel Redfox, Gray Fullbuster, Happy, Jellal Fernandes, Juvia Lockser, Laxus Dreyar, Levy McGarden, Lisanna Strauss, Lucy Heartfilia, Natsu Dragneel, Rogue Cheney, Sting Eucliffe, Wendy Marvell
Tags Fairy Tail, Gale, Gruvia, Jerza, Nalu
Exibições 111
Palavras 8.678
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Colegial, Comédia, Escolar, Hentai, Mistério, Romance e Novela, Shoujo (Romântico)
Avisos: Álcool, Heterossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Nudez, Sexo
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Notas da Autora


Tenham uma boa leitura e não se esqueçam de ler as notas finais!

Capítulo 16 - Novo Casal?


Fanfic / Fanfiction A Princesa e o Dragão - Capítulo 16 - Novo Casal?

Lucy

- Não acredito nisso! Como você encontra uns lugares desses?

Exclamei espantada. O carro havia parado próximo a um observatório, e ao fundo, havia algo como um restaurante, de modo que você podia comer e observar as estrelas. Me virei para ele e sorri, esse idiota é realmente impressionante. Enquanto estava completamente surpresa, ele apenas ria de uma maneira gostosa, ele está mesmo gostando de tudo isso.

O rosado desceu do carro em passos suaves, como se tivesse tudo ''friamente'' calculado. Ele fechou sua porta delicadamente e se dirigiu até a minha, abrindo-a e me ajudando a descer do veículo. Após trancá-lo, se virou para mim e segurou minha mão, enquanto me guiava até a porta do restaurante. Estagnei na entrada, observando completamente maravilhada o lugar, que se parecia uma enorme galáxia. Um lugar extremamente calmo, que não deveria ter mais que dez pessoas lá dentro, incluindo nós.

- Vamos, reservei uma mesa para nós.

Ele sorri, segurando minha mão para adentrar o lugar. O garçom veio nos recepcionar, lançando um sorriso intencional para mim. Retribuí, mas Natsu não gostou muito, me puxando para mais perto, quase que gritando um 'ela é minha'. Soltei um riso, quanta possessividade.

Sentamos à mesa, continuei a rir com Natsu jogando olhares para o garçom. Embora ele estivesse de frente para mim, não consegui olhar diretamente em seus olhos, primeiro porque estava perdida com a simplicidade e beleza do local, segundo, se ele me trouxe aqui, em um lugar tão incrível, provavelmente tem algo a mais, e tenho medo do que isso possa significar.

- Gosta do que vê senhorita Heartfilia?

Ele ri, me viro finalmente para olhá-lo e ele possui um sorriso calmo, bem estampado em seus lábios. Não pude ver seus caninos, mas ainda era um daqueles sorrisos cativantes, mas também, qual dele não é?

- Você sempre consegue me surpreender.

- Fico feliz com isso.

- Eu não entendo...

Sussurrei, dizendo mais para mim mesma do que para ele. Tentei desviar o olhar mas vi que Natsu arqueou uma de suas sobrancelhas, se mostrando ainda mais confuso que eu. Isso não vai acabar bem.

- O que não entende?

- Tem alguma coisa que me prende a você, desde o momento em que te conheci, e isso é realmente muito estranho.

- Podem ser as linhas vermelhas do destino, quem sabe.

Ele disse rindo, finalizando com um sorriso travesso nos lábios. Não pude deixar de rir, é mesmo um idiota.

(Levy: E uma anta talvez?)

- Acredita em antigas lendas do Japão? Akai Ito, jura?

- Acredito que algumas pessoas nasceram para ficarem juntas, e nós somos uma delas.

Okay, momento corar violentamente on. Natsu pegou em minha mão, alisando-a, e eu, senti meu rosto inteiro arder. O que está acontecendo? Ele colocou a outra mão no bolso, pegando uma caixinha, ai meu Kami, não pode ser! Seria o pedido? Lucy, volte a respirar!

* PAUSA DRAMÁTICA *

Perfumes Jequiti

Ashuashuashua desculpa

Lucy, nesse clima, sob a luz das estrelas, quer namorar comigo?

Meu senhor, o que eu estou fazendo aqui? Pisquei os olhos, voltando à realidade. Isso não aconteceu de verdade. Encarei Natsu, que ainda estava com a caixinha em mãos, acho que estou alucinando.

- Trouxe isso para você, assim você pode sempre lembrar-se de mim.

Ele sorri, me entregando a caixinha. Então não foi um pedido de namoro? Abri a pequena caixa preta, e não pude acreditar no que continha dentro dela, um lindo relicário, dourado, com o pingente em formato de coração. Soltei um riso, eu fiquei desesperada só por um cordão?

- Não gostou?

Ele me olhou desconfiado, seu sorriso se fechou. Esse idiota é mesmo fofo.

- Não é isso, eu adorei.

Peguei em sua mão, que estava jogada e trêmula em cima da mesa. Com o toque, ele sorriu, e juro que até o vi corar, de leve, mas vi.

- Então por que o riso?

Arqueou uma de suas sobrancelhas, ri novamente, largando sua mão.

- Não é nada.

Continuei a rir, analisando o presente que ele me deu. Em que momento eu poderia imaginar que cá estaria eu, completamente apaixonada novamente. Ainda mais após Sting, e, embora ele tenha sido um imbecil, ainda assim fez muito bem a mim, e não posso negar isso. Porém, o Natsu é bem diferente, e não quero acreditar que ele possa me machucar, não quero.

- Deixe-me ajudar a colocá-lo.

Ele disse se levantando, balancei a cabeça, na tentativa de retirar todos esses pensamentos, e apenas o entreguei o cordão. Ele delicadamente o colocou, depositando um singelo beijo em meu pescoço logo depois. Lógico que isso me desestabilizou completamente, e eu me arrepiei inteira, mas tentei ignorar para não surtar.

Ele se sentou em seu lugar novamente. Conversamos sobre algumas coisas, do tipo passado e de como foi sua adaptação a nova escola. Cerca de meia hora depois, o jantar chegou, um prato delicioso que eu não sabia nem pronunciar o nome, apenas sabia que a sobremesa continha chocolate. Após comer, ele me chamou para ir onde o telescópio estava, para observar as estrelas, aceitei na hora, não que eu já não estivesse vendo, já que o teto do restaurante era totalmente descoberto, mas, com o telescópio certamente seria muito melhor.

Me levantei, ele pegou minha mão e andamos até a parte de trás do restaurante, lógico, eu feito pimentão, mas isso era que mais se repetiu nessa noite. Parei novamente para observar, a beleza desse lugar é completamente surreal, ainda não sei como ele encontrou algo como isso em Londres.

- Qual delas você gosta mais?

Ele indagou, virando-se pra mim, se fosse para escolher, certamente seriam as estrelas que estão em seus olhos, que brilham toda vez que ele me olha. Desviei meu olhar para o céu, eu estou surtando, vocês viram isso que eu pensei?

- Gosto da constelação de Draco, acho realmente fofa.

