História Profecia entre Mundos I - Capítulo 1


Escrita por: ~

Postado
Categorias Originais
Personagens Personagens Originais
Tags Fofo, Romance, Yaoi
Visualizações 208
Palavras 1.104
Terminada Sim
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Ação, Aventura, Comédia, Drama (Tragédia), Fantasia, Ficção, Ficção Científica, Lemon, Luta, Magia, Mistério, Misticismo, Romance e Novela, Saga, Shonen-Ai, Sobrenatural, Suspense, Universo Alternativo, Violência, Yaoi
Avisos: Homossexualidade, Insinuação de sexo, Mutilação, Tortura, Violência
Aviso legal
Todos os personagens desta história são de minha propriedade intelectual.

Notas do Autor


Hey, você que está chegando!
Aproveite a fic, e eu amo quando vocês comentam, dá para eu ter ideia das emoções de vocês ai ao decorrer da história, então, se puder, comentem!
Vamos interagir!

;) ♡☆

Capítulo 1 - Capítulo 1


Fanfic / Fanfiction Profecia entre Mundos I - Capítulo 1 - Capítulo 1

O passado

Capítulo 1

 Faltam quatro dias, quatro dias para o início das férias. Deixar a mesma rotina diária de sempre, e finalmente, sair da sétima série.

 Ao contrário dos outros garotos, Anthony Walker não se preocupa com suas notas, nem em tentar não fazer algo de errado. Costumando ficar mais na dele, às vezes esquece do mundo quando começa a ler um de seus livros. Assim como está fazendo agora.

- Anthony?- tomou um susto quando Martin, o garoto ruivo de cabelos encaracolados e olhos verdes que sentava na carteira ao seu lado nas aulas, o chamou.- Desculpe se te assustei.- Ele riu.- É que as aulas terminaram.

- Oh! Tudo bem.- sorriu para ele.- Eu estava concentrado nos livros. Obrigado, Martin.

- Por nada.- ele sorriu de volta para Anthony, pegou suas coisas na sua carteira e saiu.

 Olhou ao redor da sala de mármore com aspecto antigo e viu que estava sozinho, novamente, ele sempre passa do horário...

 Se levantou de sua carteira, já retirando seus óculos de leitura e os guardando. Olhou seu reflexo na janela espelhada e arrumou com os dedos seu cabelo castanho que estava meio bagunçado, guardando seus livros e materiais na mochila logo após. Colocou sua mochila azul nas costas e saiu da sala, indo para os corredores cheios de gente, em direção à saida.

- E aí, Anthony?- um dos meninos do clube de esportes que estava encostado em um dos armários gritou do seu grupo com um sorriso.

- Beleza?- respondeu Anthony sorrindo.

- Thony, tenta não se afogar nesses livros!- disse uma menina do clube de música.

- Não prometo nada!- respondeu ele de volta.

 Até a saída, foi um longo corredor de acenos, sorrisos e risos, as pessoas costumam achar Anthony Walker uma pessoa agradável e simpática, até o consideram amigo.

 "Amigo", Anthony havia tido um, o nome dele era Cristopher. Ele fora muito especial para o garoto, e era seu melhor amigo.

 Conhecia ele desde que se entendia por gente. Cristopher possuía olhos de um cinza característico e cabelos negros que se destacavam em sua pele clara, semelhante a de Anthony. Cris, como era chamado, era como um irmão mais velho, sempre o protegendo dos garotos mais velhos que tiravam sarro de Anthony por ele sempre ficar lendo e evitar as pessoas. Porém, isso mudou, já faz três anos desde que Cristopher sumiu sem cerimônias, deixando Anthony sozinho. Para dois amigos que viviam juntos e tinham até um esconderijo secreto, a separação foi rápida e estranha demais.

 "O esconderijo secreto."- pensou Anthony- "Não vou lá desde que ele sumiu, simplesmente desapareceu sem sequer me dizer algo, até sua casa estava vazia quando fui procurá-lo.''- Desde o ocorrido Anthony pôs em sua cabeça que ele tinha se mudado e o abandonou, assim como os outros.

