História A rainha - Capítulo 12


Escrita por: ~

Postado
Categorias Originais
Personagens Personagens Originais
Tags Anjos, Bruxas, Demonios, Interativa, Lobisomens, Monarquia, Reinos, Sereias, Vampiros, Wendigos
Visualizações 14
Palavras 710
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Ação, Aventura, Comédia, Drama (Tragédia), Fantasia, Festa, Ficção, Hentai, Luta, Magia, Mistério, Romance e Novela, Shoujo (Romântico), Sobrenatural, Survival, Suspense, Universo Alternativo, Violência, Yaoi, Yuri
Avisos: Álcool, Bissexualidade, Estupro, Heterossexualidade, Homossexualidade, Incesto, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Nudez, Sexo, Tortura, Violência
Aviso legal
Todos os personagens desta história são de minha propriedade intelectual.

Capítulo 12 - Capitulo 12 - O poder descoberto


As palavras de Diana entraram como facadas no meu coração, como pode ser? Eu sou realmente um monstro? Devo confiar nas palavras dela? Perguntas e perguntas que ecoavam na minha cabeça, de repente o mundo virou um vazio imenso e preto no meu coração, não sou mais a mesma depois destas palavras, mas não posso viver escondida, tenho um reino para cuidar e levar em minhas mão, como eu queria nunca ter nascido.

—Se acalme Brooke, você ira fazer a iniciação, e as provas, mas terá que treinas seus poderes até lá e você não terá descanso.

—Então vamos começar com o treino.

Um sorriso num tanto fechado se fez na face de Diana, a mesma virou de costas para mim e bateu as palmas de sua mão. Com esse pequeno gesto, a sala cheia de livros virou um campo de treinamento. Existia uma barreira magica roxa e dentro dela, três homens, que teriam que ser executados, mas o que eles estão fazendo aqui?

—Professora Diana

—Sim?

—O que estes presos estão fazendo aqui?

—Você irá testar seus poderes neles Brooke.— Depois dessas palavras comecei a suar frio e fiquei mais branca que o normal.

—I-isso é errado professora! Não podemos usar humanos como teste, mesmo que estejam sentenciados a morte!

Diana fez um pequeno gesto com as mão que fez eu me calar em segundos, logo em seguida fez outro gesto para eu entrar na barreira e fiz o mandado.

—Agora Brooke, esqueça do mundo e entre em seu interior, ache seu poder, se conecte nele, o sinta o explore e o use.

Nestes pequenos segundos, fechei meus olhos esquecendo do mundo, de seus problemas, e dos meus problemas. Agora estou no interior de mim mesma, um túnel escuro e sem fim, meu corpo começa a andar sobre ele procurando uma saída, ou algum tipo de luz. Parece que, quanto mais eu ando sobre meu interior, menos eu me conheço.

Para mim, parecia que estava ali a horas perambulando para achar algo, e então uma figura aparece em minha frente. Sua pele era cinza, cabelos longos azuis e alisados, vestia um longo vestido azul  e seus olhos, um de cada cor, o da direito roxo, e o da esquerda amarelo. Andei para mais perto da figura, minha mão direito tocou na figura, mas a mesma logo desapareceu revelando um luz branca enorme e cegante, andei até a mesma, e quando me dei conta estava na realidade novamente.

Eu me sentia mais forte, sentia o poder fluindo em minha pele, mas eu não estava mais controlando meu corpo, eu sentia que não era eu. Minhas mãos estavam sendo controladas por uma força superior. Encaro o preso da esquerda, e sem mesmo eu perceber estava na mente e no corpo do mesmo. Fazia gestos com os braços e ele se contorcia de dor e logo em seguida se movia de acordo com meus gestos, espera, estou controlando ele pelo sangue? Eu conseguia sentir seu sangue fluindo, e ele tendo hemorragias internas . Então ao meu ultimo gesto, ele se contorceu, sangue saíram de seus olhos ouvidos e narinas, e segundos depois estava morto no chão.

Diana me fitou de cima a baixo em aprovação, em sua face dava para ver que estava feliz. Depois de analisar Diana cai de ajoelhada no chão, e não sentia mais aquela força superior, mas sentia o poder fluindo ainda.

—Vamos Brooke, agora tente sem o espirito da bruxa em seu corpo!

Vou até o preso da esquerda e repito os mesmo passos que fiz antes, e deu tudo certo. Ele se contorcia e movia ao meus gestos, isso é horrível, mas ao mesmo tempo, maravilhoso. Eu sou realmente um monstro, mas pela primeira vez, estou conformada com isso. No final a mesma coisa aconteceu, sangue saiu dos mesmo lugares e ele estava morto no chão.

—Saia dai agora Brooke, amanha continuaremos, sinto que está mais fraca ao usar seus poderes.

Diana tinha razão, estava me sentindo fraca, esgotada. Sai da barreira e fiquei ao lado de Diana, a platinada bateu palmas novamente e tudo desapareceu, voltando a ser a sala que era antes. Diana logo em seguida sentou em sua mesa escrevendo algo em seu caderno sobre mim.

—Descanse Brooke, amanhã terá um dia longo.                             



Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...