História A procura de uma nova vida - Capítulo 9


Escrita por: ~

Postado
Categorias Originais
Visualizações 4
Palavras 1.047
Terminada Sim
LIVRE PARA TODOS OS PÚBLICOS
Gêneros: Colegial, Escolar, Festa, Mistério, Romance e Novela, Suspense
Avisos: Álcool, Violência
Aviso legal
Todos os personagens desta história são de minha propriedade intelectual.

Notas do Autor


Desculpem nunca mais ter publicado mas aqui vai mais um capítulo.

Capítulo 9 - Quem te bateu?


Quando chegaram a casa Margarida estava preocupada com o irmão pois ele não tinha dito nenhuma palavra o caminho todo e não tiravam o capuz da cabeça, ela achou estranho pois sempre que sai da escola ele tirava logo. Ele na escola preferiu usar o capuz.

Ele na escola antiga era daqueles rapazes populares que tinha qualquer rapariga aos seus pés mesmo sendo novo, mas agora na escola nova não queria fazer amigos nem arranjar namoradas pois sabia que a qualquer momento podia ir embora.

-Os nossos irmãos devem estar quase a chegar por isso temos que começar a dividir as tarefas. – Disse Sara.

-Não posso fazer nada hoje, tenho o trabalho com o Francisco. – Disse Margarida.

-Eu posso fazer o jantar. – Disse o João.

-Eu faço as camas para eles. – Disse o Rodrigo.

-Eu ponho a mesa. – Disse o Tomé.

-Eu vou busca-los. – Disse Sara.

-Eu vou contigo. – Disse Miguel acompanhando-a à porta.

-Mano podes só vir comigo ao quarto. Precisamos de falar. – Disse Margarida.

João e Margarida saíram da sala, subiram as escadas e entraram no quarto de Margarida.

-Que se passou Mana? – Perguntou João.

-Quem te bateu? – Margarida fez uma expressão séria para João.

Enquanto isso na sala…

-Que será tão importante para não poder dizer à nossa frente? – Perguntou Miguel para o grupo de pessoas que lá se encontravam.

-O seu passado? – Disse Sara.

-Não. – Disse Tomé bastante seguro da resposta.

-Então o que foi? – Perguntou Rodrigo.

- Hoje vi um grupo de pessoas a bater e a chamar nomes ao João.

-Quem? – Perguntou Sara preocupada.

-É melhor não dizer… - Disse Tomé.

-Diz logo. – Insistiu Miguel.

-Os vossos irmãos e mais uns amigos deles. – Disse Tomé baixando o tom de voz.

No quarto o irmão de Margarida não lhe queria contar o que se passou mas acabou por ceder.

-Eu cheguei à sala de aula hoje e estava um grupo com umas 4 raparigas e 4 rapazes. Eu sentei-me na mesa do fundo da sala. A dada altura percebi que estavam a falar de mim e começaram a mandar bocas por eu estar de capuz e a dizerem que eu devia ser um nerd muito feio para nem sequer querer mostrar a cara. Eu não liguei. Só que no intervalo eles vieram ter comigo e começaram-me a dar muros na barriga e um na cara e depois fugiram.

Margarida estava chocada, como é aquilo podia estar a acontecer com o irmão e logo no primeiro dia de aulas dele. Margarida abraçou o irmão.

A campainha tocou, Margarida tirou o capuz ao irmão e foram para baixo, quando lá chegaram estavam duas raparigas da idade do João (Carolina e Rafaela) e o rapaz também da mesma idade (Diogo).

João ao ver aquelas 3 pessoas reconheceu-os logo.

-Pessoal vou então tratar do jantar. – Disse João tentando fazer com que ninguém reparasse nele.

-Pera ai. – Disse Sara.

-Sara agora não. Depois resolve-mos. – Disse João, ele já sabia o que ela queria falar com ele.

-Não é depois é agora. – Sara agarrou-lhe pelo braço.

Enquanto isso Margarida não estava a perceber nada da situação.

-Margarida estes são os nossos irmãos e a minha irmã Carolina, a Rafaela é irmã do Rodrigo e o Diogo irmão do Miguel. – Disse Sara.

