História A Princesa Fugitiva - Capítulo 5


Escrita por: ~ e ~logan1234

Postado
Categorias Bangtan Boys (BTS)
Personagens J-hope, Jimin, Jin, Jungkook, Rap Monster, Suga, V
Tags Bts, Jin, Jungkook, Namjin, Namjoon, Romance, Yaoi
Exibições 89
Palavras 1.992
Terminada Sim
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Comédia, Fantasia, Lemon, Romance e Novela, Yaoi
Avisos: Gravidez Masculina (MPreg), Heterossexualidade, Homossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Nudez, Sadomasoquismo, Sexo, Violência
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas da Autora


DEMORAMOS, DESCULPA. Não nos matem :c
Boa leitura ^-^

Capítulo 5 - Iemanjá


Escutei batidas na porta, pensei que fosse Hoseok me alertando do café da manhã, mas logo a porta se abriu sem autorização e vi Jungkook, compenetrando.

- Jin, o médico vai vir hoje com a análise da autópsia.

- Ótimo, que horas?

- Depois do café, que aliás estará pronto em 5 minutos.

- Vou me trocar e já desço. – Falei.

Mas Jungkook não saiu do meu quarto, ele se sentou em uma poltrona de veludo e perguntou:

- Você está bem, Jin? Anda tão abalado.

- Meu pai morreu, é claro que estou abalado! E não estou nem conseguindo dormir direito com você e o Jimin fazendo tanto barulho de noite... – Falei nervoso, mas estava mentindo, eu estou com o coração partido e o enjoo da gravidez que não me deixa em paz.

- Jin, eu te conheço, não é por isso, não meta Jimin nessa! Olha, você pode me contar o que está acontecendo. E a Sook e o Namjoon? Já está na hora de entrar em contato com eles... devem se importar com você!

- Eu cuido da minha vida pessoal. – Falei de modo indiferente, mas percebi que já era hora de falar com os mesmos, Jungkook estava certo.

Tirei minha camiseta do pijama e vesti roupas mais apropriadas para passar o dia lindamente. Ultimamente só estou vestindo preto, para simbolizar meu luto, e também para esconder meu ventre que crescia.

- Você engordou? – Perguntou Kook.

- Talvez, muito sorvete, sabe? – Falei e o garoto riu.

- Vamos tomar café logo, vem! Depois você vai ligar para seus amigos!

Não respondi e o segui até a cozinha, onde Jimin nos esperava.

~Namjoon on~

Não aguentava mais a dor na minha bunda, estava sentado na cadeira dura do hospital há 9 horas intermináveis, e nenhuma notícia de Sook. Yoongi estava andando de um lado para o outro, sem parar, impaciente.

A dor na bunda só não incomodava mais do que a dor no meu coração. Não me aguentava de saudades do Jin, sua companhia mágica, suas risadas de rainha, tudo dele, eu precisava dele, acho que eu o amo, mas não sei muito do amor... só sei que sou louco por Jin e faria qualquer coisa para tê-lo de volta. Porque ele não ligou? Que tipo de namorado ele é? Mas eu fui cruel com o mesmo. Também tive sonhos premonitórios e eu sei que cresce uma sereia no seu ventre, mas o fato disso ser verdade só me assustou mais. Nunca quis ser pai! Isso nunca esteve em meus planos!

Sook ficou meio que apagada por 2 dias, e agora ela acordará meio zonza, só sabíamos disso até agora e o médico não chegava com notícias! Escutei meu celular tocar, era Jin.

- Alô?

- Oi Namjoon... eu sinto muito não ter ligado antes... onde você está?

- Tudo bem, pelo menos ligou... mas tarde de mais, Sook está no hospital.

- O quê? O bebê nasceu?

- Bebê? Que bebê?

- Sook estava grávida! Mas faz pouco tempo, o que aconteceu?

- Acidente de carro...

- Que hospital vocês estão? Estou indo para aí agora!

~Jungkook on~

Avistei Jin saindo do palácio com pressa, eu o segui e perguntei onde estava indo, me ignorou totalmente, entrando no carro e indo embora. Que ótimo, agora vou receber o resultado da autópsia sozinho!

No mesmo instante, Jimin veio da cozinha e me abraçou por trás.

- Finalmente sozinhos... – Falou.

Suas palavras me animaram, mas logo vi Hoseok vindo com uma camareira pelas escadas, o que foi um incômodo.

- Não, não estamos. – Disse Jimin bufando.

- Senhor, desconfio que o médico vai atrasar. – Falou Hoseok.

- Por que acha isso?

