História A queda de um rei - Capítulo 1


Escrita por: ~

Postado
Categorias O Poderoso Chefão
Tags Drama, Scarface
Exibições 2
Palavras 1.241
Terminada Sim
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 16 ANOS
Gêneros: Ação
Avisos: Drogas
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Capítulo 1 - Capítulo Único: A queda de um rei


Fanfic / Fanfiction A queda de um rei - Capítulo 1 - Capítulo Único: A queda de um rei

Minha sala , minha montanha de cocaína ,  essas eram as passagens para um mundo ; um mundo onde a minha mente reinava supremo , decretando quaisquer ordens que desejasse .
 Porém tudo aquilo não passava de um mundo labil .
 - Droga . - resmungo , meio tonto , avistando a porta do escritório . - preciso dar mais uma ... mais uma .
 Meu rosto estava a centímetros daquela delícia branca , mas tenho me interrompido por Gina , fechando a porta bruscamente , em um de seus braços parecia esconder algo .
 Deusa do meu deleite . Seminua , apenas coberta por um longo roupão de seda , rosa . Permitia-me imaginar várias sacanagens com o seu corpo , mesmo que fosse minha irmã .
 - Algum problema ? - eu pergunto ainda admirando-a .
 - Nada . - seus olhos fitavam-me com um seblante de insanidade . - apenas quero que você ... me foda .
 - Hã !? - as drogas deveriam agora estar fazendo efeito no meus ouvidos , eu não havia escutado aquilo . - o quê ?
 - Me foda Tony . - ela revelou um revólver das suas costas - FODA-ME , TONY !
 Os dois disparos quase me acertaram , sorte , que escorreguei-me para baixo da mesa . Mas aquela proteção não duraria por muito tempo , eu precisava acalmá-la . Porém logo escuto uma sequência consecutiva de tiros , dessa vez não de um revólver , era uma metralhadora . E junto daqueles disparos , ouço os gritos agonizantes de Gina , vendo-a caindo no chão .
 Quem disparou ? Quem foi o desgraçado que fez aquilo ?
 Olho para o miserável . Os cabelos grossos escuros , seu odor ; seu maldito odor emanava por todo o cômodo da sala : comunismo .
 Fedia a Stalin . Não precisava de mais nada para deduzir que aquele merda era um colombiano .
 Uso do elemento surpresa , empurrando-o da varanda , o miserável caiu na minha piscina . Não dou tempo para reerguer-se , descarrego quantas balas aquele pente ainda tinha a me oferecer . Meus olhos comtemplam a piscina virar uma enorme poça de sangue .
 - TONY , SAIA DAÍ . - gritou um dos meus capangas . - OS COLOMBIANOS INVADIRAM A MANSÃO !!!
 Sosa . Nome certeiro , aquele filho da puta contratou-os . Mas não era problema para agora preucupar-me . Corro em direção a porta e tranco-a , junto-me a Gina , apoiando sua cabça em meu colo .
 - Gina ... - eu tento acordá-la , sancudindo - Gina , por favor abra os olhos . - meu juízo estava léguas distantes daminha cabeça , estava falando com um cadaver .
 Nada . Porra . Aquilo tudo era culpa minha . Por que inventei de matar Mamny ? Por quê ?
 Não demorou para que todo aquele sentimento de culpa evaporasse , trasformando em ódio , só de apenas ao olhar Chichi , pedindo por ajuda e logo dar seu " adeus " borrando a porta com o seu sangue . Malditos Colombianos , eles já entraram na minha casa .
 - Certo Gina , eu volto já . Você ... fica aí quietinha . - me levantei , e me dirigi ao meu arsenal . - tudo bem , filhos da puta , querem se fuder comigo ? - olho para as camêras , enquanto carregava a arma - vão se fuder com o melhor , venham , venham .
 Coloco-me a três metros a frente da porta .
 - VÃO QUERER BRINCAR DE PORRADA ? - pergunto , soltando um alto grito . - TUDO BEM . DÊEM UM ALÔ PARA O MEU AMIGUINHO .