Sorri. Dizer isso é realmente melhor do que a coisa gay que pensei anteriormente. Ele segurou meu queixo, me obrigando a encará-lo nos olhos, corei, e como corei, ele riu com isso.

- Eu escolheria você.

Sorriu, e com seus caninos a mostra, me roubou um beijo, que foi se aprofundando enquanto ele sorrateiramente segurava minha nuca. Me perdi. Me perdi naqueles lábios, pela milésima vez, e assim ficamos, por muito tempo.

***

O sol raiou, me obrigando a abrir os olhos. Imagens da noite anterior rodearam minha mente, e principalmente todas as cenas de beijos e da carinha fofa de Natsu toda vez que me fazia corar, ele é mesmo um doente, adorou me deixar constrangida.

- Ahh Luxy, não vai me dizer agora que está apaixonada mesmo?

Happy murmurou, me olhando fixamente nos olhos. Me levantei da cama ainda surpresa. Estou sonhando ou ele está acordado às seis da manhã?

- Ei, você está bem mesmo? Por que não está dormindo?

- Dormi bem cedo ontem, mas isso não vem ao caso, você está realmente com aquela carinha de sonhadora, o que está acontecendo?

Caminhei até a porta do banheiro, é que, eu gosto dele, e ele gosta de mim, a gente se beija constantemente, e embora seja meio embaraçoso, gosto disso, ele me deu um presente ontem, que aliás foi o Dia dos Namorados, e eu lhe mandei um cartão, ahh Kami, o cartão! Como me esqueci disso?

Corri até o quarto novamente buscando pela pilha de envelopes que devo ter colocado em algum lugar por aqui. Happy me olhou desconfiado, talvez por eu parecer uma louca e também por não ter respondido sua pergunta. Depois de alguns minutos soltei um gritinho de satisfação ao encontrá-los debaixo da cama, bingo! Agora só falta procurar pelo seu cartão. Isso se ele tiver me mandado um.

- Não sou onda eletromagnética para me propagar nos seus vácuos Luxy.

Happy sorriu irônico. Esse gato anda vendo muitos vídeos de Física no YouTube.

- Desculpe-me, acabei me lembrando de que esqueci uma coisa muito importante ontem, não verifiquei os cartões que eu recebi no Dia dos Namorados.

- Ahh, essa pilha enorme aí?

- Exatamente.

Sorri, me virando para procurar os remetentes dos cartões, e, curiosamente, acabei recebendo muitos de pessoas conhecidas, e também uns que eu nem mereço ler, acho que o Tio Português mandou muitas lembranças.

"Espero que cuide bem do Natsu loirinhamas não o agarre muitookayFeliz Dia dos Namorados!

Gray"

Uma hora ainda mato esse desgraçado.

"Olá Lucyvocê achou que tinha se livrado de mimnão éMas saiba que em breve será minha

Rogue"

Oi?

"LucynhaFico feliz por tudo dar certo em sua vidae que você tenha ao menos um momento de felicidadeVocê sabe que eu te amo e não importa o que aconteça e o que você se lembre, sempre estarei aqui para o que precisarFeliz dia dos namorados!

Kame ❤"

Own, como ele é fofo.

"Ora ora ora loira do tchanFaça meu amigo felizE que vocês se amem igualmente eu amo meus bolos de morangoeque tal aprender um pouco de sadomasoquismoNatsu parece gostarHappy Valentine's Day mona :*

Erzita"

Meu Kami, Natsu precisa ver umas coisas dessas!

"Vamo beber gata!

Cana"

Alcoólatra como sempre.

"Largue o Gray-sama e invista no Natsu, rival no amorSei que o ama e ele o mesmoSeja feliz Lucy.

Juvia"

Por que a Juvia acha que eu gosto daquele idiota mesmo?

"O Natsu será meu!

Lisanna"

Isso aqui virou putafax ou o quê?

"Estou com sono

Lispector Gajeel"

Eu mereço.

"Para a minha melhor aluna não basta a melhor frasea melhor rosaou o melhor poemaVocê merece tudo Lucytudo aquilo que você possa desejare saiba que estarei aqui para satisfazer todos os seus desejos.

Scorpio ❤"

Prevejo Aquarius me esfolando.

"Lucyyyyyy! Continue sendo essa moça recatada que você é e não se renda as atitudes do Natsu! Torço por vocês!

Levy-chan"

Mal sabe Levy que a louca aqui sou eu.

"Gosto de você Lucy, como jamais gostei de alguém. Eu realmente desejo que você sempre esteja comigo daqui pra frente, pois sem você nada faz sentido. Sei que não entende muito bem o que está acontecendo, e nem eu mesmo entendo, mas não se preocupe, amar certamente, ultrapassa qualquer entendimento.

Feliz dia dos namorados

Seu Natsu"

- Happy?

O chamei, ainda abalada com tudo que li naquele pequeno pedaço de papel. Algumas lágrimas teimaram em cair, droga, sei no que estou me metendo, mas irei mergulhar bem fundo nesse abismo, mesmo assim.

- O que você leu aí para ficar desse jeito? Não me diga que Gray mandou algo safado? Juvia sabe?

- Tenho a sua resposta Happy, eu não gosto do Natsu, eu o amo.

***

Sentei-me em meu lugar na sala bem quieta, estava pensativa demais para jogar conversa fora com qualquer pessoa que seja, embora queira desabafar com alguma de minhas amigas. Cheguei a escola sem topar com ninguém, o que foi bom, pude andar calmamente até minha mesa, e afundar minha cabeça nela, como se isso de alguma forma fosse me ajudar em algo.

- Ei Lu-chan, o que houve contigo?

Ouço a voz de Levy e logo sinto alguém acariciar minha cabeça. Levanto para olhá-la e ela sorri, retribuo, mas sorrindo fraco.

- Isso é o amor baixinha, ele muda as pessoas.

Sussurrei, ela sorriu alegremente. Ahh droga, admiti.

- Não acredito! Então você está mesmo o amando? Me conta tudo que aconteceu, anda, anda!

- Apenas não faça alarde, não faça mesmo dessa vez baixinha.

A encarei, ela sorriu entre dentes, sei, ela vai sair gritando e talvez até faça uma página no Facebook sobre o casal NaLu, isso se já não tiverem feito.

- Tudo bem, agora anda e me conta antes que alguém chegue e nos interrompa.

- Quem iria interromper o que?

Erza aparece, junto de Cana, Mira e Juvia. As garotas sorriem pra mim, e eu retribuo, apesar de saber que se controlar a boca de Levy não é fácil, a das meninas e mais difícil ainda.

- Lucy vai contar sobre ela e o Natsu, ela admitiu que o ama.

- Jura Levy? Eu preciso postar isso na página!

Erza exclamou animada, me puxando para um abraço. Não disse? Como ser discreta com essas gurias como amiga?

- Ei, todas vocês, por favor, fiquem quietinhas para que eu possa contar.

Disse firme, elas de entreolharam mas logo se ajeitaram nas mesas ao lado, todas me encarando, como se eu fosse contar a maior bomba do século. Suspirei.

