História A princesa e o plebeu (um conto NaruHina) - Capítulo 27


Escrita por: ~

Postado
Categorias Naruto
Personagens Hinata Hyuuga, Kakashi Hatake, Naruto Uzumaki, Sakura Haruno, Sasuke Uchiha
Tags Byakugan, Hinata, Hyuuga, Naruhina, Naruto
Exibições 331
Palavras 2.941
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Ação, Drama (Tragédia), Famí­lia, Hentai, Romance e Novela, Violência
Avisos: Adultério, Heterossexualidade, Insinuação de sexo, Sexo, Violência
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Notas da Autora


Oi! Voltei
Boa leitura!
OBS: obrigada aos favoritos, e aos que comentam, voces me ajudam muito.

Capítulo 27 - A tempestade


Fanfic / Fanfiction A princesa e o plebeu (um conto NaruHina) - Capítulo 27 - A tempestade

 - Naruto-senpai!

 Uma das fieis seguidoras de Naruto se aproximou junto com um bando de garotas coradas e histéricas. Ambas estenderam a Naruto embrulhos de presentes em virtude do festival Rinne, o loiro ficou sem jeito e aceitou as sacolas e embrulhos.

 - Arigatou, meninas. – disse Naruto sem graça.

 Hinata não se sentia confortável com aquela situação, sabia que Naruto tinha admiradoras, afinal ele era o herói de Konoha e do mundo ninja, se tornara extremamente popular depois da quarta guerra mundial ninja.

 - Hinata-sama. – disse uma morena se curvando e estendendo uma sacola decorada para Hinata – Para o bebê.

 - A-Arigatou gozaimasu. – sussurrou a Hyuuga sem saber o que fazer.

 Naruto se despediu das garotas e avançou levando os presentes e as sacolas de Hinata.

 - Viu? As garotas não tem segundas intenções comigo. – disse o loiro sorrindo – Elas até presentearam você.

 - Presentearam seu filho. – disse Hinata abaixando o olhar – Elas me odeiam por ser sua namorada.

 - Eu adoro te ver com ciúme. – disse ele beijando o rosto da namorada.

 Andaram por Konoha até a mansão principal dos Hyuuga, encontram Sarutobi Konohamaru saindo da mansão.

 - Hein, Konohamaru? O que faz aqui? – perguntou Naruto estreitando os olhos.

 - N-Nada. – gaguejou o garoto – Eu soube que Hanabi se machucou na última missão e resolvi visitá-la.

 Hinata sorriu com ternura, sabia sobre os sentimentos de Konohamaru por Hanabi há muito tempo e começava a desconfiar que a irmã também nutrisse sentimentos por ele.

 - Hmmm. – Naruto sorriu maliciosamente – Você e Nabi, hein?

 - Não invente coisas, nii-chan. – disse o moreno corando e desviando o olhar.

 - Imaginou que seria assim, Konohamaru? – perguntou Naruto suspirando – Nós dois como ninjas poderosos e cada um com uma Hyuuga a tira colo.

 - Nii-chan! – gritou o garoto – E-Eu... Não acredite nele, Hinata.

 - Está tudo bem, Konohamaru-kun. – disse Hinata com doçura – Sei que só está sendo gentil.

 - Arigatou, Hinata. – disse ele – Preciso ir, até mais.

 Konohamaru deixou as escadarias correndo, Naruto sorriu como quem tinha aprontado e Hinata encontrou nele resquícios da mesma criança levada que aterrorizou as ruas de Konoha há alguns anos.

 - Onde vai passar a noite hoje? – perguntou a morena.

 - No meu apartamento, sozinho. – disse Naruto como se fosse obvio.

 - Nany? – perguntou Hinata – Achei que fosse passar com o Sasuke ou...

 - Não. – disse o loiro – Eu sempre passo sozinho.

 - Não esse ano. – disse Hinata – Venha cear com a gente aqui em casa, vai ser pouca gente, Hanabi, meu pai e eu.

 - Não sei se sua família vai gostar... – começou Naruto – Eu não faço parte dos Hyuuga.

 - Você é o pai do herdeiro da casa principal. – disse Hinata revirando os olhos – Claro que é da familia.