-Prazer. Mas o que tens para resolver com o meu irmão?

-Acho melhor ser ele a explicar. – Disse Tomé.

Fez-se silêncio naquela casa.

-Que se passa João? – Perguntou Margarida.

João continuava sem responder.

-João?! O que se passa?! Explica-me. – Insistiu Margarida.

-Nós sabemos quem andou a bater no teu irmão e temos que resolver isto. – Disse Rodrigo.

-Os nossos irmão devem ter algo a dizer… - Disse Miguel.

-Eu não tenho nada a disser. – Disse Rafaela.

-Nem eu. – Disse Diogo.

Carolina não respondeu e baixou a cabeça.

-Carol?! – Perguntou Sara.

-Desculpa…

-Que?! – Sara esta incrédula.

-Desculpa João. – Disse Carolina.

-Agora acho que outras duas pessoas tem algo a disser. – Disse Tomé.

-Desculpa João… - Disseram Diogo e Rafaela me coro.

-Podem explicar o que estão aqui a fazer? Nós é que vos íamos buscar. – Disse Rodrigo mudando de assunto.

-Apeteceu-nos vi sozinhos. – Disse Diogo.

-Algum problema? – Perguntou Rafaela.

-Parece que os meninos querem um castigo…vocês os dois vão fazer e arranjar as camas e o quarto e tu Carol vais ajudar o João com o jantar. – Disse Miguel.

-Porque é que ela fica com o trabalho mais fácil? – Perguntou Rafaela.

-Primeiro, porque não nos respondeste, e segundo, porque foi a primeira a perceber que cometeu um erro. – Disse Rodrigo.

-Agora vão tratar disso. – Disse Sara.

Nesse momento Margarida mandou uma mensagem ao Francisco a pedir se podiam fazer o trabalho em casa dela e ele respondeu que sim.

Sara e os rapazes tentaram falar com Margarida sobre a atitude dos irmãos mas Margarida tinha demasiadas coisas para resolver do que a estupidez de uns putos de 14 anos. A partir dali ia andar mais atenta ao irmão. Passados uns dez minutos de Margarida ter mandado a mensagem Francisco apareceu para fazer o trabalho. Acabaram rápido mas a parte mais difícil estava para vir.

- Precisamos de conversar. – Disse Francisco.

-Não há nada para conversar…aquele beijo foi um erro eu sei. Esquece, seguimos em frente. Eu sei que não és rapaz de compromissos não te preocupes eu também não, por isso tudo bem. – Disse Margarida.

Ao dizer isto Margarida saiu do quarto e Francisco ficou perplexo a olhar para ela, não pensou que ela fosse do género de raparigas que só quer curtir mas ele deixou.

Enquanto isso na cozinha…

-Desculpa pelo que te fizemos, eu sei que fui parva. Mas naquela escola para tu seres popular tens que levar os outros ao chão. – Disse Carolina.

-Não necessariamente. – Disse João.

-Como assim?

-Também podes ser popular ajudando todos não chamares nomes a ninguém tinhas muito mais gente gostando de ti.

-Isso não é assim tão fácil os meus amigos são todos assim. Se eu mudar eles não me irão aceitar.

-Então é porque não são teus amigos verdadeiros.

Quando João acaba de disser isso entra Rafa e Diogo na cozinha.

-Carolina estás a interagir com o nerd. – Disse Rafaela.

-Não! Achas?!

-Só acho é que ele é bem mais gato sem o gorro. – Disse Rafaela.

-Se o tirasses e fosses menos nerd até podias não ser gozado. – Disse Diogo.

-Mesmo assim ia continuar o mesmo estranho. – Disse Carolina.

João colocou o frango no forno e disse:

-Esperava mais de ti Carolina.

-O que queres disser com isso nerd? - Disse Carol indignada, ela sabia que tinha que reagir daquele jeito enquanto os outros estavam lá também.

-Mais vale nerd do que facilmente manipulável. - Ao dizer isto João saiu da cozinha deixando Carolina mal por o ter tratado assim.


Notas Finais


Se gostarem metam nos favoritos e cometem para eu saber se devo continuar


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...