História A quarta filha de Michael Jackson - Capítulo 23


Escrita por: ~

Postado
Categorias Michael Jackson, Originais
Personagens Michael Jackson, Personagens Originais
Visualizações 58
Palavras 1.956
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Ação, Artes Marciais, Colegial, Comédia, Drama (Tragédia), Famí­lia, Festa, Musical (Songfic), Poesias, Romance e Novela, Shoujo (Romântico)
Avisos: Álcool, Linguagem Imprópria, Nudez
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Capítulo 23 - Pensamentos obscuros


Michael, Prince e Ivo dormiam em um sono gostoso antes do almoço.

Até dois seres no andar de baixo começarem a gritar brigando.

Michael levantou e saiu correndo para ver oque acontecia, ao chegar separou a briga física que estava tendo entre Blanket e Becky.

Colocou Blanket em uma poltrona e Becky em outra e perguntou.

- Oque está acontecendo aqui?.

Os dois começaram a falar juntos, Michael pediu silêncio.

- Calados por favor!, Paris você que estava aqui, sabe oque aconteceu?.

A menina se aproximou do pai e começou a falar.

- A Becky estava brincando com o Blanket, ai do nada Becky começou a dizer que esse boneco era dela e o Blanket dizer que era dele, ai acabaram aí deitados no chão se batendo!.

Michael suspirou e anunciou.

- Sabem que eu não gosto desse egoísmo entre vocês, eu sempre deixei bem claro que nada é "seu" e sim de "todos", dividir faz parte da vida!, 15 minuto de castigo abraçados vai!.

Blanket e Becky bufaram e se abraçaram, ficaram congelados igual a uma estátua por 15 minutos sendo monitorados por Michael.

Os irmãos já choravam, Michael pediu.

- Agora podem soltar e sentar aqui para podermos conversar sem gritos e brigas?.

As duas crianças limparam as lágrimas e se sentaram no sofá a frente do pai, Michael acariciou os rostos dos dois e disse com sua voz mais baixa e serena que o normal.

- Não quero que isso se repita, estou...muito bravo com vocês!.

Michael no fundo estava fazendo um draminha para ver se os filhos estavam mesmo arrependidos.

Deu certo, pois as duas crianças se sentiram mau e pediram desculpas um para o outro e para o pai.

Michael aceitou, e disse.

- Podem voltar a brincar agora!, sem brigas por favor!.

As duas crianças assentiram e voltaram a brincar.

Michael ouviu uma risada vindo da cozinha, o astro foi mais rápido do que um vampiro atrás da voz já tendo certeza de que era Paris falando no telefone com o "Zé bundão" do Victor ( Apelido que Mike tinha escolhido para o genro ).

Michael nunca foi um homem violento e que gostava de dar uma de Galvão Bueno e ficar gritando feito louco.

O homem fazia apenas caretas que os filhos já tinham noção de seu desagrado.

Desde quando seu primeiro filho Prince nasceu ele jurou para si mesmo que o dia em que ele escostace um dedo para bater em qualquer criança ele se aposentava dos palcos e nunca mais teria contato com oque ele mais ama "Crianças".

Ao chegar a cozinha Michael estava controlando a raiva que subia por sua espinha, cruzou o braço com tanta força que seus músculos do braço tremiam, Michael mordia o lábio inferior e balançava a pena direita para frente e para trás.

Paris não tinha notado a presença do pai na cozinha então ao se despedir do namorado disse.

 " Tchau, te amo mais que tudo...não Não eu amo mais, ai vai desliga você...não já falei desliga você...Tabom, juntos!".

Assim que Paris desligou o celular ouviu uma pigarreada do pai atrás de si, quando olhou percebeu que a cara de Michael não estava das melhores.

O homem revirou os olhos e pegou na mão da menina e com delicadeza foi puxando para o andar de cima.

Ao entrarem no quarto de Paris ,Michael soltou sua mão, bufou e disse.

- Eu quero fazer um jantar para conhecer esse seu namorado e os pais dele!.

A menina disse apenas.

- No caso é só o pai dele!.

- Tabom, aqui sou só eu também!.

- Mas o pai dele anda muito ocupado, ele é ator!.

- Eu conheço?.

- Johnny Depp!.

- Com certeza deve ter um tempinho para um simples jantar para tratar de negócios!.