 Naruto teve um estalo.

 - Acho que eu nunca tinha pensado no nosso filho como herdeiro da casa principal. – disse o loiro – Então ele será...

 - Um príncipe. – disse Hinata sorrindo – Herdeiro do meu clã e da minha casa.

 - Tem certeza de que não tem problema se eu vier? – perguntou o loiro.

 - Sim. – disse Hinata pegando as compras – Chegue as dez.

 - Está bem, amor. – o loiro beijou a namorada.

 Naruto sabia exatamente o que dar de presente a Hinata.

...

 Hinata estava de quatro meses, mas suas roupas ainda escondiam em a barriga, a morena não via a hora de se ver com uma barriga enorme.

 Ayo preparou uma maravilhosa ceia com todas as comidas típicas do festival Rinne. Hinata escolheu um vestido preto longo com um decote avantajado, todos a elogiaram. Antes da ceia, Hiashi e Hinata tiveram que passar na casa de todos os Hyuuga pra receber seus presente e enfim voltaram para a casa principal.

 Naruto chegou vestindo um terno típico japonês preto com detalhes laranjas, estava lindo demais, Hinata sorriu.

 - Está lindo, Naruto-kun. – disse Hinata lhe dando um beijo suave.

 - Está maravilhosa, meu amor. – disse o loiro colocando as sacolas sobre o sofá.

 - Naruto. – Hiashi estendeu a mão para o garoto que a apertou.

 - Como vai, senhor Hiashi? – perguntou o jinchuuriki.

 - Bem. – disse o rígido Hiashi.

 - Oe, vamos comer ou não? – perguntou Hanabi da sala de jantar.

 Nos sentamos a mesa e comemos na maior parte das vezes em silêncio, depois de algumas horas fomos para a sala abrir os presente. Naruto deu a Hiashi um túnica de seda de muito bom gosto, Hinata sabia que alguém tinha escolhido para ele, e para Hanabi ele deu um jogo de kunais e shurikens.

 Hiashi deu para Hinata uma gargantilha feita de ouro branco e diamantes e para Hanabi um novo kimono de um tecido nobre.

 - Naruto, esse é pra você. – disse o líder do clã Hyuuga entregou ao garoto uma caixa de madeira extensa feita a mão com gravuras onde a principal era uma gravura do símbolo do clã Hyuuga.

 - Não precisava se incomodar, senhor Hiashi. – disse Naruto recebendo o presente.

 O Uzumaki abriu a caixa, era uma linda espada de corte único e lâmina leve, o brilho prateado refletia luz para os olhos de Naruto, o cabo era de puro couro com detalhes de prata.

 - Kami-sama. – sussurrou Naruto.

 Hinata sabia o que era aquilo, sorriu ao ver a ação do pai.

 - Essa espada está na família Hyuuga há gerações. – disse Hiashi ainda de maneira fria – Meu tataravô deu ao meu bisavô, meu bisavô ao meu avô, meu avô ao meu pai e meu a mim. Ela é por direito do chefe da família principal.

 - E-Eu não... Eu não devo aceitar. – disse Naruto levantando o olhar para Hiashi.

 - Hinata será a chefe da minha família, mas você será o chefe da família de vocês. – disse Hiashi – Por favor, aceite.

 - Arigatou. – disse Naruto sorrindo.

 - Osh, Osh, mas agora está na hora do presente do Naruto pra Hina. – disse Hanabi impaciente – Nós sabemos que você gastou muito dinheiro naquela casa, não sobrou muito pra um presente.

 - Hanabi! – advertiu Hinata.

 Naruto riu alto e se levantou.

 - Eu não gastei nada com o presente de Hinata. – disse Naruto enfiando a mão no bolso – Está na hora de oficializarmos as coisas.

 Naruto se joelhou e tirou do bolso um anel de brilhantes feito de prata e diamantes. Hinata puxou o ar bruscamente e cobriu a boca com a mão segurando as lágrimas.

 - Meu pai deu isso a minha mãe quando a pediu em casamento há quase vinte e um anos, eu o encontrei junto com outras coisas da minha mãe que estavam na casa do Konohamaru. – disse o loiro pegando a mão da namorada – Hyuuga Hinata, casa comigo?