- Não sei se falei pra vocês mas eu mandei um cartão para ele na aula de Scorpio, na segunda.

- Sério? Escreveu o que?

- Eu não me lembro muito bem, Mira.

Na verdade, me lembro perfeitamente, só prefiro deixar isso de lado já que não interfere na história.

- Então, eu mandei, e ontem, durante a aula, ele me chamou pra sair mais tarde.

- Não me diga que está namorando e nos disse nada?

Levy me encarou irritada. Estão vendo, não fui só eu que achei que ia receber um pedido de namoro.

- Relaxa baixinha, eu não estou namorando, se tivesse, vocês seriam as primeiras a saber. Continuando, ele me levou a um lugar maravilhoso, um tipo de observatório/restaurante, e ele me deu isso - Retirei o cordão que estava dentro da blusa, mostrando para elas, que soltaram um gritinho de animação quando viram - E foi super fofo, acho que estou gostando de verdade dele.

- Ownnnnnn, eles se goxxxxxtam!

As garotas gritaram em uníssono, embora todos ficassem nos encarando, não consegui deixar de rir com a situação. Foram elas que desde o início me incentivaram, elas que me obrigaram a tentar algo, e mesmo que eu estivesse relutante no começo, acabei cedendo.

- Quem gosta de quem?

Natsu surgiu, chegando até nós e nos lançando um sorrisinho de canto. Dei uma leve corada e desviei o olhar para o chão, tentando disfarçar, o que não deu certo, já que Levy me cutucou, me fazendo encará-la, que vaca!

- Vocês dois! Own que fofo!

Levy exclamou, encarei Natsu na mesma hora, provavelmente muito vermelha, ele apenas riu, como se fosse a coisa mais normal do mundo.

- Ahh, isso todos sabem.

Me puxou para um abraço, retribuí ainda que sem jeito. As garotas entraram em um coro de 'ownnnnnnn' até Gildarts raspar a garganta indicando que já havia chegado.

- Quero casamento!

Erza exclamou, me olhando extremamente maliciosa. Soltei um riso, me lembrando de seu cartão do Dia dos Namorados. Talvez eu tente a tal sessão de sadomasoquismo.

- Tudo bem senhorita Scarlet, vocês planejam isso depois.

Gildarts disse, fazendo todos se sentarem. Me virei para frente, já sentindo uma mão quente em meu pescoço, arrepiei, lógico que arrepiei, o que fez o desgraçado rir.

- Bem que podíamos planejar mesmo, não é? Seu nome combina com um 'Dragneel' ao lado.

Soltou um riso, se retirando do meu pescoço, e fazendo com que eu suspire. Esse idiota me paga. Abaixei a cabeça, enterrando-a em meus braços apoiados na mesa, eu definitivamente estou cansada demais para assistir a essa aula de filosofia. E assim adormeci, sendo acordada por uma sirene extremamente estridente.

- Ahhh... alguém desliga esse despertador, pelo amor de Deus.

Murmurei, me virando na mesa. Senti algo me cutucar, abri os olhos a contragosto, notando Erza ao meu lado. Me levantei, certificando que não havia baba e nem nada em meu rosto, já que são nesses momentos que estamos de forma mais constrangedora. Encarei a ruiva, antes de perceber a sala completamente vazia. Eu dormi demais ou é apenas um sonho?

- O que houve?

- Am, Gildarts foi embora mais cedo.

- E ao resto da galera?

- Gray e Gajeel estavam estranhos o que fez os meninos irem até eles, e é lógico que aquele bando de mulas ficaram curiosas e os seguiram.

Não acredito que pude me esquecer, Gray e Gajeel!

- Ahh, e me deixaram aqui sozinha?

Revirei os olhos, fingindo estar chateada. Erza riu.

- Você morreu aí também! Agora anda logo, vamos encontrá-los na cantina.

Confirmei com a cabeça, com a ruiva me puxando pelo braço. Deixei minhas coisas exatamente como estavam e apenas saí, andando rapidamente pelos corredores.

Assim que cheguei ao refeitório, vi as meninas escondidas, enquanto os meninos, Laxus, Jellal, Natsu e Kaname, um pouco a frente, juntados em um montinho tentavam entender o motivo dos dois garotos não quererem chegar perto um do outro. Comecei a rir descontroladamente, mas tive que cessar os risos, para não parecer estranho, isso já me aproximando das garotas.

- Ei, o que está acontecendo?

Me fiz de desentendida, aproveitando para dar uma bela olhada no resto do pessoal, que estavam visivelmente confusos. Natsu, assim que me viu, lançou um sorriso. Dei um leve aceno de volta, ainda não me esqueci que fui esquecida dormindo na sala. 

- Ainda bem que apareceu! Precisa nos ajudar com os garotos, algo não está me cheirando bem.

Levy disse me encarando. Me virei para observar os garotos novamente. Gray estava sentado comendo algo, quieto, concentrado apenas no que comia, enquanto Gajeel, do outro lado do refeitório, encarava o moreno, hora ou outra corando, não me diga que rola mesmo um clima?

- Vou lá falar com eles.

Sorri, caminhando primeiramente até o comilão. Me sentei ao seu lado, fazendo a maior carinha de pena, como se entendesse sua dor, afinal, achar que um de seus melhores amigos quer seu corpo nu não é algo fácil de digerir, e eu sei bem como é isso. O moreno primeiro me olhou, depois inclinou a cabeça encarando Gajeel, abaixando o olhar para sua maçã segundos depois.

- Se ele te mandou aqui, diga que não estou pronto para conversas.

Sussurrou, ainda sem me olhar. Comecei a rir muito mentalmente, mas me controlando para não estragar o disfarce, ele acha mesmo que vim enviada do Muralha?

- Não vim a mando de ninguém, apenas quero que vocês dois conversem sobre o que quer que tenha acontecido, conheço um lugar bem calmo para isso.

Sorri, passando a mão por cima da sua que estava disposta sobre a mesa. Ele virou-se para me olhar, dando um sorriso de canto fraco. Argh, agora não é hora de se comover com essa ceninha Lucy, foco na missão.

- Não acho uma boa id...

- Não se preocupe - O interrompi, segurando sua mão, e o olhando fixamente - Estarei lá se precisar.

Continuei com meu sorriso falso, até ele parecer que iria aceitar. Como sou um monstro.

- Fale com ele.

- Irei falar.

Me levantei novamente, agora é a hora do Muralha tarado. Segui até a extremidade do refeitório, e ele notou minha presença, já que percebi que ele não parava de me encarar enquanto conversava com Gray. Lancei um sorriso.

- Já avisando que ele não me mandou aqui, só venho aconselhar que conversem sobre qualquer que seja esse problema, e tenho o lugar perfeito para isso.

Continuei a sorrir. Gajeel me olhou desconfiado, mas sei que ele irá aceitar.

- Onde seria?

