História A Proposta - Capítulo 9


Escrita por: ~

Postado
Categorias Eliane Giardini
Personagens Eliane Giardini
Exibições 40
Palavras 1.032
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Comédia, Famí­lia, Festa, Romance e Novela
Avisos: Álcool, Heterossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Nudez, Sexo
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Capítulo 9 - Na Editora


Narrado por Marcelo

Fabiana ligou o carro e seguimos até a editora. No meio do caminho ela não pronunciou nada estávamos em total silêncio.

- Fabiana porque se feriu ontem? Perguntei meio receios o não sabia qual seria sua reação.

- nada Marcelo, já passou eu estou bem não tenho nada. Ela falou com a voz serena.- vamos passar no cartório e marcamos a data do nosso casamento.

- está bem, realmente fiquei preocupado contigo.

- você deveria se preocupar com sua vida e deixar que dá minha eu cuido. Ela falou áspera.

- daria meu dedinho mindin para saber qual o seu problema, pra mim você é louca.

Ela freiou o carro com tudo. Achei que iríamos capotar.

- eu louca? Você tenta me abusar e me chama de louca??? Saiba que fiquei assim por sua culpa viu? Sua!. - ela estava muito alterada.

- minha???? Por favor, seu problema não é comigo que eu sei. Seu problema é com o mundo, sabe o que você é ?

 O que? -sua voz era ameaçadora.

-uma desequilibrada e bipolar isso é caso de psiquiatra 

- eu vou larga a mão na sua cara. Você não me conhece pra fazer conclusões meu respeito. Ela falou alterada.

- me de uma chance de te conhecer, me conte por que agiu assim ontem, talvez eu possa te ajudar.

Ela soltou uma gargalhada e seguiu para o cartório lá marcamos nosso casamento no sábado daqui 15 dias pela manhã. Saímos do cartório e fomos direto para a editora.

Entramos em nossa sala e cada um foi pro seu devido lugar 

.

Narrado por Fabiana 

Meu telefone que se encontra em minha mesa tocou, eu prontamente atendi.

Era a lesada da minha secretaria, ela me informou que duas jovens queria falar comigo mais só falaria o assunto para mim e não iriam sair daí até eu atende - las. 

Ordenei que deixa - se elas entrarem.

Foi o que fizeram as duas entraram e se a sentaram em minha frente. Confesso que gostei da ousadia de ambas.

- Olá bom dia Fabiana  é um prazer ver a senhora, nossos suas fãs número 1.

- o que querem falar comigo?

Disse seria, elas se olharam e uma começou a dizer.

-  bom nós sabemos que aqui na sua Editora público alvo de vocês são os mais experientes a classe adulta Eu e minha amiga que somos formados em publicidade e propaganda sabemos que essa área é muito difícil de entrar mas fizemos por amor a essa profissão mesmo gostamos de escrever e somos escritores só não temos a chance de sermos reconhecidas estava pensando se a senhora aceitaria lançar o nosso livro?

- só por curiosidade, qual o assunto do livro de vocês? 

-"como fazer qualquer homem querer um compromisso ".

A outra falou.

Gargalhei, não consegui segurar,Marcelo me olhava com reprovação e as outras duas jovens me olharam se entender nada jamais lançaria  um livro em minha editora para jovem e adolescente jamais.

- escuta. 

Disse parando de ri. 

- acha mesmo que lançaria uma idiotice Dessa? 

-porque não?  Marcelo se entrometeu onde ninguém chamou ele.

- porque a editora  não trabalha com público jovem e não tenho enteressada em lançar essa novidade Marcelo.

- Fabiana você nem leu o texto delas. Marcelo me confrontou na frente das piralhas. Isso me irou.

- Marcelo cala a boca ! Não se entrometa onde ninguém te chamou.

- tudo bem senhora, podemos deixar nosso contato e as folhas do nosso livro? Caso mude de idéia a senhora nos procura. As meninas   sorriam disfarçando seus encomodos por estarem no meio de uma discussão.

- está certo moças qual o nome de vocês?  Bruna e Karl a. 

Elas falaram para o Marcelo sorridentes e saíram da sala me comprimento do muito simpáticas.  Disfarcei e comprimentei elas tentando ser simpática.

Quando elas saíram eu fuzilei Marcelo com os olhos que estava com a porcaria do texto das moças lendo.

 me levantei com muita raiva fui em direção a mesa do Marcelo para ir em sua frente tomei o texto da mão dele com muita raiva ele apenas me olhou.

- Escuta aqui pro teu governo quem manda aqui dentro sou eu você não tem o direito de me humilhar como você acabou de fazer passando por cima das minhas ordens esse texto não vai ser publicado porque eu não quero você não ia frontE.

Disse isso apontando o dedo em sua cara eu estava vermelha de raiva.

- você nem leu o texto não deu chance das meninas mostrarem pelo menos  que tem talento para ver se pelo menos vale a pena lançar elas são jovens aqui na Editora Nós só temos escritores de idade. precisamos avançar, ternovidade E por que não alcançar o público jovem essas meninas me pareceram muito inteligente só pela forma que elas vieram aqui falar contigo. Vamos sai da rotina.

Marcelo falava muito convicto e profissional, mais eu estava com muita raiva da sua ousadia só não o mandaria embora porque tenho o tal casamento pra cumprir.

-não estou interessada nisso, estamos bem não precisamos inovar nada. Eu não vou laçar  e pronto.

- eu vou ler e se eu achar que você deva lançar  você vai lançar. Ele falou praticamente me dando uma ordem.

-ABUSADO. Não tente passar por cima de mim ! Eu não vou lançar!  Quem da a palavra final sou eu seu verme.

Falei gritando com ele. Estava com o sangue fervendo. 

 Marcelo se levantou da cadeira com muita pressa e veio em minha direção meu coração começou acelerar, eu fui dando passo para trás enquanto ele vinha em minha frente.

- cadê aquela valentia toda agora a pouco Fabiana? 

Ele perguntou praticamente em cima de mim.

- se eu achar que você deva lançar você vai lançar.

Ele me apertou pela cintura.

- sabe Fabiana você está precisando ser domada, sua crista é muito grande, eu sei bem como domar uma fera feito você. 

Ele encostou seus lábios no meu iniciando um beijo calmo e prazeroso.

Mais uma vez a anta aqui se entregou ao Beijo. 

Nos beijamos por um bom tempo ele beijou meu pescoço minha bochecha e encostou seu corpo mais no meu.

Esse homem é fantástico, seu beijo é involvente, ninguém nunca me aprontou dessa forma e eu no fundo gostei.

Enquanto me beijava senti seu perfume delicioso.

Logo  o empurrei de leve o olhando e sorri fraco para ele.

- agente precisa trabalhar. Falei doce.




Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...