 Quando percebeu, estava parado de costas para os portões de ferro da escola, viajando em pensamentos, de novo. Balançou sua cabeça algumas vezes para dispersar seus pensamentos, então tomou uma decisão, iria ao esconderijo secreto, ele fica na floresta do lado Oeste do Parque das Rosas, um parque próximo a sua casa, onde seus pais costumavam o levar quando mais novo. Pegou sua bicicleta vermelha que estava estacionada em um poste ao lado da escola e foi pedalando pelo meio da rua, aproveitando a ausência de veículos. Já era final de tarde e o contraste do Sol com as folhas das árvores deixava tudo com um toque mágico. Até que de relance, Anthony notou um brilho no lado direito do seu campo de visão, parou bruscamente a bicicleta e Ultimamente, ele vinha tendo essas percepções estranhas, inclusive dedusira que seria algum problema de vista. Voltou a pedalar virando à esquerda , estando agora em uma estrada de barro, a bicicleta tremia devido ao chão não apropriado, e Anthony percebeu que faltava pouco para chegar, ele já podia ver os pinheiros.

                ════════ஜadg ஜ════════

 Chegando na entrada da floresta de pinheiros, Anthony deixou sua bicicleta estacionada na grade do Parque das Rosas e seguiu andando até uma trilha. O chão era cheio de folhas secas e conforme chegava no início da trilha a quantidade aumentava. Foi em direção à placa de turismo que dizia: "Siga pelo caminho da direita".  

 Foi para a esquerda.                                      

 Anthony e Cristopher não seguiam muitas regras...

 Seguiu o caminho que ele estava acostumado, pensando em como ele teve que criar uma reputação boa o suficiente para que as pessoas o respeitassem e o deixassem sozinho ao mesmo tempo, depois do sumiço de Cristopher. Não é que não pensasse que não valia a pena ter amigos de verdade, só queria ser ele mesmo, e talvez, ser ele mesmo não agradaria muito aos outros. Só queria que o apoiassem e não o deixassem.

 Parou de pensar, ele estava cercado por pinheiros e quando ouviu o som de água, soube que estava perto. Andou mais um pouco e chegou na pequena clareira que ele e Cristopher antes chamavam de esconderijo, pelo fato de que ninguém além deles sabiam sobre aquele lugar.

 Era uma clareira incomum e muito bonita, eles a tinham encontrado no dia em que fizeram um piquenique. Haviam dito aos pais que bricariam próximo ao rio, até que decidiram seguir o curso d'água, no final havia uma cachoeira que desaguava em uma clareira, onde a grama tinha um verde vívido e era unicamente macia.

 "Que lugar incrível!"- dissera Anthony, no momento em que encontraram a clareira.

 "Ninguém nunca deve ter vindo aqui, para continuar assim tão intocado."- dissera Cristopher, então ele rapidamente se virou para Anthony com seus olhos gris brilhando.- "Esse será nosso segredo. Nosso esconderijo!"

 Anthony assentira animadamente.

 Eles tinham avistado também, mais para o centro da clareira, dois pinheiros entrelaçados e no dia seguinte, prenderam balanços para os dois nos galhos, e todos os dias à tarde, eles ficavam nos balanços, sempre Cristopher no esquerdo e Anthony no direito, conversando e brincando.

 Voltando para o presente, Anthony estava olhando para a cachoeira, observando como a àgua caia, se lembrando do que ele tinha presenciado naquele lugar. Se virou e foi em direção aos pinheiros entrelaçados, onde ficavam os balanços, e se assustou ao ver apenas um dos balanços intactos, o direito. O esquerdo, o que Cristopher antes costumava ficar, havia partido e estava abandonado e esquecido na grama.

 Anthony foi devagar até o balanço caído e o olhou fixamente, a madeira e as cordas que já estavam corroídas das chuvas e do abandono.

 Suas pernas fraquejaram, e sem aguentar mais, caiu na grama, colando suas pernas junto ao peito e abraçando-as, chorando, enquanto ainda olhava o balanço caído.

- Por que?- perguntou-se baixinho


Notas Finais


Se gostaram, deixe seu comentário, para ver se continuo. <3

Vejo vocês depois!


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...