***

Disse aos meninos onde ficava o terraço, embora já sabia que assim que o vissem, perderia meu local favorito de descanso e encontro com Natsu, mas é por uma boa causa.

Gray subiu a frente e Gajeel o seguiu, todos queriam ir com eles, mas eu disse que eles precisavam de privacidade, mas é lógico que iríamos ver toda a cena, escondidos é claro.

Gajeel se instalou em um lado do local, e o Gray no outro. As meninas estavam eufóricas e ansiosas, mas bastou Erza lançar um olhar macabro para que elas calassem a boca. É agora.

- Gajeel eu... digo... ahh, me desculpe mas não posso fazer isso.

Gray estava se enroscando nas palavras, Gajeel ficando vermelho e ninguém entendia nada. Bom, eu estava ciente de tudo, mas preferi deixá-los sofrer mais um pouco.

O moreno abaixou a cabeça, se afastando cada vez mais. Gajeel ficou o encarando, por um longo tempo, mas logo começou a se mover. O que esse idiota vai fazer?

- Calma... eu te entendo... também não posso...

Gajeel se aproximou, pegando em sua mão. Meu coração começou a disparar, não acreditando no que meus olhos estão vendo. O moreno está corando pelo peladão? Eu juntei mesmo um casal? Como?

- Ei ei ei vocês dois!

Me exaltei, aparecendo na frente do "casal". Erza me lançou um olhar de 'o que você está fazendo?', apenas assenti, acho que eles já sofreram o suficiente. Os garotos logo se separaram e me encararam incrédulos, ahh, eles acham mesmo que ninguém estava vendo isso? Como se isso fosse acontecer, Cana até trouxe pipoca para o resto do pessoal.

- Lucy! O que faz aqui?

Gray me olhou desconfiado. Lancei um sorriso. Não adianta me olhar com carinha de pena querido, isso tudo ainda é culpa de vocês dois.

- É Lu-chan o que faz aí?

- Isso mesmo rival no amor.

Levy e Juvia bufaram praticamente em uníssono. Soltei um riso, isso tudo pelo peladão e o Muralha? Me aproximei dos dois, sem deixar meu olhar de ironia de fora, é claro.

- Eu sei o motivo de vocês estarem aqui.

- O-o que?

Gajeel se assustou, enquanto corava loucamente. Me aproximei mais, chegando a centímetros dos dois, aproveitei para passar a mão em seu cabelo, ainda sem deixar se olhá-lo nos olhos.

- Vocês estão aqui pois acham que um gosta do outro, estou errada?

Indaguei, rindo. Erza abriu a boca espantada e Levy me lançou um olhar de 'o que você disse?', sorri, para acalmá-la e na tentativa de evitar uma provável algazarra que vai se iniciar. O que não adiantou, já que logo pôde ser ouvido um grito alto, seguido de longos risos.

- Eu sempre suspeitei.

Jellal ria alto, sendo acompanhado por Laxus, Natsu e Cana. Mas logo o riso foi cessado, graças a Erza que lançou seu rotineiro olhar de 'se cale ou eu vou te matar'. Acabei rindo com a cara de assustados dos quatro.

- Quem diria em Gajeel, da fruta que eu gosto, você até se lambuza.

Cana disse o encarando maliciosa. Olhei novamente para Levy, e logo para Juvia, que não esboçavam nada em suas faces, como ainda não surtar am?

- Que seja válido toda forma de amor.

Mira sorriu para os garotos, que lhe não tinham mais partes do rosto para corar. Comecei a rir novamente, acho que essa realmente foi a melhor pegadinha do século.

- Chega de mimimi, eu vou lhes dizer a verdade. Eles não são o que vocês pensam, do tipo que amam um chá de picão, jogar sinuca e jogar frescobol. Fui eu que enviei um pequeno cartãozinho para vocês, senhor esposo da Cláudia e o peladão aqui.

Sorri, podendo ver uma pedra voar em mim, e que iria me matar se graças a meu bom amigo Natsu não tivesse se colocado a frente, fazendo-a bater em seu peito. Eu não deveria me animar com essa cena, não é mesmo? Mas por que ele me parece tão sexy sendo meu salvador?

- Por que fez isso com meu Gray-sama?

Juvia, vulgo a pessoa que tentou me assassinar, grita, me fazendo esquivar para atrás de Natsu. Estava bom demais pra ser verdade, era óbvio que ela não iria apenas ficar quieta, lógico que iria contestar, mas não achei que fosse agredindo a minha pessoa, parece que temos uma outra Erza em nosso meio.

- Eles mereceram, me mandaram uma mensagem se passando pelo Natsu, dizendo que queria me comer!

Bufei, me encolhendo ainda mais, percebendo que Levy ainda não se pronunciou. É hoje que morro?

- Mas não precisava exagerar Lucy.

Kaname riu, se aproximando. Ótimo, agora tenho dois protetores.

- Então, você não me mandou aquilo?

Gajeel se dirigiu a Gray, que riu fraco. Mas é mesmo uma anta.

- Me desculpe, mas meu amor por você ainda não chegou a esse ponto.

- Da próxima tenham cuidado ao brincar com ela.

Levy disse rindo, fazendo com que todos parassem, a olhassem, e ficassem nessa de 'Oi? Ela riu?'. De repente todos começaram a rir, até mesmo Juvia, não me controlei e os acompanhei, embora ainda não saiba o motivo do riso. Natsu se aproximou, me puxando para um caloroso abraço, retribuí, ainda que sem jeito. Acho que ele não reparou que estamos numa situação meio tensa.

- Você se superou dessa vez Lucy!

***

Acabou que no fim, ninguém me matou, e eles até acharam bem feito para os dois. Tudo bem que agora eles ficam ainda mais colados e com uma viadagem enorme, mas temos que conviver.

Assim que saímos do terraço, o sinal bateu, e de acordo com Scorpio, que deu uma passadinha por nós no corredor, sem deixar de me secar é claro, o vice-diretor, o velho senhor Makarov, iria fazer uma anunciação. Tentei imaginar o que seria, mas nada me chegou a mente. Então, me permiti apenas me sentar e esperar pelo velhote.

O homem não demorou para chegar, se aproximando de Lyra, nossa professora que estava na sala, e a cumprimentando com um belo sorriso. Ela permitiu que ele falasse conosco, e ele se pôs a frente, encarando cada um de nós.

- Sei que estão ansiosos para a nossa festa de Halloween, que será daqui longos quatro meses. Mas dessa vez vamos ter um preparativo diferente para nossa tão esperada festa. Vocês serão liberados durante uma semana para poderem se divertir no Camping Fairy Tail! Que foi adquirido há pouco pela diretora, façam seus preparativos, o acampamento os espera! Faltam apenas três meses!

Foi só o velhinho terminar se dizer, que a sala toda começou a gritar. Os alunos, muito empolgados, faziam milhares de perguntas a Makarov, Lyra, e quem eles encontrassem que soubesse de algo. Eu não entendo, faltam quatro meses para a tal festa e três para o acampamento? Como queriam que ninguém ficasse na expectativa?