 - É... – disse Hanabi – Até que se saiu bem.

 - É claro que sim, meu amor. – disse Hinata estendendo a mão e o loiro lhe colocou o anel.

 - Eu amo você. – disse Naruto.

 - Eu também amo você. – disse Hinata.

...

 A neve já tomava conta de Konoha, Hinata Hyuuga saiu de casa lotada de blusas e agasalhos, estava atrasada, marcara de encontrar as garotas para a última prova do Kimono cerimonial de Tamari que se casaria dali a dois dias.

 Adentrou a loja de costura tirando o casaco lilás e sacudindo a neve dos cabelos.

 - Desculpem a demora. – disse ela em um sussurro – Precisei encontrar novas calças, as antigas não me servem mais.

 - Entendo. – disse Temari.

 Ela usava um maravilhoso kimono branco com detalhes vermelhos assim como a faixa em sua cintura.

 - Ah! – Hinata suspirou com ternura – Está linda, Tema-san!

 - Eu disse que o vermelho era sua cor. – disse Ino sorrindo.

 - E não está tão aparente. – disse Sakura.

 - Não minta pra mim, Sakura-chan. – disse Temari – É obvio que estou grávida! Gaara nii-san é ridículo, todos já sabem.

 - Ele só é um irmão preocupado. – disse Tenten – Ainda bem que o Naruto interveio, ou estaria viúva antes de se casar!

 Todas caíram na gargalhada, Hinata cobriu a boca com a mão.

 - Hinata-chan! – Sakura chamou a atenção – O que é isso em sua mão?

 Hinata sorriu lembrando do dia em que Naruto lhe dera o anel duas semanas atrás.

 - Ah, isso. – disse a morena – Naruto-kun me pediu em casamento na ceia do festival Rinne, esse é o anel de Uzumaki Kushina.

 - Uma herança de família! – suspirou Tenten – Isso é lindo.

 - Finalmente aquele baka tomou uma atitude. – disse Temari.

...

 Sabaku no Temari e Nara Shikamaru se casaram em uma grande cerimônia de inverno vestidos adequadamente para a ocasião. As pessoas mais importantes do pais do fogo e do vento compareceram e se alegraram durante a grande festa patrocinada por Gaara e a vila da Areia.

 Hinata se sentiu cansada no meio da festa, então Naruto a levou para a futura casa dos dois.

Naruto gostava se sentar no chão, colocar a cabeça no colo de Hinata e afagar o pequeno inchaço em sua barriga de quatro meses e meio.

 - Será que ele nos escuta? – perguntou Naruto afagando a namorada.

 - E-Eu acho sim. – disse Hinata – Embora ele ainda seja muito pequeno.

 - Eu acho que será um menino. – disse Naruto – Um menino forte.

 - Há muito tempo, quando eu soube que estava grávida, Sakura-san e eu pensamos em um nome. – disse Hinata afagando os cabelos dourados de Naruto – Uzumaki Boruto.

 - Boruto, hein... – o loiro suspirou – Acho ótimo.

 A morena sorriu lindamente.

 - Oe, haverá um reunião entre os cinco Kages no país da água. – disse Naruto – Cada Kage leva dois guarda-costas com ele, Kakashi-sensei quer que eu vá com ele assim como Neji porque o Shikamaru estará em lua de mel.

 - E qual é o problema? – perguntou Hinata.

 - Não quero deixar você sozinha aqui. – disse Naruto – Ainda mais com o Neji indo também, quem vai proteger você por cinco dias?

 - Eu mesma. – disse Hinata irritada – Não se preocupe, meu amor, vou ficar bem e esperando por você.

 - Ok. – suspirou Naruto – Por favor não se coloque em situação de risco.

 - Volta a tempo pro casamento da Ino-chan? – perguntou Hinata.

 - Claro. – disse ele – Agora vem cá.

 Naruto a puxou para um beijo.

...

Naruto, Neji e Kakashi já tiram partido há um dia e meio, a neve só piorava lá fora.

 - Hinata-sama! – gritou Ayo ao entrar no quarto de Hinata.