 Nunca me senti tão vivo . Era a primeira vez que usava aquela bela M16 . Mas minha felicidade só seria alcançada , quando meus pés estivessem pisando nos cadaveres de todos aqueles filhos da puta . A poeira então envolveu a sala , porém meus olhos sanguínarios ainda viam alguns daqueles vermes se rastejarem .
 - MORRAM COVARDES . PUTOS ! -  atiro sem clemência - COVARDES ... SEUS MERDAS .
 A recepção estava como do costume deles . Covarde . De um modo repentino tenho me surprendido por um tiro , que , acertou-me o ombro esquerdo . Aquilo estava muito longe de me fazer cair , ainda conseguia manejá-la apenas com uma mão .
 Descarrego o pente por completo naquele desgraçado . Mas presencio a investida de outro , que corria as escadas disparando contra mim , não penso duas vezes , apenas lanço mais uma granada em sua direção , o desgraçado havia se resumido a destroços humanos porém foi tempo suficiente para que seus comparças se recuperassem para brincar de tiro ao alvo com meu corpo .    
 Dois tiros novamente , acertaram meus respectivos braços  , fazendo-me cair no chão . Não havia para onde correr , eu era um rei cercado por todos os peões em meio aquele tabuleiro de xadrez insano , minha mansão era riscada pelas inúmeras balas vindas daqueles filhos da puta , o nevorsismo me prendia , minhas mãos não conseguiam encaixar a minha última granada que possuía . Tento , tento .
 Até que fim , consegui , bastava agora esperar o momento e o lugar certo para atirar . Os sons deixam de se tornarem frequentes . Era a hora . Levanto-me e lanço aquela bala , em direção a porta principal , um lugar onde a maioria deles se encontava . O sangue voou para os meus caros quadros . Que desastre  .        
 - MORRAM ... - a poeira novamente envolveu aquela sala , dessa vez densa . - HÃ !! ESTÃO GOSTANDO DISSO ? SEUS VIADINHOS DE MERDA , - grito em uma tentativa de intimidá-los , mas na real eu é que estava sendo intimidado . Pelo seu número monstruoso . - ESTÃO PENSANDO QUE VÃO CONSEGUIR ME MATAR DESSE JEITO ? VÃO PRECISAR DE UM EXERCITO PARA ME ENFRENTAR . LEVANTEM , EU VOU MANDAR TODOS VOCÊS PARA O INFERNOOOO . VENHAM , VENHAM . EU SOU TONY MONTANA . - ergo as mãos , me exaltando . - QUEREM SE FUDER COMIGO , VENHAM SE FUDER COMIGO .        
 Balas então me acertavam , logo em meus braços , fazendo largar a minha arma , vindas de todos os lados , malditos , era um brecha que eles esperavam de mim .
 EU VOU ME RESSUSCITAR .- as balas eram letais , mas pareciam não me afetar . Eram como meras pedras jogadas .
 - PARA ! PARA ! - grito um daqueles reles comunistas .
 - SEUS FILHOS DA PUTA , EU QUERO QUE TODOS VOCÊS SE FODAM . EU AGUENTO ESSAS BALAS , ATIREM , ATIR...
  Um forte som de tiro ecoou até meus ouvido, como se estivesse atrás de mim , não consegui captá-lo , apenas senti as minhas costas serem perfuradas , acompanhado de um forte calafrio percorrer por todo o meu corpo . Meus últimos segundos de vida , foi apenas me ver caindo naquela piscina onde a estátua do meu império era meu principal mantra " The World Is Yours " . Morri . Perdi aquele jogo de xadrez , mas de uma coisa eu sei ... lutei bravamente como um rei , quebrando as regras que é lhe dado no tabuleiro   .          
 


Notas Finais


Apenas quis trazer uma fic, devido esse ser um dos filmes que mais adoro. E também ao fato de colocar o personagem principal a narrar , encarnando seu comportamento aos acontecimento que ocorreu durante aquela noite.


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...