História A princesa e o plebeu (um conto NaruHina) - Capítulo 31


Escrita por: ~

Postado
Categorias Naruto
Personagens Hinata Hyuuga, Kakashi Hatake, Naruto Uzumaki, Sakura Haruno, Sasuke Uchiha
Tags Byakugan, Hinata, Hyuuga, Naruhina, Naruto
Exibições 294
Palavras 1.170
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Ação, Drama (Tragédia), Famí­lia, Hentai, Romance e Novela, Violência
Avisos: Adultério, Heterossexualidade, Insinuação de sexo, Sexo, Violência
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Notas da Autora


Surpresa!
Dedicado a Lynne Hyuuga, essa fofa que me deu a ideia.
curtam o final dos arcos
Amanhã tudo volta ao normal.

Capítulo 31 - Predestinados


Fanfic / Fanfiction A princesa e o plebeu (um conto NaruHina) - Capítulo 31 - Predestinados

Dimensão 2

 Pela primeira vez a casa dos Namikaze ficou em silêncio, mas logo ele foi rompido por um grito agoniante de Hinata que agarrou a barriga que teimou em deixar de fora por toda a gravidez. Ela tinha simplesmente se levantado ao sentir um liquido quente escorrer por suas pernas, era água e formou uma poça no chão.

 - Você precisava ir no banheiro, amor? – perguntou Menma olhando a cena.

 Kushina acertou um tapão na cara do filho que o fez rodar, Minato colocou as mãos nos ombros da esposa.

 - Não seja idiota, Namikaze Menma! – gritou a ruiva.

 - Eu estou parindo, seu baka! – gritou Hinata gritando mais uma vez.

 - Kami-sama! – exclamou o loiro – Mãe, a bolsa!

 Menma começou a andar até a porta sozinho quando percebeu todos parados olhando pra casa dele.

 - Mais que porra, Menma! Eu não posso andar, seu dobe! – girou Hinata ainda segurando a barriga.

 - E eu tenho que te carregar no colo? – perguntou o loiro cruzando os braços.

 - Seu... Seu... Aaaaarrrgggghhhh! – gritou Hinata.

 - Não temos tempo pra isso, Minato leve Hinata pro hospital, eu vou depois com o bakayaro do nosso filho! – disse Kushina irritada.

 - Hai. – disse o loiro mais velho.

 Minato pegou Hinata no colo e usou seu jutsu teletransportador desaparecendo. Menma não teve reação, só dispertou quando Kushina o pegou pela orelha e o arrancou da casa. Mãe e filho correram por Konoha avisando aos conhecidos sobre o nascimento de mais um Namikaze.

 Adentraram o hospital de Konoha.

 - AAAAARRRRGGGHHHH! – ouviram Hinata – Onde está aquele filho da puta? Eu vou matá-lo!!!!

 Menma encontrou a namorada em uma maca e o pai, doce como sempre, tentava acalmar a nora.

 - Oe, pare de gritar! – disse Menma sem saco.

 - Como é? – perguntou a morena já encharcada de suor – Experimenta parir uma melancia pelo buraco de um limão, seu desgraçadp!!! Kyyyyaaaaaaaaa!

 - Hina, amor, nós sabemos que não é do tamanho de um limão, de uma manga talvez... – brincou o loiro.

 Hinata o agarrou pelo colarinho aproximando seu rosto do dela, a morena ativou seu Byakugan.

 - Está achando engraçado, Menma! ? – perguntou irritada e ofegante – Se eu soubesse que doía tanto nunca tinha dado pra você, seu dobe dos infernos! ARGH! Caralho!

 - Acalme-se, Hinata, eu sei que está doendo, mas... – começou Kushina num tom doce.

 - Ah cala a boca! – disparou Hinata – Sua voz me irrita!

 - Nany? – exclamou Kushina com os cabelos se partindo em nove – Pro inferno! Sua mal agradecida!

 - Kushina, meu amor, releve, ela está em trabalho de parto. – disse Minato sorrindo tentando amenizar a situação.

 - Você é mole demais, Minato. – a ruiva cruzou os braços.

 Hinata gritou mais uma vez.

 - Onde está a Sakura-chan? – perguntou Menma, entendiando.

 - Eu não quero aquela vadia rosa me tocando! – gritou Hinata respirando fundo – Chame outra! Por Kami, como eu te odeio, Menma! Você fez isso comigo, seu maldito!