 - O que houve? – Hinata se assustou.

 - É a Hanabi-sama, ela está no hospital de Konoha. – disse ela.

 Hinata deu um pulo e pegou seu casaco, saiu de casa correndo pela neve. Chegou ao hospital cansada e ofegante, Sakura estava com Hanabi desacordada.

 - O que houve com ela, Sakura? – perguntou Hinata preocupada.

 - Eles foram encurralados em uma missão. – disse Sakura – Sua irmã esgotou sodo o seu chakra usando o oito trigramas quatro vezes. O Byakugan dela está esgotado, ela está quase cega.

 - É reversível? – perguntou a Hyuuga.

 - Sim. – disse a rosada – Ela só precisa repousar e ficar com essas faixas nos olhos por cerca de quatro meses.

 - Hein? – espantou-se, Hinata se lembrava da vez que precisou ficar penas uma semana com aquelas faixas, foi horrível – Não! Tem que ter outro jeito!

 - Existe uma erva, a erva Rima, ela pode acelerar bem o processo e Hanabi estaria curada em dois ou três dias. – disse Sakura – Ela cresce ao sul de Konoha, na floresta.

 - Então eu vou buscar. – disse Hinata.

 - Não... e se você cair? – perguntou Sakura – É melhor mandar outra pessoa.

 - Eu já estou aqui, Sakura, é rápido. – disse Hinata – Eu vou e volto.

 - Tome cuidado, Hina. – pediu Sakura.

...

 Hinata nem se permitiu correr, andou apressadamente, mas não correu, a neve estava escorregadia, mas ela era um kunoichi, se sairia bem nessas situações. Sakura dera a ela uma foto da maldita erva e ela precisava encontrar mesmo no meio da neve, para que Hanabi ficasse bem.

 Encontrou a erva sob uma pedra esverdeada, precisou fazer um pouco de força para levantá-la e pegar a pedra. De repente a neve começou a engrossar e o vento se fez gelado e cortante. Era uma tempestade de neve.

 - É melhor eu me abrigar. – disse Hinata colocando o capus lilás.

 A morena se lembrava que a Cabana onde Naruto se escondeu uma vez ficava ali perto, e aquela era a única saída para a Hyuuga. Em poucos minutos, o chão estava totalmente branco e foto, por diversas vezes Hinata afundava ao pisar.

 Em determinado momento escorregou e caiu sentada com força. O quadril latejou e ela gemeu de dor, levantou e continuou avançando.

 Encontrou a cabana e entrou.

 O lugar estava totalmente diferente daquela memorável noite em que se tornou mulher de Naruto, as flores silvestres já estavam mortas há muito tempo, o lugar estava cheio de poeira e o cheiro não era o mais agradável, mas tinha velas.

 Hinata não era muito boa em Katon, mas era uma aluna aplicada e aprendeu na academia o suficiente para acender uma vela e espalhar as chamas para as outras.

 Colocou a erva sobre a mesa e resolveu se sentar, pois seu quadril doía muito. Subiu os pequenos degraus sentiu uma pontada na base da barriga, assustou-se mas logo passou.

 Sentou-se na cama empoeirada e devido a dor resolveu se deitar. Pegou no sono.

...

 - Sakura. – Sasuke adentrou a sala onde a rosada estava no hospital – Passei em casa e você não estava.

 - Eu vim pra cá cuidar da irmã da Hinata que está mal e a tempestade começou. – disse Sakura – Não consegui sair daqui, amor, me desculpe.

 - Fiquei preocupado. – disse o Uchiha colocando a Máscara da ANBU de lado – Passei na casa da Hinata e ela também não estava...

 - Nany? – Sakura o interrompeu mesmo sabendo que ele odiava isso – Hinata ainda não voltou?

 - Voltou de onde, Sakura? – perguntou o Uchiha irritado pela interrupção da esposa.

 - Ela saiu da vila pra colher uma erva que podia ajudar no tratamento da Hanabi. – disse Sakura preocupada – Kami-sama, Sasuke-kun, ela ainda está lá fora!

 - Por Kami, Sakura! – Sasuke virou as costas.

 - Onde vai? – perguntou a rosada sem entender.