Ahh, faltam três meses, o quanto isso pode demorar?

Continua...

Lucy

- Não acredito nisso! Como você encontra uns lugares desses?

Exclamei espantada. O carro havia parado próximo a um observatório, e ao fundo, havia algo como um restaurante, de modo que você podia comer e observar as estrelas. Me virei para ele e sorri, esse idiota é realmente impressionante. Enquanto estava completamente surpresa, ele apenas ria de uma maneira gostosa, ele está mesmo gostando de tudo isso.

O rosado desceu do carro em passos suaves, como se tivesse tudo ''friamente'' calculado. Ele fechou sua porta delicadamente e se dirigiu até a minha, abrindo-a e me ajudando a descer do veículo. Após trancá-lo, se virou para mim e segurou minha mão, enquanto me guiava até a porta do restaurante. Estagnei na entrada, observando completamente maravilhada o lugar, que se parecia uma enorme galáxia. Um lugar extremamente calmo, que não deveria ter mais que dez pessoas lá dentro, incluindo nós.

- Vamos, reservei uma mesa para nós.

Ele sorri, segurando minha mão para adentrar o lugar. O garçom veio nos recepcionar, lançando um sorriso intencional para mim. Retribuí, mas Natsu não gostou muito, me puxando para mais perto, quase que gritando um 'ela é minha'. Soltei um riso, quanta possessividade.

Sentamos à mesa, continuei a rir com Natsu jogando olhares para o garçom. Embora ele estivesse de frente para mim, não consegui olhar diretamente em seus olhos, primeiro porque estava perdida com a simplicidade e beleza do local, segundo, se ele me trouxe aqui, em um lugar tão incrível, provavelmente tem algo a mais, e tenho medo do que isso possa significar.

- Gosta do que vê senhorita Heartfilia?

Ele ri, me viro finalmente para olhá-lo e ele possui um sorriso calmo, bem estampado em seus lábios. Não pude ver seus caninos, mas ainda era um daqueles sorrisos cativantes, mas também, qual dele não é?

- Você sempre consegue me surpreender.

- Fico feliz com isso.

- Eu não entendo...

Sussurrei, dizendo mais para mim mesma do que para ele. Tentei desviar o olhar mas vi que Natsu arqueou uma de suas sobrancelhas, se mostrando ainda mais confuso que eu. Isso não vai acabar bem.

- O que não entende?

- Tem alguma coisa que me prende a você, desde o momento em que te conheci, e isso é realmente muito estranho.

- Podem ser as linhas vermelhas do destino, quem sabe.

Ele disse rindo, finalizando com um sorriso travesso nos lábios. Não pude deixar de rir, é mesmo um idiota.

(Levy: E uma anta talvez?)

- Acredita em antigas lendas do Japão? Akai Ito, jura?

- Acredito que algumas pessoas nasceram para ficarem juntas, e nós somos uma delas.

Okay, momento corar violentamente on. Natsu pegou em minha mão, alisando-a, e eu, senti meu rosto inteiro arder. O que está acontecendo? Ele colocou a outra mão no bolso, pegando uma caixinha, ai meu Kami, não pode ser! Seria o pedido? Lucy, volte a respirar!

* PAUSA DRAMÁTICA *

Perfumes Jequiti
Ashuashuashua desculpa

Lucy, nesse clima, sob a luz das estrelas, quer namorar comigo?

Meu senhor, o que eu estou fazendo aqui? Pisquei os olhos, voltando à realidade. Isso não aconteceu de verdade. Encarei Natsu, que ainda estava com a caixinha em mãos, acho que estou alucinando.

- Trouxe isso para você, assim você pode sempre lembrar-se de mim.

Ele sorri, me entregando a caixinha. Então não foi um pedido de namoro? Abri a pequena caixa preta, e não pude acreditar no que continha dentro dela, um lindo relicário, dourado, com o pingente em formato de coração. Soltei um riso, eu fiquei desesperada só por um cordão?

- Não gostou?

Ele me olhou desconfiado, seu sorriso se fechou. Esse idiota é mesmo fofo.

- Não é isso, eu adorei.

Peguei em sua mão, que estava jogada e trêmula em cima da mesa. Com o toque, ele sorriu, e juro que até o vi corar, de leve, mas vi.

- Então por que o riso?

Arqueou uma de suas sobrancelhas, ri novamente, largando sua mão.

- Não é nada.

Continuei a rir, analisando o presente que ele me deu. Em que momento eu poderia imaginar que cá estaria eu, completamente apaixonada novamente. Ainda mais após Sting, e, embora ele tenha sido um imbecil, ainda assim fez muito bem a mim, e não posso negar isso. Porém, o Natsu é bem diferente, e não quero acreditar que ele possa me machucar, não quero.

- Deixe-me ajudar a colocá-lo.

Ele disse se levantando, balancei a cabeça, na tentativa de retirar todos esses pensamentos, e apenas o entreguei o cordão. Ele delicadamente o colocou, depositando um singelo beijo em meu pescoço logo depois. Lógico que isso me desestabilizou completamente, e eu me arrepiei inteira, mas tentei ignorar para não surtar.

Ele se sentou em seu lugar novamente. Conversamos sobre algumas coisas, do tipo passado e de como foi sua adaptação a nova escola. Cerca de meia hora depois, o jantar chegou, um prato delicioso que eu não sabia nem pronunciar o nome, apenas sabia que a sobremesa continha chocolate. Após comer, ele me chamou para ir onde o telescópio estava, para observar as estrelas, aceitei na hora, não que eu já não estivesse vendo, já que o teto do restaurante era totalmente descoberto, mas, com o telescópio certamente seria muito melhor.

Me levantei, ele pegou minha mão e andamos até a parte de trás do restaurante, lógico, eu feito pimentão, mas isso era que mais se repetiu nessa noite. Parei novamente para observar, a beleza desse lugar é completamente surreal, ainda não sei como ele encontrou algo como isso em Londres.

- Qual delas você gosta mais?

Ele indagou, virando-se pra mim, se fosse para escolher, certamente seriam as estrelas que estão em seus olhos, que brilham toda vez que ele me olha. Desviei meu olhar para o céu, eu estou surtando, vocês viram isso que eu pensei?

- Gosto da constelação de Draco, acho realmente fofa.

Sorri. Dizer isso é realmente melhor do que a coisa gay que pensei anteriormente. Ele segurou meu queixo, me obrigando a encará-lo nos olhos, corei, e como corei, ele riu com isso.

- Eu escolheria você.

Sorriu, e com seus caninos a mostra, me roubou um beijo, que foi se aprofundando enquanto ele sorrateiramente segurava minha nuca. Me perdi. Me perdi naqueles lábios, pela milésima vez, e assim ficamos, por muito tempo.

***

O sol raiou, me obrigando a abrir os olhos. Imagens da noite anterior rodearam minha mente, e principalmente todas as cenas de beijos e da carinha fofa de Natsu toda vez que me fazia corar, ele é mesmo um doente, adorou me deixar constrangida.