- Negócios?, eu não sou papel papai, eu sou um ser humano!.

- Mas é minha propriedade, eles vão ter que assinar um papel!.

- Papai...você já tomou seu remédinho hoje?.

- Eu não tomo remédio algum!.

- Pensei que tomasse, porque as vezes você parece um lunático, infantil e possessivo!.

- Não estou gostando do jeito e nem do tom que está falando comigo mocinha!.

- Que pena, não gostou então me manda para casa da Debby!.

- Não diga asneiras!.

- Para de me rondar Michael, isso já está ficando chato!.

- Você vai ficar me desafiando mocinha?.

- A verdade dói Michael Jackson?.

- Eu vou tomar uma providência quanto a esse desrespeito comigo, eu sou o seu pai, nunca lhe fiz mal algum, nunca toquei um dedo em você para lhe agredir, nunca gritei com você, porque está fazendo isso comigo minha filha?.

- Porque você é chato e possessivo, eu não sou seu objeto para ser sua propriedade Michael!.

- Eu sou seu pai, Porque está me chamando de Michael?.

- Porque esse é seu nome, Michael!.

- Não gosto do jeito a que está se referindo a mim, não gosto do tom de voz que está me direcionando!.

- Para de me perturbar, eu estou crescendo, aceita que dói menos!.

- Você tem 12 anos, com 12 anos crianças nem sabem o que é namorar!.

- Michael, os tempos mudaram!.

- Paris, isso é um absurdo!, você está de castigo e a partir de amanhã você e seus irmãos estudam em casa!.

Paris bufou e entregou o celular, Notebook e disse:

- Posso ficar com o meu IPod pelo menos, para ouvir música?.

- Não, você merece ficar sem tudo!.

A menina bufou e entregou ao pai.

Assim que Michael saiu do quarto Paris atirou um vaso na parede, Michael entrou e disse.

- Limpa isso...AGORA!.

Paris se tremeu de medo por dentro e rapidamente tratou de limpar.

Michael entrou em seu quarto, o seu bebê dormia no berço e seu menino mais velho em sua cama.

Escondeu os pertences da filha em uma caixa trancada em seu closet.

Michael percebeu que o bebê tinha acordado.

Deu um banho, vestiu a fralda e uma roupinha de frio já que estava ameaçando chover.

O sininho avisando que o almoço estava pronto tocou.

Paris e Prince do andar de cima desceram e Michael acomodou o bebê em um bebê conforto.

Todos comeram em silêncio até Prince perguntar.

- Oque houve papai?, você e Paris brigaram ?.

Michael suspirou e disse.

- Tenho uma notícia para vocês, a partir de amanhã voltam a estudar em casa!.

Ao contrário do que Michael esperava, não houve barulho algum, ninguém protestou.

POV Prince.

Na mesa do almoço meu pai e Paris não pareciam felizes, quando perguntei oque era papai anunciou oque ele queria fazer a muito tempo.

" Colocar eu e meus irmão presos em uma jaula mais conhecida como ensino em casa".

Nem eu nem meus irmãos mais novos protestamos, Porque todos nós sabemos que o papai não faz nada para o nosso mal, ele apenas quer o nosso bem.

E se realmente houver um motivo para isso, eu confio no meu pai, ele sempre tem razão.

Se engana quem pensa que o Michael Jackson dos palcos é o mesmo de casa.

Papai nos palcos é o astro, O rei do Pop como todos o apelidam, nos tabloides chamam ele de "Jack o louco".

Tenho pena destes que pensam tudo isso do papai, papai já sofreu muito na infância e tenta dar um mundo melhor para mim e para os meus irmãos, ele trabalha duro e exige que trabalhemos duro como ele.

Ao contrário do que um tabloide Inglês disse, papai é um homem muito responsável, apenas balançou Blanket na janela para apresenta-lo para o público mas não deu muito certo Porque a emprensa caiu em cima dele, até ameaçar a tirar a nossa guarda dele ameaçaram.

O Michael Jackson de casa não era o astro do pop,e sim um pai solteiro, dedicado aos filhos, carinhoso, atencioso e tudo mais.

Papai toda Páscoa leva várias crianças não importa o tom de pele e classe social para a caça aos ovos no campo de Neverland.

Todos os anos no Natal papai doa mais de sei la quantos bilhões para hospitais públicos e orfanatos.

