História Profecia entre Mundos I - Capítulo 12


Escrita por: ~

Postado
Categorias Originais
Personagens Personagens Originais
Tags Fofo, Romance, Yaoi
Visualizações 79
Palavras 840
Terminada Sim
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Ação, Aventura, Comédia, Drama (Tragédia), Fantasia, Ficção, Ficção Científica, Lemon, Luta, Magia, Mistério, Misticismo, Romance e Novela, Saga, Shonen-Ai, Sobrenatural, Suspense, Universo Alternativo, Violência, Yaoi
Avisos: Homossexualidade, Insinuação de sexo, Mutilação, Tortura, Violência
Aviso legal
Todos os personagens desta história são de minha propriedade intelectual.

Capítulo 12 - Capítulo 12


Fanfic / Fanfiction Profecia entre Mundos I - Capítulo 12 - Capítulo 12

Capítulo 12

- Bastian, já entendi que você gostou bastante de pizza e...

- Agora só vamos comer isso.

- Você parece minha mãe. Quando ela fazia algo novo para comer e percebia que meu pai e eu gostávamos ela só fazia aquela coisa por um mês até eu e meu pai reclamarmos e ela criar outra coisa e ciclo se reiniciar de novo.

- Mas é muito bom.

 Já era tarde e Anthony ensinou do que era composta uma pizza, explicou que era redonda, mas demorou muito pra explicar para Bastian o que era cada ingrediente, já que a única comida humana que ele conhecia era o biscoito.

- Apesar de que, o que você fez não tinha gosto de pizza, mas estava bom.- riu Anthony, que estava sentado de pernas cruzadas no chão.

- Eu não conheço os ingredientes de seu mundo, então imaginei os dos meus.- Bastian estava na mesa, escrevendo em um pergaminho.

 Anthony se levantou e foi até Bastian, se sentando em uma cadeira ao lado dele.

- O que está escrevendo?- perguntou Anthony olhando para o pergaminho.

 Os símbolos pareciam uma espécie de alfabeto do mundo de Bastian e era composto por várias formas complexas de caligrafia, poderiam ser comparadas com hieróglifos.

- Como se faz uma pizza.- disse Bastian.

- É brincadeira não é?

- Não.

- Sério?

- Não.

- O que é então?

- Anotações sobre minha vinda a esse mundo.

- Ah, aquilo de você se perder.

- Sim...- Bastian pareceu meio em dúvida.

 Anthony olhou para a gargantilha de Bastian que estava em cima da mesa, então a pegou, analisando-a.

- Eu não conheço esse tipo de metal.

- Isso é porque não é um tipo de metal. É um tipo de material que só os celestes possuem, no entanto, os pingentes do seu cordão são feitos com esse material.

- Bastian, você sente falta de Mercenia?

-Não exatamente.

- Tem alguém esperando por você lá? Família?

 Bastian pareceu pensativo.

- Eu nunca tive uma família, eu nem sei como é ter uma família. Os Celestes novos são criados e treinados por aqueles que ele irão substituir depois.

- Mas o treinamento é como uma criação?

- Criação?- Bastian riu com desdenho.- Pelo menos para mim não, meu antigo tutor me torturava, me colocava em situações inimagináveis de sofrimento, que se um humano passasse por elas já estaria morto. Engraçado, que só o meu tutor fazia esse tipo de coisa, os outros discípulos ficavam satisfeitos com seus mestres.

- Bastian, por que você não disse aos outros?

- Eu disse, mas eles me ignoraram, me desprezaram, porém, isso foi antes de eu me tornar rei.

- Por quanto tempo você sofreu?

- Até ele desvanecer, a maior parte da minha vida, que você sabe que é longa.

 Anthony olhou atentamente para Bastian, sabia que as palavras que ele estava falando viam carregadas de raiva, mas Anthony conseguia notar um tom de tristeza entre tanto ódio. Bastian pegou a gargantilha de Anthony.

- Isso não é só uma gargantilha, eu lhe disse que só Celestes possuem esse material, todos os Celestes tem pelo menos um objeto com esse material, nossos tutores que fazem esse objeto para nós, e nós temos de usá-lo para lembrar que eles não chegaram a onde estão sem o conhecimento passado. Os outros discípulos agora são meus lordes, e todos tem um objeto, pode ser uma arma, um acessório, um colar, mas o meu foi essa gargantilha, que na verdade não é uma gargantilha, é uma outra coisa.- Bastian entregou a gargantilha para Anthony apontando para um dos detalhes de olhos.- Pressione esse olho.

  Anthony percebeu que aquele detalhe do olho em especial era diferente dos outros detalhes que rodeavam a gargantilha, e quando pressionou o olho, suas mãos tremeram.

- Uma coleira...- Anthony estava tremendo e tentando não imaginar pelo o que Bastian passara.

  O olho que Anthony havia pressionado fez a gargantilha se expandir um pouco e liberar uma grossa corrente por uma alça que tinha emergido.

- Desse jeito meu mestre me controlava.

- Por que você ainda usa isso?

- É para eu me lembrar que aqueles que me fizeram mal me fizeram mais forte.

 Anthony pressionou o olho novamente e transformou a coleira na gargantilha de antes, colocando-a em cima da mesa.

- Não sabia que você tinha passado por tudo isso.

- Ninguém sabe.

 Anthony ficou em silêncio.

- Anthony, você é a primeira pessoa a saber do meu passado.

 Anthony tentava segurar as lágrimas.

- Também é o primeiro a precisar de mim, o primeiro a me tratar com consideração. Eu sou muito grato.

 Anthony se levantou até Bastian e o abraçou pelo lado direito, temendo machucá-lo.

- Você não vai mais se sentir desse jeito, eu prometo.

- Obrigada, Thony.- Bastian o abraçou de volta.

 Talvez fosse mais fácil para Bastian se ele não tivesse se apegado tanto a Anthony, agora ele estava questionando se deveria mesmo seguir com aquilo, mas ele não tinha escolha, tinha de voltar.



Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...