- Ahh Luxy, não vai me dizer agora que está apaixonada mesmo?

Happy murmurou, me olhando fixamente nos olhos. Me levantei da cama ainda surpresa. Estou sonhando ou ele está acordado às seis da manhã?

- Ei, você está bem mesmo? Por que não está dormindo?

- Dormi bem cedo ontem, mas isso não vem ao caso, você está realmente com aquela carinha de sonhadora, o que está acontecendo?

Caminhei até a porta do banheiro, é que, eu gosto dele, e ele gosta de mim, a gente se beija constantemente, e embora seja meio embaraçoso, gosto disso, ele me deu um presente ontem, que aliás foi o Dia dos Namorados, e eu lhe mandei um cartão, ahh Kami, o cartão! Como me esqueci disso?

Corri até o quarto novamente buscando pela pilha de envelopes que devo ter colocado em algum lugar por aqui. Happy me olhou desconfiado, talvez por eu parecer uma louca e também por não ter respondido sua pergunta. Depois de alguns minutos soltei um gritinho de satisfação ao encontrá-los debaixo da cama, bingo! Agora só falta procurar pelo seu cartão. Isso se ele tiver me mandado um.

- Não sou onda eletromagnética para me propagar nos seus vácuos Luxy.

Happy sorriu irônico. Esse gato anda vendo muitos vídeos de Física no YouTube.

- Desculpe-me, acabei me lembrando de que esqueci uma coisa muito importante ontem, não verifiquei os cartões que eu recebi no Dia dos Namorados.

- Ahh, essa pilha enorme aí?

- Exatamente.

Sorri, me virando para procurar os remetentes dos cartões, e, curiosamente, acabei recebendo muitos de pessoas conhecidas, e também uns que eu nem mereço ler, acho que o Tio Português mandou muitas lembranças.

"Espero que cuide bem do Natsu loirinhamas não o agarre muitookayFeliz Dia dos Namorados!

Gray"

Uma hora ainda mato esse desgraçado.

"Olá Lucyvocê achou que tinha se livrado de mimnão éMas saiba que em breve será minha

Rogue"

Oi?

"LucynhaFico feliz por tudo dar certo em sua vidae que você tenha ao menos um momento de felicidadeVocê sabe que eu te amo e não importa o que aconteça e o que você se lembre, sempre estarei aqui para o que precisarFeliz dia dos namorados!

Kame ❤"

Own, como ele é fofo.

"Ora ora ora loira do tchanFaça meu amigo felizE que vocês se amem igualmente eu amo meus bolos de morangoeque tal aprender um pouco de sadomasoquismoNatsu parece gostarHappy Valentine's Day mona :*

Erzita"

Meu Kami, Natsu precisa ver umas coisas dessas!

"Vamo beber gata!

Cana"

Alcoólatra como sempre.

"Largue o Gray-sama e invista no Natsu, rival no amorSei que o ama e ele o mesmoSeja feliz Lucy.

Juvia"

Por que a Juvia acha que eu gosto daquele idiota mesmo?

"O Natsu será meu!

Lisanna"

Isso aqui virou putafax ou o quê?

"Estou com sono

Lispector Gajeel"

Eu mereço.

"Para a minha melhor aluna não basta a melhor frasea melhor rosaou o melhor poemaVocê merece tudo Lucytudo aquilo que você possa desejare saiba que estarei aqui para satisfazer todos os seus desejos.

Scorpio ❤"

Prevejo Aquarius me esfolando.

"Lucyyyyyy! Continue sendo essa moça recatada que você é e não se renda as atitudes do Natsu! Torço por vocês!

Levy-chan"

Mal sabe Levy que a louca aqui sou eu.

"Gosto de você Lucycomo jamais gostei de alguémEu realmente desejo que você sempre esteja comigo daqui pra frentepois sem você nada faz sentido. Sei que não entende muito bem o que está acontecendoe nem eu mesmo entendomas não se preocupeamar certamenteultrapassa qualquer entendimento.

Feliz dia dos namorados

Seu Natsu"

- Happy?

O chamei, ainda abalada com tudo que li naquele pequeno pedaço de papel. Algumas lágrimas teimaram em cair, droga, sei no que estou me metendo, mas irei mergulhar bem fundo nesse abismo, mesmo assim.

- O que você leu aí para ficar desse jeito? Não me diga que Gray mandou algo safado? Juvia sabe?

- Tenho a sua resposta Happy, eu não gosto do Natsu, eu o amo.

***

Sentei-me em meu lugar na sala bem quieta, estava pensativa demais para jogar conversa fora com qualquer pessoa que seja, embora queira desabafar com alguma de minhas amigas. Cheguei a escola sem topar com ninguém, o que foi bom, pude andar calmamente até minha mesa, e afundar minha cabeça nela, como se isso de alguma forma fosse me ajudar em algo.

- Ei Lu-chan, o que houve contigo?

Ouço a voz de Levy e logo sinto alguém acariciar minha cabeça. Levanto para olhá-la e ela sorri, retribuo, mas sorrindo fraco.

- Isso é o amor baixinha, ele muda as pessoas.

Sussurrei, ela sorriu alegremente. Ahh droga, admiti.

- Não acredito! Então você está mesmo o amando? Me conta tudo que aconteceu, anda, anda!

- Apenas não faça alarde, não faça mesmo dessa vez baixinha.

A encarei, ela sorriu entre dentes, sei, ela vai sair gritando e talvez até faça uma página no Facebook sobre o casal NaLu, isso se já não tiverem feito.

- Tudo bem, agora anda e me conta antes que alguém chegue e nos interrompa.

- Quem iria interromper o que?

Erza aparece, junto de Cana, Mira e Juvia. As garotas sorriem pra mim, e eu retribuo, apesar de saber que se controlar a boca de Levy não é fácil, a das meninas e mais difícil ainda.

- Lucy vai contar sobre ela e o Natsu, ela admitiu que o ama.

- Jura Levy? Eu preciso postar isso na página!

Erza exclamou animada, me puxando para um abraço. Não disse? Como ser discreta com essas gurias como amiga?

- Ei, todas vocês, por favor, fiquem quietinhas para que eu possa contar.

Disse firme, elas de entreolharam mas logo se ajeitaram nas mesas ao lado, todas me encarando, como se eu fosse contar a maior bomba do século. Suspirei.

- Não sei se falei pra vocês mas eu mandei um cartão para ele na aula de Scorpio, na segunda.

- Sério? Escreveu o que?

- Eu não me lembro muito bem, Mira.

Na verdade, me lembro perfeitamente, só prefiro deixar isso de lado já que não interfere na história.

- Então, eu mandei, e ontem, durante a aula, ele me chamou pra sair mais tarde.

- Não me diga que está namorando e nos disse nada?

Levy me encarou irritada. Estão vendo, não fui só eu que achei que ia receber um pedido de namoro.

