História A protegida - Capítulo 5


Escrita por: ~

Postado
Categorias Jigoku Shoujo
Personagens Ai Enma, Honne-Onna, Ren Ichimoku, Wanyuudo
Tags Amor, Drama, Enma Ai, Jigoku Shoujo, Luta, Magia, Maldição, Triste
Exibições 6
Palavras 974
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Ação, Artes Marciais, Aventura, Colegial, Comédia, Drama (Tragédia), Ecchi, Fantasia, Ficção, Ficção Científica, Harem, Hentai, Luta, Magia, Mistério, Romance e Novela, Shoujo (Romântico), Sobrenatural, Super Power, Survival, Suspense, Terror e Horror, Universo Alternativo, Violência
Avisos: Canibalismo, Estupro, Heterossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Mutilação, Nudez, Sadomasoquismo, Sexo, Spoilers, Suicídio, Tortura, Violência
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Capítulo 5 - Borboleta confusa


Fanfic / Fanfiction A protegida - Capítulo 5 - Borboleta confusa

Abriu a porta de seu apartamento com Enma ainda em seu colo. Sentiu o cheiro do jantar sendo feito, provavelmente Tsuyu havia ficado para se certificar de que ele não havia sido dispensado, afinal, prometera a ela que não iria ser. Colocou a pequena criança no chão e pegou sua mão, se direcionando a cozinha. Olhou para Tsuyu que estava de costas, preparando a comida. Ainda se perguntava por que ela se preocupava tanto com sua saúde, já que ele mesmo não se importava.

_ Ah! Olá, como foi na sala...

Ela se virou e começou a falar, mas parou ao constatar a presença de alguém novo o cenário.

_ Quem é essa linda criaturinha? Olá, minha linda...

Ela se abaixou para falar com a criança, mas se assustou ao ver a coloração escarlate dos olhos da menina. A menina se escondeu atrás de Ren, mas não parecia assustada, como se já estivesse acostumada a aquele tipo de reação das pessoas a sua volta.

_ Bom, como você pode ver, eu não fui dispensado, mas recebi uma missão especial...

O rapaz começou a falar, mas foi interrompido.

_ Não me diga que esta é a sua missão especial?

Tsuyu disse, apontando para a criança, com um sorriso zombeteiro nos lábios.

_ Eu tenho que mata-la...

Ele respondeu, deixando sua preocupação á mostra. Tsuyu ficou em silencio por algum tempo.

_ Mas... ela é só... uma criança! Deve ter no máximo seis anos.

_ Sete... eu tenho sete anos.

A criança respondeu em voz baixa e pausada. O silencio reinou por mais alguns minutos até que Tsuyu pediu para que Ren a seguisse para conversarem em particular. Assim que colocaram os pés na pequena varando do apartamento, ela começou a falar.

_ Isso é impossível, a instituição num mandaria matar uma criança de sete anos! O que exatamente houve naquela sala?!

Ren hesitou em responder. Não sabia se podia contar sobre sua missão especial a Tsuyu, mas, a contraponto, ela era sua parceira de missões e sua melhor amiga, seria desrespeitoso dize-la que não podia contar sobre a criança. Porém, como um sinal para que ele não contasse, o celular de ambos tocaram e eles já sabiam o que era. Ichimoku pegou sua espada e se direcionou a porta, juntamente a Tsuyu, porém se deteve ao perceber que esta se esquecendo de alguém: Enma não podia ficar ali sozinha, ela era apenas uma criança. Olhou para Tsuyu, mas a mulher não perecia ter nenhuma intenção de olhar Enma enquanto Ren lutava. Suspirou, sabendo o que teria que fazer. Pegou Enma no colo e caminhou até fora do apartamento.

_ O que você esta fazem, vai leva-la para o campo de batalha?! Isso é muito perigoso Ren!

_ Você tem alguma ideia melhor?

_ Fique e deixe que eu cuido do youkai.

_ Não mesmo! Você não aguenta sem mim, assim como eu não aguento sem você! Por que acha que somos parceiros de luta?! Onde é a missão?

Tsuyu hesitou, mas falou de uma vez.

_ Não é longe daqui, me segue!

Tsuyu correu na frente e Ren a seguiu. Realmente o youkai não estava muito longe dali, estava em um templo abandonado ali perto, mas isso era ruim pois o vizinhos de Ichimoku poderiam reconhece-lo enquanto estivesse lutando. Olhou atentamente para o youkai, reconhecia aquela espécie, era um Nuppeppo. Aquela espécie era muito perigosa e se irritava fácil, causando destruição por onde passava. Colocou a menina no chão.

_ Quero que você se esconda ali e não saia a menos que eu te chame, ok?

Ren apontou para uma área onde havia muitas arvores, ela era muito pequena e esguia, o youkai nunca iria vê-la ali. Tsuyu já havia começado a luta, mas parecia estar só distraindo o monstro para que Ren escondesse Enma. Ichimoku desembainhou a espada, estava pronto para lutar.

" Apesar dele ser grande, isso vai ser fácil!" Ichimku pensou com um sorriso de escarnio.

_ Ah! Só mais uma coisa menina...

Ela se virou novamente para Enma que estava atrás de alguns arbustos.

_ O que?

Ela perguntou.

_ Feche os olhos e abaixe a cabeça. Não olhe a menos que eu lhe chame. Seja qual for o barulho que escutar... não olhe!

O olhar de Sentarô tinha um brilho de diversão. Dito isso, ele correu ao encontro do youkai. A luta não durou muito, pois ele e Tsuyu eram muito habilidosos quando o assunto era matar youkais. O corpo do youkai morto se desfez como pó ao vento, era isso que acontecia sempre com os corpos. Ren se apoiou da moita onde Enma havia se escondido, mas ela não estava lá.

_ Tsuyu, a Enma sumiu!

Ele disse em completa preocupação.

_ Como assim sumiu?! Onde ela poderá estar?!

Tsuyu levou as mãos até as bochechas em surpresa a noticia.

_ Droga! vamos no separar e procura, ela não deve estar longe.

_ Ok!

Eles se separaram e Ren adentrou as arvores para ver se ela não tinha se escondido mais a fundo nos arbustos e arvores. Após alguns minutos andando, Ren ouviu um barulho estranho.

_ Enma?

Chamou, mas não obteve respostas. Saiu de dentre as arvores e finalmente avistou Enma. A criança estava sentada ao pé de um poste de iluminação, apesar da luz, seu rosto estava escondido pelo escuridão.

_ Enma? Já acabou, podemos ir.

Ele a chamou, mas ela perecia entretida com outra coisa. Chegou mais perto e percebei que ela sussurrava algo bem baixinho, como se conversa-se com alguém. Parou para escutar a conversa de Enma e se assustou com o que ouviu:

_ Me deixe em paz! Eu não quero falar com você!

Ela dizia em voz de choro. De repente, parou e ergueu o rosto, como se para prestar atenção no que alguém dizia a ela. Aquela cena fez Ichimoku arrepiar-se por inteiro.

_ Mate ele... ele esta mentindo pra você... mate-o logo... ele já te enganou uma vez... ele condenou a sua alma... mate-o! Você é minha pequena borboleta confusa...

Ren conseguia ouvir alguém ou algo sussurrar para a menina que tomava expressão cada vez mais atormentada.


Notas Finais


Banzai 
Um Nuppeppo é um espírito que aparece nos templos em ruinas ou em cemitério durante o entardecer. Aparentemente ele é um monte de carne podre ambulante


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...