 - Uma vez Naruto salvou minha mulher e meu filho. – disse ele parando na porta – Vou retribuir o favor.

 ...

A tempestade tinha passado quando Hinata acordou ainda com muita dor no quadril e na barriga, quando se sentou sentiu o terror tomar conta de si. Havia uma mancha de sangue no lençol, sangue fresco.

 Levou a mão até o meio das pernas e constatou que o sangue era seu, as pontadas na barriga continuaram e ela se deixou possuir pelo medo. Precisava sair dali, voltar a Konoha, mas se sentiu tonta e precisou se sentar mais uma vez.

 Devia gritar, mas quem a escutaria? Agarrou a barriga com força desejando ser apenas um pesadelo, mas não era, ela ao acordava, ela ainda estava ali perdendo o seu bebê.

 As lágrimas de dor se misturaram às de medo, ela já não sabia o que sentia, queria que Naruto estivesse ali, queria que ele gritasse com ela por ser uma idiota e se colocar em perigo. Naruto a odiaria por perder o filho deles ainda mais por pura imprudência.

 Ouviu o barulho de mil pássaros e raios quando um estrondo abriu um enorme buraco na lateral da cabana. Luz e neve invadiram a casa, mesmo que Hinata conseguisse chegar a porta não poderia abri-la pelo tanto de gelo acumulado na frente da mesma.

 Sasuke Uchiha adentrou a cabana suspirando aliviado por encontrar a morena.

 - Hinata. – disse se aproximando.

 - S-Sasuke-kun! – gemeu Hinata – M-Me ajuda... eu... eu o estou perdendo!

 Sasuke tirou a capa preta e a enrolou em Hinata, pegou a namorada do amigo no colo e saiu de lá.

 No meio do caminho a princesa do Byakugan perdeu a consciência.

...

Uma semana depois.

Hinata abriu os olhos lentamente, o excesso de luz fazia sua cabeça doer, passou a língua pelos lábios e sentiu a dor de pequenos cortes, sentia a garganta seca pedindo por água gelada. Respirou fundo se estabilizando, estava em um quarto de hospital e Naruto dormia em um poltrona ao seu lado.

 Quando teve um estalo, levou as mãos a barriga sentindo o pequeno inchaço.

 - Naruto-kun? – chamou com voz doce.

 Naruto acordou imediatamente em posição de ataque, ele estava em alerta.

 - Hinata, amor. – ele se aproximou da cama.

 Naruto não conteve as lágrimas ao ver a noiva acordada e aparentemente bem, segurou-lhe a mão desejando puxá-la para um abraço apertado e sufocante, mas a atual condição de Hinata não lhe permitia.

 - Por favor, por favor, me diga como ele está! – pediu Hinata já se entregando as lágrimas – Nosso filho, Naruto-kun!

 - Oe, oe. – Naruto tomou o rosto da amada nas mãos e secou suas lagrimas – Está tudo bem, você descolou a placenta minimamente, mas com o tempo e o chakra as Sakura-chan tudo voltou ao normal. Agora você precisa repousar e não pegar pesado.

 - Ele está bem? – perguntou Hinata.

 - Sim. – sussurrou Naruto.

 - Me desculpe, Naruto-kun, eu não sei no que estava pensando. – a morena abaixou o olhar.

 O loiro se inclinou para frente e beijou a noiva com suavidade.

 - Não vamos pensar nisso, ok? – sussurrou – Você só queria ajudar a Nabi...

 - Hanabi! – lembrou-se Hinata – Como ela está?

 - Ótima. – disse o namorado – A erva que colheu a ajudou. Ta tudo bem amor, tente descansar.

 - Naruto-kun... o casamento da Ino-chan! – resmungou Hinata – Eu perdi.

 - Claro que Não. – disse Naruto – Ino adiou o casamento, ela não se casaria sem você por perto.

 Os olhos de Hinata se encheram de água e ela voltou a chorar descontroladamente. Naruto Uzumaki se sentou na cama para abraçar a noiva.

 - Passou, Hina. – sussurrou – A tempestade passou.


Notas Finais


O que acharam pessoal?
Fortes emoções no proximo Cap
Comentem!


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...