Eu sempre quis ser como o meu pai, papai pensa que as crianças são a chave para um novo mundo, acha que toda criança merece muito amor, carinho e uma mente bem estruturada e compreensiva para mostra-las o caminho certo a se seguir, longe de drogas não lícitas.

Meu pai é o meu orgulho, pena que Paris não enxerga nada além do mundinho cor de Rosa dela.

Sempre foi assim, todas as vezes que Paris era contrariada por alguém dizia um bando de besteiras, gritava e fazia pirraça.

Eu que sempre fui muito observador via que isso afetava muito o meu pai, papai ficava sem comer direito a dias e tinha um olhar triste.

A Paris sempre foi o ponto fraco do meu pai, pois ele se culpa por não achar o erro que ele cometeu na criação dela.

Mal sabe o papai que tem coisa que vem da Pessoa e não dá criação que elas tem, se Paris da uns ataques de Pirraça a culpa não é dele, e sim dela pois faz parte de seu caráter.

POV Paris.

Se eu me sentia mal por ter dito todas aquelas barbaridades para o papai?.

"Sim".

Sempre me perguntei oque eu tinha na cabeça para quando ficar com raiva de qualquer coisinha fazer pirraça e dizer besteiras para o meu pai, ou avó, irmãos, tios e todas as pessoas que me amam e eu consequentemente amo também.

Durante o almoço papai lançava olhares dolorosos para mim, seus olhos refletiam dor e apreensão.

Parece que todas as vezes que me olhava queria conferir se eu ainda estava ali.

Depois do almoço ele me mandou subir para o quarto para o meu castigo que era exatamente, passar dias da minha vida trancada no quarto sem TV pois ele cortou a TV a cabo do meu quarto, sem ouvir música pois ele levou meu IPod, sem ver fofocas na Internet porque papai levou meu iPED e o meu Notebook, e sem me comunicar com ninguém porque pegou meu celular.

Oque me restava era pegar um bom livro e ler.

Comecei a ler Harry Potter e a pedra filosofal.

Eu já tinha comprado a saga toda mas nunca tinha parado para ler.

POV Michael.

Depois do almoço mandei Paris ir para o quarto para cumprir o castigo dela.

Peguei Ivo no colo e comecei a dar mamadeira andando pela casa.

Enquanto andava pude observar Bebé vendo Bob esponja na TV, seu sorriso era tão puro.

Minha garotinha já ia fazer 7 anos, ela era sorridente, amorosa, obediente, inteligente e linda, não é por ser minha filha mas ela é linda demais.

Acho a coisa mais fofa quando ela me acorda de madrugada dizendo " Papai, tô com medo posso dormir com você?".

Confesso que eu estou me preparando ainda para quando ela perguntar " Cadê a minha mãe pai?".

Eu sei que um dia ela vai perguntar isso, e eu não vou mentir, mas e se ela me culpar por eu nao ter procurado ninguém da familia da mãe dela?, e se ela me odiar por isso?.

Oque eu vou dizer?, a verdade não é uma coisa muito amistosa, vou chegar e dizer

 " A filha, eu não gosto de dividir a guarda dos meus filhos porque gosto de cria-los do meu jeito, tanto que paguei Debby Rowe para deixar a guarda dos seus irmãos mais velhos para mim já que eu sabia que ela era uma descompensada infermeira que vivia em boates, e por isso também que preferi uma barriga de aluguel para gerar o Blanket porque novamente eu não queria dividir a guarda!".

Eu estava tão perdido em pensamentos que nem percebi que Becky estava me olhando com os olhos de preocupação, eu sorri e ela perguntou.

- Aconteceu alguma coisa papai?.

Eu suspirei e disse.

- Não, tá tudo bem com o papai!.

Ela sorriu e disse.

- Então porque está chorando?.

Nesse momento me sentei ao seu lado, dei um beijo em sua bochecha ela me deu outro e ainda preocupada perguntou.

- Tem certeza que está tudo bem papai?.

- Só uns pensamentos que deixaram o papai meio triste sabe!.

Ela sorriu e disse.

- Quais pensamentos papai?.

Eu pensei bem e perguntei.

- Se o papai fizesse uma coisa que você julgaria errado mas se descobrisse os motivos você perdoaria o papai?.

- Depende da situação papai!.











Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...