História A protegida - Capítulo 6


Escrita por: ~

Postado
Categorias Jigoku Shoujo
Personagens Ai Enma, Honne-Onna, Ren Ichimoku, Wanyuudo
Tags Amor, Drama, Enma Ai, Jigoku Shoujo, Luta, Magia, Maldição, Triste
Exibições 7
Palavras 972
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Ação, Artes Marciais, Aventura, Colegial, Comédia, Drama (Tragédia), Ecchi, Fantasia, Ficção, Ficção Científica, Harem, Hentai, Luta, Magia, Mistério, Romance e Novela, Shoujo (Romântico), Sobrenatural, Super Power, Survival, Suspense, Terror e Horror, Universo Alternativo, Violência
Avisos: Canibalismo, Estupro, Heterossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Mutilação, Nudez, Sadomasoquismo, Sexo, Spoilers, Suicídio, Tortura, Violência
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Capítulo 6 - Terra do sol poente


Fanfic / Fanfiction A protegida - Capítulo 6 - Terra do sol poente

Ren desebanhou a espada e ficou em posição de ataque, olhando para todos os lados.

_ Deixe a menina em paz, seu youkai covarde!

Ichimoku estava ofegante e sentia arrepios incontrolaveis percorrendo todo o seu corpo. Nunca sentira aquela sensação antes, pelo menos não tão forte como agora.

" Essa sensação... isso é medo?" Perguntou-se Ichimoku

Uma risada estridente se fez ouvir.

_ Não importa quanto tempo passe, você continua o mesmo... o mesmo Sentarô de sempre...

Ouviu o voz de uma mulher. A voz era conhecida, mas Ren não conseguia lembrar de quem era.

_ Quem... quem esta falando... mostre o rosto!

O rapaz sentia um aperto no coração inesplicavel. A menina levantou lentamente de onde estava e começou a caminhar para perto de Ren.

_ Enma, o que esta...?

Em um movimento rapido Ren deviou do ataque surpresa de Enma. A menina estava com garras enormes e seus olhos estavam de um vermelho florescente, estava evidentemente possuida por algo.

_ Você me prometeu Sentarô... prometeu que iria cuidar de mim...

Enma disse enquanto andava combaleando em direção a Ren. A voz da menina não era mais a de uma criança e sim de uma mulher triste e amargurada.

_ Você... sinto que conheço essa voz. Se é algum youkai que eu matei, não seja covarde e pare de usar uma pobre criança como isca!

Ren gritou já com raiva da situação. A menina o atacou com as garras em investidas rapidos e o feriu no abdomen, porém o cote não foi tão profundo.

" Mais um pouco e minhas tripas seriam arrancadas! Quem diabos é esse youkai e por que ele parece me conhecer?!" Ren pensou.

_ É hora de pagar pelo que você me fez! Eu matarei você...

De repente, a menina caiu desacordada. Tsuyu apareceu de subito.

_ Encontrou-a...! Mas por que ela esta desmaiada?

A mulher quis saber, mas Ren parecia muito assustado para responder.

_ Ichimoku, você esta bem? O que houve? Você esta muito palido!

Ren sentiu tudo rodar e a escuridão caiu sobre sua visão.

                                                                                  ***

_ Agora já chega! Quero saber que tipo de criança esta menina é!

Tsuyu limpava o ferimento de Ren nervosamente.

_ Olha o que ela fez em seu abdomen! Ela certamente estava tentando lhe matar, mais um pouco e suas tripas vazariam para fora de seu corpo! Uma criança não teria força pra fazer isso Ichimoku! Quero saber o que ela é e agora!

Ela concluiu. O rapaz apoiou o queixo em uma das mãos, tomando expressão de uma criança pirracenta.

_ Isso não foi nada Tsuyu! Além do mais, já passou, ela agora esta dormindo, não representa risco algum.

_ E você vai ter coragem de dormir sabendo que ela pode levantar a qualquer momente e te matar?!

_ Tsuyu, por favor, não exagere!

A mulher suspirou e sentou ao lado do futon, de costas para ele.

_ Eu não sei... não entendo por que eu ainda insisto... parece que você não liga se vive ou morre... as vezes eu até penso que você não esta nem aí pra nada... nem pra mim...

Gotas cairam no tatame. A jovem mulher levantou-se sem se virar, escondendo o rosto nas sombras e em seus cabelos, e começou a caminhar.

_ Tsuyu...

Ren a chamou, porém ela continuou a caminhar

_ Tsuyu... por favor... eu me importo com você, desculpe se fiz parecer que não.

Ela parou por um instante ao ouvir as palavras do rapaz, mas logo voltou a caminhar em direção a saida.

_ Amanhã... eu tenho que ir... mas amanhã eu volto.

Ichimoku sorriu.

_ Obrigada, não sei o que eu faria sem você!

Ele sabia que ela só estava indo embora para não ter que dar o braço a torcer tão rapidamente. Obescervou enquanto a mulher saia do apartamento. Apos se certificar que Tsuyu havia partido, deitou em seu futon para dormir.

Algumas horas mais tarde, acordou no meio da madrugada com os gritos de Enma. Correu para o quarto sem nem mesmo pegar sua espada que ficava sempre debaixo de seu futon, caso precisasse dela com urgencia. Ren precisou firmar os olhos para não pensar que esta alucinando. O que havia no futon estendido sobre o tatame não era mais uma criança de sete anos e sim uma pré-adoslescente com, no minimo, doze anos de idade que se contorcia de dor. Pegou-a no colo, não entendia o que estava acontecendo, mas já sabia a quem recorrer.

                                                                                ***

Em outra dimensão...

O belo youkai estava sentado no tatame de uma grande sala. Olhou para a luz do por-do-sol que entrava pela porta aberta.

_ A terra do sol poente... já fazem mil e duzentos anos que vejo esse mesmo sol no mesmo lugar. Não deixa anoitecer e nem volta ao centro do céu para fazer novamente a tarde. Ele não se move nem um sentimetro... é tão frustrante!

_ Não reclame... você não pode negar que, mesmo que fique todo o tempo assim, esse por-do-sol eterno é fascinantemente bonito, não importa quantas vezes eu olhe, sempre fico maravilhada com a visão deste cenário.

Foi interrompido por uma voz feminina, mas a esnobou.

_ Fico feliz que esteja contente em estar presa nesse mundo, porém eu prefiro sair daqui e concluir o meu plano.

_ Mas ficar irritado não vai leva-lo a saida deste mundo.

Ela disse calmamente.

_ As vezes te odeio por ter tanta calma.

Ele sorriu sedutoramente.

_ Um de nós tem que ter paciencia...

Ela sorriu sarcasticamente, porém ele tomou expressão séria e pensativa.

_ No que esta pensando?

Ela perguntou. Ele a olhou e voltou a sorrir, mas dessa vez era um sorriso sombrio e maldoso

_ Quando eu voltar, não vai ser como da ultima vez, farei questão de matar Sentarô pessoalmente. Terei Jigoku Shoujo em minhas mãos e então a "Instituição" vai pagar por tudo o que nos fez.

_ Eu sei que vai... E eu estarei ao seu lado para assistir a ruina do Japão e, depois, do resto do mundo.

Ela sorriu amorosamente para ele que retribuiu com um beijo leve.

_ Sim... O mundo será forçado a se render a grandeza e superioridade dos youkais.



Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...