- Na verdade, é apenas minha opinião. Você e seu namorado podem dar um passeio juntos, afinal esses médicos sempre atrasam e... – Hoseok não parava de falar e o interrompi.

- Senhor Hoseok, não é pago para dar opiniões.

Ele não conseguiu esconder seu ódio, mas se retirou obedientemente.

- Esse cara é muito estranho, mas é bonitinho. – Sussurou Jimin.

- Não podemos falar dele ou com ele dessa maneira, não é profissional... papai suportava ele demais, agora as coisas vão mudar, não irá durar muito aqui – Falo sussurrando.

- Adoro quando você é sério. – Fala Jimin rindo.

Ri de volta e escutei passos fora do palácio, abri as portas e pude ver um funcionário.

- Senhor, o médico está no portão. – Disse com firmeza.

- Deixe-o entrar. – Respondi.

O funcionário assentiu com a cabeça e se foi, logo o médico entrou. O ofereci um chá e o mesmo recusou.

Ele estava um pouco constrangido e com o tom de voz um tanto trêmulo.

- Pronto para os resultados? Devo dizer que são bem inusitados.

- Fale logo, por favor.

- Bom... ele morreu engasgado. Sua garganta estava bem machucada e foi encontrado... sêmen.

Fiquei sem reação, ele não estava falando sério.

- Nós mandamos o líquido encontrado para um laboratório e identificamos seu dono, chamado Jung Hoseok, conhecem?

- Desgraçado – Xinguei baixo. – Isso não é verdade! Esses resultados nunca foram encontrados! – Fali para não sujar a imagem de papai. Peguei o resultado. – Vá embora e o que descobriu nunca será revelado para ninguém.

Esperei o médico ir embora, me segurando de raiva e dei um soco na parede, que só machucou minha mão e aumentou minha angustia. Sai atrás de uma funcionária gritando.

- Cadê o filho da puta do Hoseok?

- Ele desapareceu senhor! – Respondeu.

Procurei por todo palácio e ninguém tinha sinal dele. Jimin que havia escutado tudo comigo, me alcançou.

- Acha que foi de propósito? – Perguntou curioso e eufórico.

- Não sei, só sei que precisamos avisar Jin! Ele não vai gostar nada disso...

                ~Quebra de tempo – Jin on~

Desesperado, estacionei o carro de qualquer jeito e corri hospital adentro, perguntando por Sook. Uma enfermeira loira veio me acalmar e sem sucesso, me levou a recepção.

Avistei Namjoon sentado nos assentos azuis e Yoongi andando para lá e cá, corri até eles.

Ao me ver, Namjoon se levantou e me abraçou, retribui o abraço, até aquele momento não havia percebido o quanto me faz falta e o quanto necessito de seus abraços.

- Como ela está? – Perguntei preocupado me soltando dele.

- Vocês são responsáveis pela senhorita Sook? – Chegou um homem, provavelmente seria o médico.

- Somos! – Suga respondeu. – Notícias?

- Tenho uma boa e outra ruim. – Falou tristonho. – A boa é que a garota está bem e poderá voltar para casa amanhã. – Ficamos felizes, Sook estava viva!

- E a ruim? – Namjoon perguntou receoso, esperando o pior.

- O bebê que ela carregava... não sobreviveu.

- Sook perdeu o bebê? Bebê? O meu filho?! – Yoongi se desesperou, sua feição era completamente decepcionada. - Quero vê-la, agora!

- O senhor pode ir, porém sozinho, todos no quarto dela pode ser demais e não queremos sobrecarrega-la. – Respondeu o médico, guiando Yoongi para o quarto onde Sook estava.

Sentei na cadeira bufando, e Namjoon sentou-se ao meu lado, segurando em minha mão.

- Sabe Jin, me perdoe... eu... eu tive um sonho, com nosso bebê!

- O quê? Sério isso, Namjoon? – Perguntei com os olhos brilhando.

- Sim! Eu deveria ter acreditado em você...

Suas palavras me encheram de amor e apoiei meinha cabeça em seus ombros, ele me acolheu em seus braços. Ainda estamos preocupados com Sook.

De longe, escutamos uns gritos de Yoongi:

- Não vou sair daqui! Podem me arrastar! Não vou deixar ela sozinha!

Alguns segundos depois, vimos o mesmo sendo empurrado por dois médicos para fora do hospital. Nos levantamos e o seguimos. Os médicos nos viram.

- Vocês não voltarão mais aqui nem a pau! Amanhã ela será liberada ás 9:30 e um de vocês virá buscar, depois disso, nunca mais vão pisar nesse estabelecimento! – Falou um deles.

O outro jogou Yoongi para fora brutalmente, e fechou a porta.