- Relaxa baixinha, eu não estou namorando, se tivesse, vocês seriam as primeiras a saber. Continuando, ele me levou a um lugar maravilhoso, um tipo de observatório/restaurante, e ele me deu isso - Retirei o cordão que estava dentro da blusa, mostrando para elas, que soltaram um gritinho de animação quando viram - E foi super fofo, acho que estou gostando de verdade dele.

- Ownnnnnn, eles se goxxxxxtam!

As garotas gritaram em uníssono, embora todos ficassem nos encarando, não consegui deixar de rir com a situação. Foram elas que desde o início me incentivaram, elas que me obrigaram a tentar algo, e mesmo que eu estivesse relutante no começo, acabei cedendo.

- Quem gosta de quem?

Natsu surgiu, chegando até nós e nos lançando um sorrisinho de canto. Dei uma leve corada e desviei o olhar para o chão, tentando disfarçar, o que não deu certo, já que Levy me cutucou, me fazendo encará-la, que vaca!

- Vocês dois! Own que fofo!

Levy exclamou, encarei Natsu na mesma hora, provavelmente muito vermelha, ele apenas riu, como se fosse a coisa mais normal do mundo.

- Ahh, isso todos sabem.

Me puxou para um abraço, retribuí ainda que sem jeito. As garotas entraram em um coro de 'ownnnnnnn' até Gildarts raspar a garganta indicando que já havia chegado.

- Quero casamento!

Erza exclamou, me olhando extremamente maliciosa. Soltei um riso, me lembrando de seu cartão do Dia dos Namorados. Talvez eu tente a tal sessão de sadomasoquismo.

- Tudo bem senhorita Scarlet, vocês planejam isso depois.

Gildarts disse, fazendo todos se sentarem. Me virei para frente, já sentindo uma mão quente em meu pescoço, arrepiei, lógico que arrepiei, o que fez o desgraçado rir.

- Bem que podíamos planejar mesmo, não é? Seu nome combina com um 'Dragneel' ao lado.

Soltou um riso, se retirando do meu pescoço, e fazendo com que eu suspire. Esse idiota me paga. Abaixei a cabeça, enterrando-a em meus braços apoiados na mesa, eu definitivamente estou cansada demais para assistir a essa aula de filosofia. E assim adormeci, sendo acordada por uma sirene extremamente estridente.

- Ahhh... alguém desliga esse despertador, pelo amor de Deus.

Murmurei, me virando na mesa. Senti algo me cutucar, abri os olhos a contragosto, notando Erza ao meu lado. Me levantei, certificando que não havia baba e nem nada em meu rosto, já que são nesses momentos que estamos de forma mais constrangedora. Encarei a ruiva, antes de perceber a sala completamente vazia. Eu dormi demais ou é apenas um sonho?

- O que houve?

- Am, Gildarts foi embora mais cedo.

- E ao resto da galera?

- Gray e Gajeel estavam estranhos o que fez os meninos irem até eles, e é lógico que aquele bando de mulas ficaram curiosas e os seguiram.

Não acredito que pude me esquecer, Gray e Gajeel!

- Ahh, e me deixaram aqui sozinha?

Revirei os olhos, fingindo estar chateada. Erza riu.

- Você morreu aí também! Agora anda logo, vamos encontrá-los na cantina.

Confirmei com a cabeça, com a ruiva me puxando pelo braço. Deixei minhas coisas exatamente como estavam e apenas saí, andando rapidamente pelos corredores.

Assim que cheguei ao refeitório, vi as meninas escondidas, enquanto os meninos, Laxus, Jellal, Natsu e Kaname, um pouco a frente, juntados em um montinho tentavam entender o motivo dos dois garotos não quererem chegar perto um do outro. Comecei a rir descontroladamente, mas tive que cessar os risos, para não parecer estranho, isso já me aproximando das garotas.

- Ei, o que está acontecendo?

Me fiz de desentendida, aproveitando para dar uma bela olhada no resto do pessoal, que estavam visivelmente confusos. Natsu, assim que me viu, lançou um sorriso. Dei um leve aceno de volta, ainda não me esqueci que fui esquecida dormindo na sala. 

- Ainda bem que apareceu! Precisa nos ajudar com os garotos, algo não está me cheirando bem.

Levy disse me encarando. Me virei para observar os garotos novamente. Gray estava sentado comendo algo, quieto, concentrado apenas no que comia, enquanto Gajeel, do outro lado do refeitório, encarava o moreno, hora ou outra corando, não me diga que rola mesmo um clima?

- Vou lá falar com eles.

Sorri, caminhando primeiramente até o comilão. Me sentei ao seu lado, fazendo a maior carinha de pena, como se entendesse sua dor, afinal, achar que um de seus melhores amigos quer seu corpo nu não é algo fácil de digerir, e eu sei bem como é isso. O moreno primeiro me olhou, depois inclinou a cabeça encarando Gajeel, abaixando o olhar para sua maçã segundos depois.

- Se ele te mandou aqui, diga que não estou pronto para conversas.

Sussurrou, ainda sem me olhar. Comecei a rir muito mentalmente, mas me controlando para não estragar o disfarce, ele acha mesmo que vim enviada do Muralha?

- Não vim a mando de ninguém, apenas quero que vocês dois conversem sobre o que quer que tenha acontecido, conheço um lugar bem calmo para isso.

Sorri, passando a mão por cima da sua que estava disposta sobre a mesa. Ele virou-se para me olhar, dando um sorriso de canto fraco. Argh, agora não é hora de se comover com essa ceninha Lucy, foco na missão.

- Não acho uma boa id...

- Não se preocupe - O interrompi, segurando sua mão, e o olhando fixamente - Estarei lá se precisar.

Continuei com meu sorriso falso, até ele parecer que iria aceitar. Como sou um monstro.

- Fale com ele.

- Irei falar.

Me levantei novamente, agora é a hora do Muralha tarado. Segui até a extremidade do refeitório, e ele notou minha presença, já que percebi que ele não parava de me encarar enquanto conversava com Gray. Lancei um sorriso.

- Já avisando que ele não me mandou aqui, só venho aconselhar que conversem sobre qualquer que seja esse problema, e tenho o lugar perfeito para isso.

Continuei a sorrir. Gajeel me olhou desconfiado, mas sei que ele irá aceitar.

- Onde seria?

***

Disse aos meninos onde ficava o terraço, embora já sabia que assim que o vissem, perderia meu local favorito de descanso e encontro com Natsu, mas é por uma boa causa.

Gray subiu a frente e Gajeel o seguiu, todos queriam ir com eles, mas eu disse que eles precisavam de privacidade, mas é lógico que iríamos ver toda a cena, escondidos é claro.

Gajeel se instalou em um lado do local, e o Gray no outro. As meninas estavam eufóricas e ansiosas, mas bastou Erza lançar um olhar macabro para que elas calassem a boca. É agora.

- Gajeel eu... digo... ahh, me desculpe mas não posso fazer isso.

Gray estava se enroscando nas palavras, Gajeel ficando vermelho e ninguém entendia nada. Bom, eu estava ciente de tudo, mas preferi deixá-los sofrer mais um pouco.

