História A prisioneira - Capítulo 10


Escrita por: ~

Postado
Categorias Once Upon a Time
Personagens Emma Swan, Regina Mills (Rainha Malvada)
Tags Drama
Visualizações 184
Palavras 1.022
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Drama (Tragédia), Mistério
Avisos: Álcool, Drogas, Incesto, Insinuação de sexo, Nudez, Sadomasoquismo, Sexo, Spoilers, Tortura, Violência
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Capítulo 10 - A viagem


Fanfic / Fanfiction A prisioneira - Capítulo 10 - A viagem

-  Uma semana havia se passado desde o dia que Regina saiu do hospital, neste meio tempo organizei toda a nossa viagem para o Brasil.  A parte mais difícil, foi convencer a toda poderosa Mary Margaret Blanchared que Eu e Regina precisamos de um tempo a sós, somente Eu e minha  Babby. –Graças a Deus Papai ajudou a convencer mamãe, a nós deixar ir para o Brasil. Sem a sua ilustre presença, é nítido que mamãe não gosta de Regina.  Na verdade, nunca gostou de nem uma namorada minha. Mas, com Regina é demais. – Nesta semana, me aproximei mais de Regina. Conversamos assuntos que nunca poderia imaginar que um dia conversaria com uma namorada. – Porém, com Regina tudo é diferente/intenso.  - Ao seu lado me sinto bem, uma áurea positiva em meu coração. – Descobri que minha Babby foi abandonada assim que nasceu, e nunca conheceu seus pais. A única pista que tem é um colar com um pingente de maça, escrito Cora Mills e Regina no verso. – Tudo o que mais quero e desejo, é fazer Regina feliz e amada. – Revelamos segredos  uma para outra. E pela primeira fez, revelei um sonho meu para uma namorada. Que é ter uma família, casar e ter muitos filhos. – No mesmo momento que contei meu sonho de ter uma família para Regina, seus olhos se encheram de lágrimas. – Minha única reação foi abraçar seu pequeno corpo, e deixar que as lágrimas caíssem de seus olhos. Tudo o que Eu queria naquele momento, era aliviar a dor que Regina estava sentindo.  - E prometi para mim mesma colocar os melhores investigadores, e descobrir o paradeiro de seus pais.  – Quero descobrir onde está “Cora Mills”

- Finalmente chega Sexta-Feira, o dia de nossa viagem.  – Ajudei Regina a preparar suas malas, é a primeira vez que sai do pais. – Depois das malas prontas, ficamos o restante do dia deitadas na cama assistindo um filme romântico com um balde de pipoca com manteiga e Bacon. – Finalmente chega à noite!  - E como despedida, mamãe providencia um jantar para toda a família. – Observo como Mamãe olha para Regina, e isso me incomoda. Graças a Deus, o jantar acontece naturalmente.  – Depois do jantar, o segurança que Papai contratou. Conduz Eu e Regina até o aeroporto, ao pegar na mão de minha Babby, sinto como está gelada e tremula.  – É nítido um medo em seus olhos, negros cor de amêndoas.

-O que Você tem? – Está com dor? – Quero que seja sincera Regina!

- Está tudo bem Swan! – Eu estou com um pouquinho de medo. Pois, nunca entrei em um avião. Na verdade, nunca viajei para fora do pais.

- Está tudo bem Babby! – Eu estou com Você, não precisa ter medo.

Entramos no avião, e seguro na mão de Regina passando toda a confiança que existe dentro de mim. – Não tenha medo, logo estaremos no Brasil. - No caminho, Regina dorme. E observo como a morena ao meu lado é linda, de uma beleza inigualável. – Somente de imaginar minha vida sem Regina, sinto um aperto dentro de mim, uma angustia que me consome. –Antes de Regina Mills aparecer em minha  vida, todos os dias eram negros e cinzas. Como  uma tempestade cheia de raios e trovões.  - Eu só pensava em morrer, querer acabar com a minha própria vida. Nada estava bom para mim. –Eu só queria dormir e não acordar nunca mais. – Porém, desde que Regina entrou em minha vida. Consigo ver o arco Iris no céu, ouvir os pássaros cantando. E o melhor de tudo, o que o dinheiro não paga. É saber que tem alguém que me ama, e me espera todos os dias em casa. – Novamente olho para Regina, e ouço sua voz rouca que me faz perder os sentidos da sanidade.

- Swan! – Por que está me olhando assim?

- Quero que fale Swan desde modo em meu ouvido, gemendo pelo meu nome. No momento que colocar minha boca em seu clitóris. – Fala Emma, sorrindo e beijando os lábios carnudos de Regina.  

- Quero fazer amor com Você, assim que chegar no apartamento.

-Isto é um desejo Regina?

- Quero marcar a nossa chegada com chave de ouro!

- Seu pedido é uma ordem, minha Rainha.

Depois de Horas, o avião pousa na cidade do Rio de Janeiro no aeroporto Santos Dumond. - Onde seguimos viagem para Copacabana em um apartamento com vista para o mar. – Eu e Regina nos encantamos pela cidade, principalmente pela enorme praia. – Assim que chegamos no apartamento, subimos para o quarto com vista para o mar. – Regina corre para a varanda, e me chama toda sorridente.

- Emma! – Venha ver o mar.

Assim que chego na varanda, me deparo com  a imagem do lindo corpo esculpido de Regina Mills nua me olhando.

- Me faça sua mulher, de corpo e alma Swan. – Fala Regina que vai até Emma, beijando seus lábios, onde  param apenas em busca de ar para os pulmões. – A partir desse momento Regina e Emma, não se responsabilizam pelos seus atos.  – O beijo continua, e cada vez mais o clima se esquenta. – Em menos de segundos, Regina e Emma estão deitadas na enorme cama de casa. O único som que se ouve são os gemidos de Regina, chamando por Swan em sua voz rouca e sensual. –Neste momento o relógio para, o tempo congela, e só existe Emma e Regina em todo o mundo.  - Não estão transando, vai muito mais além. É a união de dois corpos  e alma que se amam ...  - Os gemidos de Regina aumenta conforme os dedos, língua e boca de Emma percorre o clitóris da morena, que fecha os olhos mordendo os lábios, cheio de amor e desejo. – A cada toque de Emma, os gemidos de Regina aumenta e só para quando seu corpo chega ao orgasmo. – Ambos os corpo estão soados, e para refrescar, tomam um delicioso banho de banheira com bastante espuma e pétalas de rosas vermelhas.  Que é regado com muitos beijos, e abraços. – Depois do banho, Regina e Emma colocam uma camisola e vão para a varanda, onde deitam nunca rede e ficam admirando a imensidão do mar.



Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...