Se levantou e tentou entrar de novo, mas Namjoon o segurou.

- Vamos para o carro! Vem, vamos embora.

Peguei um braço do mesmo e Namjoon pegou o outro, o arrastando até o carro, ele não parava de se debater e gritar; isso que é amor...

O mais alto o jogou no bando de trás, fechou a porta e trancou o carro de modo mais rápido possível, então olhou para mim.

- Acho que tenho que o levar embora logo. – Disse.

- Eu posso busca-la amanhã, e vocês podem voltar para o castelo comigo, afinal, a praia é longe demais... – Falei, esperançoso. Queria tanto que Namjoon passasse um tempo comigo. Acho que estou emocional graças a gravidez.

- Tudo bem, se não for incomodar!  Acho que Yoongi não se importaria. – Disse indiferente.

- Ótimo, vamos.

Ouvimos a viagem inteira seu primo reclamar.

Quando chegamos, pude ver meu irmão sair furioso e um Jimin preocupado atrás do mesmo.

- Jin Hyung! Não acredita!

- O que foi dessa vez? – Pergunto saindo do carro e sendo acompanhado pelos outros.

- O resultado da autópsia saiu e eu sei o filho da puta que matou o papai. – Parou em minha frente. Me assustei, meu pai então foi assassinado!

- O que? Quem? Diga logo!

- Hoseok o engasgou enquanto estavam a meios de relações...

- ELE SE ENGASGOU COM O PINTO DELE? VOU MATA-LO, ONDE ESTÁ?

- Não sei, ele sumiu hoje mais cedo e não recebo sinais.

- Ele não pode sair impune! – Jimin diz cruzando os braços e bufando.

- Vocês já avisaram a polícia? – Perguntou Namjoon, meio constrangido.

- Sim, está todo mundo procurando por ele!

~Autoras on~

O dia passou lentamente e dolorosamente. Nenhuma notícia sobre Hoseok... Jin, em seu desespero de grávido e filho injustiçado, passou o dia deitado, perdido em pensamentos e colheradas de sorvete. Suga e Kook ficavam o dia todo sem comer, andando de um lado para o outro, afogados em tristeza e dúvidas. Mas por motivos diferentes. Jimin passou o dia tentando acalmar Jungkook, e tentando faze-lo comer alguma coisa, pois ficar sem se alimentar não é saudável. Namjoon, portanto, passou o dia comendo sorvete e admirando Jin. A gravidez o deixou mais bonito e com um brilho diferente, e para Namjoon, admirar a beleza de seu amado, era um prazer do qual não se cansava nunca.

Já bem tarde da noite, Kook veio falar com Jin.

- Jin, os jornalistas, a população... estão especulando sobre a morte do rei... várias histórias diferentes correm soltas por aí, estão dizendo até que foi suicídio e outros absurdos!

- Ah, espere um pouco e vão esquecer disso e inventar outros babados! – Falou Jin, cansado

- Vamos dar alguma coisa para eles falarem; uma distração! – Falou Namjoon.

- Você é tão esperto! – Disse Jin, admirado.

- Boa idéia! Vamos fazer uma festa! Uma festa de coroção do Jin, o novo rei! – Jungkook deu a dica.

- Vai dar o que falar. -  Jimin surgiu do nada.

Ficaram por meia hora conversando sobre o planejamento da tal comemoração, e Jungkook ordenou que avisassem a imprensa no mesmo instante.

Cansados então, foram cada um para os seus quartos, e nem se deram conta do sumiço de Yoongi, que dormia como um bebê no quarto dos empregados. No meio da tarde, uma das funcionárias, farta de escutar as lamentações e gritos do mesmo sobre sua namoradinha e seu bebê, ofereceu-lhe um chá misturado com calmantes secretamente.

~Jin on~

Me sentindo esgotado de não fazer nada e planejar um baile, decidi subir para o meu quarto, Namjoon me acompanhou e segurou em minhas mãos.

Entrei e me sentei na cama, suspirando. Namjoon, sem dizer uma palavra, se sentou ao meu lado e começou a cariciar minha barriga, beijando-a, o que me arrepiou e me fez deitar. Continou com as carícias, agora em todo meu corpo.

- E se machucar Ondínea? Sabe? – Sussurrei preocupado.

- Ondínea? Você já escolheu um nome? – Ri e afirmei.

- Ondínea é nosso presente de Iemanjá, e ninguém nem nada, tirará ela de nós. – Completou o mais novo, delicadamente.


Notas Finais


O que será que Hoseok foi parar hein? HSUAHS
Esperamos que tenham gostado <3 Beijos no kokoro.


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...