História A Prisioneira - Capítulo 1


Escrita por: ~

Postado
Categorias Shingeki no Kyojin (Attack on Titan)
Personagens Annie Leonhardt, Armin Arlert, Beast Titan, Bertolt Hoover, Connie Springer, Eren Jaeger, Erwin Smith, Hange Zoë, Historia Reiss, Jean Kirschtein, Levi Ackerman "Rivaille", Marcel, Marco Bott, Mikasa Ackerman, Personagens Originais, Petra Ral, Reiner Braun, Rod Reiss, Sasha Braus, Ymir
Tags Yumikuri
Exibições 17
Palavras 496
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Ação, Aventura, Drama (Tragédia), Fantasia, Ficção, Ficção Científica, Mistério, Poesias, Romance e Novela, Shonen-Ai, Shoujo-Ai, Survival, Suspense, Universo Alternativo, Violência, Yaoi, Yuri
Avisos: Adultério, Álcool, Bissexualidade, Canibalismo, Drogas, Estupro, Heterossexualidade, Homossexualidade, Incesto, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Mutilação, Nudez, Sexo, Spoilers, Suicídio, Tortura, Violência
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Notas da Autora


ACHEI. Achei o bloquinho onde tinha escritos os primeiro caps da fic. E como prometido vou postá-la.
A história é sim yumikuri mas vai ter alguns caps de introdução
espero que vcs gostem dessa viaji da minha cabeça ;)

Capítulo 1 - Renasço


Fanfic / Fanfiction A Prisioneira - Capítulo 1 - Renasço

“Escuro... quente...

Quem são essas crianças?

O que fazem aqui?”

 

Minha mão se aproxima dos três meninos. Seus dedos calejados, suas garras sujas. Minha mão, meu monstro, eu monstro. Eu pego um dos meninos e o aproximo do meu rosto. Já tinha visto aquela expressão de pânico que as pessoas fazem quando estão prestes a serem devoradas e não resta mais nada além do medo.

É isso que sou:um monstro, vagando pelo mundo esperando minha inútil existência acabar.

Um jovem forte e loiro com óculos redondos vem e segura as outras duas crianças. Uma era um garoto pálido de cabelos pretos, apenas ficava pasmo, segurando a mão do homem e me encarando. Com o outro braço o rapaz se esforçava para segurar um menino loiro com o rosto vermelho cheio de lágrimas, ele estendia a mão em minha direção gritando desesperadamente:

-MARCEL! MARCEEEL!!!

O estranho é o fato de eu ter parado pra observá-los tão bem. Por anos, minha vida se baseava em borrões. Também estranhava o fato do cara ficar ali parado, nem correr nem nada. Como se ele soubesse que estou satisfeita. Isso também é novo pra mim... “satisfação”. Esse garoto que eu devorei... ele é diferente, tem gosto de... liberdade.

Saio correndo usando minhas pernas e meus braços, como um animal. Até uma floresta com árvores gigantes. Me sentia fraca... Um titã menor apareceu e tivemos uma interação considerada normal pelas minhas experiências de vida. Ele urrou, eu urrei, eu arranhei a cara dele, ele soltou vapor pela cara e se curvou, eu urrei de novo pra intimidá-lo e fazê-lo me respeitar)

Me sentia cada vez mais fraca, caio no chão e me sinto diferente. Como se pudesse mexer partes do meu corpo que eu não sabia que existiam. Andar com minhas próprias pernas, enxergar com meus próprios olhos. E agora está ficando frio e eu me desprendo daquele monte de carne. Eu me desprendo de MIM MESMA!?!

Saio da ossada do meu antigo eu, cambaleante. Caio no chão, vomito, choro, grito. Como um bebê que acabara de nascer, estranhando a luz, estranhando o mundo. Estou perdida, não sei o que fazer. Olho para minhas  mão, que agora são pequenas e enrugadas. O que eu sou? Nada de músculos, nada de garras... como vou me defender?

Ótimo, agora só me falta ser devorada por um titã! Falando em titã... ele continua lá me olhando. È o meu fim. Vou tentar fazer algo, soltar o urro que eu fiz da última vez. Foi uma tentativa fracassada, pois quando abri a boca, apenas saiu um grito fraco e rouco. Mesmo assim ele se curva:

-Ymir-sama.

Ymir... sama? Quem é essa tal de Ymir que ele respeita tanto? É melhor eu fingir ser ela. Aceno positivamente com a cabeça e ele estende a mão. Para que eu suba no ombro dele. Aponto em um direção e ele saiu correndo, chega até as muralhas. Eu já tinha passado por aqui, mas nunca tão perto...

P.O.V. Ymir off


Notas Finais


Foi muito difícil expressar o ponto de vista de o que passa na cabeça de um titan shifter dentro de um titã. E eu tbm queria expressar todo o drama da crise existencial dela

E aí? Gostaram? :)


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...