 Enfermeiros vieram e levaram a maca pelos corredores, ao longe os três Namikaze ainda escutavam os gritos de “caralho” ou “porra”

 Foram para a sala de espera. Menma estava nervoso, mas não como a mãe que andava de um lado para o outro, ela estava irritada com as palavras de Hinata, mas Menma sabia que não duraria muito.

 Horas a fio se passaram e o hospital era cortado por palavrões e gritos juntamente com xingamentos para toda a equipe médica. Finalmente os gritos e palavrões pararam e se pôde ouvir um choro alto.

 Shizune se aproximou da sala, parecia frustrada, também pudera com tantos xingamentos. A morena suspirou.

 - Nasceu e é um menino. – disse a médica sem paciência – Agora pelo amor de Kami, vá atrás daquela garota antes que eu a esgane.

 Menma passou por ela e seguiu até Hinata. A morena tinha outra fisionomia, era mais serena e suave, algo tinha mudado, ela sorria para a criança em seu colo. Levantou o olhar para o loiro na porta e se permitiu chorar.

 - Menma, me... Me desculpe. – disse sorrindo – Eu me comportei mal quando estava com dor.

 - Está tudo bem, eu entendo e minha mãe também. – disse se aproximando – Nossa, ele é tão lindo.

 Hinata inclinou o bebê para que o pai pudesse dar uma boa olhada.

 - Fala oi pro papai, Boruto. – sussurrou Hinata.

 - Boruto, hein? – Menma sorriu – Que nome exótico! De onde tirou?

 - Me inspirei em certo herói. – disse a morena sorrindo.

Kushina e Minato adentraram lentamente e em silêncio, aproximaram-se da cama e começaram a chorar.

 - Olha, Minato, ele não parece muito com o nosso Menma? – perguntou Kushina afagando o neto.

 - Igualzinho. – disse Minato com ternura.

 - Kami-sama, eu sou um obaa-chan, ttebane. – disse Kushina abraçando o marido.

 - Hinata. – Menma afagou o rosto de Hinata – Eu amo você.

 - Eu também amo você, Menma-kun. – sussurrou Hinata embalando o filho – Amo vocês dois.

 

Dimensão 3

 - Naruko! Espere!

 A loira andava com raiva pela noite de Konoha, Hino a seguia querendo que ela parasse, Naruko tinha visto quando Kiba tentou beijá-lo e já tirara suas próprias conclusões. Eles tinham marcado de se encontrar, ele tinha algo importante pra dizer e ela também, mas foram interrompidos por um mal-entendido.

 - Amor, espera! – Hino pegou a loira pelo braço – E-Entendeu tudo errado.

 - Dattebayo! – ela se soltou – Eu entendi muito bem, eu já pedi pra se afastar da Kiba, aquela vadia só que dar pra você, Hyuuga Hino.

 - Ela é minha amiga, amor, pare com isso, por favor. – Hino afagou o cabelo da namorada – Eu amo você, Naruko, só você.

 A loira começou a amolecer, mas ainda relutava quando o namorado a abraçou com força. Naruko se sentia bem em contato com o Hyuuga, de alguma forma ela o pertencia tao intimamente que se perdia no limites de seus corpos, ainda mais agora.

 - Você queria me dizer uma coisa. – lembrou Hino.

 - Você também queria. – acusou Naruko corando.

 - A-Ah, é-é mesmo. – gaguejou o Hyuuga sentindo o estomago revirar – Vamos dizer juntos? No três?

 - Hai. – aceitou a loira se preparando.

 - Um.

 - Dois

 - Três!

 - Eu to grávida! – gritou a Loira fechando os olhos.

 - Quer casar comigo? – perguntou o moreno em tom alto.

 Os dois coraram de forma absurda e arregalaram os olhos.

 - Nany? – perguntou Hino num sussurro.

 - E-Eu vou ter um filho seu. – disse a loira abaixando a cabeça.

 - Ah, meu amor! – Hino pegou a namorada nos braços e começou a girá-la chamando a atenção dos outros em volta deles – Como eu estou feliz! Serei um Oto-san! Ah, Naruko meu amor! Mas... Você aceita se casar comigo?

 - Sim, mil vezes sim, Hino meu amor. – disse Naruko quando ele a colocava no chão – Eu amo você, Hyuuga Hino.

 - Eu também amo você, Uzumaki Naruko – sussurrou o moreno.

 Os dois se beijaram sob a luz cheia.

 

Dimensão 1

 Naruto, Hinata e Boruto tinham uma ótima e agradável noite sem saber que, em todos os lugares, em todas as suas versões, estavam predestinados a ficarem juntos.


Notas Finais


Gostaram? Bjos de luz!


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...