História A Queda da Espada - Capítulo 1


Escrita por: ~

Postado
Categorias Originais
Personagens Personagens Originais
Tags Drama, One-shot, One-shots, Poesias, Sawtheme
Visualizações 14
Palavras 502
Terminada Sim
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 14 ANOS
Gêneros: Drabble, Drama (Tragédia), Poesias
Avisos: Mutilação, Violência
Aviso legal
Todos os personagens desta história são de minha propriedade intelectual.

Notas do Autor


Aproveite o tema¹

Capítulo 1 - Capítulo Único


 

 

 

 

A Queda da Espada

 

 

 

 

 

- Venho por meio desta,

Para declarar tal paixão funesta,

- Como ousas se dirigir a mim?

Sabes da imprudência que cometes?!

 

- Perdoe minha insolência,

Por meio de tal consequência,

Eis me aqui,

Para declarar meu amor intrínseco,

Por ti...

 

- Sabes que não posso,

Tal ato imersivo e lindo,

Porém nada reciproco,

 

- Estou disposto a correr tal risco,

Pois seu belo sorriso,

Será a premiação mais gratificante,

Que um pobre cavaleiro nobre,

Sonharia em ter,

 

-Fortuito,

No entanto tal morte o aguarda,

Pense bem, ó grande cavaleiro,

Realmente sou sua amada...?

 

- Tu és a mais bela,

Ouço sua doce e melódica voz em meus sonhos,

- Ela diz,

“Venha meu cavaleiro brando!”

 

- Sabe-vos que eu te amo,

No entanto...

Não serei capaz de suportar,

Ouvir o tinir da vossa espada,

E depois assisti-lo,

Cair em batalha,

 

- Prometo pra ti minha amada,

Que ao final de tal batalha,

Estarei de pé,

Para proclamar sua mão,

Em meio à vasta multidão,

 

- Acho isso um tremendo absurdo,

Grandiosos animais estúpidos,

Meu pai insistiu em tal prova,

Para conceder minha mão...

Como espécie de premiação!

 

- O Rei deve ter seus motivos,

E para provar a ele que sou digno!

Irei usar meus instintos,

Nesse decisivo conflito,

 

O circulo de sangue,

Assim chamado o grandioso estádio,

Onde cavaleiros disputam,

Até a morte por algo mútuo,

 

A batalha é travada,

Horas e horas passara,

E Aldor ainda de pé estava,

Ansioso para proclamar vitória a sua amada!

 

Seu ultimo oponente,

Chamado de...

Uret machado de marfim!

Tirano e cruel,

 

O ardente sol de meio dia,

Causava agonia,

Na multidão que os assistia,

 

O campo de batalha,

Tornara-se um rio de sangue,

Os corvos que sobrevoavam,

Os corpos que ali estavam,

 

Aldor caminha até a arena,

E Helena com lagrimas em seus olhos,

De longe o observa,

 

Pois a mesma sabe,

Que por conta de tal ato,

Poderá ser o ultimo suspiro,

De seu doce amado,

 

De frente um para o outro,

Uret e Aldor se encaram,

E com o som da trombeta,

O combate tão aguardado é iniciado,

 

Aldor estuda seu oponente,

E o observa atentamente,

Uret um tanto grosseiro,

Desfere ataques que não são certeiros,

 

Então Aldor rapidamente percebe,

Que cansar seu oponente,

A vitória será eminente,

 

Uret sem nenhuma estratégia,

O golpeia sem cautela,

Aldor um tanto ardiloso,

Se esquiva com maestria,

 

Helena muito agoniada,

Cai em prantos na tenda em que estava,

 

A batalha parecera estar no fim,

Uret já se mostrava cansado,

Aldor agarrara tal oportunidade,

E desfere um golpe mortal,

Que atingira o abdômen,

 

Helena então observara,

O suposto termino da batalha,

 

Aldor com a espada ainda dentro de seu oponente,

O olha nos olhos um tanto contente,

Porém Uret o olha e diz;

- Você morre aqui com esse sorriso ardente!

 

E o perfura com a ponta de seu machado,

Aldor tira sua espada,

E olha de longe para a sua amada,

Com lagrimas nos olhos...

Ele cai em batalha!


Notas Finais


Obrigado por ler até aqui,
Abraço sucesso, e até mais!


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...