O moreno abaixou a cabeça, se afastando cada vez mais. Gajeel ficou o encarando, por um longo tempo, mas logo começou a se mover. O que esse idiota vai fazer?

- Calma... eu te entendo... também não posso...

Gajeel se aproximou, pegando em sua mão. Meu coração começou a disparar, não acreditando no que meus olhos estão vendo. O moreno está corando pelo peladão? Eu juntei mesmo um casal? Como?

- Ei ei ei vocês dois!

Me exaltei, aparecendo na frente do "casal". Erza me lançou um olhar de 'o que você está fazendo?', apenas assenti, acho que eles já sofreram o suficiente. Os garotos logo se separaram e me encararam incrédulos, ahh, eles acham mesmo que ninguém estava vendo isso? Como se isso fosse acontecer, Cana até trouxe pipoca para o resto do pessoal.

- Lucy! O que faz aqui?

Gray me olhou desconfiado. Lancei um sorriso. Não adianta me olhar com carinha de pena querido, isso tudo ainda é culpa de vocês dois.

- É Lu-chan o que faz aí?

- Isso mesmo rival no amor.

Levy e Juvia bufaram praticamente em uníssono. Soltei um riso, isso tudo pelo peladão e o Muralha? Me aproximei dos dois, sem deixar meu olhar de ironia de fora, é claro.

- Eu sei o motivo de vocês estarem aqui.

- O-o que?

Gajeel se assustou, enquanto corava loucamente. Me aproximei mais, chegando a centímetros dos dois, aproveitei para passar a mão em seu cabelo, ainda sem deixar se olhá-lo nos olhos.

- Vocês estão aqui pois acham que um gosta do outro, estou errada?

Indaguei, rindo. Erza abriu a boca espantada e Levy me lançou um olhar de 'o que você disse?', sorri, para acalmá-la e na tentativa de evitar uma provável algazarra que vai se iniciar. O que não adiantou, já que logo pôde ser ouvido um grito alto, seguido de longos risos.

- Eu sempre suspeitei.

Jellal ria alto, sendo acompanhado por Laxus, Natsu e Cana. Mas logo o riso foi cessado, graças a Erza que lançou seu rotineiro olhar de 'se cale ou eu vou te matar'. Acabei rindo com a cara de assustados dos quatro.

- Quem diria em Gajeel, da fruta que eu gosto, você até se lambuza.

Cana disse o encarando maliciosa. Olhei novamente para Levy, e logo para Juvia, que não esboçavam nada em suas faces, como ainda não surtar am?

- Que seja válido toda forma de amor.

Mira sorriu para os garotos, que lhe não tinham mais partes do rosto para corar. Comecei a rir novamente, acho que essa realmente foi a melhor pegadinha do século.

- Chega de mimimi, eu vou lhes dizer a verdade. Eles não são o que vocês pensam, do tipo que amam um chá de picão, jogar sinuca e jogar frescobol. Fui eu que enviei um pequeno cartãozinho para vocês, senhor esposo da Cláudia e o peladão aqui.

Sorri, podendo ver uma pedra voar em mim, e que iria me matar se graças a meu bom amigo Natsu não tivesse se colocado a frente, fazendo-a bater em seu peito. Eu não deveria me animar com essa cena, não é mesmo? Mas por que ele me parece tão sexy sendo meu salvador?

- Por que fez isso com meu Gray-sama?

Juvia, vulgo a pessoa que tentou me assassinar, grita, me fazendo esquivar para atrás de Natsu. Estava bom demais pra ser verdade, era óbvio que ela não iria apenas ficar quieta, lógico que iria contestar, mas não achei que fosse agredindo a minha pessoa, parece que temos uma outra Erza em nosso meio.

- Eles mereceram, me mandaram uma mensagem se passando pelo Natsu, dizendo que queria me comer!

Bufei, me encolhendo ainda mais, percebendo que Levy ainda não se pronunciou. É hoje que morro?

- Mas não precisava exagerar Lucy.

Kaname riu, se aproximando. Ótimo, agora tenho dois protetores.

- Então, você não me mandou aquilo?

Gajeel se dirigiu a Gray, que riu fraco. Mas é mesmo uma anta.

- Me desculpe, mas meu amor por você ainda não chegou a esse ponto.

- Da próxima tenham cuidado ao brincar com ela.

Levy disse rindo, fazendo com que todos parassem, a olhassem, e ficassem nessa de 'Oi? Ela riu?'. De repente todos começaram a rir, até mesmo Juvia, não me controlei e os acompanhei, embora ainda não saiba o motivo do riso. Natsu se aproximou, me puxando para um caloroso abraço, retribuí, ainda que sem jeito. Acho que ele não reparou que estamos numa situação meio tensa.

- Você se superou dessa vez Lucy!

***

Acabou que no fim, ninguém me matou, e eles até acharam bem feito para os dois. Tudo bem que agora eles ficam ainda mais colados e com uma viadagem enorme, mas temos que conviver.

Assim que saímos do terraço, o sinal bateu, e de acordo com Scorpio, que deu uma passadinha por nós no corredor, sem deixar de me secar é claro, o vice-diretor, o velho senhor Makarov, iria fazer uma anunciação. Tentei imaginar o que seria, mas nada me chegou a mente. Então, me permiti apenas me sentar e esperar pelo velhote.

O homem não demorou para chegar, se aproximando de Lyra, nossa professora que estava na sala, e a cumprimentando com um belo sorriso. Ela permitiu que ele falasse conosco, e ele se pôs a frente, encarando cada um de nós.

- Sei que estão ansiosos para a nossa festa de Halloween, que será daqui longos quatro meses. Mas dessa vez vamos ter um preparativo diferente para nossa tão esperada festa. Vocês serão liberados durante uma semana para poderem se divertir no Camping Fairy Tail! Que foi adquirido há pouco pela diretora, façam seus preparativos, o acampamento os espera! Faltam apenas três meses!

Foi só o velhinho terminar se dizer, que a sala toda começou a gritar. Os alunos, muito empolgados, faziam milhares de perguntas a Makarov, Lyra, e quem eles encontrassem que soubesse de algo. Eu não entendo, faltam quatro meses para a tal festa e três para o acampamento? Como queriam que ninguém ficasse na expectativa?

Ahh, faltam três meses, o quanto isso pode demorar?

Continua...


Notas Finais


Oioi! Eu sei, demorei muito, mas tenho um motivozinho. Estou em mudanças, agora vou escrever por aqui só durante uma semana, na outra, serão nas outras fics. Tava pensando sobre isso durante a semana, e acho que é justo. Continuo focando aqui, e retomo as outras histórias em hiato. Mais uma coisa, esse cap deveria ter saído aqui no domingo, mas eu só postei no Wattys já que é lá que escrevo, desculpa novamente. Espero que gostem da nova data de postagem, e para me redimir, 4000 palavras de muito amor :* Tenham uma boa noite, beijinhos :* Volto daqui uma semana ❤
Não se esqueçam dos comentários! Até o próximo!


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...